segunda-feira, 10 de agosto de 2015

Perseverança e inutilidade


Hoje de manhã, após ter orado, me vi caminhando em direção a uma missão que preciso cumprir... Então percebi que a jornada do crente lhe dá, a um só tempo: A noção de perseverança e a sensação de inutilidade. É assim mesmo! Devemos continuar sendo servos perseverantes, pois nossa missão de servir jamais termina. No entanto, sem a menor chance de sairmos da condição de servos inúteis, pelo fato de não conseguirmos fazer nada além daquilo que o Senhor manda. Portanto, aquele que se sente fiel; ainda não é fiel o bastante; e aquele que acha que fez muito; ainda não fez o suficiente.
 
Enquanto eu assim pensava... Entendi a relevância do testemunho de Paulo para todos nós, que servimos nas fileiras do Senhor: "Irmãos, quanto a mim, não julgo que o haja alcançado; mas uma coisa faço, e é que, esquecendo-me das coisas que atrás ficam, e avançando para as que estão diante de mim, Prossigo para o alvo, pelo prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus." (Filipenses 3:13,14). Então, devemos prosseguir - convivendo com nossa condição de servo perseverante e servo inútil; até que, naquele dia, sejamos guindados para a condição de servo bom e fiel (Mateus 25.21).
 
O testemunho de Paulo é sempre inspirador:
 
"Portanto, não te envergonhes do testemunho de nosso Senhor, nem de mim, que sou prisioneiro seu; antes participa das aflições do evangelho segundo o poder de Deus, Que nos salvou, e chamou com uma santa vocação; não segundo as nossas obras, mas segundo o seu próprio propósito e graça que nos foi dada em Cristo Jesus antes dos tempos dos séculos; E que é manifesta agora pela aparição de nosso Salvador Jesus Cristo, o qual aboliu a morte, e trouxe à luz a vida e a incorrupção pelo evangelho; Para o que fui constituído pregador, e apóstolo, e doutor dos gentios. Por cuja causa padeço também isto, mas não me envergonho; porque eu sei em quem tenho crido, e estou certo de que é poderoso para guardar o meu depósito até àquele dia." (2 Timóteo 1:8-12)
 
Assim deve ser também testemunho de todos nós.
 
Fui abençoado por esta canção desde a primeira vez em que a ouvi, no templo wesleyano de Cabo Frio; quando tive o prazer de receber o, ainda jovem, Sérgio Lopes em minha casa (ele não mudou muito desde então):
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário