domingo, 14 de junho de 2015

A conquista da cruz


Percebo que os dias parecem se encurtar... No entanto, preciso manter minha vida de oração em tempo razoável. Sempre fica em mim a impressão de que nunca é fácil orar; como se houvessem altas barreiras a impedir o acesso a Deus; ainda que Ele não esteja longe de cada um de nós. Todavia, consegui me prostrar sem tirar os olhos da cruz; não a cruz exibida em tom de desprezo e blasfêmia, pela loucura dos fanáticos da parada gay (afinal, aquela cruz era outra); mas, a cruz vazia onde esteve o meu eterno Senhor por algumas horas. Pois entendo que, por mais que façam cruzes alusivas ao cristianismo, a cruz do Calvário será sempre figura única! Tanto por aquilo que nela ocorreu, como pelo seu significado para os redimidos. Ela era tão diferente das outras duas que a ladeavam, como difere das que são vistas por aí; seja em gesto de deboche, seja em atitude de respeito.
 
Da cruz do Calvário, se ouviam gemidos e palavras entrecortadas do Salvador agonizante, estigmatizado - de aparência sofrida, indefesa - servindo de espetáculo ao mundo inteiro, até que tudo se consumasse. Portanto, mesmo protestando contra a loucura dos homens maus; não vou me preocupar com o que tentam fazer com os símbolos sagrados (afinal, são apenas símbolos de verdades sagradas, que não podem ser afetadas por aquilo que lhes fazem). O fato indiscutível é que, no lenho da cruz, foi desferido um golpe mortal sobre o pecado e a própria morte; e nela, Jesus mudou minha sorte. Glória a Deus! Na verdade, nem preciso ver uma cruz aparente para recordar a conquista da cruz; pois, a trago em minha lembrança, de onde não poderá jamais ser removida; nem mesmo por seus inimigos mais ferrenhos. Eu não temo mais o mal, pois firme está minha fé! Aleluia!
 
A cruz vazia representa o triunfo da vida sobre a morte:
 
"Tende cuidado, para que ninguém vos faça presa sua, por meio de filosofias e vãs sutilezas, segundo a tradição dos homens, segundo os rudimentos do mundo, e não segundo Cristo; Porque nele habita corporalmente toda a plenitude da divindade; E estais perfeitos nele, que é a cabeça de todo o principado e potestade; No qual também estais circuncidados com a circuncisão não feita por mão no despojo do corpo dos pecados da carne, pela circuncisão de Cristo; Sepultados com ele no batismo, nele também ressuscitastes pela fé no poder de Deus, que o ressuscitou dentre os mortos. E, quando vós estáveis mortos nos pecados, e na incircuncisão da vossa carne, vos vivificou juntamente com ele, perdoando-vos todas as ofensas, Havendo riscado a cédula que era contra nós nas suas ordenanças, a qual de alguma maneira nos era contrária, e a tirou do meio de nós, cravando-a na cruz."
(Colossenses 2:8-14)
 
Ela é também símbolo do sacrifício aceito! Glória a Deus!
 
Recomendo ouvir com temor e atenção este canção de Edson Coelho, cantada por Ozeias de Paula: https://youtu.be/jwm4EOjabNQ
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário