segunda-feira, 2 de março de 2015

Esperança do crente


Aqueles que acompanham minhas postagens, já devem ter percebido que procuro ser franco, sincero e objetivo naquilo que posto ou comento. A cada dia que passa, tenho consciência que caminhamos para um tempo de crise e confronto crescente, sem caminho de volta. Portanto, estou convencido de que precisamos nos firmar em Deus; sem esmorecer na fé ou nos deixar levar pela onda de euforia cristã que vemos em algumas igrejas, como se o paraíso fosse por aqui. A atual onda de terror - com face religiosa ou política - que envolve o mundo (de modo ostensivo ou sutil) não é fenômeno isolado, passageiro. A intolerância e o ódio contra os cristãos - declarado ou discreto - se traduz em truculência e crueldade em uns países; e em leis restritivas aos seus valores bíblicos em outros. E não para por aí!
 
Quanto a mim, estou plenamente convencido quanto ao modo como tudo isto vai terminar... Com fogo e enxofre, à semelhança do que ocorreu nas cidades de Sodoma e Gomorra. Aos que pensam diferente de mim, quero lembrar que vemos a prática de tudo aquilo que eles praticavam; todavia, com um requinte de arrogância e crueldade que supera o modo ruim como eles se conduziam... E com o agravante de que conhecemos verdades e valores bíblicos que eles nunca conheceram. Mas, existe rota de escape para aqueles que estão firmados em Jesus; pois a marca da promessa - em forma de cruz - é o nosso passaporte para um novo tempo. No entanto, precisamos testemunhar da salvação em Cristo; e viver santamente, em um mundo que vive na prática do pecado e se afunda em lama a cada dia.
 
A leitura deste texto - se feita sob unção do Espírito - revela onde deve estar a esperança do crente: "Como guardaste a palavra da minha paciência, também eu te guardarei da hora da tentação que há de vir sobre todo o mundo, para tentar os que habitam na terra. Eis que venho sem demora; guarda o que tens, para que ninguém tome a tua coroa. A quem vencer, eu o farei coluna no templo do meu Deus, e dele nunca sairá; e escreverei sobre ele o nome do meu Deus, e o nome da cidade do meu Deus, a nova Jerusalém, que desce do céu, do meu Deus, e também o meu novo nome. Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas." (Apocalipse 3:10-13). Por mais responsabilidades e obrigações que o crente tenha neste mundo; sua primeira prioridade deve ser a de viver em função desta promessa.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário