sexta-feira, 1 de julho de 2016

Famigerada pós-modernidade


Percebo vivermos um tempo de inversão de valores; como antes, talvez, nunca se viu nada igual. Sei que os dias de Sodoma foram dias de perfídia; contudo, os seus habitantes nunca conheceram o suporte moral que hoje temos (a doutrina dos apóstolos); nem tiveram a graça revelada em forma humana que veio nos salvar do presente século mau (o Senhor Jesus). E como resultado desta inversão; a crise existencial é de tão grande magnitude, que até mesmo entre os cristãos, existem aqueles que defendem usos e costumes que proliferam em todo o mundo, impostos pela cruel e famigerada pós-modernidade.

Quando penso nos desvios morais que prosperam em nossos dias; não consigo deixar de me preocupar com os pastores - tão visados por este odioso sistema, quanto suas ovelhas. E ao ver o estado de transformação de muitos líderes cristãos (cada dia mais distantes de sua história e experiência com o Senhor); lembro a famosa frase de Lavoisier, o pai da química moderna: "Na natureza nada se cria, nada se perde, tudo se transforma". E assim, a natureza humana - tendente que é às transformações impostas pelo que a influencia - precisa ver como urgente, ter Jesus e se firmar em seus ensinos.

Como nos faz bem, ler e reler este texto da Palavra de Deus; especialmente nos dias que vivemos: "Portanto nós também, pois que estamos rodeados de uma tão grande nuvem de testemunhas, deixemos todo o embaraço, e o pecado que tão de perto nos rodeia, e corramos com paciência a carreira que nos está proposta, Olhando para Jesus, autor e consumador da fé, o qual, pelo gozo que lhe estava proposto, suportou a cruz, desprezando a afronta, e assentou-se à destra do trono de Deus." (Hebreus 12.1-2). Assim, em dias tão maus, precisamos mesmo nos apegar aos valores da Palavra de Deus.

Também faz bem, refletir sobre esta canção de Adhemar de Campos:
https://youtu.be/78LJZtB1KiY

Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário