segunda-feira, 23 de maio de 2016

Graça e santidade bíblica


Hoje o meu pensamento se voltou para as promessas do Pai. Logo no início de minha jornada cristã, comecei a ser ensinado sobre as promessas de Deus; e, desde então, comecei a estudar sobre elas, com a finalidade de saber como obter os benefícios que elas oferecem. O que descobri é que o cumprimento das promessas de Deus (no que tange ao que pretendo alcançar); está condicionado pelos ensinos de Sua Palavra. Portanto, se pretendo alcançar justiça eterna; devo ser não apenas povo cristão (no vago sentido da palavra); mas, me tornar filho de Deus (um crente renascido), para ser povo de Deus na terra.

Na verdade, as promessas de Pai têm múltiplas abrangências; tais como: Saúde, paz, família, prazer, comunhão, amizade, emprego e renda, prosperidade e outras afins; todas baseadas na plenitude da graça. Todavia, sua prioridade maior é garantir segurança eterna ao ser humano restaurado pela obra da cruz, consumada por Jesus no calvário. E assim, frente à cena do gólgota, os inimigos da fé cristã, em tom de desprezo, rotulam o povo de Deus de povo da cruz (e nós somos mesmo!). Entretanto, o que não devemos ignorar é que Deus nos impõe condições, para desfrutarmos plenamente de Sua graça.

A graça está ligada à santidade bíblica: "Não reine, portanto, o pecado em vosso corpo mortal, para lhe obedecerdes em suas concupiscências; Nem tampouco apresenteis os vossos membros ao pecado por instrumentos de iniquidade; mas apresentai-vos a Deus, como vivos dentre mortos, e os vossos membros a Deus, como instrumentos de justiça. Porque o pecado não terá domínio sobre vós, pois não estais debaixo da lei, mas debaixo da graça. Pois que? Pecaremos porque não estamos debaixo da lei, mas debaixo da graça? De modo nenhum." (Romanos 6:12-15). Portanto, a graça não encobre pecado.

Belo vídeo este! Bom para ouvir e assistir:
https://youtu.be/2XnE9_Vfx-8

Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário