domingo, 30 de outubro de 2016

Porção diária de aflição


Tenho percebido que cada um de nós (crente e não crente) tem sua porção diária de aflição... E não poderia ser diferente, pois o próprio Jesus nos advertiu que, neste mundo, teríamos aflições (João 16.33). Então, fiquei a pensar nos vários tipos de aflição que sofremos; aflições impostas, pelo sofrimento daqueles que nos amam; aflições impostas pelos que nos odeiam, quando nos injuriam e perseguem; aflições provocadas por palavras que proferimos e por atitudes que tomamos; enfim, aflições e mais aflições... Das quais, não temos como fugir. 

Agradeço a Deus por ter me ensinado, que as aflições nos ajudam bem mais do que as alegrias; pois, se estas sempre nos levam a uma euforia extemporânea, delas resultantes; aquelas podem nos levar a uma reflexão madura, sobre desafios e propósitos delas decorrentes. Portanto, não devemos reagir irrefletidamente, emitindo queixas e murmurações sobre as aflições da vida - sejam elas aflições com os filhos, com o cônjuge, enfermidades e tantas outras, a nos assediar em nosso dia-a-dia; pois o nosso Redentor vive! E, na dor, é o nosso consolo.

A Palavra de Deus sempre nos traz exortação e conforto. E nela está escrito que "O mesmo Espírito testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus. E, se nós somos filhos, somos logo herdeiros também, herdeiros de Deus, e co-herdeiros de Cristo: se é certo que com ele padecemos, para que também com ele sejamos glorificados. Porque para mim tenho por certo que as aflições deste tempo presente não são para comparar com a glória que em nós há de ser revelada." (Romanos 8:16-18). Então, louvo a Deus pelas aflições e por Sua graça!

Como me sinto bem, com esta canção entoada por Bruna Karla:
https://youtu.be/srXPMFexE0U

Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário