segunda-feira, 3 de outubro de 2016

Votar responsabilidade minha


Ontem, a nação brasileira amanheceu vestida com traje cívico; para levar às urnas deste país o seu voto. Já estive orando nesta manhã, pedindo a Deus que nos dê sabedoria, nas escolhas que precisamos fazer ao longo da vida (e a escolha de um candidato também requer sabedoria da parte do eleitor). Penso que não devemos votar em um candidato só por laços de amizade ou de parentesco; mas sobretudo, por seu perfil moral e ético e com o seu projeto para com as políticas públicas. Pois, promessas feitas podem ser apenas propaganda enganosa, que nos deixarão ainda mais decepcionados.

Quando digo que estive orando; não estou querendo dizer que tenha pedido a Deus que me indique um candidato... Pois, o dever de avaliar o histórico daquele em quem desejo votar é responsabilidade minha. Na verdade, aprendi duas coisas muito importantes - especialmente, nestes dias da "lava jato" - que é escolher bem o meu candidato; e, saber de qual partido ele é (a bandeira ideológica de um partido é até mais importante que sua bandeira social); pois o partido condiciona o filiado. Então, se um candidato deseja o meu voto; ele deve saber escolher o partido ao qual se filia.

Tanto este texto bíblico como o seu contexto, demonstram que as pessoas de bem, que sentem vocação para a gestão pública, não devem omitir sua candidatura: "... Então todas as árvores disseram ao espinheiro: Vem tu, e reina sobre nós. E disse o espinheiro às árvores: Se, na verdade, me ungis por rei sobre vós, vinde, e confiai-vos debaixo da minha sombra; mas, se não, saia fogo do espinheiro que consuma os cedros do Líbano." (Juízes 9:14,15). E também demonstram à nós, eleitores, que se escolhermos mal, sofreremos as consequências das nossas escolhas.

Ouça esta canção! Ela ajuda a definirmos melhor nossas motivações:
https://youtu.be/nLgOx-mzgrc

Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário