terça-feira, 18 de outubro de 2016

O fim do governo humano


Nestes dias, tenho pensado neste termo - lava-jato; cuja conotação laboral se popularizou ao facilitar a vida daqueles que possuem carro, mas sem tempo para limpá-lo. No entanto, este termo ganhou, em nossos dias, popularidade ainda maior; ao se tornar sinônimo de investigação de crimes contra o patrimônio público, praticados por agentes públicos e empresas. Neste seu novo significado, ele desencadeando forte reação da justiça, do ministério público e da polícia federal; que tem resultado em prisão, julgamento e condenação de figuras muito importantes, do cenário político e empresarial deste país. E ao que tudo indica, a lava-jato deve continuar o seu trabalho; ainda que incomode os poderosos.

Ao refletir sobre esta cena incomum no cenário brasileiro - com ricos e poderosos sendo presos, julgados e condenados; cresceu em mim a convicção, de que o governo humano se esgotou e fracassou; de tal modo, que não mais se recupera. Vemos que na criação, Deus deu ao homem a incumbência de governar a terra; todavia, esta missão foi subvertida pelo pecado. E, a partir daí, todos os sistemas de governo humano (civis e militares, ditatoriais e democráticos, presidencialistas, e parlamentaristas, laicos e religiosos) fracassaram em sua principal missão: que é a de amar e servir àqueles que por eles são governados. Realmente... Neste mundo, são raros os casos de governos probos. Ora vem Senhor Jesus!

Este texto da Bíblia sempre chamou a minha atenção: "Assim diz o Senhor: Maldito o homem que confia no homem, e faz da carne o seu braço, e aparta o seu coração do Senhor! Porque será como a tamargueira no deserto, e não verá quando vem o bem; antes morará nos lugares secos do deserto, na terra salgada e inabitável. Bendito o homem que confia no Senhor, e cuja confiança é o Senhor. Porque será como a árvore plantada junto às águas, que estende as suas raízes para o ribeiro, e não receia quando vem o calor, mas a sua folha fica verde; e no ano de sequidão não se afadiga, nem deixa de dar fruto." (Jeremias 17:5-8). Pois, vejo nele uma das mais importantes advertências divinas. Ainda bem que os dias se abreviam!

Como esta canção põe em evidência, vamos confiar mais no Senhor: 
ttps://youtu.be/b1UWOkNBp68

Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário