sexta-feira, 25 de dezembro de 2015

Minha alegria neste Natal


Que bênção! Acordei bem disposto, em plena manhã de Natal! E devo ver neste ato, - não algo comum - mais uma dádiva de Deus para minha vida. Por que digo isto? Porque conheci muitas vidas, bem melhores do que a minha, que não chegaram a ver o novo dia deste Natal; pois foram partindo ao longo do ano que breve termina. É verdade! O Natal chegou e pude ver o brilho do seu sol! Portanto, não vou ceder aos caprichos de uma natureza como a minha, tendente à queixa. Não vou mesmo! Pois sei que sou de Jesus, e que tenho um linda família; também selecionei muitos amigos nos quais eu posso confiar. E se isto não for razão suficiente para meu deleite... Então, vou me regozijar em Deus, em quem está meu prazer maior. Assim, que mais posso querer da vida, se tenho tudo aquilo que Deus me permitiu ter? Enfim... Tenho motivos, para agradecer e permanecer firme em Sua graça!

E agora, enquanto declaro minha alegria neste Natal; tenho consciência de que tenho contra mim a intempérie do tempo, tentando me assustar e me enfraquecer... Mas, que posso eu fazer? Se o vento forte sempre investe contra os que têm fé em Jesus. No entanto, tenho a meu favor a passagem do tempo; e ele me aproxima mais e mais de meu Senhor. E, assim como a força do vento não pode ser impedida; a passagem do tempo também não, abreviando o meu encontro com o meu eterno Senhor. Aleluia! E não é de hoje, já me decidi: Procurarei viver plenamente o Ano Novo que se anuncia; sem me deixar afligir ou desanimar pelo vento forte que continuará girando, mundo afora. Afinal, se a roda d'água continua a girar enquanto houver um rio em movimento; assim também, a roda do tempo que determina a nossa existência continuará se movendo enquanto houver propósito de Deus nela.

Devemos sempre refletir neste texto bíblico, sempre contextual: "Conjuro-te, pois, diante de Deus, e do Senhor Jesus Cristo, que há de julgar os vivos e os mortos, na sua vinda e no seu reino, Que pregues a palavra, instes a tempo e fora de tempo, redarguas, repreendas, exortes, com toda a longanimidade e doutrina. Porque virá tempo em que não suportarão a sã doutrina; mas, tendo comichão nos ouvidos, amontoarão para si doutores conforme as suas próprias concupiscências; E desviarão os ouvidos da verdade, voltando às fábulas. Mas tu, sê sóbrio em tudo, sofre as aflições, faze a obra de um evangelista, cumpre o teu ministério. Porque eu já estou sendo oferecido por aspersão de sacrifício, e o tempo da minha partida está próximo. Combati o bom combate, acabei a carreira, guardei a fé." (2 Timóteo 4:1-7). Digo isto, porque todos sabemos que a vida terrena tem prazo de validade.

Este é um bom dia, para ouvirmos esta bela canção entoada por Ozeias de Paula: https://www.youtube.com/watch?v=HW43eSPVeMY

Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário