quarta-feira, 15 de abril de 2015

Então entendi um pouco mais


Dias atrás, enquanto eu me curvava perante o Senhor, para poder começar bem o novo dia que em breve vai amanhecer; veio ao meu espírito a canção entoada por ‎Aline Barros‬ : "Eu me rendo a ti perante os homens perante tudo; Quero que o universo seja minha testemunha. Vou erguer perante o teu trono minha adoração E levar com ela toda minha gratidão. Senhor, és o motivo da minha alegria! Deus meu, és o caminho distante do mundo. Vou te alegrar, com o meu louvor; Eu quero te tocar, com o meu amor; Poder te abraçar, sentir o teu pulsar, teu coração bater ao meu." Então, entendi um pouco mais a dimensão de minha pequenez; e a grandeza do amor que o Pai me tem. E, mais uma vez, ao refletir sobre conceitos e valores, reconheci que existem homens detentores de nobreza e investidura que os coloca bem acima da maioria... E que eu não estou entre eles. Senti o ego ferido (sou normal, gosto de me sentir valorizado) ao ver minha pequenez; todavia, senti paz em meu espírito!
 
Então, em meio a dor do ego e a paz do espírito, o sentimento de gratidão cresceu em mim; pois sei que Deus me ama de um modo tão especial, que torna dispensável a nobreza e perfeição de que não sou dotado. Aleluia! Enquanto eu me regozijava, vislumbrei a via dolorosa e a cruz fincada no alto da Caveira... E eu sabia que estava lá, preso com Cristo - alvo da zombaria e injustiça que algumas vezes sofremos - todavia... Pude me sentir livre da "liberdade" de mentira, que mantém a humanidade sob o cativeiro do mundo, presa aos seus vícios e prazeres. Foi quando entendi um pouco melhor a figura da cruz - não como trágico instrumento de tortura - mas, como altar vertical, de quatro pontas, capaz de sustentar minha vida entre a terra e o céu; de onde posso olhar pra baixo e chorar ante a lama do mundo; e olhar para cima e sorrir ante o brilho do céu. Glória a Deus! Como é bom seguir os passos do Mestre, passando pela terra dos vales e sombras, seguindo em direção ao céu!
 
A graça de Deus se sobrepõe à lei e anula a miséria do homem: "Sabendo que o homem não é justificado pelas obras da lei, mas pela fé em Jesus Cristo, temos também crido em Jesus Cristo, para sermos justificados pela fé em Cristo, e não pelas obras da lei; porquanto pelas obras da lei nenhuma carne será justificada. Pois, se nós, que procuramos ser justificados em Cristo, nós mesmos também somos achados pecadores, é porventura Cristo ministro do pecado? De maneira nenhuma. Porque, se torno a edificar aquilo que destruí, constituo-me a mim mesmo transgressor. Porque eu, pela lei, estou morto para a lei, para viver para Deus. Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vivo-a pela fé do Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim. Não aniquilo a graça de Deus; porque, se a justiça provém da lei, segue-se que Cristo morreu debalde." (Gálatas 2:16-21). Como é maravilhosa a graça de Jesus!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário