terça-feira, 7 de abril de 2015

Paixão de Cristo


Na última sexta-feira, cristãos de todas as tendências celebraram a paixão de Cristo. O Papa presidiu missa no coliseu romano, engalanado para este fim. No entanto, a paixão de Cristo não teve o seu desfecho na via dolorosa... E o coliseu não se restringe às ruínas de Roma; pois as atrocidades contra crentes em Jesus continuam sendo praticadas em vários lugares da terra; especialmente no oriente médio e no norte da África. Ou seja: O coliseu se transmuda - tal e qual uma serpente - mudando constantemente a sua pele; reunindo em vários lugares do planeta, uma plateia ávida por ver cristãos do nosso tempo sendo degolados, fuzilados, queimados.. Martirizados por extremistas religiosos que em nada diferem dos demais extremistas deste mundo; a não ser nos jargões que utilizam. Enfim... Cresce o ódio e intolerância deste mundo mau contra o povo da cruz.
 
Enquanto penso neste doloroso assunto; me vem ao espírito aquela canção do Fernandinho: "Sei que os teus olhos, Sempre atentos permanecem em mim; E os teus ouvidos Estão sensíveis para ouvir o meu clamor. Posso até chorar, mas a alegria vem de manhã! És Deus de perto e não de longe; Nunca mudastes, Tu és fiel! Deus de aliança, Deus de promessas; Deus que não é homem pra mentir. Tudo pode passar, tudo pode mudar; Mas tua palavra vai se cumprir. Posso enfrentar o que for; Eu sei quem luta por mim. Seus planos não podem ser frustrados. Minha esperança está Nas mãos do grande EU SOU! Meus olhos vão ver o impossível acontecer!" Então, percebo que a dor; os conflitos e crises existenciais; a maldade e leviandade; O pecado por omissão e o pecado por comissão; Enfim... Tudo isto será superado no grande dia da vinda de Jesus para buscar o povo de Deus.
 
Sinto descanso e paz ao meditar neste texto:
 
"Que diremos, pois, a estas coisas? Se Deus é por nós, quem será contra nós? Aquele que nem mesmo a seu próprio Filho poupou, antes o entregou por todos nós, como nos não dará também com ele todas as coisas? Quem intentará acusação contra os escolhidos de Deus? É Deus quem os justifica. Quem é que condena? Pois é Cristo quem morreu, ou antes quem ressuscitou dentre os mortos, o qual está à direita de Deus, e também intercede por nós. Quem nos separará do amor de Cristo? A tribulação, ou a angústia, ou a perseguição, ou a fome, ou a nudez, ou o perigo, ou a espada? Como está escrito: Por amor de ti somos entregues à morte todo o dia; Somos reputados como ovelhas para o matadouro. Mas em todas estas coisas somos mais do que vencedores, por aquele que nos amou. Porque estou certo de que, nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as potestades, nem o presente, nem o porvir, Nem a altura, nem a profundidade, nem alguma outra criatura nos poderá separar do amor de Deus, que está em Cristo Jesus nosso Senhor."
(Romanos 8:31-39)
 
Que abençoado conforto este texto me traz!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário