quarta-feira, 27 de maio de 2015

A missão de um pastor


No domingo, dia do pastor wesleyano, preguei na IMW Palmeiras (onde também fui homenageado, juntos com o Pastor Renato Jabor Campos e o Pastor Almir). Na ocasião, preguei sobre a missão de um pastor. Dentre os diversos problemas e desafios que um pastor enfrenta, ao longo de seu ministério, destaquei as duas maiores dificuldades que ele não tem como deixar de enfrentar: A primeira, quanto ao seu paradigma - Jesus - cujo ministério é o seu modelo. Jesus disse: "Eu sou o bom Pastor; o bom Pastor dá a sua vida pelas ovelhas." (João 10:11); portanto, ser um bom pastor significa amar como Jesus amou, sentir como Jesus sentiu e cuidar como Jesus cuidou. Este é o primeiro desafio a ser encarado por alguém que pretende ser um pastor por excelência: O desafio de imitar o Mestre Jesus, Pastor por excelência!
 
A outra dificuldade tem a ver com a natureza do rebanho. Vejamos este diálogo de Jesus com Pedro: "Tornou a dizer-lhe segunda vez: Simão, filho de Jonas, amas-me? Disse-lhe: Sim, Senhor, tu sabes que te amo. Disse-lhe: Apascenta as minhas ovelhas." (João 21:16). Esta é uma missão difícil; pois não se trata apenas de presidir uma igreja; mas, de apascentar as ovelhas. E sem amor prático não existe apascentamento. Existem duas verdades sobre as ovelhas que pastoreamos: Uma é que as ovelhas diferem muito entre si; tanto no modo de viver, como no modo de reagir. Não é tão difícil amar a quem nos ama; todavia, amar a quem nos resiste e critica não é tão simples. Porém, precisamos apascentar o rebanho (os favoráveis e os contrários). Outra verdade é que as ovelhas pertencem a Jesus, não a nós!
 
Tenho notado que, as vezes, ovelhas correm mais perigo com maus pastores do que com lobos:
 
"Assim diz o Senhor meu Deus: Apascenta as ovelhas da matança, Cujos possuidores as matam, e não se têm por culpados; e cujos vendedores dizem: Louvado seja o Senhor, porque tenho enriquecido; e os seus pastores não têm piedade delas. Certamente não terei mais piedade dos moradores desta terra, diz o Senhor; mas, eis que entregarei os homens cada um na mão do seu próximo e na mão do seu rei; eles ferirão a terra, e eu não os livrarei da sua mão. Eu, pois, apascentei as ovelhas da matança, as pobres ovelhas do rebanho. Tomei para mim duas varas: a uma chamei Graça, e à outra chamei União; e apascentei as ovelhas." (Zacarias 11:4-7)
 
Mas quando são apascentadas com graça e união, elas sobrevivem aos embates e aflições da vida!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário