quinta-feira, 3 de setembro de 2015

É assim que creio


Tivemos uma semana bem intensa, devido as reuniões do Colégio Episcopal, que terminaram anteontem. Como é evidente, precisei manter minha rotina de oração, mesmo exausto... De tal modo, que me erguer do leito exigiu um esforço maior que o habitual; pois reside em mim a esperança de buscar e receber do Senhor (não aquilo que quero), mas aquilo que realmente preciso. Sobre o fato de que Deus é fiel, não reside a menor dúvida em meu espírito; pois tenho sido alcançado por Seu amor. Porém, se existe em mim fidelidade no nível de Sua aceitação... Penso que nunca chegarei a saber inteiramente. Todavia, existe um recurso sobrenatural que "turbina" a minha fidelidade! Aleluia! E este recurso é chamado de justificação pela fé. Glória a Deus! Então, enquanto eu tiver Jesus como Advogado, não haverá causa perdida; mas, ainda que na vida haja causa perdida... Jesus, por certo, saberá buscá-la e salvá-la!
 
Foi uma grande bênção, este tempo em que o Colégio Episcopal esteve reunido em Belo Horizonte. Foram momentos de grande comunhão entre os bispos e suas respectivas esposas. Sei que o futuro me reserva grandes desafios. Um deles, o de ser bem sucedido em minha constante luta interior; outro grande desafio é o de ministrar na parte de Deus. No entanto, serei fortalecido com a porção nascida das ministrações que dou e recebo. Glória a Deus! Lavoisier, pai da química moderna, chegou à conclusão de que "na natureza nada se cria, nada se perde, tudo se transforma". E esta conclusão seria perfeita; caso não ignorasse o fato, de que o Senhor do céu e da terra é eterno Criador. Eis sua declaração: "Eis que faço novas todas as coisas" (Apoc. 21.5).Então, podemos dividir a natureza em dois setores: O setor das coisas antigas transformadas; e o setor das coisas novas criadas. É assim que creio! Só o Senhor é Deus!
 
Este texto é cerne da transformação: "Porque o amor de Cristo nos constrange, julgando nós assim: que, se um morreu por todos, logo todos morreram. E ele morreu por todos, para que os que vivem não vivam mais para si, mas para aquele que por eles morreu e ressuscitou. Assim que daqui por diante a ninguém conhecemos segundo a carne, e, ainda que também tenhamos conhecido Cristo segundo a carne, contudo agora já não o conhecemos deste modo. Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo. E tudo isto provém de Deus, que nos reconciliou consigo mesmo por Jesus Cristo, e nos deu o ministério da reconciliação; Isto é, Deus estava em Cristo reconciliando consigo o mundo, não lhes imputando os seus pecados; e pôs em nós a palavra da reconciliação." (2 Coríntios 5:14-19). Nele vemos o novo homem, produto do novo nascimento!
 
Gosto de ouvir o Grupo Logos; e esta antiga canção por ele interpretada, muito me edifica:
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário