segunda-feira, 2 de novembro de 2015

Discernimento e sentimento


Sexta-feira, após viagem sem sobressaltos, Maria Célia e eu chegamos em Natal, bela capital do Rio Grande do Norte. Tínhamos a nossa espera a missão de ministrar para obreiros da 7ª Região - algo tão importante, quanto a nossa expectativa concernente ao Congresso "Escola de Servos". Após uma noite bem dormida, procurei aferir o meu discernimento e avaliar os meus sentimentos; pois, para cumprir com eficácia a tarefa a mim confiada, iria depender do bom funcionamento de ambos. Creio que todo cristão precisa ter consciência da importância do domínio de seus sentimentos; e de um bom nível de discernimento, para que sua vida seja relevante e objetiva.

No sábado de manhã, achei por bem destacar estes dois atributos (discernimento e sentimento); pois o estado saudável de ambos, torna a vida plenamente capaz de cumprir o propósito de Deus em todas as instâncias, em que a mesma precisa se manifestar. Ou seja: Família, equilíbrio, ocupações e relacionamentos serão tão saudáveis e edificantes, quanto nossa habilidade para lidar com nosso modo de ver e de julgar as pessoas. E, posso afirmar, não existe melhor meio de conviver e de tratar as pessoas, sem traumas ou ressentimentos, do que olha-las e julga-las com a mente de Cristo; mas, isto só é possível se possuirmos e cultivarmos os sentimentos de Cristo em nós.

Sempre medito neste texto:

"Portanto, se há algum conforto em Cristo, se alguma consolação de amor, se alguma comunhão no Espírito, se alguns entranháveis afetos e compaixões, Completai o meu gozo, para que sintais o mesmo, tendo o mesmo amor, o mesmo ânimo, sentindo uma mesma coisa. Nada façais por contenda ou por vanglória, mas por humildade; cada um considere os outros superiores a si mesmo. Não atente cada um para o que é propriamente seu, mas cada qual também para o que é dos outros. De sorte que haja em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus, Que, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus, Mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens; E, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte, e morte de cruz."
(Filipenses 2:1-8)

Como ele me tem ajudado!

Também tenho sido edificado e enriquecido com esta canção do Álvaro Tito:
https://youtu.be/YVsCLRi47C8

Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário