terça-feira, 16 de junho de 2015

Meu socorro bem presente


Fez um bem enorme ao meu espírito, olhar da área interna da casa do Pastor Jose Sergio e sua esposa Areli e ver o lusco-fusco da madrugada sobre a cidade de Mantena, na divisa de Minas Gerais com Espírito Santo. Me prostrei aos pés do Senhor e busquei refúgio em Sua presença; ao mesmo tempo em que me recordava de que fui pastor nesta cidade, nos anos 73/74. Portanto, já estive nesta querida cidade como Pastor, como Superintendente Distrital e como Bispo. Intercedi pela cidade e pelo Distrito de Mantena (seus pastores e obreiros, igrejas e congregações). Chorei muito aos pés do Senhor, por saber algo sobre os dias que estão reservados para esta geração; geração do ódio, da descrença e do desvio de conduta; geração que, não somente insiste em resistir a Deus; mas que procura obstinadamente combater Seu povo e Seus ensinos; geração sem futuro; ou, pior, com um futuro assustador!
 
Enquanto eu orava, procurei em Deus o socorro bem presente de que carecemos, enquanto aqui vivermos. Intercedi por minha pequena casa, em meio a forte comoção; e senti paz, ao ver da janela especial do meu lugar de oração o futuro que está reservado aos que amam a Deus e se refugiam em Seu Filho Jesus, nosso eterno Salvador. Não tenho a menor dúvida em declarar, com todas as minhas forças, que senti paz e segurança enquanto orava! E não me refiro à paz circunstancial e sazonal que o mundo oferece, algumas vezes e por curto tempo. Penso, sim, no que Jesus nos prometeu: "Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; não vo-la dou como o mundo a dá. Não se turbe o vosso coração, nem se atemorize." (João 14:27). Esta é a paz que sinto, seja qual for a ameaça ou circunstância! Então, por que buscar neste mundo a paz que somente em Jesus (Deus conosco) podemos obter?
 
Testemunho glorioso este: "Que diremos, pois, a estas coisas? Se Deus é por nós, quem será contra nós? Aquele que nem mesmo a seu próprio Filho poupou, antes o entregou por todos nós, como nos não dará também com ele todas as coisas? Quem intentará acusação contra os escolhidos de Deus? É Deus quem os justifica. Quem é que condena? Pois é Cristo quem morreu, ou antes quem ressuscitou dentre os mortos, o qual está à direita de Deus, e também intercede por nós. Quem nos separará do amor de Cristo? A tribulação, ou a angústia, ou a perseguição, ou a fome, ou a nudez, ou o perigo, ou a espada? Como está escrito:Por amor de ti somos entregues à morte todo o dia;Somos reputados como ovelhas para o matadouro. Mas em todas estas coisas somos mais do que vencedores, por aquele que nos amou." (Romanos 8:31-37). Que alegria e conforto a Palavra de Deus nos traz!
 
Que prazer eu sinto ao recomendar a audição desta linda canção:
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário