quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

Dois modelos de oração


Existem algumas questões, que precisamos resolver antes de buscarmos a face do Senhor. O que desejamos buscar e o que pretendemos oferecer, estão entre as mais importantes. Na verdade, se formos considerar tudo aquilo que está fora de ordem em nossa vida; jamais teremos chance de nos aproximar de Deus de modo aceitável. Daí, a expressão corrente no jargão dos pregadores - "venha como está" - que vai ao encontro do projeto divino de redenção da humanidade e salvação do pecador. No entanto, não podemos ignorar que, para nos aproximarmos de Deus, precisamos deixar alguma coisa para trás. Moisés deixou suas sandálias, o cego de Jericó sua capa, e nós... O que fazer com aqueles trastes velhos, que não nos dispomos a abrir mão?

Quando oramos, precisamos ser claros e objetivos em nossa pretensão. Na verdade, bom seria se nos aproximássemos de Deus com agenda aberta, tal e qual uma folha em branco. Entretanto, isto pode soar como exigência em demasia ao ser humano, tão tendente a questionar e a defender interesses próprios. Conheço gente que vive perseguindo certos desejos e sonhos que o Deus verdadeiro jamais irá abonar (uma cena semelhante à do adágio, do cão que vive a perseguir a sua própria cauda). Pior é quando tal pessoa opta por um "deus" capaz de realizar seus sonhos e desejos; mal percebendo a terrível escolha que fez. Enfim, devemos nos apresentar como o publicano (Lucas 18.13); ou então, como Isaías, dizendo: "Eis-me aqui" (Isaías 6.8).

Dois modelos de oração: "Dois homens subiram ao templo, para orar; um, fariseu, e o outro, publicano. O fariseu, estando em pé, orava consigo desta maneira: Ó Deus, graças te dou porque não sou como os demais homens, roubadores, injustos e adúlteros; nem ainda como este publicano. Jejuo duas vezes na semana, e dou os dízimos de tudo quanto possuo. O publicano, porém, estando em pé, de longe, nem ainda queria levantar os olhos ao céu, mas batia no peito, dizendo: Ó Deus, tem misericórdia de mim, pecador! Digo-vos que este desceu justificado para sua casa, e não aquele; porque qualquer que a si mesmo se exalta será humilhado, e qualquer que a si mesmo se humilha será exaltado." (Lucas 18:9-14). Um é certo; o outro errado.

Penso ser oportuno ouvir esta tão significativa canção:
https://youtu.be/26nQmq1FCUY

Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário