segunda-feira, 11 de maio de 2015

Minha condição de servo


O Senhor me fez despertar bem cedo; para me fazer lembrar algo que jamais devo esquecer: Minha condição de servo e meu chamado para servir. Parece ser algo simples, lógico; todavia, o conceito de servir sofre alteração, de pessoa pra pessoa, de servo pra servo. Alguns entendem que fazer algo na igreja - tal como pregar uma mensagem ou cantar uma canção - quita a sua cota serviçal. Outros pensam que servir é obrigação das pessoas para consigo (estão sempre se queixando pelo fato de que "ninguém me ajuda", "ninguém faz nada por mim"). Mas Deus me fez ver que não devo esperar que alguém faça algo por mim, para que eu faça algo em troca. Como é bom ouvir a voz de Deus, nos mostrando nossa real natureza e missão imediata.
 
Então, mais uma vez, me dei conta de que devo ser alguém disposto a servir; ainda que não seja reconhecido ou correspondido pelas pessoas, mesmo aquelas que procuro ajudar. E pedi a Deus que me ajude a me fazer conhecido - não pelo sermão que prego, pela canção que canto, pelo cargo que ocupo - mas, pelo modo como trato e respeito as pessoas com quem lido e com quem convivo. Assim, preciso muito mais ser um facilitador do que um mentor; e, antes de ser um mestre dos homens, preciso ser um servo de todos (família, amigos, adversários). Afinal, sei muito bem que vivo em um mundo em que já existem tantos mestres, mentores, feitores... E tão poucos servos. Como é bom atentar para as palavras que saem da boca de Deus!
 
Recomendo profunda reflexão sobre este texto:
 
"Então dirá o Rei aos que estiverem à sua direita: Vinde, benditos de meu Pai, possuí por herança o reino que vos está preparado desde a fundação do mundo; Porque tive fome, e destes-me de comer; tive sede, e destes-me de beber; era estrangeiro, e hospedastes-me; Estava nu, e vestistes-me; adoeci, e visitastes-me; estive na prisão, e foste me ver. Então os justos lhe responderão, dizendo: Senhor, quando te vimos com fome, e te demos de comer? ou com sede, e te demos de beber? E quando te vimos estrangeiro, e te hospedamos? ou nu, e te vestimos? E quando te vimos enfermo, ou na prisão, e fomos ver-te? E, respondendo o Rei, lhes dirá: Em verdade vos digo que quando o fizestes a um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizestes."
(Mateus 25:34-40)
 
Meditar no que está escrito muito nos ajudará.
 
Recomendo também esta leitura:
 
"Por isso, estai vós apercebidos também; porque o Filho do homem há de vir à hora em que não penseis. Quem é, pois, o servo fiel e prudente, que o seu senhor constituiu sobre a sua casa, para dar o sustento a seu tempo? Bem-aventurado aquele servo que o seu senhor, quando vier, achar servindo assim. Em verdade vos digo que o porá sobre todos os seus bens. Mas se aquele mau servo disser no seu coração: O meu senhor tarde virá; E começar a espancar os seus conservos, e a comer e a beber com os ébrios, Virá o senhor daquele servo num dia em que o não espera, e à hora em que ele não sabe, E separá-lo-á, e destinará a sua parte com os hipócritas; ali haverá pranto e ranger de dentes."
(Mateus 24:44-51)
 
Pois, servir é imperativo divino!
 
Não posso deixar de recomendar esta bela e edificante canção do cantor e compositor Paulo Cezar (Grupo Logos): www.youtube.com/watch?v=8FQX47vl3cw
 
Assim como, não posso deixar de recomendar que se medite nesta canção (também do Grupo Logos) bem contextual: www.youtube.com/watch?v=pBosB8Mvbpo
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário