quinta-feira, 26 de março de 2015

Cultivo da vida de santidade


Hoje despertei com o seguinte texto em meu coração: "Mas para mim, bom é aproximar-me de Deus; pus a minha confiança no Senhor DEUS, para anunciar todas as tuas obras." (Salmos 73:28). Enquanto eu refletia sobre ele; veio aos meus lábios este louvor correspondente: "Que doce é estar em tua presença, Contemplando a formosura da Tua majestade, E reconhecendo que Tu és o Senhor todo poderoso e o grande 'Eu Sou'..." (cantado por Marcos Góes). Realmente, faz um bem muito grande à nossa alma poder degustar espiritualmente mistura tão poderosa e santa - como é o louvor a Deus e a meditação em sua Palavra! Eu acredito que a vida cristã só pode ser vivida plenamente, quando o nosso coração ferve com boas palavras e nossos lábios se abrem para entoar belas canções de louvor; como a que me edificou.
 
Infelizmente, vivemos hoje no perigoso limite entre o santo e o profano (na maioria das vezes - para nosso mal - mais profano que santo). Na verdade, todos nós cristãos definidos quanto aos fundamentos bíblicos de nossa crença; precisamos nos manter em atmosfera de louvor e adoração, enquanto transitamos neste mundo perdido - residindo em um corpo que não passa de habitação temporária - pois o contrário disto é um padrão de vida carnal e superficial, vivido pela grande maioria das pessoas, que chega a assustar. Portanto, se pretendemos herdar o reino que nos foi preparado por Cristo, precisamos saber onde ficam os limites do nosso mover e existir; para não ultrapassarmos os mesmos, incorrendo no desagrado do Senhor. Pois jamais veremos a Deus, sem o cultivo da santidade que Ele nos propôs.
 
Leia este texto tão claro e objetivo: "Portanto, tornai a levantar as mãos cansadas, e os joelhos desconjuntados, E fazei veredas direitas para os vossos pés, para que o que manqueja não se desvie inteiramente, antes seja sarado. Segui a paz com todos, e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor; Tendo cuidado de que ninguém se prive da graça de Deus, e de que nenhuma raiz de amargura, brotando, vos perturbe, e por ela muitos se contaminem. E ninguém seja devasso, ou profano, como Esaú, que por uma refeição vendeu o seu direito de primogenitura. Porque bem sabeis que, querendo ele ainda depois herdar a bênção, foi rejeitado, porque não achou lugar de arrependimento, ainda que com lágrimas o buscou." (Hebreus 12:12-17). Como pode um cristão verdadeiro, ignorar sua proposta?
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário