quinta-feira, 5 de março de 2015

Real tesouro guardado no céu


Precisei levantar mais cedo para me dirigir ao lugar de oração. É que preciso viajar muito cedo e a vida de oração não pode ser prejudicada por motivo algum! Enquanto eu ainda procurava me derramar ante a presença de Deus; fui alertado para o fato de que cresce em toda a terra, a aliança entre os espertalhões do mundo e os vendilhões do templo; aliança esta movida por interesses comuns, tais como: Vantagens pessoais, exploração dos fracos e dos incautos, enfim... Vivemos uma temporada de alianças profanas, cujo fim a Palavra de Deus proclama. Diante deste quadro confuso e com fim previsto, senti desejo de orar ao Senhor pela proteção do Seu povo.
 
Enquanto eu orava, fui lembrado de que não devemos nem podemos abrir mão dos valores da fé bíblica e da doutrina cristã; seja qual for o preço que tenhamos que pagar por isto. Senti paz enquanto Deus me falava. E me dei conta de que - enquanto obreiros de origem indeterminada incentivam o povo a olhar para o mundo e buscar segurança e conforto em bens terrenos - o Senhor Jesus nos conclama a olhar para o Alto, pois a nossa redenção está próxima. Então, agradeci a Deus por meu real tesouro guardado no céu - onde traça e ferrugem não lhe causam dano - pois é a ele que meu coração deve estar ligado. Obrigado, Senhor, por Tua graça e por Teu amor!
 
Este texto é um importante sinal de alerta para os dias atuais: "Não ameis o mundo, nem o que no mundo há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele. Porque tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não é do Pai, mas do mundo. E o mundo passa, e a sua concupiscência; mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre. Filhinhos, é já a última hora; e, como ouvistes que vem o anticristo, também agora muitos se têm feito anticristos, por onde conhecemos que é já a última hora." (1 João 2:15-18). Na verdade, o fim se aproxima; e precisamos estar prontos.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário