segunda-feira, 21 de setembro de 2015

Frutos do meu ministério


Ontem, ao participar do culto oficial de inauguração do templo da igreja de Nanuque; Louvei a Deus por ter sido sensível o suficiente, para investir no retorno da IMW a esta cidade. Agradeço a Deus, pelas medidas que me permitiu tomar visando o bem desta obra e deste povo. Obrigado, Senhor! Pelo ministério do Pastor Cloudualdo e família, voltado para o bem deste rebanho entregue aos seus cuidados pastorais! Obrigado, Senhor! Pelos homens e mulheres que tens agregado a esta igreja! Obrigado, Senhor! Por me permitires ver e me alegrar com os frutos do meu ministério. Aleluia!
 
Realmente... Orar do quarto do casal, generosamente cedido à Maria Célia Calegari & eu - com uma visão panorâmica interessante - me traz grande satisfação nesta manhã, de um dia que promete ser quente e sem nuvens. Chorei bastante esta manhã, por razões que não posso postar (talvez tenha algo a ver com o assunto da abordagem bíblica de ontem). Todavia, tal incerteza não me causa o menor incômodo... Pois, em meio aos sentimentos que pululam em meu ser; estou cônscio, de que o que vale em minha vida; não é o que homens pensam sobre mim; mas, o modo como Deus me vê.
 
Este texto é uma boa base para uma vida com propósito:
 
"Que os homens nos considerem como ministros de Cristo, e despenseiros dos mistérios de Deus. Além disso requer-se dos despenseiros que cada um se ache fiel. Todavia, a mim mui pouco se me dá de ser julgado por vós, ou por algum juízo humano; nem eu tampouco a mim mesmo me julgo. Porque em nada me sinto culpado; mas nem por isso me considero justificado, pois quem me julga é o Senhor. Portanto, nada julgueis antes de tempo, até que o Senhor venha, o qual também trará à luz as coisas ocultas das trevas, e manifestará os desígnios dos corações; e então cada um receberá de Deus o louvor." (1 Coríntios 4:1-5)
 
Ele aponta para o julgamento que realmente importa.
 
Amei esta canção do grande compositor Anderson Freire - tão bem interpretada por Bruna Karla - desde a primeira vez que a ouvi:
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário