sábado, 25 de julho de 2015

Tive que esvaziar as gavetas


Sinceramente... Já perdi a conta, das vezes em que tive que esvaziar as gavetas, embalar os móveis e partir para um novo desafio. Morei em vales e montanhas; em meio à selva e à beira do mar; em terra quente e em terra fria; todavia, tive sempre a companhia do Senhor comigo (já o ouvi me chamar pelo nome, mais que uma vez). Enquanto me movi em direção aos desafios que enfrentei e venci; vi minha querida família se formar, crescer e se desdobrar. É bênção demais para um homem só! Se alguém me pedisse para explicar isto em uma palavra apenas, eu diria: Itinerância! Eu sempre acreditei que - a um homem de Deus - o campo é o seu mundo imediato... Enquanto ele segue, itinerante, em direção ao seu mundo futuro. Aleluia! Lá está o meu eternal tesouro!
 
Respeito os que discordam de minha visão... As vezes, eu mesmo tenho dificuldade em lidar com ela. No entanto, não sou original nem perfeito em meu modo de ser e de viver... Abraão fez isto muito antes de mim; só que revestido de uma pureza e perfeição que não tenho. Aliás, nem ouso me igualar a ele. Na verdade, sou apenas um servo itinerante, que precisa cumprir uma jornada de trabalho (semelhante a um caixeiro viajante à moda antiga) entregando a mensagem, afirmando que existe cura para o mal dos homens (Jesus), incentivando à fé salvadora e santificadora. Sei que muitos servos fazem isto melhor do que eu. Todavia, o simples fato de ter sido chamado pelo Senhor já é suficiente para me por no rol dos homens mais felizes que vivem ou viveram neste mundo.
 
Tenho o apóstolo Paulo como referência singular na itinerância:
 
"Mas o que para mim era ganho reputei-o perda por Cristo. E, na verdade, tenho também por perda todas as coisas, pela excelência do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor; pelo qual sofri a perda de todas estas coisas, e as considero como escória, para que possa ganhar a Cristo, E seja achado nele, não tendo a minha justiça que vem da lei, mas a que vem pela fé em Cristo, a saber, a justiça que vem de Deus pela fé; Para conhecê-lo, e à virtude da sua ressurreição, e à comunicação de suas aflições, sendo feito conforme à sua morte; Para ver se de alguma maneira posso chegar à ressurreição dentre os mortos. Não que já a tenha alcançado, ou que seja perfeito; mas prossigo para alcançar aquilo para o que fui também preso por Cristo Jesus."
(Filipenses 3:7-12)
 
Homem abençoado e abençoador, de minha vida e da de muitos.
 
Já faz tempo, adotei esta canção da Família Kerr como fonte de inspiração:
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário