quinta-feira, 19 de março de 2015

O amor lança fora o medo


A madrugada mal se inicia... Tempo oportuno para buscar a Deus. Enquanto procuro o meu lugar aos Seus pés; sou invadido por uma confissão de fé que percorre minha vida e ganha vida em meus lábios: "Não temerei mal algum, porque Tu estás comigo!" (Salmo 23). E me reportei à Davi, o moço de gentil semblante, segundo o coração de Deus. E se ele não teve razão pra ter medo, nem eu devo ter; pois o Deus a Quem servimos é o mesmo! Aleluia! Ele enfrentou Golias e travou o combate que lhe deu fama, porque amou intensamente a Deus e ao Seu povo. Ao pensar nisso, me lembrei do texto declaratório que afirma: "No amor não há temor, antes o perfeito amor lança fora o temor; porque o temor tem consigo a pena, e o que teme não é perfeito em amor." (1 João 4:18). Aleluia! O amor lança fora todo o medo!
 
Enquanto eu pensava no medo, o Espírito me fez lembrar esta sublime mensagem: "E o anjo lhes disse: Não temais, porque eis aqui vos trago novas de grande alegria, que será para todo o povo: Pois, na cidade de Davi, vos nasceu hoje o Salvador, que é Cristo, o Senhor." (Lucas 2:10-11). E me dei conta de que, mensagem assim, só podia mesmo ter sido pregada por um anjo! Neste texto percebo que as boas novas se resumem em um nome: Cristo, o Senhor! Glória a Deus! Pois... Se tenho Cristo em minha vida, tenho o Amor em pessoa, pois Deus é amor! E como o amor lança fora o medo! Então, não devo temer, ainda que o mal que tenta me assustar tenha rosto, nome e forma humana; e ainda que ocupe a mais elevada instância; ele é só humano, não é Deus. Mas, ainda que fosse um demônio; não temerei o agente do mau!
 
Na verdade, toda a Bíblia é um presente de Deus ao ser humano. E este salmo é presente especial de Deus à quem se sente cansado e afligido: "O SENHOR é o meu pastor, nada me faltará. Deitar-me faz em verdes pastos, guia-me mansamente a águas tranquilas. Refrigera a minha alma; guia-me pelas veredas da justiça, por amor do seu nome. Ainda que eu andasse pelo vale da sombra da morte, não temeria mal algum, porque tu estás comigo; a tua vara e o teu cajado me consolam. Preparas uma mesa perante mim na presença dos meus inimigos, unges a minha cabeça com óleo, o meu cálice transborda. Certamente que a bondade e a misericórdia me seguirão todos os dias da minha vida; e habitarei na casa do Senhor por longos dias." (Salmos 23:1-6). Perdi a contas das muitas vezes em que eu recorri a ele!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário