quinta-feira, 23 de abril de 2015

Contemplo a cruz vazia


Eu não sei se todos os crentes sentem aquilo que sinto... Algumas vezes, penso que sou igual a todo mundo... Outras vezes, me sinto único, diferente, em meu modo de pensar e de entender as coisas. Na verdade, desde que me entendo por gente; nunca tem sido fácil tomar uma decisão - mesmo a decisão mais simples - como, por exemplo, saber em que direção dar o próximo passo. Algumas vezes, desejo incontido de parar... Outras vezes, vontade imperiosa de prosseguir. Penso ser esta a razão de muitos, ao se alienarem de tudo. Então, em ocasiões assim, recorro ao Único capaz de me entender e de me ajudar. Contemplo a cruz vazia e... Não tenho dúvida alguma quanto ao fato de que, as marcas de seu Hóspede mais importante são a minha mais importante riqueza!
 
Eu sei que todos os crentes precisam sentir aquilo que sinto: Que aquela rude cruz vazia, com as marcas de seu mais nobre Ocupante, deve ser o meu lugar de pouso e recolhimento; pois, nela, me identifico com Quem por ela passou e abriu caminho para que pudéssemos ter rumo certo, ainda que nem sempre fácil, para chegarmos ao porto desejado. Do alto da cruz, posso ouvir seus gemidos; quando, descuidado, me torno indiferente aos valores agregados pela cruz. E do alto dela, posso ouvir seu convite; quando, cansado, penso em parar e desistir. Em ocasiões assim, sei que meu grande tesouro se concentra no Ocupante temporário da cruz que tenho a honra de ocupar; cujo nome (muitos polemizam este ponto... Que o chamem como quiserem), é Jesus de Nazaré.
 
Procuro manter na memória a mensagem da cruz;
 
"Porque a carne cobiça contra o Espírito, e o Espírito contra a carne; e estes opõem-se um ao outro, para que não façais o que quereis. Mas, se sois guiados pelo Espírito, não estais debaixo da lei. Porque as obras da carne são manifestas, as quais são: adultério, fornicação, impureza, lascívia, Idolatria, feitiçaria, inimizades, porfias, emulações, iras, pelejas, dissensões, heresias, Invejas, homicídios, bebedices, glutonarias, e coisas semelhantes a estas, acerca das quais vos declaro, como já antes vos disse, que os que cometem tais coisas não herdarão o reino de Deus. Mas o fruto do Espírito é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança. Contra estas coisas não há lei. E os que são de Cristo crucificaram a carne com as suas paixões e concupiscências. Se vivemos em Espírito, andemos também em Espírito."
(Gálatas 5:17-25)
Pois sei que não posso viver sem o seu conteúdo.
 
Tenho plena certeza de que a cruz é o único lugar capaz de conter o velho homem e seus impulso:
 
"Sabendo que o homem não é justificado pelas obras da lei, mas pela fé em Jesus Cristo, temos também crido em Jesus Cristo, para sermos justificados pela fé em Cristo, e não pelas obras da lei; porquanto pelas obras da lei nenhuma carne será justificada. Pois, se nós, que procuramos ser justificados em Cristo, nós mesmos também somos achados pecadores, é porventura Cristo ministro do pecado? De maneira nenhuma. Porque, se torno a edificar aquilo que destruí, constituo-me a mim mesmo transgressor. Porque eu, pela lei, estou morto para a lei, para viver para Deus. Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vivo-a pela fé do Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim. Não aniquilo a graça de Deus; porque, se a justiça provém da lei, segue-se que Cristo morreu debalde."
(Gálatas 2:16-21)
Sei também que ela é o nosso lugar de aceitação.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário