sexta-feira, 24 de junho de 2016

Sempre que penso na oração


Sempre que penso na oração - além de ver sua importância como eficiente arma de guerra e de paz - vejo também sua extraordinária eficácia como meio de aproximação entre as pessoas; pois a mesma oração que nos aproxima de Deus, também nos aproxima dos homens. Vejamos este maravilhoso exemplo apostólico: Pedro e João foram ao templo orar e - na porta do templo - acharam um paralítico; e o resultado desse tão abençoado encontro foi puro milagre (atos 3.1-8). Esta linda história inspirou o Pastor Paulo César Brito a assim cantar e gravar : "Quem procura Deus, acha o seu irmão".

Na verdade... Tenho visto a oração reaproximar cônjuges que já não se toleravam; e aproximar pais e filhos que já não conseguiam se entender. Também tenho visto amizades rompidas serem reatadas pela oração; e até inimigos inveterados se reconciliarem como resultado da oração. Enfim... São tantos os exemplos de reconciliação resultante do clamor; que me causa admiração o fato, de tantos crentes olvidarem a oração; como se orar fosse algo incômodo, desconfortável. Eu não tenho dúvida de que devo sim orar! Orar para lutar e vencer; orar para plantar e colher; orar para viver e morrer.

Isto é vida: "Aquele que faz caso do dia, para o Senhor o faz e o que não faz caso do dia para o Senhor o não faz. O que come, para o Senhor come, porque dá graças a Deus; e o que não come, para o Senhor não come, e dá graças a Deus. Porque nenhum de nós vive para si, e nenhum morre para si. Porque, se vivemos, para o Senhor vivemos; se morremos, para o Senhor morremos. De sorte que, ou vivamos ou morramos, somos do Senhor. Porque foi para isto que morreu Cristo, e ressurgiu, e tornou a viver, para ser Senhor, tanto dos mortos, como dos vivos." (Romanos 14:6-9). Vida de quem ora!

Que bênção é ouvir esta canção sobre oração:
https://youtu.be/olpyn4-_upM

Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário