segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

Mundo paradoxal este


Na última sexta-feira, encerramos a reunião do Colégio Episcopal; que foi edificante e proveitosa, em todos os sentidos. Na manhã seguinte - ainda envolta no manto da noite - acordei pensando nas contradições existentes no mundo em que vivemos... É bastante comum vermos pessoas exultantes, pessoas descontentes; pessoas relutantes, pessoas confiantes; pessoas sorrindo, pessoas chorando; pessoas nascendo, pessoas morrendo; enfim... Mundo cheio de surpresas; que intercala celebrações e funerais. E em meio a tudo isso, vemos dor e angústia se manifestar em toda parte; a se misturar com risos e danças, aqui e ali, como se não houvesse sofrimento entre nós. Na verdade, este mundo é um paradoxo, sempre em mutação; ora é um vale de lágrimas, ora um vale de ossos secos; todavia... Sempre perigoso, mortal.
 
A Palavra de Deus assim nos adverte: "Não ameis o mundo, nem o que no mundo há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele." (1 João 2:15). Se, porventura, chegarmos a compreender bem a essência deste texto; vamos constatar que, na grande maioria das vezes, não conseguimos cumpri-lo integralmente. Por exemplo: Algumas vezes declaramos não amar o mundo; e, ao mesmo tempo, demonstramos "morrer de amores" por inúmeras coisas e prazeres diversos existentes neste mundo, em total oposição à Palavra de Deus e ao Seu eterno propósito. É comum vermos cristãos demonstrarem boa vontade em ler e ouvir a Bíblia; e, com a mesma boa vontade, adotarem em sua vida e família, práticas e conceitos destoantes dos ensinos da Bíblia sagrada. Enfim... Evidente contradição entre aquilo que creem e aquilo que fazem.
 
Que oração esclarecedora esta: "E eu já não estou mais no mundo, mas eles estão no mundo, e eu vou para ti. Pai santo, guarda em teu nome aqueles que me deste, para que sejam um, assim como nós. Estando eu com eles no mundo, guardava-os em teu nome. Tenho guardado aqueles que tu me deste, e nenhum deles se perdeu, senão o filho da perdição, para que a Escritura se cumprisse. Mas agora vou para ti, e digo isto no mundo, para que tenham a minha alegria completa em si mesmos. Dei-lhes a tua palavra, e o mundo os odiou, porque não são do mundo, assim como eu não sou do mundo. Não peço que os tires do mundo, mas que os livres do mal. Não são do mundo, como eu do mundo não sou. Santifica-os na tua verdade; a tua palavra é a verdade." (João 17:11-17). Que ela se cumpra, todos os dias, em minha vida!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário