segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

Devo continuar a orar

Foto: Tenho sido instado a orar, como a muito tempo não acontecia. É como se o meu espírito se apercebesse de fatos que estão fora de minha visão racional. Algumas vezes, sou tentado a deixar de orar; então, em ocasiões assim, conjeturo comigo mesmo: Não sei que o que acontecerá comigo, pelo simples fato de orar; todavia, sei com clareza o que aconteceria comigo, se eu simplesmente deixasse de orar. Portanto, entendo perfeitamente que, em orar, está minha maior segurança. E não somente a minha; mas, a de minha própria família; e, também, a segurança dos que o Senhor entregou aos meus cuidados pastorais. Senhor, ensina-me a orar!

Algo que, algumas vezes, não consigo entender; é o modo descuidado como muitos crentes - inclusive obreiros - vivem sua vida espiritual; agindo como se as promessas pudessem se manter, sem ações correspondentes da nossa parte. E este tipo de atitude é comum e crescente em nossos dias; especialmente pelo fato de que os vendedores de sonho afirmam ser tão fácil prosperar, bastando para isto ter fé e determinar. O que estes vendedores de ilusão não percebem é que a vida cristã, segundo as Escrituras, é confrontada com uma série de condições que, uma vez satisfeitas, acionam graça e promessa compatível com a vontade de Deus.

Quanto a mim, entendo que Te buscar será sempre a melhor atitude; pois eu acredito que a oração deve vir antes e depois de tudo. Portanto, se o dia for sombrio, devo orar e interceder; se o dia for iluminado, devo orar e agradecer; se o dia for marcado por sofrimento, devo orar e chorar; se o dia for marcado por vitória, devo orar e cantar. Tua Palavra me insta de modo imperativo, dizendo: "Buscai ao Senhor enquanto se pode achar, invocai-o enquanto está perto." (Isaías 55:6). Então, ante a proximidade do Senhor, devo continuar a orar! Orar por minha família; orar por meus amigos; orar por mim mesmo. Até porque, eu creio que a oração deve vir antes do agir.

Tenho sido instado a orar, como a muito tempo não acontecia. É como se o meu espírito se apercebesse de fatos que estão fora de minha visão racional. Algumas vezes, sou tentado a deixar de orar; então, em ocasiões assim, conjeturo comigo mesmo: Não sei que o que acontecerá comigo, pelo simples fato de orar; todavia, sei com clareza o que aconteceria comigo, se eu simplesmente deixasse de orar. Portanto, entendo perfeitamente que, em orar, está minha maior segurança. E não somente a minha; mas, a de minha própria família; e, também, a segurança dos que o Senhor entregou aos meus cuidados pastorais. Assim, eu te peço Senhor: Ensina-me a orar!
 
Algo que, algumas vezes, não consigo entender; é o modo descuidado como muitos crentes - inclusive obreiros - vivem sua vida espiritual; agindo como se as promessas pudessem se manter, sem ações correspondentes da nossa parte. E este tipo de atitude é comum e crescente em nossos dias; especialmente pelo fato de que os vendedores de sonho afirmam ser tão fácil prosperar... Bastando para isto ter fé e determinar. Todavia, o que estes vendedores de ilusão não percebem é que a vida cristã, segundo as Escrituras, é confrontada com uma série de condições que, uma vez satisfeitas, acionam graça e promessa compatível com a vontade de Deus.
 
Tenho entendido que Te buscar será sempre a melhor atitude; pois eu acredito que a oração deve vir antes e depois de tudo. Portanto, se o dia for sombrio, devo orar e interceder; se o dia for iluminado, devo orar e agradecer; se o dia for imerso em sofrimento, devo orar e chorar; se o dia brindado com vitória, devo orar e cantar. Tua Palavra me insta de modo imperativo, dizendo: "Buscai ao Senhor enquanto se pode achar, invocai-o enquanto está perto." (Isaías 55:6). Então, ante a proximidade do Senhor, devo continuar a orar! Orar por minha família; orar por meus amigos; orar por mim mesmo. Até porque, eu acredito que a oração deve vir antes do agir.
 
Este texto, mesmo  envolto em advertência; expõe que Deus está atento ao nosso clamor:
 
"Quem é o homem que deseja a vida, que quer largos dias para ver o bem? Guarda a tua língua do mal, e os teus lábios de falarem o engano. Aparta-te do mal, e faze o bem; procura a paz, e segue-a. Os olhos do Senhor estão sobre os justos, e os seus ouvidos atentos ao seu clamor. A face do Senhor está contra os que fazem o mal, para desarraigar da terra a memória deles. Os justos clamam, e o Senhor os ouve, e os livra de todas as suas angústias. Perto está o Senhor dos que têm o coração quebrantado, e salva os contritos de espírito. Muitas são as aflições do justo, mas o Senhor o livra de todas. Ele lhe guarda todos os seus ossos; nem sequer um deles se quebra. A malícia matará o ímpio, e os que odeiam o justo serão punidos. O Senhor resgata a alma dos seus servos, e nenhum dos que nele confiam será punido."
(Salmos 34:12-22)
 
Ele traz grande conforto e alento aos que confiam no Senhor e o buscam de coração.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário