segunda-feira, 14 de março de 2016

Uma boa queda


Hoje estive no lugar de oração, tendo acordado um pouco mais tarde que o habitual. Enquanto eu orava, pedi ao Senhor que nos guarde em meio a estes dias maus... E também nos dias vindouros, que serão ainda piores que os atuais. Pedi ao Senhor que nos ajude a lidar com este mundo hediondo e hostil. E que nos guarde de fazer como tantos, que - em sua vã tentativa de fugir deste mundão - optam por se exilar em um mundinho criado em sua própria imaginação; lugar para onde levam apenas os amigos de conveniência; posto que, os amigos de verdade (aqueles que contrariam certas opiniões e atitudes nossas) foram descartados, justamente por dizerem aquilo nos incomoda. Coisas que, algumas vezes precisamos ouvir - mesmo que nos confrontem - pois enfraquecem nossa tendência de buscar apoio ao erro. Ah... E também pedi que nos livre de insistir em nossa teimosia.

Ainda orando, pedi ao Senhor que me guarde de cair, soterrado por opiniões e conceitos espúrios, tão em voga em nossos dias; uma vez que este é um perigo real, embora minimizado por muitos crentes. E pedi, que me guarde de cair vítima do engano e sedução que nos assediam com frequência; pois este tipo de queda é recorrente e determinante de fracasso. Achei por bem orar assim; pois sei muito bem que todos nós, crentes comprometidos com Deus, vivemos sempre em risco de queda. Então, se tivermos de cair, precisamos decidir em que direção vamos cair! E, em minha modesta opinião, entendo que o melhor lugar para sofrermos a única boa queda; é cair aos pés do Senhor - o único lugar em que o cair não traz o menor dano. Ah... E também pedi ao Senhor que tire de mim, resquícios de arrogância e insensatez; e outros tais, que insistem em permanecer em nossa vida.

Este é o rei Davi: "Bem-aventurado aquele cuja transgressão é perdoada, e cujo pecado é coberto. Bem-aventurado o homem a quem o Senhor não imputa maldade, e em cujo espírito não há engano. Quando eu guardei silêncio, envelheceram os meus ossos pelo meu bramido em todo o dia. Porque de dia e de noite a tua mão pesava sobre mim; o meu humor se tornou em sequidão de estio. (Selá.) Confessei-te o meu pecado, e a minha maldade não encobri. Dizia eu: Confessarei ao Senhor as minhas transgressões; e tu perdoaste a maldade do meu pecado. (Selá.) Por isso, todo aquele que é santo orará a ti, a tempo de te poder achar; até no transbordar de muitas águas, estas não lhe chegarão. Tu és o lugar em que me escondo; tu me preservas da angústia; tu me cinges de alegres cantos de livramento. (Selá.)" (Salmos 32:1-7). Homem com natureza de rei e coração de servo.

No passado, cantei muito esta canção:
https://youtu.be/WiIpwiNemF4

Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário