sexta-feira, 28 de agosto de 2015

Gratidão por meu aniversário

 

Estive orando a Deus nesta madrugada (me levantei da oração alguns minutos atrás); para agradecer... Por tudo; mas... Por tudo mesmo! Não há nada que tenha me acontecido, ao longo dos meus setenta anos de vida, que não tenha contribuído para o meu bem - disto tenho plena certeza! Lamentei perante o Pai eterno, por não ser o homem que deveria ser aos Seus olhos; e agradeci por não ser o homem que teria sido, se não o tivesse conhecido. Tenho consciência que, no nível humano, setenta anos é uma idade de transição... Então Louvei ao meu Deus, pela visão de meus olhos, pela audição de meus ouvidos, pela lucidez de minha mente, pela sensatez de minh'alma, pelo discernimento de meu espírito... Obrigado, meu Senhor, por tanta bênção recebida em minha vida!
 
Enquanto eu ainda orava, agradeci por meus filhos. Sei que não são plenos de santidade ou perfeição; mas, afinal... Quem o é? Sei que herdaram de mim, defeitos e virtudes; todavia, na conjuntura do legado genético, creio que carregam uma boa herança. Aleluia! Pois, nasceram de uma união plena de amor e respeito, mesclado com temor de Deus, entre mim e minha querida esposa Maria Célia Calegari. Louvo a Deus pela querida e honrada mulher que Ele me deu como esposa! Louvo a Deus, pelo rico acervo de amigos e irmãos que ele me concedeu, ao longo do tempo; e que procurei, por todos os meios, valorizar e preservar; pois, afinal, amigos e irmãos são bens que precisam ser amados e honrados por quem os possui. Obrigado, Senhor, por minha família e irmãos!
 
Texto por demais edificante; que denuncia o risco da ofensa; e o valor da família e de uma genuína amizade: "O irmão ofendido é mais difícil de conquistar do que uma cidade forte; e as contendas são como os ferrolhos de um palácio. Do fruto da boca de cada um se fartará o seu ventre; dos renovos dos seus lábios ficará satisfeito. A morte e a vida estão no poder da língua; e aquele que a ama comerá do seu fruto. Aquele que encontra uma esposa, acha o bem, e alcança a benevolência do Senhor. O pobre fala com rogos, mas o rico responde com dureza. O homem de muitos amigos deve mostrar-se amigável, mas há um amigo mais chegado do que um irmão." (Provérbios 18:19-24). Portanto, se queremos viver na bênção, devemos leva-lo na mais alta consideração!
 
Me fez muito bem ouvir, uma vez mais, esta bela e agradável canção entoada por Adhemar de Campos:
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário