terça-feira, 21 de abril de 2015

Estou pensando no homem


Estou pensando no homem... E me pergunto: O que é uma pessoa fora da presença de Deus? Não passa de uma vida sem rumo - qual um barco sem leme - sem velas ao vento, navegando em imenso oceano; sem terra a vista onde possa atracar. Assim é o homem sem Deus... Um ser perigoso, até mesmo para aqueles que ama e para as pessoas mais próximas. Não há como corrigir o curso de uma vida sem Deus... Salvo, se o seu coração se abrir ao socorro do Espírito Santo e seus ouvidos se abrirem à Palavra de Deus; pois, somente assim, os seus olhos despidos das trevas e iluminados pelo olhar de Deus; poderão ver, finalmente, as realidades da vida presente e da vida futura.
 
Ao pensar no homem, pensei também no mundo... E renovei o meu senso crítico em relação a ambos - pontos distintos da criação de Deus - incompatíveis entre si; posto que, o mundo é alvo do juízo de Deus e o homem alvo do Seu amor; pois Jesus veio ao mundo perdido, condenado; para buscar e salvar o ser humano perdido em seus delitos e pecados. Infelizmente, o homem perdido, envolto em sua própria miséria e solidão, só consegue enxergar aquilo que este mundo lhe permite ver: Luz e cor, festa e alegria, prazer e euforia... Todavia, quando tem os seus olhos abertos pelo amor e pela Palavra de Deus; então,consegue ver a face oculta de um mundo de natureza cruel.
 
Vivemos a última hora de um mundo julgado e condenado: "Eu vos escrevi, pais, porque já conhecestes aquele que é desde o princípio. Eu vos escrevi, jovens, porque sois fortes, e a palavra de Deus está em vós, e já vencestes o maligno. Não ameis o mundo, nem o que no mundo há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele. Porque tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não é do Pai, mas do mundo. E o mundo passa, e a sua concupiscência; mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre." (1 João 2:14-17). Nesta hora tenebrosa em que o mundo vive, a única força que nos vale é o amor de Deus.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário