sexta-feira, 12 de junho de 2015

Símbolo de redenção e sorte


Olho pela janela e ainda não vejo sinal do sol. Então, me prostro ante o meu Senhor para buscar Sua face, de onde provém a luz que ilumina o caminho por onde ando. E assim, entre descansado em Deus e preocupado com o sistema que nos confina; exalto o Seu nome e busco me refugiar sob Suas asas. Enquanto oro, sou avisado que a perversidade tem muitas faces... Uma delas, procura ocultar sua loucura com uma touca ou capuz; outra, exibe um rosto de aparência bondosa, enquanto em seu íntimo arquiteta esquemas perversos contra o seu próximo; e existe a face marcada por blasfêmia, louca de tudo, capaz de profanar tudo aquilo que diz e que toca; ah... E a pior dentre elas: A face triunfalista, banhada pelo estranho brilho de uma religiosidade sem verdade, que esconde a maldade de um coração vazio de Deus.
 
Em meio a tudo isso, sou lembrado pelo Senhor do dizer desta Palavra: "Com o benigno te mostrarás benigno; e com o homem sincero te mostrarás sincero; Com o puro te mostrarás puro; e com o perverso te mostrarás indomável." (Salmos 18:25,26). E mais uma vez sou consolado com a promessa de que os dias que nos separam da magnífica revelação de Sua glória se abreviam, faltando bem pouco tempo para o toque da trombeta que anunciará o novo tempo. Enquanto aguarda o Noivo, a Igreja segue sua jornada - virgens loucas e prudentes caminhando juntas, estrada afora - movidas pela esperança do glorioso encontro. Enquanto eu ando, sinto conforto por saber que Jesus foi o único capaz de transformar seu instrumento de tortura e morte, em símbolo de redenção e sorte para todo aquele que nele põe a sua fé.
 
O Senhor é o meu eterno Deus: "Eu te amarei, ó SENHOR, fortaleza minha. O Senhor é o meu rochedo, e o meu lugar forte, e o meu libertador; o meu Deus, a minha fortaleza, em quem confio; o meu escudo, a força da minha salvação, e o meu alto refúgio. Invocarei o nome do Senhor, que é digno de louvor, e ficarei livre dos meus inimigos. Tristezas de morte me cercaram, e torrentes de impiedade me assombraram. Tristezas do inferno me cingiram, laços de morte me surpreenderam. Na angústia invoquei ao Senhor, e clamei ao meu Deus; desde o seu templo ouviu a minha voz, aos seus ouvidos chegou o meu clamor perante a sua face. Então a terra se abalou e tremeu; e os fundamentos dos montes também se moveram e se abalaram, porquanto se indignou." (Salmos 18:1-7). Minha confiança está firmada nele!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário