quinta-feira, 8 de setembro de 2016

Dom de línguas estranhas


Alguns meses atrás, um dos meus amigos na página me consultou acerca de um vídeo com dura e ácida crítica ao dom de línguas. Considerei ferino e ultrajante, o modo como o seu autor tratou algo tão sagrado em tom leviano e escarnecedor. Porém, o mundo chamado cristão é assim mesmo... Como uma espécie de mosaico; onde há quem seja contra os milagres; quem questione a modo como Cristo foi crucificado; enfim... Se apresentam como juízes de plantão que se julgam donos da verdade, os únicos certos no reino. Sua base é uma exegese discutível (como tantas outras existentes, suscetíveis de engano) contra as operações do Espírito Santo; assim como tantas outras opiniões fundadas em conceitos puramente racionais; espúrios e distantes da divina revelação do Espírito Santo de Deus.   

Em minha longa carreira; tenho notado que podem ocorrer exageros e encenações no exercício dos dons sobrenaturais (já tenho visto e até convivido com atitudes deste tipo). Todavia, logo percebi que o modo irresponsável ou irreverente como alguns cristãos procedem, não pode desqualificar o agir sobrenatural de Deus; bem como, o fato de alguém pregar sobre Cristo, com motivos levianos e oportunistas, não desqualifica o evangelho da graça. Na Palavra de Deus, fica patente que o dom de línguas estranhas nada tem a ver com habilidade poliglota; pois é um dom de caráter devocional (1 Cor. 14.2). E não se deve proibir falar em línguas; pois, segundo a Bíblia, este dom é para edificação pessoal (v. 4 e 5). Entretanto, o fato de muitos não crerem neste dom, não lhes dá o direito de ridiculariza-lo.

Entendo que, textos bíblicos sobre temas controversos devem ser vistos fora da névoa do preconceito. Vejam este texto: "Segui o amor, e procurai com zelo os dons espirituais, mas principalmente o de profetizar. Porque o que fala em língua desconhecida não fala aos homens, senão a Deus; porque ninguém o entende, e em espírito fala de mistérios. Mas o que profetiza fala aos homens, para edificação, exortação e consolação. O que fala em língua estranha edifica-se a si mesmo, mas o que profetiza edifica a igreja. E eu quero que todos vós faleis em línguas, mas muito mais que profetizeis; porque o que profetiza é maior do que o que fala em línguas, a não ser que também interprete para que a igreja receba edificação." (1 Coríntios 14:1-5). Só com amor, temor e zelo podemos entender.

Faz bastante tempo, que eu não cantava esta canção:
https://youtu.be/4D2sWGEAQMA

Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário