sábado, 12 de setembro de 2015

A melhor das escolhas


Tenho pensado em minha vida cristã... E não somente na minha; mas, na de todo crente que tem consciência da importância de sua fé em Jesus. São tantas as vezes, em que nos perdemos tentando agradar a Deus com as nossas obras - não que elas não sejam importantes - mas, por acharmos que agradamos mais a Deus pelo que fazemos, do que pelo que somos em Cristo. Então, ao examinarmos o contexto da doutrina cristã; vemos que a atitude mais importante não é o quanto somos capazes de fazer para Deus (se libertamos uma vida, se alimentamos um faminto, se curamos um doente); mas, sim, se somos capazes de nos manter em sua presença. Marta e Maria procuraram agradar a Deus (cada uma agindo ao seu modo); mas o próprio Jesus definiu, sem deixar dúvida, quem fez a melhor escolha.
 
Enquanto transito por este mundo, em direção ao céu; vejo ante os meus olhos, muitas pessoas tentando provar a Deus o quanto são capazes de sofrer, ou de fazer sofrer em seu nome. Algumas são capazes de matar por sua crença; outras, de morrer por ela, chegando até ao limite extremo de se imolar ou se detonar, movidas que são por um estranho tipo de amor e obediência ao seu credo. Agem, como se a morte dos infiéis e a autoflagelação dos fiéis fossem a coisa mais importante a ser feita, para pleno agrado de Deus. Quanto a mim, tenho aprendido na Bíblia que um dia na presença de Deus vale bem mais do que mil dias em qualquer outro lugar; e que estar em sua presença será sempre a melhor das escolhas; pois, só estando em Sua presença, o fraco se fortalece e o forte percebe o quanto é fraco.
 
Ao estudarmos a exemplar escolha de Enoque; percebemos que vida espiritual aprovada é, antes de tudo, andar com Deus: "E andou Enoque com Deus, depois que gerou a Matusalém, trezentos anos, e gerou filhos e filhas. E foram todos os dias de Enoque trezentos e sessenta e cinco anos. E andou Enoque com Deus; e não apareceu mais, porquanto Deus para si o tomou." (Gênesis 5:22-24). "Pela fé Enoque foi trasladado para não ver a morte, e não foi achado, porque Deus o trasladara; visto como antes da sua trasladação alcançou testemunho de que agradara a Deus. Ora, sem fé é impossível agradar-lhe; porque é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe, e que é galardoador dos que o buscam." (Hebreus 11:5,6). Na verdade, andar com Deus foi a grande obra de fé da vida de Enoque!
 
Penso ser esta, uma das melhores canções a dar consistência ao que pretendo transmitir: "Na fenda da rocha", com Fernanda Brum:
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário