quinta-feira, 30 de abril de 2015

Da reserva para a ribalta


Nesta noite tive um sonho... Sonho de revelação, que me levou a buscar mais cedo o lugar de oração; e, nele, expressar o meu sentimento e temor diante do Pai. Senti paz e segurança na presença de Deus; e pude ouvir Sua voz soando em meu íntimo colocando algumas coisas em seu devido lugar. Pude entender melhor o que fez de Sanção um homem de força descomunal! Não foram seus bíceps ou tríceps... Pois a força que empregava não estava em sua carne; estava em seus cabelos. Ele soube desde cedo que era onde se concentrava o poder sobrenatural que tinha; mas, com o passar do tempo, mudou o seu modo de ver e de pensar. O que aconteceu com Sansão, acontece com todos nós; ou seja: Quando Deus nos tira da reserva para a ribalta; isto nos aproxima tanto do adversário, que corremos o risco de pensar de nós mesmos, além do que somos capazes de criar; e de atribuir a nós mesmos a causa e razão de nosso êxito.
 
Quando Sanção foi lançado na ribalta; as luzes que o focavam o transformaram em celebridade. Então, começou a fazer concessões às vozes que se faziam ouvir à sua volta... E os erros foram se sucedendo; a princípio, sem grande importância (erros de superfície), até chegarem ao erro que lhe custou a unção, a honra e os próprios olhos. Sanção perdeu a força? Depende de que força estamos falando. Se foi a força física, eu digo que não; pois ele tinha força suficiente para girar a roda de um moinho em lugar de um jumento. Agora, se falamos em força sobrenatural; aí sim, perdeu! Pois ela estava em seus cabelos - fios finos e frágeis - lugar propício à que o poder de Deus se manifestasse e fizesse dele o homem forte que foi. Também corremos este risco (nós, que fomos chamados por Deus), quando nos deixamos enganar e atrair, do mundo das celebrações para o mundo das celebridades; lugar onde o sucesso vira fracasso.
 
Entendo ser da maior importância - especialmente nestes dias que vivemos, este testemunho pessoal do apóstolo Paulo: "Não sabeis vós que os que correm no estádio, todos, na verdade, correm, mas um só leva o prêmio? Correi de tal maneira que o alcanceis. E todo aquele que luta de tudo se abstém; eles o fazem para alcançar uma coroa corruptível; nós, porém, uma incorruptível. Pois eu assim corro, não como a coisa incerta; assim combato, não como batendo no ar. Antes subjugo o meu corpo, e o reduzo à servidão, para que, pregando aos outros, eu mesmo não venha de alguma maneira a ficar reprovado." (1 Coríntios 9:24-27). É bem fácil perceber, que quando damos e dizemos aquilo que o mundo quer receber e ouvir, somos aplaudidos, até premiados; todavia, quando lhe damos e lhe dizemos apenas o que ele precisa, sem levar em conta o seu fútil interesse; somos injuriados, apupados e, até mesmo, agredidos.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quarta-feira, 29 de abril de 2015

Inversão de valores


Enquanto eu estive orando, me dei conta de que algumas coisas naturais colidem frontalmente com o propósito de Deus para com as nossas vidas. Posso até dar alguns exemplos: É algo natural praticar religiosidade sem objetivo espiritual; assim como é natural proferir expressões tais como "meu Deus", sem que isto seja um clamor verdadeiro. É natural preferir atender aos conselhos de pessoas sem vida com Deus, ainda que os mesmos sejam contrários à Bíblia e ao bom senso. É natural, pessoas deixarem a Fonte do verdadeiro prazer, optando por rebuscarem prazeres na lixeira do mundo. É natural a prática do sexo apenas pelo prazer de uma paixão momentânea, circunstancial (independente de com quem seja praticado), sem levar em conta a real finalidade e responsabilidade do ato. Enfim, para o homem natural todas as coisas são naturais; e tudo naturalmente se explica.
 
Todavia, a razão desta conduta pode ser explicada na Palavra de Deus, que nos diz: "Ora, o homem natural não compreende as coisas do Espírito de Deus, porque lhe parecem loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente." (1 Coríntios 2:14). A bíblia sentencia que "Estes, porém, dizem mal do que não sabem; e, naquilo que naturalmente conhecem, como animais irracionais se corrompem." (Judas 1:10). Vemos na Bíblia a causa e razão de tamanha inversão de valores: "Portanto, como por um homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado a morte, assim também a morte passou a todos os homens por isso que todos pecaram." (Romanos 5:12). E nela, vemos o antídoto: "Mas, se andarmos na luz, como ele na luz está, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo o pecado." (1 João 1:7).
 
Este salmo da Bíblia (sem dúvida alguma, o maior capítulo das Escrituras) nos oferece esta pérola: "Com que purificará o jovem o seu caminho? Observando-o conforme a tua palavra. Com todo o meu coração te busquei; não me deixes desviar dos teus mandamentos. Escondi a tua palavra no meu coração, para eu não pecar contra ti. Bendito és tu, ó Senhor; ensina-me os teus estatutos. Com os meus lábios declarei todos os juízos da tua boca. Folguei tanto no caminho dos teus testemunhos, como em todas as riquezas. Meditarei nos teus preceitos, e terei respeito aos teus caminhos. Recrear-me-ei nos teus estatutos; não me esquecerei da tua palavra. Faze bem ao teu servo, para que viva e observe a tua palavra." (Salmos 119:9-17). Gosto muito de ler os salmos da bíblia, pois trazem grande conforto ao coração. Na verdade, a Palavra de Deus é Vida e Paz para os que nela creem!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

terça-feira, 28 de abril de 2015

Madrugada propícia


Madrugada propícia à um bom encontro com o Senhor! E eu, movido pelo Santo Espírito, me curvei e me aconcheguei ao Pai. Orei por meus queridos (jamais devemos olvidar a oração em favor daqueles que amamos). Orei por minha esposa, companheira dedicada (pedi que o Senhor a guarde, face aos desafios e dissabores que a vida sempre procura nos impor). Orei por meus filhos, genro, noras e netos (intercedi por eles; para que Deus os guarde em meio aos rigores e rancores que afligem tanta gente). Também aproveitei para louvar ao Senhor... Por me guardar e conduzir ao longo de um difícil percurso, repleto de árduas tarefas e de fortes tranqueiras.
 
Então, me lembrei desta canção do Adílson Silva:
"Oh! Que prazer, é descansar na força do seu braço,
É te encontrar em tudo que eu faço é perceber que estás comigo aqui...
Oh! Que prazer é ser o templo do espírito santo,
É te adorar com Salmos e com cânticos, ouvir tua voz provar do teu poder...
Oh! Que prazer, é descobrir que andas ao meu lado,
Sentir tua mão por toda caminhada, olhando sempre na direção do céu
Oh! Que prazer, é descobrir que andas ao meu lado,
Sentir tua mão por toda caminhada, olhando sempre na direção do céu..."
 
Recomendo também a meditação neste texto: "E os teus ouvidos ouvirão a palavra do que está por detrás de ti, dizendo: Este é o caminho, andai nele, sem vos desviardes nem para a direita nem para a esquerda. E terás por contaminadas as coberturas de tuas esculturas de prata, e o revestimento das tuas esculturas fundidas de ouro; e as lançarás fora como um pano imundo, e dirás a cada uma delas: Fora daqui. Então te dará chuva sobre a tua semente, com que semeares a terra, como também pão da novidade da terra; e esta será fértil e cheia; naquele dia o teu gado pastará em largos pastos." (Isaías 30:21-23). Ele tem trazido grande segurança ao meu coração.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

segunda-feira, 27 de abril de 2015

Linguagem do céu


Dias atrás, ao pregar em Aracruz, falei sobre a importância da linguagem do céu. Não me recordo de, alguma vez, ter falado do modo como falei (digo assim, mas sei que foi o Espírito falando através de meus lábios). No dia seguinte, levantei muito cedo (era bem cedo mesmo); pois Maria Célia e eu precisávamos viajar dentro em pouco e tínhamos algumas coisinhas a aprontar (sempre existem coisas a ser organizadas, antes de uma viagem). Enquanto orava, me lembrei deste foco: A linguagem do céu! Percebo que ela é cada vez menos utilizada pelos crentes deste lado do mundo (penso que seja constantemente usada por aqueles crentes que vivem sob ameaça de decapitação ou fuzilamento). O condicionamento da própria Igreja leva os crentes a se ocuparem cada dia mais com as coisas terrenas (e eu não me excluo deste processo); afinal, nossa humanidade está sempre pensando de modo efêmero, procurando chamar nossa atenção para as coisas deste mundo.
 
No entanto, penso ser de grande importância, investirmos mais na linguagem do céu e menos na linguagem da terra. Primeiro, porque a realidade presente é temporária; ao passo que, a realidade futura é eterna. Em segundo lugar, porque é próprio de quem tem esperança, idealizar e projetar pensando no futuro (apenas os desesperançados e desajustados vivem presos ao passado). E, finalmente, porque o fato de não sermos ameaçados de morte, por algozes, não nos torna menos próximos da inevitabilidade da mesma. Afinal, poderá o fato de vivermos em relativa segurança, nos afasta de sofrer a morte física que está determinada a todos os homens? Claro que não! Na verdade, o "Dia do Senhor" se aproxima... E não devemos olvidar esta realidade profética. Afinal, como eu disse acima, Antes de uma viagem sempre temos coisas a aprontar... E o Dia do Senhor exige que nos aprontemos! Então, devemos ter na lembrança a parábola das dez virgens; pois ela tem tudo a ver conosco.
 
Esta parábola é uma advertência de Jesus, acerca do arrebatamento da Igreja:
 
"Então o reino dos céus será semelhante a dez virgens que, tomando as suas lâmpadas, saíram ao encontro do esposo. E cinco delas eram prudentes, e cinco loucas. As loucas, tomando as suas lâmpadas, não levaram azeite consigo. Mas as prudentes levaram azeite em suas vasilhas, com as suas lâmpadas. E, tardando o esposo, tosquenejaram todas, e adormeceram. Mas à meia-noite ouviu-se um clamor: Aí vem o esposo, saí-lhe ao encontro. Então todas aquelas virgens se levantaram, e prepararam as suas lâmpadas. E as loucas disseram às prudentes: Dai-nos do vosso azeite, porque as nossas lâmpadas se apagam. Mas as prudentes responderam, dizendo: Não seja caso que nos falte a nós e a vós, ide antes aos que o vendem, e comprai-o para vós. E, tendo elas ido comprá-lo, chegou o esposo, e as que estavam preparadas entraram com ele para as bodas, e fechou-se a porta. E depois chegaram também as outras virgens, dizendo: Senhor, Senhor, abre-nos. E ele, respondendo, disse: Em verdade vos digo que vos não conheço. Vigiai, pois, porque não sabeis o dia nem a hora em que o Filho do homem há de vir."
(Mateus 25:1-13)
 
Devemos refletir sobre ela, especialmente no momento profético que vivemos!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

domingo, 26 de abril de 2015

Cultivando o hábito de orar


Em minha vida cristã, tenho entendido que todo crente deve cultivar o hábito de orar - não como obrigação religiosa - mas como devoção espiritual. Hoje mesmo, ao me curvar no lugar de oração; fiquei, por alguns instantes, sem saber como orar (algo como se não tivesse assunto agendado). Então, adorei e exaltei ao Rei e Senhor de todos nós! Enquanto adorava, me recordei da primeira vida que levei a Jesus: O meu único tio por parte de mãe (eu era ainda um crente novo e estava servindo o Exército Brasileiro). Acometido que fora de doença grave; eu ia lá, dia sim dia não, para fazer sua barba. Enquanto o barbeava, lhe falava do amor de Jesus. Um dia, ao começar a barbeá-lo, ele me disse: "Você não precisará mais vir; esta noite, Jesus esteve comigo e me disse que virá me buscar" (partiu na noite seguinte). Louvei a Deus, por meu trabalho em favor dele não ter sido vão!
 
Ainda em oração, pude entender que - quando estou na presença de Deus - aquilo que faço, ou que deixo de fazer, é bem mais importante do que aquilo que digo ou deixo de dizer; pois o Deus eterno conhece minhas palavras ainda não formuladas. Ele sabe tudo a meu respeito; e me conhece melhor do que ninguém! Ele conhece minhas ações e minhas intenções; sabe quando eu minto, mesmo quando estou dizendo verdades. Deus conhece as minhas orações que não foram feitas! Pois é omnisciente o nosso Deus. Aleluia! Em Sua presença, meia dúzia de palavras bem colocadas, valem muito mais do uma oração cheia de conceitos e afirmações que não nasceram de um coração quebrantado e contrito. Sua Palavra me ensina, que "Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse amor, seria como o metal que soa ou como o sino que tine." (1 Cor. 13:1). Aleluia!
 
Sempre que assaltados por insegurança; devemos recorrer a textos, como este, para desfrutar do conforto que a Palavra nos traz: "Porque em esperança fomos salvos. Ora a esperança que se vê não é esperança; porque o que alguém vê como o esperará? Mas, se esperamos o que não vemos, com paciência o esperamos. E da mesma maneira também o Espírito ajuda as nossas fraquezas; porque não sabemos o que havemos de pedir como convém, mas o mesmo Espírito intercede por nós com gemidos inexprimíveis. E aquele que examina os corações sabe qual é a intenção do Espírito; e é ele que segundo Deus intercede pelos santos. E sabemos que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito." (Romanos 8:24-28). Todas as vezes em que nele medito, sou lembrado de que o Espírito me assiste em minhas orações.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sábado, 25 de abril de 2015

Mártires de ontem e de hoje


Hoje despertei pensando na saga do povo de Deus... Desde sua milagrosa saída do antigo Egito, até os nossos dias. É sabido que o povo de Deus - desde sua gênese - convive com oposições (ora brandas, ora duras). Na Bíblia, lemos sobre dois pontos de referência, ligados a este povo diferente dos demais: O monte Sinai e o monte Calvário. Estas duas montanhas protagonizaram revelações distintas; porém, oriundas de uma mesma fonte. No Sinai, a LEI foi dada através de Moisés; no Calvário, a GRAÇA veio por meio de Jesus Cristo. Então, entre os rigores da LEI e os afagos da GRAÇA; a história deste povo especial, passa por gloriosa transformação; pois... Se em Orebe recebem uma LEI que jamais conseguiram cumprir plenamente; no Calvário recebem a GRAÇA que os libera de exigências tão rigorosas; sendo absolvidos de seus pecados, por meio do sacrifício  de Cristo na cruz.
 
Assim, no Calvário mediante a morte expiatória de Jesus, o povo da lei teve a chance de se tornar o povo da cruz; assim reconhecido, tanto por seus amigos mais generosos, como por seus inimigos mais odiosos. Se, por aqueles, são amados e honrados; por estes, cruéis e sem rosto, são caçados e torturados. Mas, esta é a saga: Uma história pontilhada de heróis e mártires, capaz de inspirar aqueles que se debruçam sobre ela. As cruéis perseguições dos dias de hoje, em nada diferem das cruéis perseguições babilônicas, romanas, nazistas... E tantas outras que se intercalam ao longo de sua gloriosa história. Na verdade, enquanto em algumas crenças muitos morrem com o intuito de matar e destruir; na fé cristã e bíblica, muitos morrem tentando libertar e salvar. Acredito ser esta a razão do conflito de ideia, quanto ao martírio e a figura do mártir, ser tão diferente entre o povo de Deus e os seus inimigos.
 
Sinto necessidade de ler e refletir, com frequência, sobre este texto: "Todos os que querem mostrar boa aparência na carne, esses vos obrigam a circuncidar-vos, somente para não serem perseguidos por causa da cruz de Cristo. Porque nem ainda esses mesmos que se circuncidam guardam a lei, mas querem que vos circuncideis, para se gloriarem na vossa carne. Mas longe esteja de mim gloriar-me, a não ser na cruz de nosso Senhor Jesus Cristo, pela qual o mundo está crucificado para mim e eu para o mundo. Porque em Cristo Jesus nem a circuncisão, nem a incircuncisão tem virtude alguma, mas sim o ser uma nova criatura. E a todos quantos andarem conforme esta regra, paz e misericórdia sobre eles e sobre o Israel de Deus. Desde agora ninguém me inquiete; porque trago no meu corpo as marcas do Senhor Jesus." (Gálatas 6:12-17). Pois sei que é sempre bom amar e fazer parte do povo da cruz!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sexta-feira, 24 de abril de 2015

Agradeci a Deus por tudo


Nesta manhã, enquanto eu orava, agradeci a Deus por tudo... Tudo mesmo! Especialmente, por ter escolhido seguir Seus passos e cumprir Seu propósito. Posso dizer que, em algumas ocasiões, foi bem difícil...Todavia, sempre contando com Sua presença e ajuda. Enquanto orava, agradeci por não ter definido meu próprio rumo... E olha que fui tentado a isso! Preferi tentar fazer como fez Abraão: Não escolher o lugar de passagem ou de chegada... Achei melhor deixar tudo nas mãos do Deus eterno!
 
Enquanto orava, trouxe comigo minha esposa... Em oração, é claro! Agradeci por não te-la escolhido pelo ver dos olhos ou ouvir dos ouvidos... Mas, por ter ouvido de Deus que era por Ele escolhida para compor minha vida! É verdade: Não procurei nela virtudes ou defeitos; mas... Apenas o sinal inconfundível de que era a escolhida de Deus para me acompanhar na jornada... Da vida, presente e futura! É... Foi uma escolha acertada; pois ouvi a voz do Espírito... Deixei o Senhor escolher por mim!
 
Enquanto eu orava, trouxe comigo meus filhos, noras, genro... Netas e netos também! Algumas vezes, abri mão deles, para cumprir missão definida por Deus... E nunca os tive tão perto, como quando em ocasiões assim! Em oração, aprendi que o que nos aproxima ou afasta dos homens - das pessoas que amamos - não é a distância física... Mas, nosso distanciamento ou proximidade de Deus. Agradeci, pelo bem e pelo mal que sofri... Pois, todas as coisas trazem benefício aos que amam a Deus (Rom. 8.28).
 
Gosto muito de meditar neste texto:
 
"Que diremos, pois, a estas coisas? Se Deus é por nós, quem será contra nós? Aquele que nem mesmo a seu próprio Filho poupou, antes o entregou por todos nós, como nos não dará também com ele todas as coisas? Quem intentará acusação contra os escolhidos de Deus? É Deus quem os justifica. Quem é que condena? Pois é Cristo quem morreu, ou antes quem ressuscitou dentre os mortos, o qual está à direita de Deus, e também intercede por nós. Quem nos separará do amor de Cristo? A tribulação, ou a angústia, ou a perseguição, ou a fome, ou a nudez, ou o perigo, ou a espada? Como está escrito:Por amor de ti somos entregues à morte todo o dia;Somos reputados como ovelhas para o matadouro. Mas em todas estas coisas somos mais do que vencedores, por aquele que nos amou. Porque estou certo de que, nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as potestades, nem o presente, nem o porvir, Nem a altura, nem a profundidade, nem alguma outra criatura nos poderá separar do amor de Deus, que está em Cristo Jesus nosso Senhor."
(Romanos 8:31-39)
 
Como ele inspira a minha vida!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quinta-feira, 23 de abril de 2015

Contemplo a cruz vazia


Eu não sei se todos os crentes sentem aquilo que sinto... Algumas vezes, penso que sou igual a todo mundo... Outras vezes, me sinto único, diferente, em meu modo de pensar e de entender as coisas. Na verdade, desde que me entendo por gente; nunca tem sido fácil tomar uma decisão - mesmo a decisão mais simples - como, por exemplo, saber em que direção dar o próximo passo. Algumas vezes, desejo incontido de parar... Outras vezes, vontade imperiosa de prosseguir. Penso ser esta a razão de muitos, ao se alienarem de tudo. Então, em ocasiões assim, recorro ao Único capaz de me entender e de me ajudar. Contemplo a cruz vazia e... Não tenho dúvida alguma quanto ao fato de que, as marcas de seu Hóspede mais importante são a minha mais importante riqueza!
 
Eu sei que todos os crentes precisam sentir aquilo que sinto: Que aquela rude cruz vazia, com as marcas de seu mais nobre Ocupante, deve ser o meu lugar de pouso e recolhimento; pois, nela, me identifico com Quem por ela passou e abriu caminho para que pudéssemos ter rumo certo, ainda que nem sempre fácil, para chegarmos ao porto desejado. Do alto da cruz, posso ouvir seus gemidos; quando, descuidado, me torno indiferente aos valores agregados pela cruz. E do alto dela, posso ouvir seu convite; quando, cansado, penso em parar e desistir. Em ocasiões assim, sei que meu grande tesouro se concentra no Ocupante temporário da cruz que tenho a honra de ocupar; cujo nome (muitos polemizam este ponto... Que o chamem como quiserem), é Jesus de Nazaré.
 
Procuro manter na memória a mensagem da cruz;
 
"Porque a carne cobiça contra o Espírito, e o Espírito contra a carne; e estes opõem-se um ao outro, para que não façais o que quereis. Mas, se sois guiados pelo Espírito, não estais debaixo da lei. Porque as obras da carne são manifestas, as quais são: adultério, fornicação, impureza, lascívia, Idolatria, feitiçaria, inimizades, porfias, emulações, iras, pelejas, dissensões, heresias, Invejas, homicídios, bebedices, glutonarias, e coisas semelhantes a estas, acerca das quais vos declaro, como já antes vos disse, que os que cometem tais coisas não herdarão o reino de Deus. Mas o fruto do Espírito é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança. Contra estas coisas não há lei. E os que são de Cristo crucificaram a carne com as suas paixões e concupiscências. Se vivemos em Espírito, andemos também em Espírito."
(Gálatas 5:17-25)
Pois sei que não posso viver sem o seu conteúdo.
 
Tenho plena certeza de que a cruz é o único lugar capaz de conter o velho homem e seus impulso:
 
"Sabendo que o homem não é justificado pelas obras da lei, mas pela fé em Jesus Cristo, temos também crido em Jesus Cristo, para sermos justificados pela fé em Cristo, e não pelas obras da lei; porquanto pelas obras da lei nenhuma carne será justificada. Pois, se nós, que procuramos ser justificados em Cristo, nós mesmos também somos achados pecadores, é porventura Cristo ministro do pecado? De maneira nenhuma. Porque, se torno a edificar aquilo que destruí, constituo-me a mim mesmo transgressor. Porque eu, pela lei, estou morto para a lei, para viver para Deus. Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vivo-a pela fé do Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim. Não aniquilo a graça de Deus; porque, se a justiça provém da lei, segue-se que Cristo morreu debalde."
(Gálatas 2:16-21)
Sei também que ela é o nosso lugar de aceitação.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quarta-feira, 22 de abril de 2015

Jesus orava como ninguém


Estou sempre em viagem... Sempre em transição de um para outro lugar. Todavia, carrego sempre comigo o meu lugar de oração. No sábado, preguei no Encontro Distrital promovido pelo Distrito de Serra, na IMW de Aracruz (era seu aniversário). Lá estavam os pastores, obreiros e membros das diversas igrejas do Distrito: Aracruz, Feu Rosa, S. Marcos, Novo Horizonte, Barcelona, Jardim Tropical, Colatina (não vi Linhares e Sooretama). Em meio à linda festa de louvor, preguei a mensagem de Deus, que Célia reproduziu em três curtos vídeos gravados de seu celular (os celulares fazem tudo hoje em dia).Todavia, o que quero mesmo dizer; é que no momento em que pregava, louvei a Deus no íntimo por ter o lugar de oração, sempre disponível e ocupado (de nada valeria o ter disponível, sem ocupá-lo com frequência). Ficamos hospedados na casa do casal, SD Pastor Neto e sua esposa irmã Nete.
 
Antes de escrever, estive prostrado diante do Pai (alguns dizem que não devemos dizer que oramos); todavia, não me envergonho nem me ufano ao dizer que oro; pois sei que é uma de minhas obrigações. Glória a Deus! Dentre as coisas que pedi a Deus enquanto orava; uma foi que me guarde da tentação, pois me lembrei desta advertência de Jesus: "Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; o espírito, na verdade, está pronto, mas a carne é fraca." (Marcos 14:38). Alimentamos nossa carne, para podermos ter força física suficiente para cumprir as tarefas do dia (força que a carne, as vezes, utiliza para praticar atos menos nobres e mais pecaminosos). Então, precisamos também alimentar o nosso espírito; e a oração faz parte da cadeia alimentar que nos sustenta espiritualmente. Tenho aprendido que oração e vigilância, não só nos livram de cair; também nos capacitam à servir a Deus em santidade.
 
Sempre que acharmos que oramos "demais", devemos pensar que Jesus, nosso eterno Salvador, orava como ninguém! "E, saindo, foi, como costumava, para o Monte das Oliveiras; e também os seus discípulos o seguiram. E quando chegou àquele lugar, disse-lhes: Orai, para que não entreis em tentação. E apartou-se deles cerca de um tiro de pedra; e, pondo-se de joelhos, orava, Dizendo: Pai, se queres, passa de mim este cálice; todavia não se faça a minha vontade, mas a tua. E apareceu-lhe um anjo do céu, que o fortalecia. E, posto em agonia, orava mais intensamente. E o seu suor tornou-se como grandes gotas de sangue, que corriam até ao chão. E, levantando-se da oração, veio para os seus discípulos, e achou-os dormindo de tristeza. E disse-lhes: Por que estais dormindo? Levantai-vos, e orai, para que não entreis em tentação." (Lucas 22:39-46). Sua vida de oração é nosso modelo e referência!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

terça-feira, 21 de abril de 2015

Estou pensando no homem


Estou pensando no homem... E me pergunto: O que é uma pessoa fora da presença de Deus? Não passa de uma vida sem rumo - qual um barco sem leme - sem velas ao vento, navegando em imenso oceano; sem terra a vista onde possa atracar. Assim é o homem sem Deus... Um ser perigoso, até mesmo para aqueles que ama e para as pessoas mais próximas. Não há como corrigir o curso de uma vida sem Deus... Salvo, se o seu coração se abrir ao socorro do Espírito Santo e seus ouvidos se abrirem à Palavra de Deus; pois, somente assim, os seus olhos despidos das trevas e iluminados pelo olhar de Deus; poderão ver, finalmente, as realidades da vida presente e da vida futura.
 
Ao pensar no homem, pensei também no mundo... E renovei o meu senso crítico em relação a ambos - pontos distintos da criação de Deus - incompatíveis entre si; posto que, o mundo é alvo do juízo de Deus e o homem alvo do Seu amor; pois Jesus veio ao mundo perdido, condenado; para buscar e salvar o ser humano perdido em seus delitos e pecados. Infelizmente, o homem perdido, envolto em sua própria miséria e solidão, só consegue enxergar aquilo que este mundo lhe permite ver: Luz e cor, festa e alegria, prazer e euforia... Todavia, quando tem os seus olhos abertos pelo amor e pela Palavra de Deus; então,consegue ver a face oculta de um mundo de natureza cruel.
 
Vivemos a última hora de um mundo julgado e condenado: "Eu vos escrevi, pais, porque já conhecestes aquele que é desde o princípio. Eu vos escrevi, jovens, porque sois fortes, e a palavra de Deus está em vós, e já vencestes o maligno. Não ameis o mundo, nem o que no mundo há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele. Porque tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não é do Pai, mas do mundo. E o mundo passa, e a sua concupiscência; mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre." (1 João 2:14-17). Nesta hora tenebrosa em que o mundo vive, a única força que nos vale é o amor de Deus.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

segunda-feira, 20 de abril de 2015

O salmista e pastor de Israel


Enquanto estive orando, meus pensamentos se fixaram em Davi, o salmista e pastor de Israel. Pensei no testemunho saído de seus lábios, que resumiu a longa vida que viveu: "Fui moço, e agora sou velho..." (Salmos 37:25). Então, agradeci a Deus pelo dom da vida! Pois entendi que uma longa história de vida foi escrita, entre um ponto e outro deste testemunho; assim como acontece comigo e com todas as pessoas. Davi, o rapazinho deixado fora da festa em casa de seu pai; Davi, o guerreiro improvisado para enfrentar Golias; Davi, que entre canções e composições, entre lágrimas e sorrisos, viveu em fuga grande parte de sua vida. Davi, que experimentou retumbantes vitórias e dolorosos fracassos... Davi, o homem perseguido por amigos e ajudado por inimigos! Davi, que viu o desastre se abater sobre sua própria família, devido à terríveis concessões morais que fizera... Davi, homem segundo o coração de Deus! Ainda prostrado, chorei e agradeci!
 
Na verdade, ao orarmos a Deus; somos brindados com graça renovadora e unção transformadora. Somos tratados e aprimorados - enquanto em oração - de um modo tão discreto que nem nos apercebemos daquilo que se passa, nos bastidores de nossa própria vida... Sendo transformados por dentro, sem que o mundo exterior se de conta do milagre que acontece em nós. Glória a Deus! Aleluia! Isto aconteceu com Davi... Isto acontece comigo... Isto acontece conosco! Então, sob efeito de oração, sou tomado pelo sentimento contido neste maravilhosa canção: "Tu és fiel, Senhor; eu sei que Tu és fiel! Tu és fiel, Senhor; eu sei que Tu és fiel! E ainda que eu não mereça, permaneces assim: Fiel, Senhor meu Deus, fiel a mim! Fiel, Senhor meu Deus, fiel a mim!" Como posso eu ignorar ou recusar tamanha fidelidade? Enfim, minha vida encontrou rumo e norte no Deus de Davi... O Deus que se revelou em Cristo Jesus... E que também é o Deus de todos nós!
 
Ao lermos a história e os salmos de Davi, nos damos conta do quanto o seu testemunho inspira e edifica a todos nós: "Os passos de um homem bom são confirmados pelo Senhor, e deleita-se no seu caminho. Ainda que caia, não ficará prostrado, pois o Senhor o sustém com a sua mão. Fui moço, e agora sou velho; mas nunca vi desamparado o justo, nem a sua semente a mendigar o pão. Compadece-se sempre, e empresta, e a sua semente é abençoada. Aparta-te do mal e faze o bem; e terás morada para sempre. Porque o Senhor ama o juízo e não desampara os seus santos; eles são preservados para sempre; mas a semente dos ímpios será desarraigada. Os justos herdarão a terra e habitarão nela para sempre. A boca do justo fala a sabedoria; a sua língua fala do juízo. A lei do seu Deus está em seu coração; os seus passos não resvalarão." (Salmos 37:23-31). Sua vida de coragem e sua fé na Palavra de Deus é referência confiável aos que temem ao Senhor!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

domingo, 19 de abril de 2015

Deus conhece nossa essência


Enquanto eu estava pensando em tanta coisa... Me veio ao espírito dois textos da Bíblia: O primeiro declara que Deus "conhece a nossa estrutura; lembra-se de que somos pó." (Salmos 103:14). Já o segundo declara: "Não veio sobre vós tentação, senão humana; mas fiel é Deus, que não vos deixará tentar acima do que podeis, antes com a tentação dará também o escape, para que a possais suportar." (1 Coríntios 10:13). Ambos os textos me trouxeram um grande conforto; porque, por mais cruento que se torne o combate que travamos; o Senhor conhece a nossa capacidade de resistência, pois conhece a nossa essência. E por mais ardilosa que seja a tentação que nos assedie; ela será sempre humana - jamais acima da nossa condição de suportar - e teremos ao nosso dispor o cuidado do Deus vivo; que, em Cristo Jesus, nos ama, nos salva, nos livra e nos sustenta. Aleluia! Glória a Deus!
 
Ao pensar assim, fui lembrado de que existem dois lugares em que devo sempre estar: Devo manter frequência habitual no lugar de oração; onde posso estar a sós com Deus, falando e ouvindo (mais ouvindo que falando). Lugar onde minhas forças se renovam e meus problemas se resolvem. Também devo aceitar ser conduzido ao lugar de sacrifício (o "altar de quatro pontas"); onde a vitória no combate, entre eu e meu ego, se consuma. Lugar onde posso sentir melhor as dores do Messias, que sofreu e morreu por mim; que me faz lembrar que o caminho da Vida passa - sem cortar volta - pelo "monte da tentação" (onde somos provados) e pela "via dolorosa" (onde somos aceitos). Então, cantei em espírito esta canção: "Sonda-me, Senhor e me conhece; Quebranta o meu coração; Transforma-me conforme a Tua Palavra..." Senti paz e segurança, enquanto refletia sobre tudo isso.
 
Se observarmos com atenção a Palavra de Deus, vamos constatar que Ele sempre orienta aqueles que o buscam; indicando o caminho que os seus filhos devem seguir: "E os teus ouvidos ouvirão a palavra do que está por detrás de ti, dizendo: Este é o caminho, andai nele, sem vos desviardes nem para a direita nem para a esquerda. E terás por contaminadas as coberturas de tuas esculturas de prata, e o revestimento das tuas esculturas fundidas de ouro; e as lançarás fora como um pano imundo, e dirás a cada uma delas: Fora daqui. Então te dará chuva sobre a tua semente, com que semeares a terra, como também pão da novidade da terra; e esta será fértil e cheia; naquele dia o teu gado pastará em largos pastos." (Isaías 30:21-23). Todavia, compete a cada um de nós discernir sua indicação e perseverar em Seu caminho. Como é bom e seguro andar no caminho que Deus preparou para nós!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sábado, 18 de abril de 2015

Jamais conseguiríamos


Sempre lido com inúmeras pessoas... Algumas delas trazidas por fortes ventos que por elas se abateram; outras, simplesmente em busca de uma palavra ou conselho sobre diversos assuntos (problemas espirituais e financeiros, de família, e outros). Algumas vezes, tenho dito que o lugar de oração tanto nos aproxima de Deus, como nos aproxima dos homens; facilitando a resolução de problemas, que jamais conseguiríamos resolver contando apenas com a nossa habilidade ou com os nossos recursos. Estou no ministério pastoral a mais de 47 anos; e, ao longo de todo este tempo, a mais importante descoberta que fiz é que não teria conseguido chegar até aqui - nas condições espirituais e morais em que me encontro - caso não tivesse dado importância à oração, contrita e rendida, aos pés do Senhor.
 
E na medida em que o tempo passa; cresce em mim a convicção de que é quase impossível ser um vaso depurado de maldade e mediocridade sem estar presente no lugar de oração. Na verdade, em certas ocasiões, estar em oração na presença de Deus é a única razão que nos leva a permanecer de pé. Sei que podemos aprender muitas coisas, estando comodamente assentados em um gabinete de trabalho, ou mesmo em um assento em uma escola qualquer de teologia; contudo, tais recursos, mesmo que importantes para a formação, não são capazes de nos preparar para os constantes assédios e ataques de Satã. Quantas vezes, vi bons homens de Deus sucumbirem vítimas dos açoites de cruéis verdugos; ou... Pelo encanto de belas mulheres que, no processo de sedução, se tornam perigosas.
 
Este texto bíblico expõe clara advertência de Jesus a Pedro: "Que E vós sois os que tendes permanecido comigo nas minhas tentações. E eu vos destino o reino, como meu Pai mo destinou, Para que comais e bebais à minha mesa no meu reino, e vos assenteis sobre tronos, julgando as doze tribos de Israel. Disse também o Senhor: Simão, Simão, eis que Satanás vos pediu para vos cirandar como trigo; Mas eu roguei por ti, para que a tua fé não desfaleça; e tu, quando te converteres, confirma teus irmãos. E ele lhe disse: Senhor, estou pronto a ir contigo até à prisão e à morte. Mas ele disse: Digo-te, Pedro, que não cantará hoje o galo antes que três vezes negues que me conheces." (Lucas 22:28-34). Nela, percebemos que não basta conhecermos o perigo; é necessário, em oração, nos prepararmos para ele.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sexta-feira, 17 de abril de 2015

Deus não se deixa enganar


As Sagradas Escrituras oferecem testemunhos, crônicas, salmos, advertências, doutrinas, tudo para nos corrigir e edificar; todavia, não devemos esquecer que também são portadoras de julgamento. Na verdade, o juízo de Deus está estampado em toda a Bíblia; não isentando quem quer que seja de sua balança. Mesmo homens de Deus, levantados e usados por Deus, foram penalizados devido a irreverência, descaso, impureza, luxúria, engano, enfim... Deus jamais se deixa enganar por artifício ou encenação. O Ministério da Palavra não é atividade profissional, cabide de emprego ou balcão de negócios; assim como vida com Deus não é um "faz de conta que eu sou" - com indulgência ou absolvição antecipada - como alguns pensam que é.
 
Jamais devemos esquecer desta advertência bíblica (que o julgamento começa em nós): "Porque já é tempo que comece o julgamento pela casa de Deus; e, se primeiro começa por nós, qual será o fim daqueles que são desobedientes ao evangelho de Deus?" (1 Pedro 4:17). As vezes, fico sem saber o que dizer, quanto à conduta de cristãos inebriados por uma espécie de loucura, individual e coletiva... Então, me contento com a ideia de que não sou juiz de quem quer que seja; cabendo a mim o estrito direito de observar e orar em favor dos que assim procedem, advertir os que são incautos, e a sagrada missão de anunciar o evangelho de Cristo. Pelo modo como muitos agem; até parece não se aperceberem que já não temos muito tempo para por em ordem as coisas.
 
Meditemos neste testemunho do apóstolo Paulo: "Que os homens nos considerem como ministros de Cristo, e despenseiros dos mistérios de Deus. Além disso requer-se dos despenseiros que cada um se ache fiel. Todavia, a mim mui pouco se me dá de ser julgado por vós, ou por algum juízo humano; nem eu tampouco a mim mesmo me julgo. Porque em nada me sinto culpado; mas nem por isso me considero justificado, pois quem me julga é o Senhor. Portanto, nada julgueis antes de tempo, até que o Senhor venha, o qual também trará à luz as coisas ocultas das trevas, e manifestará os desígnios dos corações; e então cada um receberá de Deus o louvor." (1 Coríntios 4:1-5). Existem momentos, em que esta palavra nos diz tudo aquilo que nós precisamos ouvir!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quinta-feira, 16 de abril de 2015

Fora da presença de Deus


Ao Deus eterno eu rendo o meu tributo de adoração; pois estou convencido de que estar em Sua presença é viver em plena segurança! Não encontro lugar de refúgio tão eficaz em qualquer outro lugar; pois Sua presença lança fora os meus receios e acalma o meu espírito. O Seu amor é como um círculo de luz, que se propaga em toda terra, chegando aos pontos mais distantes e obscuros deste universo em expansão. Sei que santidade só existe em Sua presença; portanto, homem algum neste mundo - por mais santo e aperfeiçoado que seja - será capaz de se manter puro por muito tempo, fora da presença de Deus. Não há como ver, ouvir e entender corretamente as coisas, sem a ajuda dos olhos e ouvidos de Deus! Esta é a razão principal pela qual o ser humano se corrompe tão facilmente: Por não buscar a presença de Deus.
 
Na verdade, não acredito em sobrevivência humana fora desta gloriosa presença! A Bíblia diz: "Buscai ao Senhor enquanto se pode achar, invocai-o enquanto está perto. Deixe o ímpio o seu caminho, e o homem maligno os seus pensamentos, e se converta ao Senhor, que se compadecerá dele; torne para o nosso Deus, porque grandioso é em perdoar." (Isaías 55:6-7). Este texto sentencia que o homem ímpio e maligno só terá chance de escapar, se buscar a Deus e se converter. Esta é a mensagem do Senhor à Israel: "Porque assim diz o Senhor à casa de Israel: Buscai-me, e vivei." (Amós 5:4). Portanto, como viver sem estar em Sua presença? No entanto, o ser humano busca caminhos alternativos, para fugir da presença de Deus; pois vive a procura de um certo tipo de liberdade que acaba por se tornar sua ruína.
 
Se observarmos atentamente as Sagradas Escrituras, vamos ver que o Senhor está sempre nos incentivando a buscá-lo em oração: "Porque eu bem sei os pensamentos que tenho a vosso respeito, diz o Senhor; pensamentos de paz, e não de mal, para vos dar o fim que esperais. Então me invocareis, e ireis, e orareis a mim, e eu vos ouvirei. E buscar-me-eis, e me achareis, quando me buscardes com todo o vosso coração. E serei achado de vós, diz o Senhor, e farei voltar os vossos cativos e congregar-vos-ei de todas as nações, e de todos os lugares para onde vos lancei, diz o Senhor, e tornarei a trazer-vos ao lugar de onde vos transportei." (Jeremias 29:11-14). E a causa de frustração e ruína na vida de muitos - mesmo crentes - é o fato de não entenderem; ou se fazerem de desentendidos, quanto a esta necessidade.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quarta-feira, 15 de abril de 2015

Então entendi um pouco mais


Dias atrás, enquanto eu me curvava perante o Senhor, para poder começar bem o novo dia que em breve vai amanhecer; veio ao meu espírito a canção entoada por ‎Aline Barros‬ : "Eu me rendo a ti perante os homens perante tudo; Quero que o universo seja minha testemunha. Vou erguer perante o teu trono minha adoração E levar com ela toda minha gratidão. Senhor, és o motivo da minha alegria! Deus meu, és o caminho distante do mundo. Vou te alegrar, com o meu louvor; Eu quero te tocar, com o meu amor; Poder te abraçar, sentir o teu pulsar, teu coração bater ao meu." Então, entendi um pouco mais a dimensão de minha pequenez; e a grandeza do amor que o Pai me tem. E, mais uma vez, ao refletir sobre conceitos e valores, reconheci que existem homens detentores de nobreza e investidura que os coloca bem acima da maioria... E que eu não estou entre eles. Senti o ego ferido (sou normal, gosto de me sentir valorizado) ao ver minha pequenez; todavia, senti paz em meu espírito!
 
Então, em meio a dor do ego e a paz do espírito, o sentimento de gratidão cresceu em mim; pois sei que Deus me ama de um modo tão especial, que torna dispensável a nobreza e perfeição de que não sou dotado. Aleluia! Enquanto eu me regozijava, vislumbrei a via dolorosa e a cruz fincada no alto da Caveira... E eu sabia que estava lá, preso com Cristo - alvo da zombaria e injustiça que algumas vezes sofremos - todavia... Pude me sentir livre da "liberdade" de mentira, que mantém a humanidade sob o cativeiro do mundo, presa aos seus vícios e prazeres. Foi quando entendi um pouco melhor a figura da cruz - não como trágico instrumento de tortura - mas, como altar vertical, de quatro pontas, capaz de sustentar minha vida entre a terra e o céu; de onde posso olhar pra baixo e chorar ante a lama do mundo; e olhar para cima e sorrir ante o brilho do céu. Glória a Deus! Como é bom seguir os passos do Mestre, passando pela terra dos vales e sombras, seguindo em direção ao céu!
 
A graça de Deus se sobrepõe à lei e anula a miséria do homem: "Sabendo que o homem não é justificado pelas obras da lei, mas pela fé em Jesus Cristo, temos também crido em Jesus Cristo, para sermos justificados pela fé em Cristo, e não pelas obras da lei; porquanto pelas obras da lei nenhuma carne será justificada. Pois, se nós, que procuramos ser justificados em Cristo, nós mesmos também somos achados pecadores, é porventura Cristo ministro do pecado? De maneira nenhuma. Porque, se torno a edificar aquilo que destruí, constituo-me a mim mesmo transgressor. Porque eu, pela lei, estou morto para a lei, para viver para Deus. Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vivo-a pela fé do Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim. Não aniquilo a graça de Deus; porque, se a justiça provém da lei, segue-se que Cristo morreu debalde." (Gálatas 2:16-21). Como é maravilhosa a graça de Jesus!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

terça-feira, 14 de abril de 2015

Quando Deus age em nós


No sábado, chegamos em Belo Horizonte, um pouco antes de sairmos para o culto inaugural da congregação no Bom Retiro, bairro de Betim (região metropolitana de BH). Antes do culto, fomos até a casa do Pastor Gilson para lanchar com sua família. Durante o trabalho, o salão - maior que muitos templos - estava repleto de irmãos das IMW das proximidades. Ao pregar, pude sentir poderosa unção me renovando por dentro e por fora, de um modo que beira o sobrenatural de Deus. E mais uma vez, pude ver que não existe um condicionamento físico ou espiritual capaz de resultar naquilo que ocorre quando Deus age em nós e por meio de nós. Jamais negarei o valor de um bom preparo intelectual e psicológico, na vida de um servo de Deus. No entanto, a unção liberada pelo Espírito, na vida de alguém que serve a Deus - embora não dispense os dons e recursos naturais - se sobrepõe à todo e qualquer outro recurso ou preparo humano. Daí, a importância de frequentarmos o lugar de oração.
 
Então, louvei a Deus por aquilo que acontece, resultante do tempo passado no lugar de oração! E percebi que, antes de pedirmos a Deus para fazermos algo divino; devemos lhe pedir que faça algo divino em nós. E, ao invés de pedirmos que Deus nos conduza no caminho; devemos lhe pedir que nos indique o caminho a ser seguido... Enfim, antes de pedirmos que nos ajude a chegar a um certo ponto; devemos lhe pedir que nos guarde dentro dos limites de segurança que definiu para cada um de nós. Moisés, ao ouvir de Deus, que um anjo seguiria com ele; ousou dizer: "Então lhe disse: Se tu mesmo não fores conosco, não nos faças subir daqui." (êxodo 33.15). Ao que o próprio Deus lhe respondeu: "Então disse o Senhor a Moisés: Farei também isto, que tens dito; porquanto achaste graça aos meus olhos, e te conheço por nome." (verso 17). Existem situações na vida, em que precisamos, primeiramente, saber se Deus estará conosco em algo a ser feito; antes de arregaçar as mangas e por mãos à obra.
 
Ao lermos este texto, vemos que foi um momento crítico este que Moisés viveu: "Disse mais o SENHOR a Moisés: Vai, sobe daqui, tu e o povo que fizeste subir da terra do Egito, à terra que jurei a Abraão, a Isaque, e a Jacó, dizendo: À tua descendência a darei. E enviarei um anjo adiante de ti, e lançarei fora os cananeus, e os amorreus, e os heteus, e os perizeus, e os heveus, e os jebuseus, A uma terra que mana leite e mel; porque eu não subirei no meio de ti, porquanto és povo de dura cerviz, para que te não consuma eu no caminho. E, ouvindo o povo esta má notícia, pranteou-se e ninguém pôs sobre si os seus atavios. Porquanto o Senhor tinha dito a Moisés: Dize aos filhos de Israel: És povo de dura cerviz; se por um momento subir no meio de ti, te consumirei; porém agora tira os teus atavios, para que eu saiba o que te hei de fazer. Então os filhos de Israel se despojaram dos seus atavios, ao pé do monte Horebe." (Êxodo 33:1-6). Pois ele sabia que Deus estava na iminência de punir o Seu povo.
 
Mas o grande intercessor arrazoou com Deus: "E Moisés disse ao Senhor: Eis que tu me dizes: Faze subir a este povo, porém não me fazes saber a quem hás de enviar comigo; e tu disseste: Conheço-te por teu nome, também achaste graça aos meus olhos. Agora, pois, se tenho achado graça aos teus olhos, rogo-te que me faças saber o teu caminho, e conhecer-te-ei, para que ache graça aos teus olhos; e considera que esta nação é o teu povo. Disse pois: Irá a minha presença contigo para te fazer descansar. Então lhe disse: Se tu mesmo não fores conosco, não nos faças subir daqui. Como, pois, se saberá agora que tenho achado graça aos teus olhos, eu e o teu povo? Acaso não é por andares tu conosco, de modo a sermos separados, eu e o teu povo, de todos os povos que há sobre a face da terra? Então disse o Senhor a Moisés: Farei também isto, que tens dito; porquanto achaste graça aos meus olhos, e te conheço por nome." (Êxodo 33:12-17). E Deus ouviu o clamor de um homem em favor de um povo.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

segunda-feira, 13 de abril de 2015

Derradeira viagem


Maria Célia & eu precisamos fazer mais uma viagem dentro de instantes, para estarmos na inauguração de mais um trabalho wesleyano, no bairro Bom Retiro em Betim, na região metropolitana de Belo Horizonte. Enquanto me ocupo com esta nova missão, fico a pensar no quão preparados todos nós precisamos estar para a derradeira viagem. Infelizmente, sendo a morte tão real quanto o nascimento e a própria existência; a grande maioria (mesmo cristãos) não se prepara devidamente para a última viagem que todos terão que fazer um dia. O fato é que preferimos nos apegar à vida, tentando encontrar meios de estendê-la o máximo possível; salvo nos casos de surto de insanidade ou desespero, que levam alguém ao suicídio. Que a vida ainda pode ser bela, até com certos ares de romantismo, isto é uma possibilidade... Daí a tentar eternizá-la por nossos próprios meios, isto é impossível!
 
Graças a Deus, o Caminho que nos liga ao céu foi aberto! "Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim." (João 14:6); e, a Porta que garante acesso à vida futura está disponível a todo aquele que quiser passar por ela: "Eu sou a porta; se alguém entrar por mim, salvar-se-á, e entrará, e sairá, e achará pastagens." (João 10:9). Portanto, a Ponte que nos liga à vida com Deus aqui na terra, e à vida futura na eternidade, não é construída por nós; pois ela é Viva, tem nome e sobrenome: Jesus (Deus salvador) Cristo (enviado a nós). E ao olhar a tentativa humana, de "ter tudo ao mesmo tempo"; é fácil perceber que muitos desejam garantir dois interesses conflitantes: Querem ter direito à salvação, mediante superficial confissão de fé em Jesus; e ao mesmo tempo, viver louca e intensamente o mundo e seus prazeres, como se isto fosse possível.
 
Este texto tem me ajudado muito; especialmente, quando em momentos de dúvida ou provação: "Portanto nós também, pois que estamos rodeados de uma tão grande nuvem de testemunhas, deixemos todo o embaraço, e o pecado que tão de perto nos rodeia, e corramos com paciência a carreira que nos está proposta, Olhando para Jesus, autor e consumador da fé, o qual, pelo gozo que lhe estava proposto, suportou a cruz, desprezando a afronta, e assentou-se à destra do trono de Deus. Considerai, pois, aquele que suportou tais contradições dos pecadores contra si mesmo, para que não enfraqueçais, desfalecendo em vossos ânimos. Ainda não resististes até ao sangue, combatendo contra o pecado." (Hebreus 12:1-4). É maravilhoso saber que a perseverança em Cristo será, ao fim de tudo, recompensada; pois ouvirão do próprio Jesus: "Bem-vindo, servo bom e fiel" (Mateus 25.21,23)!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

domingo, 12 de abril de 2015

Figura do intercessor


Nesta manhã, ainda em penumbra, procurei interceder (como sinto necessidade imperativa de fazer). Penso estar entre aqueles que acreditam, que a intercessão é o instrumento mais eficaz de apoio e ajuda efetiva a quem recorre à nós, em busca de algum tipo de socorro. Já de longa data, trago comigo a certeza de que a oração - quando bem sucedida - tanto nos aproxima de Deus, quanto nos aproxima dos homens. E a intercessão é um dos componentes mais importantes da oração, ficando apenas um pouco abaixo da adoração. Por estas e por outras razões, eu valorizo a figura do intercessor.
 
Assim, orei em favor de minha família; pois, não creio no futuro de uma família, sem o amor turbinado pelo socorro de Deus; apenas alimentada por declaração de boas intenções, por promessas e "juras de amor". Digo isto porque sei, que os conflitos que geram desgaste nas relações humanas, podem transformar amigos de ontem, em cruéis inimigos de hoje. Sempre vejo tal coisa acontecer, mesmo entre casais bem justados e entre os melhores amigos. É comum vermos atitudes - como intriga, intolerância e traição - destruírem amizades antigas. Daí a necessidade de intercedermos!
 
A oração faz aflorar angústia e tristeza que antecede o arrependimento:
 
"Então chegou Jesus com eles a um lugar chamado Getsêmani, e disse a seus discípulos: Assentai-vos aqui, enquanto vou além orar. E, levando consigo Pedro e os dois filhos de Zebedeu, começou a entristecer-se e a angustiar-se muito. Então lhes disse: A minha alma está cheia de tristeza até a morte; ficai aqui, e velai comigo. E, indo um pouco mais para diante, prostrou-se sobre o seu rosto, orando e dizendo: Meu Pai, se é possível, passe de mim este cálice; todavia, não seja como eu quero, mas como tu queres. E, voltando para os seus discípulos, achou-os adormecidos; e disse a Pedro: Então nem uma hora pudeste velar comigo? Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; na verdade, o espírito está pronto, mas a carne é fraca."
(Mateus 26:36-41)
 
Mas, o seu fim é proveitoso, pois provoca a resposta e o agir de Deus!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sábado, 11 de abril de 2015

Razão maior de eu viver


O meu filho Pastor Calegari enviou uma antiga canção gravada que me fez muito bem, pois é uma das mais belas canções compostas em sua época, por Guilherme Kerr; e que mais expressa aquilo que sinto em meu espírito. Não consegui cantá-la sem derramar lágrimas: "Ao Amado de minh'alma cantarei; fica bem cantar louvores a Jesus! Como sol de intensidade em plena luz, tal a glória do Amado eu cantarei. É Jesus, razão maior de eu viver, de existir, de conhecer e prosseguir, de jamais desanimar frente ao porvir; de lutar, cansar, mas nunca esmorecer...". Então, comecei a pensar na possibilidade de que a renovação espiritual que marcou os anos 60/70, tenha sido o avivamento que antecede o princípio de dores em que nós vivemos (não estou afirmando isto; apenas conjecturando); pois, santos louvores e milagres autênticos manifestos naquela ocasião, redundaram em salvação de milhares e milhares de vidas. E aquele movimento deu origem às novas denominações evangélicas, marcadas e iluminadas pelo mover do Espírito, e pela santidade bíblica inerente ao mesmo.
 
Quanto ao fato de que vivemos o princípio de dores profetizado nas Escrituras sagradas; não tenho a menor dúvida quanto a isto. E não necessito da contribuição de fontes históricas para afirmar o que digo; pois aquilo que acontece em vários lugares da terra grita a plenos pulmões que o fim se aproxima. A intolerância e o desamor que aumenta a cada dia; a cruel perseguição contra os cristãos; a onda de violência que varre o planeta; a entronização da luxúria, que põe em evidência a sodomia, a prostituição e novas e estranhas formas de praticar o sexo; o adultério disfarçado de novo casamento, quando o vínculo do primeiro casamento ainda continua em vigor; o preocupante e inexplicável desaparecimento de crianças, em todos os lugares; o crescente tráfico de órgãos humanos, de origem macabra; enfim... O crescente esfriamento dos crentes; o desamor que se nota entre pais e filhos, com vítimas de ambos os lados; e... O que mais faltou dizer? É... Não tenho como pensar diferente. Como eu desejo que tudo se acalme por aqui, antes que venha o terrível Dia do Senhor!
 
É tempo da examinar as Escrituras: "Mas os céus e a terra que agora existem pela mesma palavra se reservam como tesouro, e se guardam para o fogo, até o dia do juízo, e da perdição dos homens ímpios. Mas, amados, não ignoreis uma coisa, que um dia para o Senhor é como mil anos, e mil anos como um dia. O Senhor não retarda a sua promessa, ainda que alguns a têm por tardia; mas é longânimo para conosco, não querendo que alguns se percam, senão que todos venham a arrepender-se. Mas o dia do Senhor virá como o ladrão de noite; no qual os céus passarão com grande estrondo, e os elementos, ardendo, se desfarão, e a terra, e as obras que nela há, se queimarão. Havendo, pois, de perecer todas estas coisas, que pessoas vos convém ser em santo trato, e piedade, Aguardando, e apressando-vos para a vinda do dia de Deus, em que os céus, em fogo se desfarão, e os elementos, ardendo, se fundirão? Mas nós, segundo a sua promessa, aguardamos novos céus e nova terra, em que habita a justiça." (2 Pedro 3:7-13). Elas explicam o caos em que este mundo vive!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sexta-feira, 10 de abril de 2015

Este é o melhor dos lugares


Como foi bom poder buscar ao Deus eterno e bendito antes do alvorecer; transformando um espaço entre a mesa de jantar e a parede da copa da casa do Pastor Joaquim Arlindo Silva (aqui em Pequeri) em meu lugar de oração. Ao chegar àquele ponto em que a comunhão se estabelece em plenitude, agradeci ao Senhor por ter me levantado para orar, pois esta é a melhor das atitudes; também agradeci por estar no lugar de oração; pois este é o melhor dos lugares; e agradeci por poder andar em Sua presença, pois esta é a melhor das companhias. Nunca encontro as palavras apropriadas para expressar o meu sentimento de adorador, ainda que insista e procure!
 
Todavia, sei que as palavras não são tão necessárias quanto parecem, em um lugar onde é bem melhor ouvir do que falar. Me lembro de Pedro tentando se comunicar no monte da transfiguração... E nada saiu além de uma declaração desconexa de fazer tendas para Moisés, Elias e o próprio Senhor (como se eles precisassem de tal recurso). Então, adorei ao único Deus, todo poderoso, que me deu vida com abundância; e também a condição de estar em Sua presença! Intercedi por minha pequena casa. Orei pela reunião com o Conselho Geral e Comissão de Legislação; e orei também pela Igreja Wesleyana Pequeri, onde pudemos sentir o Espirito agir!
 
Gosto de ler, meditar e tirar lições dos salmos bíblicos:
 
"Ouve, ó Deus, o meu clamor; atende à minha oração. Desde o fim da terra clamarei a ti, quando o meu coração estiver desmaiado; leva-me para a rocha que é mais alta do que eu. Pois tens sido um refúgio para mim, e uma torre forte contra o inimigo. Habitarei no teu tabernáculo para sempre; abrigar-me-ei no esconderijo das tuas asas. Pois tu, ó Deus, ouviste os meus votos; deste-me a herança dos que temem o teu nome. Prolongarás os dias do rei; e os seus anos serão como muitas gerações. Ele permanecerá diante de Deus para sempre; prepara-lhe misericórdia e verdade que o preservem. Assim cantarei louvores ao teu nome perpetuamente, para pagar os meus votos de dia em dia."
(Salmos 61:1-8)
 
Pois eles me motivam e fortalecem minhas convicções.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quinta-feira, 9 de abril de 2015

Plenário de um concílio geral


Ontem, a Comissão de Legislação concluiu o seu trabalho e "desmontou" o seu acampamento. Sempre me sinto desnudo após os trabalhos de uma comissão; como se algo ficasse por fazer; ou... Se tivesse passado dos limites de segurança. Sei que homem algum consegue fazer um trabalho perfeito; e, que até uma bela peça musical se torna grandiosa; muito mais pelo modo como se conjugam as suas dissonâncias, do que pelo seu som despido de acidentes musicais. Todavia, no que concerne à nossa legislação; fico a pensar: Será que não seria melhor se as coisas ficassem como estavam? Ainda bem que uma Comissão de Legislação não tem a palavra final; e que o plenário de um Concílio Geral, formado que é pela "nata" da Igreja, pode discutir um anteprojeto e se decidir por aquilo que achar melhor. Mas, sobretudo, creio na ajuda de Deus em favor de um povo por Ele aceito.
 
Pensando neste assunto (que ocupou uma boa parte do meu momento a sós com Deus); me lembro do estranho poder que ocupa instâncias máximas de nossa nação; de suas medidas tomadas hoje, para tentar corrigir medidas infelizes que vem se sucedendo nos últimos anos; sem que se veja como desagravar a honra ferida de uma nação roubada por seus próprios gestores; e corrompida pelos responsáveis em manter suas tradições e bons costumes. Nação rica em recursos naturais, de causar inveja em outros povos; todavia, pobre ao ponto de negar aos seus cidadãos de bem - hoje impotentes e desesperançados - o acesso à saúde, segurança e educação a que fazem jus. Nação, cujas riquezas são transferidas para cofres fortes em paraísos fiscais e para países "hermanos"; enquanto seu nobre povo sofre calado. Então, me lembro do Deus de Israel e de Seu juízo no Egito, sobre faraó e sua corte.
 
Assim como o juízo de Deus se abateu sobre o Egito: "Então disse o Senhor a Moisés: Levanta-te pela manhã cedo, e põe-te diante de Faraó, e dize-lhe: Assim diz o Senhor Deus dos hebreus: Deixa ir o meu povo, para que me sirva; Porque esta vez enviarei todas as minhas pragas sobre o teu coração, e sobre os teus servos, e sobre o teu povo, para que saibas que não há outro como eu em toda a terra. Porque agora tenho estendido minha mão, para te ferir a ti e ao teu povo com pestilência, e para que sejas destruído da terra; Mas, deveras, para isto te mantive, para mostrar meu poder em ti, e para que o meu nome seja anunciado em toda a terra. Tu ainda te exaltas contra o meu povo, para não o deixar ir? Eis que amanhã por este tempo farei chover saraiva mui grave, qual nunca houve no Egito, desde o dia em que foi fundado até agora." (Êxodo 9:13-18). Ele se abaterá sobre as nações da terra.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quarta-feira, 8 de abril de 2015

Sou salvo pela graça


Existem dias, que a oração nos leva a expor diante de Deus o sentimento de gratidão por dádivas que vão além de coisas terrenas que sejam do nosso interesse. Hoje foi um dia assim, em que agradeci a Deus por ter alcançado o dom da justiça, em Cristo Jesus; prostrado aos Seus pés, rendido perante Sua majestade. Glória a Deus, por Seu dom inefável! Como poderia eu ser salvo por meus próprios meios; se homens muitos mais justos que eu jamais ousaram pensar tal coisa? Que sou salvo pela graça, disto não tenho a menor sombra de dúvida! Agradeci por ter a justiça de Jesus, anulado a minha injustiça. Minha confissão do nome de Jesus, como meu único salvador; é ao mesmo tempo causa e efeito da continuidade da graça que me salvou, da justiça que me absolveu e da santidade que me capacitou a caminhar na presença de Deus. Por Ele eu sou amado, chamado e ungido para pregar e manifestar o Seu Nome aos homens.
 
Ainda curvado perante o Senhor; percebi que ainda não havia orado pelos meus... Então, intercedi por minha pequena casa; cuja grandeza é apenas a que Deus vê nela. Aleluia! Orei também pelo Éden, filho do Pastor Jose Pereira Couto e Mônica; pela Aline, filha do Pastor Francisco Alves Quesado e Jorgina; e pelo Edgar, filho do Presbítero Edson e Vadinês Ribeiro. Após este procedimento, senti necessidade de orar pelos 67 pastores e obreiros transferidos (alguns em primeira nomeação); pois sei, por experiência própria o que um obreiro sente quando recebe nomeação para um campo estranho ou distante. Graças a Deus, minha memória permite que eu cite seus nomes em oração; levando-os comigo à presença de Deus, em nome de Jesus, movido pelo Espírito Santo. Sei o que sentem, em relação à sua própria família; e também, sobre a dor causada por ruptura de vínculos importantes, afetos ao campo que fica para trás.
 
Mas que maravilhosa graça esta:
 
"Mas não é assim o dom gratuito como a ofensa. Porque, se pela ofensa de um morreram muitos, muito mais a graça de Deus, e o dom pela graça, que é de um só homem, Jesus Cristo, abundou sobre muitos. E não foi assim o dom como a ofensa, por um só que pecou. Porque o juízo veio de uma só ofensa, na verdade, para condenação, mas o dom gratuito veio de muitas ofensas para justificação. Porque, se pela ofensa de um só, a morte reinou por esse, muito mais os que recebem a abundância da graça, e do dom da justiça, reinarão em vida por um só, Jesus Cristo. Pois assim como por uma só ofensa veio o juízo sobre todos os homens para condenação, assim também por um só ato de justiça veio a graça sobre todos os homens para justificação de vida. Porque, como pela desobediência de um só homem, muitos foram feitos pecadores, assim pela obediência de um muitos serão feitos justos. Veio, porém, a lei para que a ofensa abundasse; mas, onde o pecado abundou, superabundou a graça; Para que, assim como o pecado reinou na morte, também a graça reinasse pela justiça para a vida eterna, por Jesus Cristo nosso Senhor."
(Romanos 5:15-21)
 
Como é bom viver à sua sombra!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

terça-feira, 7 de abril de 2015

Paixão de Cristo


Na última sexta-feira, cristãos de todas as tendências celebraram a paixão de Cristo. O Papa presidiu missa no coliseu romano, engalanado para este fim. No entanto, a paixão de Cristo não teve o seu desfecho na via dolorosa... E o coliseu não se restringe às ruínas de Roma; pois as atrocidades contra crentes em Jesus continuam sendo praticadas em vários lugares da terra; especialmente no oriente médio e no norte da África. Ou seja: O coliseu se transmuda - tal e qual uma serpente - mudando constantemente a sua pele; reunindo em vários lugares do planeta, uma plateia ávida por ver cristãos do nosso tempo sendo degolados, fuzilados, queimados.. Martirizados por extremistas religiosos que em nada diferem dos demais extremistas deste mundo; a não ser nos jargões que utilizam. Enfim... Cresce o ódio e intolerância deste mundo mau contra o povo da cruz.
 
Enquanto penso neste doloroso assunto; me vem ao espírito aquela canção do Fernandinho: "Sei que os teus olhos, Sempre atentos permanecem em mim; E os teus ouvidos Estão sensíveis para ouvir o meu clamor. Posso até chorar, mas a alegria vem de manhã! És Deus de perto e não de longe; Nunca mudastes, Tu és fiel! Deus de aliança, Deus de promessas; Deus que não é homem pra mentir. Tudo pode passar, tudo pode mudar; Mas tua palavra vai se cumprir. Posso enfrentar o que for; Eu sei quem luta por mim. Seus planos não podem ser frustrados. Minha esperança está Nas mãos do grande EU SOU! Meus olhos vão ver o impossível acontecer!" Então, percebo que a dor; os conflitos e crises existenciais; a maldade e leviandade; O pecado por omissão e o pecado por comissão; Enfim... Tudo isto será superado no grande dia da vinda de Jesus para buscar o povo de Deus.
 
Sinto descanso e paz ao meditar neste texto:
 
"Que diremos, pois, a estas coisas? Se Deus é por nós, quem será contra nós? Aquele que nem mesmo a seu próprio Filho poupou, antes o entregou por todos nós, como nos não dará também com ele todas as coisas? Quem intentará acusação contra os escolhidos de Deus? É Deus quem os justifica. Quem é que condena? Pois é Cristo quem morreu, ou antes quem ressuscitou dentre os mortos, o qual está à direita de Deus, e também intercede por nós. Quem nos separará do amor de Cristo? A tribulação, ou a angústia, ou a perseguição, ou a fome, ou a nudez, ou o perigo, ou a espada? Como está escrito: Por amor de ti somos entregues à morte todo o dia; Somos reputados como ovelhas para o matadouro. Mas em todas estas coisas somos mais do que vencedores, por aquele que nos amou. Porque estou certo de que, nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as potestades, nem o presente, nem o porvir, Nem a altura, nem a profundidade, nem alguma outra criatura nos poderá separar do amor de Deus, que está em Cristo Jesus nosso Senhor."
(Romanos 8:31-39)
 
Que abençoado conforto este texto me traz!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

segunda-feira, 6 de abril de 2015

Importância da melhor parte


Nesta manhã, ao buscar a presença de Deus; me veio uma importante revelação do Espírito Santo, que fez um bem tão grande à minha alma... Logo caí em pranto; pois, ainda que alguns questionem o chorar na presença de Deus, não consigo me conter quando o nível de presença ultrapassa o limite da razão. O Senhor me fez ver que Marta e Maria são sinais de conduta a ser analisados por quem quer andar com Deus. Enquanto Marta buscava agradar a Deus pelo seu trabalho; Maria buscava entender o mistério desta santa relação "Deus e homem". Para quem já conhece a história à que me refiro; eu digo que, enquanto Marta se agitava em seu trabalho para Deus; Maria e acalmava, vendo e ouvindo Deus falar.
 
Então, me dei conta de que já vi muitos homens de Deus se perderem, enquanto faziam o trabalho de Deus; mas, nunca vi homens de Deus, mesmo frágeis, se perderem enquanto buscavam a Deus em seu lugar de oração. Não estou dizendo, com isto, que Marta tenha se perdido enquanto servia (até porque, ao ser advertida por Jesus, quanto à importância da melhor parte, ela deve ter aprendido a lição). O que estou tentando dizer é que entre a sala de oração e a cozinha de serviço; a sala de oração deve ser o ponto de partida; pois, se servir a Deus é algo bom e indispensável; buscar a Deus é prioridade absoluta... E algo bem melhor. Assim, o mistério revelado na sala de oração, nos prepara para o ministério na cozinha.
 
Belo e edificante este texto da Bíblia: "E aconteceu que, indo eles de caminho, entrou Jesus numa aldeia; e certa mulher, por nome Marta, o recebeu em sua casa; E tinha esta uma irmã chamada Maria, a qual, assentando-se também aos pés de Jesus, ouvia a sua palavra. Marta, porém, andava distraída em muitos serviços; e, aproximando-se, disse: Senhor, não se te dá de que minha irmã me deixe servir só? Dize-lhe que me ajude. E respondendo Jesus, disse-lhe: Marta, Marta, estás ansiosa e afadigada com muitas coisas, mas uma só é necessária; E Maria escolheu a boa parte, a qual não lhe será tirada." (Lucas 10:38-42). Ele aponta o modelo ideal para aqueles que querem viver uma vida segundo o propósito de Deus.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

domingo, 5 de abril de 2015

Mundo cristão desatento


Hoje, ao ser comemorada a Páscoa; grande parte do mundo chamado cristão estará saboreando os famosos e deliciosos ovos de chocolate; e, dentre estes, muitos vão misturar os valores da crença bíblica com a figura pagã do coelho da páscoa. Portanto, assim como no Natal o "papai noel" toma o lugar daquele que nasceu para nos buscar; na Páscoa, a figura do "coelho da páscoa" toma o lugar de Jesus, que morreu para nos salvar e ressurgiu para nos preparar um lugar distante daqui. Então me pergunto: "Mas, que mundo cristão é este?" E eu respondo: É o mundo cristão desatento, em que figuras mitológicas tomam o lugar do Messias Rei da Glória!
 
Em ocasiões, como esta, me apercebo que não é tão simples escapar às seduções de um mundo que se corrompe e degrada a cada dia. Pois o seu modo de construir e promover histórias de mentira para tentar ocultar a verdade eterna, conta com o mentoreamento de Satã e com a cumplicidade de homens, até mesmo entre os que se dizem cristãos; para substituir histórias sagradas por contos da carochinha. E não há como impedir que tais coisas sejam promovidas e consumidas por pessoas incautas e desprovidas de discernimento. Mas há como evitar que nossas vidas sejam, por elas, influenciadas; bastando, para isto, vivermos uma vida repleta do Espírito.
 
Jesus, em sua paixão na cruz, morreu a nossa morte:
 
"E no primeiro dia da semana, muito de madrugada, foram elas ao sepulcro, levando as especiarias que tinham preparado, e algumas outras com elas. E acharam a pedra revolvida do sepulcro. E, entrando, não acharam o corpo do Senhor Jesus. E aconteceu que, estando elas muito perplexas a esse respeito, eis que pararam junto delas dois homens, com vestes resplandecentes. E, estando elas muito atemorizadas, e abaixando o rosto para o chão, eles lhes disseram: Por que buscais o vivente entre os mortos? Não está aqui, mas ressuscitou. Lembrai-vos como vos falou, estando ainda na Galiléia, Dizendo: Convém que o Filho do homem seja entregue nas mãos de homens pecadores, e seja crucificado, e ao terceiro dia ressuscite. E lembraram-se das suas palavras."
(Lucas 24:1-8)
 
Mas, ressuscitou ao 3º dia, para vivermos sua Vida!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sábado, 4 de abril de 2015

Somos parte da solução


Quando partimos de Eugenópolis, onde fica a IMW sede do Distrito do Alto Caparaó; tanto Maria Célia Calegari quanto eu, estávamos convencidos de que o propósito de Deus, quanto à nossa vinda a este lugar havia se cumprido inteiramente. Na noite anterior, o culto a Deus encerrou com "chave de ouro" este ciclo de visitas; pois a inauguração do trabalho wesleyano em Patrocínio de Muriaé foi cheia de unção e de alegria, abençoando a multidão que ali compareceu. Percebemos o clima de avivamento e de satisfação existente na família wesleyana deste lugar (Eugenópolis, Antônio Prado de Minas, Sapucaia e Patrocínio de Muriaé). Deus falou poderosamente em nosso meio! E disto podem atestar todos aqueles que ali puderam comparecer. Glória a Deus!
 
Retornando à Belo Horizonte; chegamos com a alma plena de satisfação e o coração pleno de esperança em dias melhores. Afinal, temos nossa fé baseada na Palavra do Deus eterno; e quanto a isto, não temos a menor dúvida! Antes, pelo contrário, estamos carregados de certeza quanto ao agir de Deus através do Seu Espírito que habita em nós. Assim, longe de sentirmos ser parte dos problemas que nos rodeiam; sabemos ser parte da solução, e resposta de Deus aos que esperam algo de nós. Como a Palavra de Deus assevera: "Se Deus é por nós, quem será contra nós?" (Romanos 8.31). Sentimos segurança na caminhada, sabendo com toda a confiança que a nossa vocação é de Deus; e que em Cristo Jesus, Senhor nosso, somos guardados para a Vida eterna!
 
O livro de Provérbios traz lições importantes a todos nós:
 
"Não entres pela vereda dos ímpios, nem andes no caminho dos maus. Evita-o; não passes por ele; desvia-te dele e passa de largo. Pois não dormem, se não fizerem mal, e foge deles o sono se não fizerem alguém tropeçar. Porque comem o pão da impiedade, e bebem o vinho da violência. Mas a vereda dos justos é como a luz da aurora, que vai brilhando mais e mais até ser dia perfeito. O caminho dos ímpios é como a escuridão; nem sabem em que tropeçam. Filho meu, atenta para as minhas palavras; às minhas razões inclina o teu ouvido. Não as deixes apartar-se dos teus olhos; guarda-as no íntimo do teu coração. Porque são vida para os que as acham, e saúde para todo o seu corpo. Sobre tudo o que se deve guardar, guarda o teu coração, porque dele procedem as fontes da vida."
(Provérbios 4:14-23)
 
Especialmente, aos que querem viver plenamente em Jesus!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sexta-feira, 3 de abril de 2015

Brilho da sombra de Deus


Ao buscar a presença do Senhor nesta manhã, fiquei a pensar no salmista... Em sua iniciativa de despertar o saltério e a harpa, enquanto se antecipava à alva. Talvez, por ter o mesmo sentimento, me lembrei deste texto sagrado. É que não posso imaginar um dia favorável, sem que a oração esteja na base do mesmo! Então, me recolhi ao lugar de oração e adorei com este cântico: "Nós te adoramos, ó Deus Emanuel! Rei dos reis, Pão da vida, Mestre e Senhor! E por toda Eternidade quero louvar-te; cada dia mais, minha vida entregar." Acredito que este sentimento une os verdadeiros adoradores - independente das distâncias e das épocas que os separem - pois a sinfonia da genuína adoração se completa com cada canto ou clamor de um verdadeiro adorador. Foi o que eu senti nesta manhã, enquanto prostrado no lugar de oração.
 
Na medida que, do meu escritório, via o despertar da alva; me dei conta de que a vida só é valorizada em plenitude, por quem conhece um pouco mais o Deus verdadeiro. E me lembrei de Moisés... De sua insistência em querer ver a face do Senhor; quando foi por Deus advertido quanto ao perigo desta visão. Então, da fissura da pedra em que foi protegido, teve que se contentar em ver sua sombra. E quando a sombra de Deus passou por onde ele estava; é provável que tenha agradecido ao Pai por ter sido guardado na fenda da rocha; pois o intenso brilho da sombra de Deus poderia tê-lo incinerado. Na verdade, a impureza inerente ao ser humano está sempre a espreita; esperando a chance de se apegar à vida do crente. No entanto, a luz da presença de Deus pode mantê-la distante dos que estão perto dele.
 
Sempre que me debruço sobre os Salmos da Bíblia - assim como este que posto - percebo que são mensagens proféticas ao nosso dispor: "Preparado está o meu coração, ó Deus; cantarei e darei louvores até com a minha glória. Despertai, saltério e harpa; eu mesmo despertarei ao romper da alva. Louvar-te-ei entre os povos, Senhor, e a ti cantarei louvores entre as nações. Porque a tua benignidade se estende até aos céus, e a tua verdade chega até às mais altas nuvens. Exalta-te sobre os céus, ó Deus, e a tua glória sobre toda a terra. Para que sejam livres os teus amados, salva-nos com a tua destra, e ouve-nos." (Salmos 108:1-6). Acredito que muitos crentes teriam uma vida cristã de melhor qualidade, se buscassem ouvir a voz de Deus através dos salmos. É sempre bom e agradável refletir sobre eles!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quinta-feira, 2 de abril de 2015

Esta é minha crença


Domingo de manhã cedo, Maria Célia Calegari e eu viajamos para o Distrito wesleyano do Alto Caparaó. Antes, fui me ajeitar no lugar de oração; e fiquei a pensar na hora importante em que todos vivemos... Sempre desejei ter estado no alvorecer da Igreja; ouvindo de viva voz a pregação de Pedro; acompanhando de perto a jornada de Paulo e ouvindo seus sermões apostólicos, carregados de doutrina. Quantas vezes me surpreendi pensando no passado distante, desejoso de ter vivido aqueles dias. Todavia, me dou conta de que Deus reservou para mim, a ventura de viver o fim dos tempos... De viver minha história nos tempos difíceis, guardado e motivado pela herança do passado; vivendo aquilo que entendo, sem especular sobre o que está fora de alcance. Este sou eu - servo do Deus vivo - e esta é minha crença!
 
Estou consciente de que haviam grandes pecados naquele tempo; todavia, bem menores dos que existem em nossos dias. Sei que haviam grandes líderes cristãos naquele tempo; mas, não menores dos que hoje existem. Vivemos em um país, cujos detentores do poder temporal tentam impor sobre o povo de Deus, costumes que violam as antigas ordenanças. Mesmo pensando que isto seja mal necessário, para de algum modo selecionar os redimidos; acredito que isto não vai perdurar por muito tempo. Até porque, o entardecer desta era já prenuncia a noite total. Algumas luzes vão se apagando - aqui e ali - e em breve, as densas trevas se imporão sobre a humanidade indiferente. Todavia, na terra dos redimidos haverá luz; pois o Rei e Senhor Jesus que esperamos, tem definido o dia em que virá nos buscar e levar. Maranata!
 
Devemos manter os olhos e a esperança nesta revelação:
 
"Não quero, porém, irmãos, que sejais ignorantes acerca dos que já dormem, para que não vos entristeçais, como os demais, que não têm esperança. Porque, se cremos que Jesus morreu e ressuscitou, assim também aos que em Jesus dormem, Deus os tornará a trazer com ele. Dizemo-vos, pois, isto, pela palavra do Senhor: que nós, os que ficarmos vivos para a vinda do Senhor, não precederemos os que dormem. Porque o mesmo Senhor descerá do céu com alarido, e com voz de arcanjo, e com a trombeta de Deus; e os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro. Depois nós, os que ficarmos vivos, seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens, a encontrar o Senhor nos ares, e assim estaremos sempre com o Senhor. Portanto, consolai-vos uns aos outros com estas palavras."
(1 Tessalonicenses 4:13-18)
 
Pois ela nunca foi tão contextual como em nossos dias!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari