sábado, 14 de maio de 2016

Profundezas da intercessão


Vejo crescer minha necessidade de orar mais cedo (ainda não sei se isto resulta do desejo de estar na presença do Senhor ou de orar preventivamente). Na verdade, razões sempre existem, para irmos ao lugar de oração (algumas definidas em nosso íntimo; outras nem sempre conhecidas). Falando como pastor... Eu entendo que não é possível cultivar um ministério estável  e próspero, sem uma vida de constante oração; pois a oração funciona como elemento fertilizante de um ministério maduro e próspero (como pode um pastor "sentir" os conflitos e carências de uma de suas ovelhas, se ele não consegue orar).

Falando como bispo... Como poderia eu ter alcançado o resultado que alcancei, em minhas diversas missões episcopais; se a oração não fosse meu melhor recurso e minha mais importante estratégia? E quando falo em oração como fundamento de um ministério; não estou a pensar nas orações tipo "abençoa meu trabalho", "abençoa minha vida" (mesmo sendo importantes; estas são orações voltadas apenas às minhas necessidades); mas, nas orações que nos levam às profundezas da intercessão; onde travamos as nossas maiores lutas e obtemos as nossas maiores vitórias. Estou me referindo à oração de guerra!

Esta oração de Jesus, por Pedro, nos ensina que não basta batizar ou ensinar alguém: "Disse também o Senhor: Simão, Simão, eis que Satanás vos pediu para vos cirandar como trigo; Mas eu roguei por ti, para que a tua fé não desfaleça; e tu, quando te converteres, confirma teus irmãos. E ele lhe disse: Senhor, estou pronto a ir contigo até à prisão e à morte. Mas ele disse: Digo-te, Pedro, que não cantará hoje o galo antes que três vezes negues que me conheces." (Lucas 22:31-34). Portanto, somente cruzando os limites impostos à intercessão e chegando até ao campo de batalha; é que podermos efetivamente ajudar.

Esta oração de Paulo é modelar:

"Portanto, vos peço que não desfaleçais nas minhas tribulações por vós, que são a vossa glória. Por causa disto me ponho de joelhos perante o Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, Do qual toda a família nos céus e na terra toma o nome, Para que, segundo as riquezas da sua glória, vos conceda que sejais corroborados com poder pelo seu Espírito no homem interior; Para que Cristo habite pela fé nos vossos corações; a fim de, estando arraigados e fundados em amor, Poderdes perfeitamente compreender, com todos os santos, qual seja a largura, e o comprimento, e a altura, e a profundidade, E conhecer o amor de Cristo, que excede todo o entendimento, para que sejais cheios de toda a plenitude de Deus."
(Efésios 3:13-19)

É a oração que devemos praticar.

Esta canção é o tipo de oração que deve abrir e fechar o ciclo do combate que travamos em Deus:
https://youtu.be/4y0_rOSnb_g

Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário