quarta-feira, 19 de agosto de 2015

Não oramos o bastante


Existem algumas advertências de Jesus, sobre a necessidade de vivermos em oração e vigilância. E sempre que nos depararmos com elas; geralmente, somos persuadidos a pensar que já fazemos isso. Na verdade, até ouço alguns dizerem que já oramos o bastante; e que que agirmos agir mais. Acredito que tais afirmações até poderiam ser levadas em consideração; caso pudéssemos entender de outro modo este texto da Bíblia: "Orai se cessar" (1 Tessalonicenses 5:17). Não é de hoje, percebo que a oração enfrenta muitos adversários. Quanto a mim; sempre que oro ao Senhor, saio convencido de que oramos pouco; e de que nossas mais fervorosas orações são de caráter remedial. Na verdade, precisamos investir mais tempo em oração preventiva, sempre em sintonia com a mais conhecida oração da história: A oração do Pai nosso, ensinada por Jesus.
 
Em nossos dias, qualquer um pode perceber que as tensões entre os homens chegaram a um nível assustador! De modo que, o que mais se vê hoje em dia é a tensão entre nações, religiões, famílias... Enfim, este mundo está mergulhado em um crescente e preocupante clima de hostilidade. E a intolerância interfere tanto nos relacionamentos; que é grande o número de pessoas afligidas com angústia, desespero, sofrimento e morte em todos os países da terra. É verdade; as vítimas da violência estão em toda parte. Pela Bíblia, sabemos que este mundo nunca priorizou a paz entre os povos; nem conheceu a verdadeira paz. No entanto, os conflitos existenciais, ideológicos e religiosos chegaram a um nível insuportável. E por tudo o que se ouve e se vê, fica em nós a impressão de que algo ainda pior está para acontecer. Maranata! Ora vem Senhor Jesus!
 
Os sinais estão por toda parte: "Porque naqueles dias haverá uma aflição tal, qual nunca houve desde o princípio da criação, que Deus criou, até agora, nem jamais haverá. E, se o Senhor não abreviasse aqueles dias, nenhuma carne se salvaria; mas, por causa dos eleitos que escolheu, abreviou aqueles dias. E então, se alguém vos disser: Eis aqui o Cristo; ou: Ei-lo ali; não acrediteis. Porque se levantarão falsos cristos, e falsos profetas, e farão sinais e prodígios, para enganarem, se for possível, até os escolhidos. Mas vós vede; eis que de antemão vos tenho dito tudo. Ora, naqueles dias, depois daquela aflição, o sol se escurecerá, e a lua não dará a sua luz. E as estrelas cairão do céu, e as forças que estão nos céus serão abaladas. E então verão vir o Filho do homem nas nuvens, com grande poder e glória." (Marcos 13:19-26). Devemos estar mais atentos!
 
Estes são dias oportunos para ouvirmos canções sobre os últimos dias; como esta entoada por Damares:
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário