quarta-feira, 29 de julho de 2015

Escola do sofrimento


Estou habituado ao fato, de que o Senhor - vez por outra - nos leva a refletir sobre textos condizentes com a nossa vida... E com a nossa própria vida em si mesma. Foi assim que me surpreendi, a pensar nestas palavras de Jesus a Ananias; ao se referir ao apóstolo Paulo: "Disse-lhe, porém, o Senhor: Vai, porque este é para mim um vaso escolhido, para levar o meu nome diante dos gentios, e dos reis e dos filhos de Israel. E eu lhe mostrarei quanto deve padecer pelo meu nome." (Atos 9:15,16). Nela, percebo que o sofrimento é como uma espécie de escola, na qual todos nós temos muito que aprender; embora, à primeira vista; o simples fato de sofrer sempre nos deixa aquela impressão de que estamos sendo punidos, por algo que tenhamos feito.
 
Ao mesmo tempo em que eu refletia sobre isto; me recordei da famosa frase de Francisco Otaviano: "Quem passou pela vida em branca nuvem, e em plácido repouso adormeceu; quem não sentiu o frio da desgraça, quem passou pela vida e não sofreu, foi espetro de homem, não foi homem, só passou pela vida, não viveu." Então senti especial conforto, em saber que - ao longo de uma vida inteira - o Pai nos brinda com diversos testes (como aqueles de múltipla escolha); e que o sofrimento está sempre inserido nesses testes. Finalmente, entendi melhor o fato; de que, para os salvos, o sofrimento é uma espécie de teste de esforço a nos condicionar ao propósito de Deus; e de que, ao final de tudo isto, Sua glória será revelada aos crentes perseverantes.
 
Sou fascinado pela doutrina bíblica! Como a que vejo neste texto: "Porque todos os que são guiados pelo Espírito de Deus esses são filhos de Deus. Porque não recebestes o espírito de escravidão, para outra vez estardes em temor, mas recebestes o Espírito de adoção de filhos, pelo qual clamamos: Aba, Pai. O mesmo Espírito testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus. E, se nós somos filhos, somos logo herdeiros também, herdeiros de Deus, e co-herdeiros de Cristo: se é certo que com ele padecemos, para que também com ele sejamos glorificados. Porque para mim tenho por certo que as aflições deste tempo presente não são para comparar com a glória que em nós há de ser revelada." (Romanos 8:14-18). Pois ele indica nosso nível de herança.
 
Como faz bem ouvir uma canção, como esta de Bruna Karla; que destaca o cuidado de Deus em meios às provações; depurada dos exageros sobre certos tipos de "conquista" e uma espécie de "dupla honra", que tanto se ouve em nossos dias:
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário