domingo, 30 de novembro de 2014

Nível de temor do Senhor


Ao me apresentar perante o Deus eterno, que me adotou como filho; venho com profundo temor e quebrantamento. Sou consciente de que - no lugar de oração - se dá o encontro da Grandeza em plenitude com a pequenez em pessoa. Todavia, sinto paz e segurança ao me aproximar do meu eterno Senhor; pois sei que Ele contempla minha vida e meu estado. Sei que em Sua presença, não tenho como omitir fatos ou disfarçar sentimentos... Isto me faz sentir nudez e me traz alívio; pois sei que não preciso dizer nada a meu próprio respeito, ainda que insista em orações sobre circunstâncias e pessoas que o Deus onisciente de antemão conhece.
 
Prostrado no lugar de oração, achei por bem fazer dois pedidos ao Senhor. Primeiro, que Ele me guarde de ser meu próprio juiz; de conferir mérito às minhas virtudes, de justificar os meus defeitos ou absolver meus próprios pecados. É sabido que o ego humano vive a procura de quem o massageie; porém... Que não seja eu massagear o meu! O meu segundo pedido é que Ele me ajude a conservar o nível de temor do Senhor que tenho em mim, pois sei que o temor do Senhor me livra de fazer alianças ilícitas e de manter cumplicidade com o mal. José, no Egito, é um clássico exemplo de temor; ao se negar a ceder ao assédio da mulher de Potifar.
 
Este talvez seja o detalhe mais importante da história de José:
 
"E aconteceu depois destas coisas que a mulher do seu senhor pôs os seus olhos em José, e disse: Deita-te comigo. Porém ele recusou, e disse à mulher do seu senhor: Eis que o meu senhor não sabe do que há em casa comigo, e entregou em minha mão tudo o que tem; Ninguém há maior do que eu nesta casa, e nenhuma coisa me vedou, senão a ti, porquanto tu és sua mulher; como pois faria eu tamanha maldade, e pecaria contra Deus? E aconteceu que falando ela cada dia a José, e não lhe dando ele ouvidos, para deitar-se com ela, e estar com ela, Sucedeu num certo dia que ele veio à casa para fazer seu serviço; e nenhum dos da casa estava ali; E ela lhe pegou pela sua roupa, dizendo: Deita-te comigo. E ele deixou a sua roupa na mão dela, e fugiu, e saiu para fora."
(Gênesis 39:7-12)
 
José é figura de Cristo. Louvo a Deus por sua vida e exemplo!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sábado, 29 de novembro de 2014

Relação conturbada


Enquanto eu ainda orava, o meu espírito foi tomado por um sentimento que me surpreendeu... Algo que nunca me incomodou tanto como nesta manhã. É que o Senhor me fez ver o quanto perdem aqueles que não conseguem coexistir, de forma mansa e pacífica, com seus familiares e amigos. Enquanto eu refletia, me dei conta de que este tipo de relação conturbada é mais comum do que pensamos. Não é de hoje, penso que - nas relações mais importantes que estabelecemos na vida - Deus está em primeiro lugar; em segundo lugar os familiares; em terceiro lugar os amigos. Ocorre que, para cultivarmos um bom relacionamento, precisamos manter um nível de procedimento que motive e amplie o bom estado destes relacionamentos. Quantas vezes, perdemos um bom amigo ou afastamos um ente querido; por não sabermos suportar os atritos comuns entre pessoas próximas.
 
Familiares e amigos são tesouros que precisamos guardar com muito carinho e atenção. Logo, devemos poupá-los de nossos surtos de ira ou distúrbio de qualquer natureza. Sei que este tipo de cuidado nem sempre é fácil; as vezes, por não suportarmos um pouquinho mais o rigor de nosso próprio temperamento, acabamos com bons relacionamentos e amizades. Então, precisamos muito da graça de Deus, associada a uma boa ajuda de nós mesmos, para pouparmos as pessoas que nos amam, de nossos destemperos ou comportamento iracundo. Familiares e amigos são dádivas de Deus que precisamos saber cultivar e preservar; respeitando o seu direito a privacidade, evitando sobrecarregá-los com os problemas nossos de cada dia. Digo isto porque, muitas vezes, o limite que encerra um ciclo de amizade está próximo ao seu nível de transbordo, sem que percebamos.
 
Ao lermos esta parábola de Jesus, logo percebemos que ela não é de simples interpretação:
 
"E dizia também aos seus discípulos: Havia um certo homem rico, o qual tinha um mordomo; e este foi acusado perante ele de dissipar os seus bens. E ele, chamando-o, disse-lhe: Que é isto que ouço de ti? Dá contas da tua mordomia, porque já não poderás ser mais meu mordomo. E o mordomo disse consigo: Que farei, pois que o meu senhor me tira a mordomia? Cavar, não posso; de mendigar, tenho vergonha.Eu sei o que hei de fazer, para que, quando for desapossado da mordomia, me recebam em suas casas. E, chamando a si cada um dos devedores do seu senhor, disse ao primeiro: Quanto deves ao meu senhor? E ele respondeu: Cem medidas de azeite. E disse-lhe: Toma a tua obrigação, e assentando-te já, escreve cinqüenta. Disse depois a outro: E tu, quanto deves? E ele respondeu: Cem alqueires de trigo. E disse-lhe: Toma a tua obrigação, e escreve oitenta. E louvou aquele senhor o injusto mordomo por haver procedido prudentemente, porque os filhos deste mundo são mais prudentes na sua geração do que os filhos da luz. E eu vos digo: Granjeai amigos com as riquezas da injustiça; para que, quando estas vos faltarem, vos recebam eles nos tabernáculos eternos. Quem é fiel no mínimo, também é fiel no muito; quem é injusto no mínimo, também é injusto no muito. Pois, se nas riquezas injustas não fostes fiéis, quem vos confiará as verdadeiras? E, se no alheio não fostes fiéis, quem vos dará o que é vosso? Nenhum servo pode servir dois senhores; porque, ou há de odiar um e amar o outro, ou se há de chegar a um e desprezar o outro. Não podeis servir a Deus e a Mamom. E os fariseus, que eram avarentos, ouviam todas estas coisas, e zombavam dele."
(Lucas 16:1-14)
 
No entanto, ela nos ensina que amizades verdadeiras valem mais do que riquezas temporais.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sexta-feira, 28 de novembro de 2014

Porção diária da graça


Cada dia em que me dirijo ao lugar de oração, em busca da porção diária da graça que me mantém de pé; sinto em meu espírito a necessidade de me manter na presença do Senhor, seja qual for a razão que tente me afastar dela. Creio que não há como ignorar o agravamento das tensões em todo o mundo; de tal modo que, mesmo aqueles países de cultura e tradições milenares estão a sofrer os efeitos das transformações assustadoras pelas quais este mundo está passando. Em alguns lugares deste planeta, cristãos estão sob intensa perseguição; e para estes, o desafio maior é o de permanecerem vivos até o dia seguinte; e de permanecerem fiéis em meio ao terrível modo como são caçados e torturados. Enquanto isso, em nosso país, muitos crentes são ensinados a ter como desafio maior a aquisição de um novo carro ou de uma casa nova... Como se o paraíso fosse aqui.
 
Enquanto eu estava em oração diante do Pai, intercedi pelos meus irmãos; me refiro àqueles que estão sob intensa provação em países do oriente, da Ásia e da África (já se somam em milhares os que estão padecendo por sua crença cristã). Não pude deixar de chorar... No entanto, chorei um pouco mais, pelo estado de espírito dos crentes que vivem em um país como o nosso; cujos conflitos são de outra natureza; tais como: Como conseguir sorte no amor; ou, como manter seus filhos em colégio particular; ou, como conseguir um melhor emprego; ou mesmo, como encontrar um templo que tenha espaço ou estacionamento favorável à segurança de seu carro (não estou insinuando que estes não sejam problemas; mas, tão somente, que não são tão prioritários como nós pensamos). Enfim... Em meio a esta estranha sensação, orei ao Senhor por dias mais seguros para Seu povo.
 
Este texto, em sua abordagem, não diz tudo:
 
"Tenho-vos dito estas coisas para que vos não escandalizeis. Expulsar-vos-ão das sinagogas; vem mesmo a hora em que qualquer que vos matar cuidará fazer um serviço a Deus. E isto vos farão, porque não conheceram ao Pai nem a mim. Mas tenho-vos dito isto, a fim de que, quando chegar aquela hora, vos lembreis de que já vo-lo tinha dito. E eu não vos disse isto desde o princípio, porque estava convosco. E agora vou para aquele que me enviou; e nenhum de vós me pergunta: Para onde vais? Antes, porque isto vos tenho dito, o vosso coração se encheu de tristeza. Todavia digo-vos a verdade, que vos convém que eu vá; porque, se eu não for, o Consolador não virá a vós; mas, quando eu for, vo-lo enviarei. E, quando ele vier, convencerá o mundo do pecado, e da justiça e do juízo. Do pecado, porque não crêem em mim; Da justiça, porque vou para meu Pai, e não me vereis mais; E do juízo, porque já o príncipe deste mundo está julgado. Ainda tenho muito que vos dizer, mas vós não o podeis suportar agora. Mas, quando vier aquele Espírito de verdade, ele vos guiará em toda a verdade; porque não falará de si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido, e vos anunciará o que há de vir."
(João 16:1-13)
 
Todavia, ele diz tudo o que precisamos ouvir.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quinta-feira, 27 de novembro de 2014

Tendência de se enganar


Hoje, após um bom momento de oração, estou a pensar no ser humano, este ser complexo criado por Deus. E indago: Se todos os homens conseguissem entender seus limites e suas possibilidades, como seria este mundo em que vivemos? Se eles conseguissem entender sua relação com os demais seres criados, com o meio ambiente e com as realidades que o rodeiam, em que ponto da evolução do conhecimento e das realizações humanas nos estaríamos? No entanto, se eles não conseguem entender de modo correto a extensão de seus direitos e responsabilidades individuais e sociais; e nem mesmo consegue entender o valor da família nos moldes de Deus, como então conseguirá entender e assumir os seus deveres e obrigações neste triste e pobre mundo rico?
 
Então, a contragosto, admiti que não há como conter ou remediar os estragos causados pela incapacidade humana de assumir suas responsabilidades sociais e devocionais. Na verdade, as pessoas tem a tendência de se enganar com os amigos que escolhem, com os deuses que escolhem; enfim... Com a vida que escolhem viver. Assim, toda a desordem em que o mundo se encontra tem sua relação de causa e efeito diretamente ligada às escolhas humanas. No entanto, em meio às diversas crises promovidas neste mundo, existe um tipo de ser humano que pode fazer diferença: Eu me refiro ao homem ou mulher que fez e faz suas escolhas, baseados na Palavra de Deus. Eu me refiro àqueles que receberam a Cristo como Senhor e Salvador; e que buscam em sua Palavra direção para suas vidas.
 
Gosto de considerar este desafio posto por Josué ao povo de Israel: "Porém, se vos parece mal aos vossos olhos servir ao Senhor, escolhei hoje a quem sirvais; se aos deuses a quem serviram vossos pais, que estavam além do rio, ou aos deuses dos amorreus, em cuja terra habitais; porém eu e a minha casa serviremos ao Senhor. Então respondeu o povo, e disse: Nunca nos aconteça que deixemos ao Senhor para servirmos a outros deuses; Porque o Senhor é o nosso Deus; ele é o que nos fez subir, a nós e a nossos pais, da terra do Egito, da casa da servidão, e o que tem feito estes grandes sinais aos nossos olhos, e nos guardou por todo o caminho que andamos, e entre todos os povos pelo meio dos quais passamos." (Josué 24:15-17). E gosto ainda mais, da posição que ele assumiu, da escolha que fez!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quarta-feira, 26 de novembro de 2014

Sentimento de gratidão


Ao Deus eterno, Rei do universo, Criador do tempo e das estações, Autor da vida, Redentor da humanidade eu tributo honra, glória e adoração hoje e sempre! Faltam palavras para expressar o sentimento de adorador que trago comigo nesta manhã... Todavia, me prostro e me humilho aos Teus pés, eterno Salvador de minh'alma! Como agradecer em plenitude, por tudo o que tens feito por mim? Sentimento de mérito não existe, pois o lugar está preenchido pelo sentimento de gratidão. Obrigado, amado Pai; por teres me ungido e usado no domingo, para pregar na IMW Guarapari, pastoreada por meu filho Pastor Calegari; e ontem na IMW Vila Velha, pastoreada pelo Pastor Geraldo Rodrigues, em seus 40 anos de bela história de frutificação!
 
Obrigado, querido Senhor; pela esposa que me deste e pelos filhos que nasceram de nossa união. Amo tudo aquilo que me tens dado e me recuso a me prender àquilo que me tens tirado; pois, por maior prazer que eu sinta com minha querida família, amigos e irmãos; sei que Tu serás sempre a Fonte do meu prazer. Não sei se algum dia entenderei o modo como escolhes aqueles que pretendes usar no Teu reino... Todavia, me sinto eternamente grato por ter sido escolhido para uma honrosa missão que sinto não ter concluído; ainda que procure me entregar inteiramente ao teu propósito, para o seu pleno e fiel cumprimento. E sei que, assim como eu, existem inúmeros servos Teus, cujo coração é pleno de gratidão para contigo! Aleluia!
 
Na Bíblia, encontramos inúmeros textos que descrevem o sentimento de gratidão ao Senhor. E este salmo é um dos meus preferidos: "Celebrai com júbilo ao SENHOR, todas as terras. Servi ao Senhor com alegria; e entrai diante dele com canto. Sabei que o Senhor é Deus; foi ele que nos fez, e não nós a nós mesmos; somos povo seu e ovelhas do seu pasto. Entrai pelas portas dele com gratidão, e em seus átrios com louvor; louvai-o, e bendizei o seu nome. Porque o Senhor é bom, e eterna a sua misericórdia; e a sua verdade dura de geração em geração." (Salmos 100:1-5). E quando finalmente percebermos aquilo que Deus nos deu e aquilo de que nos livrou; então, encontraremos razões para nos abrirmos na mais profunda gratidão ao Senhor!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

terça-feira, 25 de novembro de 2014

Senti segurança e paz


Após orar nesta manhã, fiquei a pensar nos dias que temos pela frente... Já faz tempo, aprendi que não existe meio de saber sobre o que um novo dia nos reserva; pois, nem mesmo as revelações de Deus sobre os mesmos são detalhadas. Na verdade, a única segurança que tenho, quanto ao novo dia que está por vir; é que Jesus me exorta a não me preocupar com o dia seguinte; pois o dia que vivo, com os seus desafios e provações, já é suficiente para ocupar o meu tempo. Ao pensar nisso, senti alívio ao saber que preciso estar sempre na presença de Deus; pois, envolto em Sua graça, não preciso temer aquilo que não pode me atingir sem que Ele consinta; e quando Ele consente, também fornece os meios para que eu tenha proteção e direção em meio aos conflitos que devo enfrentar. Então, por que temer se a luta é grande? O meu Deus é bem maior que ela!
 
Senti segurança e paz... Uma sensação de satisfação e saciedade, por saber que tenho do Pai tudo aquilo que de fato preciso. Logo, por que me prender ao dia que passou - ou me assustar com o dia seguinte - se tenho o amor de Deus trabalhando em meu favor no dia de hoje?! Cheguei até a pensar naqueles que me olham com desprezo ou que me querem ver "pelas costas"... E senti compaixão deles; por não saberem que trabalhar em prol do reino de Deus não é trabalhar contra alguém em especial; e sim, trabalhar em favor daqueles que o reino abraçou; e também em favor daqueles que o reino ainda não descartou. Ah... Também senti que minha bolha de imunidade - aquela que envolve a mim e minha família - permanece inviolável. Enfim, por que temer nos dias maus ou sombrios? O Senhor é o meu refúgio, bem mais eficaz que um poderoso exército!
 
Recomendo a leitura deste salmo em sua totalidade; pois o destaque que ele dá ao valor da vida humana, é de suprema importância para quem busca a essência da verdadeira sabedoria: "Ouvi isto, vós todos os povos; inclinai os ouvidos, todos os moradores do mundo, Tanto baixos como altos, tanto ricos como pobres. A minha boca falará de sabedoria, e a meditação do meu coração será de entendimento. Inclinarei os meus ouvidos a uma parábola; declararei o meu enigma na harpa. Por que temerei eu nos dias maus, quando me cercar a iniqüidade dos que me armam ciladas? Aqueles que confiam na sua fazenda, e se gloriam na multidão das suas riquezas, Nenhum deles de modo algum pode remir a seu irmão, ou dar a Deus o resgate dele." (Salmos 49:1-7). Realmente, meditar nele nos leva a entender um pouco mais o real sentido da vida.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

segunda-feira, 24 de novembro de 2014

Fiz dois pedidos ao Senhor


Nesta manhã, ao acordar depois de um dia bem cansativo na véspera; consegui me prostrar perante o meu Senhor, do mesmo modo em que tenho procurado fazer ao longo do tempo. Digo isto, porque acredito na eficácia de uma vida de oração; tanto para nos conter em meio ao turbilhão de vozes e sentimentos que procuram nos introduzir em outra esfera de conduta e linguagem; como para conter as forças mundanas e profanas que conspiram contra nossa segurança em Deus e nossa eficiência naquilo que fazemos para Deus e Seu povo. Penso que Davi, o bravo homem de Deus do passado, não venceu suas lutas apenas por se conduzir com prudência; e que sua vitória seria ainda maior, se tivesse passado um bom momento de oração perante a face do Senhor, antes de subir naquele perigoso terraço.
 
É assim que penso! E creio não cometer exagero ou ilicitude em meu modo de pensar; quando afirmo que um dia iniciado aos pés do Senhor pode anular crises anunciadas e amenizar dores sofridas. E assim crendo, fiz dois pedidos ao Senhor: O primeiro, que Ele me guarde dos pequenos pecados, tanto quanto tem me guardado dos grande pecados. Porque, afinal, alguns pecados "inocentes" são condutores dos grandes pecados que nos assediam diariamente. Isso mesmo! Mentira, omissão e leviandade são perigosos, devido ao precedente que abrem em nossa estrutura espiritual e moral; abrindo caminho para males ainda maiores. E pedi que Ele me livre de me deixar influenciar ou surpreender pelos ardis de Satã; o qual procura, por todos os meios, me atrair para o seu jogo de miséria e horror.
 
Se procurarmos observar bem este texto, veremos que ele soa como solene advertência aos que defendem e procuram relacionamento mais cordial com o mundo: "Não ameis o mundo, nem o que no mundo há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele. Porque tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não é do Pai, mas do mundo. E o mundo passa, e a sua concupiscência; mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre." (1 João 2:15-17). Portanto, seja qual for a situação, nossa relação com este mundo deve levar em conta o que a Palavra de Deus oriente. Se queremos nos manter em comunhão com o Senhor, Sua Palavra e vida de oração deve ser a nossa preferência; tanto em nosso modo de pensar, como em nosso modo de falar e agir.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Verdadeira Noiva de Cristo


Que o nosso mundo (planeta) gira em torno do sol e em torno de si mesmo - tal e qual uma bailarina em sua coreografia - descrevendo círculos perfeitos, sem fugir do seu roteiro, todas as pessoas minimamente esclarecidas sabem. No entanto, o que a grande maioria das pessoas parecem desconhecer; é que o nosso mundo (sistema) segue a deriva, sem rumo e sem futuro - tal e qual um ser enlouquecido que não sabe de onde vem, nem o que pretende, nem para onde vai - cada vez mais perto do abismo para o qual, em sua perversão, se dirige. Já tenho dito, muitas vezes, que não sou profeta. Todavia, não é preciso ser profeta para saber que neste mundo - inimigo do Deus eterno - as coisas vão de mal a pior.
 
Graças a Deus, temos a presença da Igreja no mundo; Igreja que Jesus instituiu a cerca de dois mil anos atrás. A verdadeira Igreja de Cristo; que não depende do carisma e criatividade dos homens, para cumprir eficazmente sua missão no mundo. É bem verdade que, ao longos dos séculos, transita por esta terra uma "igreja" calibrada com o sistema vigente no mundo; com sua liturgia e seus códigos, procurando passar a impressão de que é uma igreja de Cristo. Embora procure disfarçar seus reais intentos - produzida e reproduzida em seus trajos brilhantes - sua natureza é percebida, nas alianças que forma e nas escolhas que faz. No entanto, a beleza da verdadeira Noiva de Cristo jamais poderá ser igualada!
 
Este entendimento de Paulo não é fruto de mera especulação:
 
"Por isso, quando ledes, podeis perceber a minha compreensão do mistério de Cristo, O qual noutros séculos não foi manifestado aos filhos dos homens, como agora tem sido revelado pelo Espírito aos seus santos apóstolos e profetas; A saber, que os gentios são co-herdeiros, e de um mesmo corpo, e participantes da promessa em Cristo pelo evangelho; Do qual fui feito ministro, pelo dom da graça de Deus, que me foi dado segundo a operação do seu poder. A mim, o mínimo de todos os santos, me foi dada esta graça de anunciar entre os gentios, por meio do evangelho, as riquezas incompreensíveis de Cristo, E demonstrar a todos qual seja a comunhão do mistério, que desde os séculos esteve oculto em Deus, que tudo criou por meio de Jesus Cristo; Para que agora, pela igreja, a multiforme sabedoria de Deus seja conhecida dos principados e potestades nos céus, Segundo o eterno propósito que fez em Cristo Jesus nosso Senhor, No qual temos ousadia e acesso com confiança, pela nossa fé nele."
(Efésios 3:4-12)
 
Na verdade, sua visão da Igreja é fruto da mais pura revelação!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sábado, 22 de novembro de 2014

Na presença do Senhor


Um das lições que aprendo, sempre que vou ao lugar de oração; é a perceber a diferença entre religiosidade e vida com Deus. Tenho notado que mesmo o conhecimento da Bíblia - ou seu estudo sistemático - não é suficiente para produzir vida com Deus (se fosse, não haveria tantas heresias nascidas de um conceito errado sobre aquilo que a Escritura diz). Aos pés do Senhor, aprendi que a religião se sente bem sob com qualquer manto (budismo, islamismo, animismo...Até mesmo o do cristianismo); e que a religiosidade - seja qual for o seu disfarce - induz aos mesmos erros de auto avaliação (de que somos "bons"; de que estamos "com Deus"; de que temos a "verdade"). Daí, o perigo da religiosidade pura e simples, qualquer que seja o seu disfarce; pois ela nos dá a falsa sensação de que estamos no caminho certo e de que podemos servir a Deus do nosso jeito.
 
Outra lição que tenho aprendido; é que no lugar de oração - caso haja um nível aceitável de verdade em nossa prostração - os disfarces não se sustentam. Na presença de Deus - em verdadeira contrição - reencontramos o caminho de volta à família e o caminho de volta aos valores de uma vida nascida de novo. Precisamos estar atentos; pois o pecado procura impor sua legitimidade, buscando base nos pressupostos da religiosidade (de que Deus precisa de nós, de que nos aceita de qualquer jeito, de que todo caminho leva a Deus... E por aí vai); mas quando nos rendemos na presença do Senhor; o pecado não tem como se ocultar e revela sua verdadeira face. É diante de Deus que um adultero ou criminoso consegue ver a maldade dos seus atos; tanto quanto um pastor equivocado pode reencontrar o real sentido de sua missão: O compromisso de cuidar das ovelhas de Jesus.
 
Este capítulo revela a essência da vida com Deus:
 
"Resta, irmãos meus, que vos regozijeis no Senhor. Não me aborreço de escrever-vos as mesmas coisas, e é segurança para vós. Guardai-vos dos cães, guardai-vos dos maus obreiros, guardai-vos da circuncisão; Porque a circuncisão somos nós, que servimos a Deus em espírito, e nos gloriamos em Jesus Cristo, e não confiamos na carne. Ainda que também podia confiar na carne; se algum outro cuida que pode confiar na carne, ainda mais eu: Circuncidado ao oitavo dia, da linhagem de Israel, da tribo de Benjamim, hebreu de hebreus; segundo a lei, fui fariseu; Segundo o zelo, perseguidor da igreja, segundo a justiça que há na lei, irrepreensível. Mas o que para mim era ganho reputei-o perda por Cristo. E, na verdade, tenho também por perda todas as coisas, pela excelência do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor; pelo qual sofri a perda de todas estas coisas, e as considero como escória, para que possa ganhar a Cristo, E seja achado nele, não tendo a minha justiça que vem da lei, mas a que vem pela fé em Cristo, a saber, a justiça que vem de Deus pela fé; Para conhecê-lo, e à virtude da sua ressurreição, e à comunicação de suas aflições, sendo feito conforme à sua morte; Para ver se de alguma maneira posso chegar à ressurreição dentre os mortos. Não que já a tenha alcançado, ou que seja perfeito; mas prossigo para alcançar aquilo para o que fui também preso por Cristo Jesus. Irmãos, quanto a mim, não julgo que o haja alcançado; mas uma coisa faço, e é que, esquecendo-me das coisas que atrás ficam, e avançando para as que estão diante de mim, Prossigo para o alvo, pelo prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus. Por isso todos quantos já somos perfeitos, sintamos isto mesmo; e, se sentis alguma coisa de outra maneira, também Deus vo-lo revelará. Mas, naquilo a que já chegamos, andemos segundo a mesma regra, e sintamos o mesmo. Sede também meus imitadores, irmãos, e tende cuidado, segundo o exemplo que tendes em nós, pelos que assim andam. Porque muitos há, dos quais muitas vezes vos disse, e agora também digo, chorando, que são inimigos da cruz de Cristo, Cujo fim é a perdição; cujo Deus é o ventre, e cuja glória é para confusão deles, que só pensam nas coisas terrenas. Mas a nossa cidade está nos céus, de onde também esperamos o Salvador, o Senhor Jesus Cristo, Que transformará o nosso corpo abatido, para ser conforme o seu corpo glorioso, segundo o seu eficaz poder de sujeitar também a si todas as coisas."
(Filipenses 3:1-21)
 
Portanto, recomendo profunda meditação sobre o mesmo.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sexta-feira, 21 de novembro de 2014

O último grão de areia


Hoje, após passar algum tempo com o Senhor em oração; fiquei a pensar na brevidade e imprevisibilidade da vida... Ainda que alguns tenham pouca ou nenhuma preocupação quanto a isso. É verdade... Pensei na onisciência do Deus eterno; em Seu domínio sobre todos os seres e coisas. Então, considerei: Este Deus, que se preocupa em contar os fios de cabelo que possuímos e com a queda de uma simples folha; sim, Ele tem a medida exata de nossa existência sob Seu controle; sem que tenhamos como interferir neste assunto tão delicado, que é o tempo de duração da vida humana. Assim, me fez bem saber que minha vida tem seu tempo definido pelo Senhor; e que se esvai - tal e qual uma ampulheta do tempo, cujos grãos de areia correm, até que fique apenas o último grão - sem que eu possa estender o seu prazo... Assim é o tempo, assim é a vida.
 
Como me senti bem por saber que o meu Deus tem o controle de todo este processo, até que caia o último grão de areia! Que prazer eu senti, ao me dar conta de que o meu futuro não está no último grão de areia a percorrer o derradeiro caminho da existência; mas, sim, em tudo aquilo que vem depois! Não há quem me leve a deixar de crer, que a maior loucura da vida é ignorar a graça de Deus revelada em Jesus. É louca a obstinada rejeição ao convite de Jesus; porque, afinal, nunca sabemos quando o último grão de areia vai cair... Portanto, nada mais sensato do que nos colocarmos nas mãos de Deus; especialmente vivendo em um mundo marcado por blasfêmia e profanação crescente. Que maravilha é poder desfrutar das promessas do Pai; sem medo do "dia seguinte", após o último grão de areia; pois haverá segurança e paz garantida no futuro com Jesus!
 
A Palavra de Deus tem resposta para todas as questões da existência. Estou convencido de que todos os homens deveriam, ao menos uma vez na vida, ler ou ouvir esta mensagem de Jesus: "Não se turbe o vosso coração; credes em Deus, crede também em mim. Na casa de meu Pai há muitas moradas; se não fosse assim, eu vo-lo teria dito. Vou preparar-vos lugar. E quando eu for, e vos preparar lugar, virei outra vez, e vos levarei para mim mesmo, para que onde eu estiver estejais vós também. Mesmo vós sabeis para onde vou, e conheceis o caminho. Disse-lhe Tomé: Senhor, nós não sabemos para onde vais; e como podemos saber o caminho? Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim." (João 14:1-6). E minha convicção reside no fato de que a verdadeira Vida, nela se revela em toda a sua força e plenitude.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quinta-feira, 20 de novembro de 2014

Provações amigas minhas


Hoje, ao buscar a presença do Senhor, senti um forte impulso para agradecer a Deus por ter me sustentado todo este tempo (estou me referindo a cinquenta anos de vida cristã bem vivida). Foram muitas as provações; tantas quantas foram as realizações. Porém, corri muito mais perigo com os resultados do meu trabalho, do que com as perigos enfrentados no entrevero. Me recordei dos dias em que minha vida de oração diminuiu o ritmo, devido à "folga" que me dei a mim mesmo, após grandes lutas. É... Nessas ocasiões, só não sucumbi devido ao cuidado do Senhor para comigo - menino ainda ingênuo (talvez seja ingênuo ate hoje) - sem noção do fragor da tempestade que vem após a calmaria. Pois é... Importa saber que lidar com a provação pode ser menos perigoso que lidar com a consagração.
 
Lagrimas correram dos meus olhos, ao me dar conta de que minhas provações sempre foram "amigas"... Pois, sempre me "empurraram" para o lugar de oração, refúgio garantido contra o mal recorrente. No entanto, antes de continuar, preciso afirmar que não estou generalizando. Entretanto, nas provações da vida, existe a tendência quase natural de nos refugiarmos no altar; ao passo que, após uma grande vitória, ou missão bem sucedida, é mais provável "festejarmos" em uma pizzaria ou algo do gênero. Talvez seja por isso, que demorei a perceber que minhas provações não são minhas maiores adversárias (alguns homens de Deus caíram enquanto descansavam). Obrigado, meu amado Pai, por teres me guardado em meio aos festejos da vitória; tanto quanto me guardaste, quando sob intenso fogo de cruel perseguição.
 
As exortações da Palavra sempre visam um fim proveitoso. Esta tem o dom de colocar nossos sentimentos em seu devido lugar: "Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional. E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus. Porque pela graça que me é dada, digo a cada um dentre vós que não pense de si mesmo além do que convém; antes, pense com moderação, conforme a medida da fé que Deus repartiu a cada um." (Romanos 12:1-3). Se observarmos bem, veremos que ela aponta para o fato de que jamais devemos nos opor às correções do Senhor.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quarta-feira, 19 de novembro de 2014

A vida do crente que ora


Sábado, durante toda a manhã, acompanhei o trabalho da Comissão Ministerial em seu atendimento à segunda turma de aspirantes ao pastorado da IMW 2ª Região Eclesiástica. Realmente, um trabalho do mais alto nível; o qual entregará à Igreja, pastores devidamente provados e aprovados. À noite, tive a oportunidade de estar no culto do Congresso Inter distrital de Adolescentes, que reuniu congressistas de Belo Horizonte, Betim e Contagem. Estiveram comigo - além de minha querida esposa Maria Célia Calegari - o Pastor Renato Jabor Campos e sua esposa Ducilea Jabor. Foi evidente o agir de Deus em nosso meio. Ante o modo como Deus agiu enquanto a Palavra era ministrada, fiquei a pensar na eficácia da oração em sua prerrogativa de regar com unção a vida do crente que ora.
 
Em dado momento, o Espírito me fez lembrar a diferença entre as diversas vezes em que me rendi aos Seus pés, em profunda contrição; e as vezes em que tão somente fiz meditação consoante o culto em que pregaria, sem ter procurado demonstrar plena dependência do Pai. Realmente... Não há como comparar! Como a obra de Deus seria diferente, caso todos aqueles que estão nela envolvidos, se dessem ao trabalho de buscar Sua face com verdadeiro temor e profundo fervor. Sob tais condições, não precisaríamos ficar "inventando" nada, na tentativa de dar ao povo a impressão de que o culto é marcado pelo sobrenatural de Deus. É verdade! no culto prestado ao Deus eterno; quanto mais Deus se revela, menos o homem precisa aparecer. E quando Deus se revela, as marcas são permanentes.
 
Este texto revela o momento pós descida do Espírito sobre os discípulos, no Pentecostes: "E disse-lhes Pedro: Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo, para perdão dos pecados; e recebereis o dom do Espírito Santo; Porque a promessa vos diz respeito a vós, a vossos filhos, e a todos os que estão longe, a tantos quantos Deus nosso Senhor chamar. E com muitas outras palavras isto testificava, e os exortava, dizendo: Salvai-vos desta geração perversa. De sorte que foram batizados os que de bom grado receberam a sua palavra; e naquele dia agregaram-se quase três mil almas, E perseveravam na doutrina dos apóstolos, e na comunhão, e no partir do pão, e nas orações. E em toda a alma havia temor, e muitas maravilhas e sinais se faziam pelos apóstolos." (Atos 2:38-43). Como aqueles discípulos poderiam imaginar os efeitos que isto causaria?
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

terça-feira, 18 de novembro de 2014

Minha vida de oração


Sei que alguns pensam e chegam a dizer que eu oro muito; mas... Se isto fosse verdade, eu não estaria sempre a tentar ampliar os limites de minha vida de oração. Na verdade, não acredito que alguém consiga orar "muito". Até porque, por mais que oremos, nunca oramos o bastante. Hoje, por exemplo, me estendi no lugar de oração procurando conter minha alma; tamanha a avidez com que ela tentava impor alguma distração ou ocupação que me afastasse daquele lugar. É assim mesmo! A alma humana não se sente confortável em lugar onde ela não consegue se impor. Portanto, se ela não conseguir ditar as normas; então, prefere mudar de lugar ou de companhia.
 
Enquanto eu ainda orava, o meu espírito se voltou para as lembranças da noite anterior; e me senti grato a Deus por ter estado no culto da IMW em Conselheiro Lafaiete-MG. Naquela igreja, pude perceber o quanto o Pastor José Márcio e sua esposa Glauciane amam e são amados por aquele rebanho. Então, achei por bem orar por eles; pois sei das lutas que um pastor enfrenta, quando se dedica com amor e respeito ao rebanho à si confiado pelo Senhor. É bem verdade que existem pastores que não têm o mesmo nível de dedicação às ovelhas, os quais também enfrentam lutas; porém... Em um nível bem diferente, que sinto não valer a pena aqui comentar.
 
Podemos aprender com Davi, a conter a alma ansiosa e abatida:
 
"Por que estás abatida, ó minha alma, e por que te perturbas em mim? Espera em Deus, pois ainda o louvarei pela salvação da sua face. Ó meu Deus, dentro de mim a minha alma está abatida; por isso lembro-me de ti desde a terra do Jordão, e desde os hermonitas, desde o pequeno monte. Um abismo chama outro abismo, ao ruído das tuas catadupas; todas as tuas ondas e as tuas vagas têm passado sobre mim. Contudo o Senhor mandará a sua misericórdia de dia, e de noite a sua canção estará comigo, uma oração ao Deus da minha vida. Direi a Deus, minha rocha: Por que te esqueceste de mim? Por que ando lamentando por causa da opressão do inimigo? Com ferida mortal em meus ossos me afrontam os meus adversários, quando todo dia me dizem: Onde está o teu Deus? Por que estás abatida, ó minha alma, e por que te perturbas dentro de mim? Espera em Deus, pois ainda o louvarei, o qual é a salvação da minha face, e o meu Deus."
(Salmos 42:5-11)
 
Penso não haver quem não tenha este tipo de problema a resolver.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

segunda-feira, 17 de novembro de 2014

Proximidade do eterno Deus


Finalmente, concluímos os trabalhos do Conselho Ministerial Regional após três dias - intercalando momentos de comunhão e lazer com tarefas administrativas - no ambiente bucólico do acampamento wesleyano em Itatiaiuçú. Foram dias de paz e sossego, onde os Superintendentes Distritais (alguns acompanhados da esposa) definiram alguns pontos que ajudarão bastante as atividades do XVII Concílio Regional da IMW 2ª Região Eclesiástica. Em alguns momentos, nos sentíamos como em um retiro espiritual, tamanha a manifestação do amor e da graça de Deus sobre todos nós.
 
Creio que o nosso concílio regional se tornará importante divisor de águas (uma espécie de "antes e depois") mediante aquilo que o nosso Deus realizará em nosso meio, nos dias 10 a 13 de dezembro. Durante as madrugadas em que estive em oração, pude sentir a proximidade do eterno Deus; e a plena certeza quanto ao Seu agir na 2ª Região. Outro ponto importante é que a comunhão entre os líderes regionais cresceu visivelmente, aleluia! Foi gratificante ver Maria Célia, Ducilea Jabor, Cláudia Simões, Ingrid Flores e Jorgina Quesado, nos servindo com suas habilidades culinárias.
 
Maravilhosa esta reunião de Paulo com os líderes da Igreja em Éfeso:
 
"E de Mileto mandou a Éfeso, a chamar os anciãos da igreja. E, logo que chegaram junto dele, disse-lhes: Vós bem sabeis, desde o primeiro dia em que entrei na Ásia, como em todo esse tempo me portei no meio de vós, Servindo ao Senhor com toda a humildade, e com muitas lágrimas e tentações, que pelas ciladas dos judeus me sobrevieram; Como nada, que útil seja, deixei de vos anunciar, e ensinar publicamente e pelas casas, Testificando, tanto aos judeus como aos gregos, a conversão a Deus, e a fé em nosso Senhor Jesus Cristo. E agora, eis que, ligado eu pelo espírito, vou para Jerusalém, não sabendo o que lá me há de acontecer, Senão o que o Espírito Santo de cidade em cidade me revela, dizendo que me esperam prisões e tribulações. Mas de nada faço questão, nem tenho a minha vida por preciosa, contanto que cumpra com alegria a minha carreira, e o ministério que recebi do Senhor Jesus, para dar testemunho do evangelho da graça de Deus."
(Atos 20:17-24)
 
Ela é uma referência para reuniões de obreiros em todos os tempos.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

domingo, 16 de novembro de 2014

Intenções e motivações


Nesta madrugada, estamos nos pondo na estrada de regresso à BH. Mas, não sem antes me curvar perante a face do Senhor e expor minha condição e a de tantos outros servos Seus, que vivem em busca de uma qualidade melhor de vida espiritual. Enquanto orei, não pude deixar de pensar no fato que Deus nos contempla em toda a extensão do nosso ser. Assim, Ele vê o nosso real estado e conhece a verdade sobre cada um de nós; de tal modo, que não temos a menor chance de ocultar aos Seus olhos nossas reais intenções e motivações. Neste momento, senti crescer o nível de contrição em meu coração, na mesma proporção das lágrimas em meus olhos.
 
Então, me quebrantei ainda mais... Ao me dar conta de que somos seres ínfimos, em meio a bilhões de seres tão pequenos como nós (ainda que alguns, dentre eles, detentores de grande fama e prestígio). No entanto, meu espírito foi advertido; pois, por um instante deixei de levar em conta que o amor de Deus por cada um de nós, contempla e busca o indivíduo em meio à multidão. Neste ponto, não resisti... Pois fui lembrado que o meu novo nome é conhecido no céu, desde que Jesus veio a este mundo para morrer em meu lugar; e que o amor de Deus trabalha em meu favor, bem antes que eu fosse formado no ventre materno. Aleluia! Louvado seja Deus!
 
Sinto grande prazer ao meditar sobre neste texto:
 
"E vos vivificou, estando vós mortos em ofensas e pecados, Em que noutro tempo andastes segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe das potestades do ar, do espírito que agora opera nos filhos da desobediência; Entre os quais todos nós também antes andávamos nos desejos da nossa carne, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos; e éramos por natureza filhos da ira, como os outros também. Mas Deus, que é riquíssimo em misericórdia, pelo seu muito amor com que nos amou, Estando nós ainda mortos em nossas ofensas, nos vivificou juntamente com Cristo (pela graça sois salvos), E nos ressuscitou juntamente com ele e nos fez assentar nos lugares celestiais, em Cristo Jesus; Para mostrar nos séculos vindouros as abundantes riquezas da sua graça pela sua benignidade para conosco em Cristo Jesus."
(Efésios 2:1-7)
 
Pois, ele me revela o grande amor de Deus por mim.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sábado, 15 de novembro de 2014

Valores da fé bíblica


Hoje, enquanto eu meditava, recebi uma palavra da parte de Deus; palavra de conforto e encorajamento, cheia de amor e de unção. Na verdade, todos os que pretendem permanecer no caminho do Senhor, mesmo em meio às provas que procuram se interpor entre eles e o Senhor; precisam ter ciência de que as barreiras que precisam transpor são altas e difíceis de suplantar. Fato é que, em se tratando de priorizar as coisas de Deus, nunca existiu caminho fácil; antes, pelo contrário, até mesmo pequenas circunstâncias naturais se transformam em grandes obstruções aos valores da fé bíblica. Daí, a necessidade de buscarmos a direção de Deus ao longo do caminho a ser percorrido.
 
Enquanto eu procurava processar em meu espírito a direção do Senhor para o meu dia; fui outra vez lembrado dos desafios que preciso enfrentar; eles surgem em forma de tentações que preciso vencer ou evitar e das estratégias que preciso entender e adotar; portanto, se eu quiser me manter firme em solo sagrado, preciso estar atento ao falar de Deus. Enfim, não devo me deixar influenciar por propostas que o lusco-fusco que precede as trevas procura me impor. Não sei se existiu outro período na história, em que os verdadeiros servos de Deus correram tanto perigo; mas estou convencido de que os dias de hoje, eivados de maldade e opressão maligna, são ameaçadores à fé cristã.
 
Este texto nos fala com uma clareza indiscutível: "Todo aquele que crê que Jesus é o Cristo, é nascido de Deus; e todo aquele que ama ao que o gerou também ama ao que dele é nascido. Nisto conhecemos que amamos os filhos de Deus, quando amamos a Deus e guardamos os seus mandamentos. Porque este é o amor de Deus: que guardemos os seus mandamentos; e os seus mandamentos não são pesados. Porque todo o que é nascido de Deus vence o mundo; e esta é a vitória que vence o mundo, a nossa fé. Quem é que vence o mundo, senão aquele que crê que Jesus é o Filho de Deus?" (1 João 5:1-5). E também nos revela que o ato de crer em Jesus é a base da vitória que idealizamos!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

domingo, 9 de novembro de 2014

Orar é sempre uma luta

Foto: Hoje não foi fácil manter minha vida no lugar de oração (já tenho dito que, algumas vezes, isto é bem difícil). Mas consegui perseverar, contrariando sentimento e raciocínio, me deixando tanger pelo bordão do Espírito. Aliás, orar é sempre uma luta travada contra a natureza arredia; até que se torne descanso aos pés do Senhor. Meu Deus! Fico a pensar em Daniel... Que figura admirável! Ele cultivava a vida de oração, como se fosse uma planta frágil, regando-a três vezes ao dia. Esta prática - além de manter Daniel em constante sintonia com o Pai - o capacitava a conviver diariamente com o ambiente hostil em meio ao qual servia; lidando com seus inimigos e opositores (nem sempre um opositor é um inimigo) com amor, respeito e nobreza. Ele enfrentou inúmeros perigos, mas sempre guardado pelo Senhor. Este é o homem Daniel, que Deus transformou em Profeta!

Mas... Voltando ao meu lugar de oração... Consegui expor os sentimentos certos, e encontrar as palavras certas; até ao ponto de ser aceito e respondido diante do Pai. Orei por minha família (não posso sequer admitir que um filho de Deus não se derrame em oração em favor de seu lar); e orei por quase todos os pastores e obreiros da 2ª Região (talvez uns 90%); infelizmente, não consegui lembrar o nome de alguns). Entretanto, preciso repetir que um cristão de verdade precisa orar por sua família; pois, o mundo escureceu rapidamente e não há como conter a onda de maldade que acua e golpeia sem piedade as pessoas de bem (os que são do mal já estão subjugados). É... Muitas vezes atravessamos pelo vale da sombra da morte, sem darmos conta de que ele é real, ainda que nem sempre visível; o qual se desloca e se interpõe com frequência em nosso caminho.

Hoje não foi fácil manter minha vida no lugar de oração (já tenho dito que, algumas vezes, isto é bem difícil). Mas consegui perseverar, contrariando sentimento e raciocínio, me deixando tanger pelo bordão do Espírito. Aliás, orar é sempre uma luta travada contra a natureza arredia; até que se torne descanso aos pés do Senhor. Meu Deus! Fico a pensar em Daniel... Que figura admirável! Ele cultivava a vida de oração, como se fosse uma planta frágil, regando-a três vezes ao dia. Esta prática - além de manter Daniel em constante sintonia com o Pai - o capacitava a conviver diariamente com o ambiente hostil em meio ao qual servia; lidando com seus inimigos e opositores (nem sempre um opositor é um inimigo) com amor, respeito e nobreza. Ele enfrentou inúmeros perigos, mas sempre guardado pelo Senhor. Este é o homem Daniel, que Deus transformou em Profeta!
 
Mas... Voltando ao meu lugar de oração... Consegui expor os sentimentos certos, e encontrar as palavras certas; até ao ponto de ser aceito e respondido diante do Pai. Orei por minha família (não posso sequer admitir que um filho de Deus não se derrame em oração em favor de seu lar); e orei por quase todos os pastores e obreiros da 2ª Região (talvez uns 90%); infelizmente, não consegui lembrar o nome de alguns. Entretanto, preciso repetir que um cristão de verdade precisa orar por sua família; pois, o mundo escureceu rapidamente e não há como conter a onda de maldade que acua e golpeia sem piedade as pessoas de bem (os que são do mal já estão subjugados). É... Muitas vezes atravessamos pelo vale da sombra da morte, sem darmos conta de que ele é real, ainda que nem sempre visível; o qual se desloca e se interpõe com frequência em nosso caminho.
 
Este texto embasa uma boa reflexão: "A resposta branda desvia o furor, mas a palavra dura suscita a ira. A língua dos sábios adorna a sabedoria, mas a boca dos tolos derrama a estultícia. Os olhos do Senhor estão em todo lugar, contemplando os maus e os bons. A língua benigna é árvore de vida, mas a perversidade nela deprime o espírito. O tolo despreza a instrução de seu pai, mas o que observa a repreensão se haverá prudentemente. Na casa do justo há um grande tesouro, mas nos ganhos do ímpio há perturbação. Os lábios dos sábios derramam o conhecimento, mas o coração dos tolos não faz assim. O sacrifício dos ímpios é abominável ao Senhor, mas a oração dos retos é o seu contentamento. O caminho do ímpio é abominável ao Senhor, mas ao que segue a justiça ele ama." (Provérbios 15:1-9). Dentre outra coisas, ele revela alegria de Deus com a oração dos santos.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sábado, 8 de novembro de 2014

Precisamos amar e ser justos

Foto: Existem dias, na vida de qualquer pessoa, em que o desejo maior é que o tempo não passe; mas, infelizmente, a maior parte das pessoas anseia pelo andar mais rápido do tempo; especialmente, quando afligidas por dores e angústias tais, para as quais os tratamentos e lenimentos já não resultam; em meio às quais, a própria esperança parece ter mudado de endereço. No entanto, não posso deixar de ser grato a Deus, mesmo vivendo entre momentos de dor e de prazer. Na verdade, tenho aprendido e até cantado, que "não há dor que seja sem divino fim". Na verdade, aprendemos bem mais com as aflições do mundo do que com os regalos desta vida.

Tenho percebido que, em meio às contradições; bem mais difícil do que enfrentar a dor é saber lidar de modo justo com a maldade causada por alguém que amamos; ou com a bondade vinda de alguém por quem não simpatizamos. Na verdade, não é missão fácil agir com atitude imparcial; tanto com um amigo, quando ele comete erros; como com um inimigo, quando este acerta em seus atos. Daí, a urgente razão que temos, de procurar conhecer e praticar a vontade de Deus; buscando sabedoria do Alto para entender as contradições da vida e manter coerência com o sentimento de Cristo. Enfim, preciso amar e ser justo para com todos.

Existem dias, na vida de qualquer um de nós, em que o desejo predominante no coração é que o tempo não passe... No entanto, pelo fato da maior parte das pessoas viverem em estado de angústia e aflição; cresce a cada dia o número daqueles que anseiam pelo andar mais rápido do tempo; especialmente, quando se sentem afligidas por dores e angústias tais, para as quais os tratamentos e lenimentos já não causam o menor efeito. De modo geral, são muitos os casos em que a própria esperança parece ter mudado de endereço. Entretanto, sempre existirão motivos para cultivarmos sentimento de gratidão ao Senhor. Portanto, não posso deixar de ser grato a Deus, mesmo intercalando momentos de dor e de prazer enquanto vou vivendo a vida. Na verdade, tenho aprendido e até cantado, que "não há dor que seja sem divino fim"; assim, eu me sinto em condição de afirmar que aprendemos bem mais com as aflições do mundo do que com os regalos desta vida.
 
Tenho percebido que, em meio às contradições existentes no mundo; bem mais difícil do que enfrentar a dor é saber lidar de modo justo com a maldade causada por alguém que amamos; ou com a bondade vinda de alguém por quem não nutrimos simpatia. Na verdade, não é missão fácil agir com atitude imparcial; tanto com um amigo, quando ele nos surpreende com os seus erros e pecados; como com um inimigo, quando este toma decisões corretas e acerta nos atos que pratica. Geralmente, somos tendentes a minimizar os pecados de um amigo chegado e a maximizar os pecados de alguém que não faz parte do nosso círculo de amizade. Como esta atitude pode condenar, por conjugar conivência com discriminação; temos urgente necessidade de procurar conhecer e praticar a vontade de Deus; buscando sabedoria do Alto para entender as contradições da vida e manter coerência com o sentimento de Cristo. Enfim, precisamos amar e ser justos para com todos.
 
Neste texto bíblico, aprendemos muito sobre o amor: "Amados, amemo-nos uns aos outros; porque o amor é de Deus; e qualquer que ama é nascido de Deus e conhece a Deus. Aquele que não ama não conhece a Deus; porque Deus é amor. Nisto se manifestou o amor de Deus para conosco: que Deus enviou seu Filho unigênito ao mundo, para que por ele vivamos. Nisto está o amor, não em que nós tenhamos amado a Deus, mas em que ele nos amou a nós, e enviou seu Filho para propiciação pelos nossos pecados. Amados, se Deus assim nos amou, também nós devemos amar uns aos outros. Ninguém jamais viu a Deus; se nos amamos uns aos outros, Deus está em nós, e em nós é perfeito o seu amor. Nisto conhecemos que estamos nele, e ele em nós, pois que nos deu do seu Espírito. E vimos, e testificamos que o Pai enviou seu Filho para Salvador do mundo." (1 João 4:7-14). O amor é o único dom que nos capacita a exercer justiça na justa medida.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sexta-feira, 7 de novembro de 2014

Surto de rendição

Foto: Hoje pela manhã; enquanto eu procurava me ajeitar no lugar de oração, senti um peso de quebrantamento muito grande, daqueles que não sabemos como definir ou explicar. Sabia que o Senhor estava comigo, me trazendo conforto e me aliviando dos fardos temporais que de quando em vez todos nós carregamos. A unção foi tão densa, que não resisti e cantei a estrofe desta linda canção de louvor: "Tu és fiel, Senhor; eu sei que tu és fiel! Tu és fiel, Senhor; eu sei que Tu és fiel! E ainda que eu não mereça, permaneces assim: Fiel, Senhor meu Deus, fiel a mim! Fiel, Senhor meu Deus, fiel a mim". Que prazer e paz pude então sentir!

Enquanto eu cantava, oferecendo adoração regada a lágrimas; não pude deixar de pensar nos cristãos privados da sensibilidade capaz de quebrantar (aqueles que se contentam com o trivial da vida cristã), que caminham olhando pra baixo; e apenas ocasionalmente erguem os olhos para cima, em uma espécie de surto de rendição. Eles nem imaginam o quanto precisamos cultivar esta experiência, para que nossa esperança e nossa vida de fé tenha coerência e relevância. Então, pude entender um pouco mais, o quanto preciso estar ao pé da Fonte. E no instante em que o céu baixou um pouco mais, decidi orar por eles e por mim.

Hoje pela manhã; enquanto eu procurava me ajeitar no lugar de oração, senti um peso de quebrantamento muito grande; daqueles que nos levam a grande comoção, sem que saibamos como definir ou explicar. Sabia que o Senhor estava comigo, me trazendo conforto e me aliviando dos fardos temporais que, de quando em vez, todos nós carregamos. A unção foi tão densa, que não resisti e cantei a estrofe desta linda canção de louvor: "Tu és fiel, Senhor; eu sei que tu és fiel! Tu és fiel, Senhor; eu sei que Tu és fiel! E ainda que eu não mereça, permaneces assim: Fiel, Senhor meu Deus, fiel a mim! Fiel, Senhor meu Deus, fiel a mim". Não há como descrever o prazer e paz que eu senti!
 
Enquanto eu cantava, oferecendo adoração regada a lágrimas; não pude deixar de pensar naqueles cristãos privados da sensibilidade capaz de quebrantar (e não são poucos os que se contentam com o trivial da vida cristã); os que seguem no caminho olhando pra baixo e apenas ocasionalmente erguem os olhos para cima, tomados por uma espécie de surto de rendição. Eles nem sequer imaginam o quanto precisamos cultivar esta experiência, para que nossa esperança e nossa vida de fé tenha coerência e relevância. Então, pude entender mais um pouco o quanto preciso estar ao pé da Fonte. E no instante em que o céu baixou um pouco mais, decidi orar por eles e por mim.
 
Vida com Deus é um avançar constante:
 
"E, na verdade, tenho também por perda todas as coisas, pela excelência do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor; pelo qual sofri a perda de todas estas coisas, e as considero como escória, para que possa ganhar a Cristo, E seja achado nele, não tendo a minha justiça que vem da lei, mas a que vem pela fé em Cristo, a saber, a justiça que vem de Deus pela fé; Para conhecê-lo, e à virtude da sua ressurreição, e à comunicação de suas aflições, sendo feito conforme à sua morte; Para ver se de alguma maneira posso chegar à ressurreição dentre os mortos. Não que já a tenha alcançado, ou que seja perfeito; mas prossigo para alcançar aquilo para o que fui também preso por Cristo Jesus. Irmãos, quanto a mim, não julgo que o haja alcançado; mas uma coisa faço, e é que, esquecendo-me das coisas que atrás ficam, e avançando para as que estão diante de mim, Prossigo para o alvo, pelo prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus."
(Filipenses 3:8-14)
 
É buscar conhecer e viver Seu propósito.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quinta-feira, 6 de novembro de 2014

Sinto conforto e segurança

Foto: Uma das recompensas visíveis, ao nos levantarmos bem cedo para buscar a face do Senhor; é podermos ver a luz do sol chegar no tom prateado pelo reflexo da lua, e ir aos poucos adquirindo um tom azul ao ser filtrada pelo ozônio; até se tornar em luz quente e intensa, revelando cores e formas em toda a sua amplitude. Sinto conforto e segurança ante a luz que tudo revela - não a bela luz solar - mas a vera Luz que tem o dom de revelar segredos e intenções do coração humano. Sinto paz ao perceber que não existe em mim, resistência a esta Luz pela qual sou envolvido e conduzido. Glória ao Deus eterno; que em Seu Filho Jesus me tornou merecedor de um banho de graça e amor que me mantém limpo, a despeito da imperfeição da minha configuração humana; até que seja plenamente removida.

É verdade; não existe medo no coração daqueles que são do Dia, ante a Luz que tudo revela; apenas um leve desconforto causado por sua exposição. No entanto, as criaturas da noite se apavoram ante a proximidade da Luz que expõe seu perfil mascarado e desvenda a miséria de seu mundo enganoso. A Palavra de Deus assim nos adverte: "Porque noutro tempo éreis trevas, mas agora sois luz no SENHOR; andai como filhos da luz" (Efésios 5.8). Então, mediante aquilo que a Bíblia diz, podemos perceber que a Luz que tudo revela tem filhos; portanto, nada mais obvio do que esperar dos filhos da luz que propaguem este brilho por onde andam; e que jamais consintam que sua luz se apague. Mas, para conservá-la acesa, precisamos ter o coração sempre cheio do óleo do Espírito.

Uma das recompensas visíveis, ao nos levantarmos bem cedo para buscar a face do Senhor; é podermos ver a luz do sol chegar no tom prateado pelo reflexo da lua, e ir aos poucos adquirindo um tom azul ao ser filtrada pelo ozônio; até se tornar em luz quente e intensa, revelando cores e formas em toda a sua amplitude. Sinto conforto e segurança ante a luz que tudo revela - não a bela luz solar - mas a vera Luz que tem o dom de revelar segredos e intenções do coração humano. Sinto paz ao perceber que não existe em mim, resistência a esta Luz pela qual sou envolvido e conduzido. Glória ao Deus eterno; que em Seu Filho Jesus me tornou merecedor de um banho de graça e amor que me mantém limpo, a despeito da imperfeição da minha configuração humana; até que seja plenamente removida.
 
É verdade; não existe medo no coração daqueles que são do Dia, ante a Luz que tudo revela; apenas um leve desconforto causado por sua exposição. No entanto, as criaturas da noite se apavoram ante a proximidade da Luz que expõe seu perfil mascarado e desvenda a miséria de seu mundo enganoso. A Palavra de Deus assim nos adverte: "Porque noutro tempo éreis trevas, mas agora sois luz no SENHOR; andai como filhos da luz" (Efésios 5.8). Então, mediante aquilo que a Bíblia diz, podemos perceber que a Luz que tudo revela tem filhos; portanto, nada mais obvio do que esperar dos filhos da luz que propaguem este brilho por onde andam; e que jamais consintam que sua luz se apague. Mas, para conservá-la acesa, precisamos ter o coração sempre cheio do óleo do Espírito.
 
Jesus é a Luz do mundo, pois:
 
"Nele estava a vida, e a vida era a luz dos homens. E a luz resplandece nas trevas, e as trevas não a compreenderam. Houve um homem enviado de Deus, cujo nome era João. Este veio para testemunho, para que testificasse da luz, para que todos cressem por ele. Não era ele a luz, mas para que testificasse da luz. Ali estava a luz verdadeira, que ilumina a todo o homem que vem ao mundo. Estava no mundo, e o mundo foi feito por ele, e o mundo não o conheceu. Veio para o que era seu, e os seus não o receberam. Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que crêem no seu nome; Os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem, mas de Deus. E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai, cheio de graça e de verdade."
(João1.4-14)
 
E não existe vida fora desta Luz!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quarta-feira, 5 de novembro de 2014

Socorro bem presente

Foto: Obrigado, meu Senhor, por despertar em Itabira antes que o sol se levante! Já tenho dito e pretendo dizer quantas vezes forem necessárias: Tenho o privilégio de sempre levar comigo o meu "lugar de oração"; e assim, posso estendê-lo onde eu estiver. E hoje, posso me curvar aos teus pés, na área de serviço do Pastor Isaque Dos Santos & Lucimar. Enquanto eu Te busco, sou lembrado que preciso ampliar os limites de minha intercessão... Algo que parece ser simples, mas não é. Sei que preciso me render inteiramente... Algo que parece ser fácil, mas não é. E também preciso acertar nas escolhas que faço... Algo que parece ser lógico, mas não é.

Estou plenamente convencido quanto ao fato de que preciso me apegar às pontas do altar, para me ligar ao "socorro bem presente" experimentado pelo salmista Davi; pois, somente assim, poderei encontrar a fórmula e o modo de ser fiel ao teu querer; e não ao meu bel prazer. quanto ao fato de que eu sou teu filho, disso tenho a mais absoluta certeza! E quanto ao desejo te obedecer, disso tenho plena consciência! Todavia, se consigo te agradar... Isto, sinceramente, eu não sei. No entanto, me conforta saber que me aceitas em tua presença! Isto, para o meu coração, é a maior das recompensas (se é que eu tenho direito a algum tipo de recompensa).

Graças te dou, querido Pai, por poder expressar minha gratidão por ser quem sou: Um filho de Deus que transita no mundo, aguardando conexão para o último voo. Enquanto este dia não chega, preciso definir alvos coerentes com minha esperança e compatíveis com minha fé. Preciso alimentar muito bem o "homem interior", para ter condições de orar nos dias maus e cantar nos dias bons (ou vice-versa). Sei que não posso me deixar surpreender pelos ardis de Satã; então, preciso manter cerrada vigilância, até mesmo enquanto durmo; para poder auscultar sua aproximação silenciosa e suas sórdidas e cruéis intenções a meu respeito. Obrigado!

Obrigado, meu Senhor, por despertar em Itabira antes que o sol se levante! Já tenho dito e pretendo dizer quantas vezes forem necessárias: Tenho o privilégio de sempre levar comigo o meu "lugar de oração"; e assim, posso estendê-lo onde eu estiver. E hoje, posso me curvar aos teus pés, na área de serviço do Pastor Isaque Dos Santos e Lucimar. Enquanto eu Te busco, sou lembrado pelo Teu Espírito que preciso ampliar os limites de minha intercessão... Algo que parece ser simples, mas não é. Sei que preciso me render inteiramente... Algo que parece ser fácil, mas não é. E também preciso acertar nas escolhas que faço... Algo que parece ser lógico, mas não é.
 
Estou plenamente convencido quanto ao fato de que preciso me apegar às pontas do altar, para me ligar ao "socorro bem presente" experimentado pelo salmista Davi; pois, somente assim, poderei encontrar a fórmula e o modo de ser fiel ao teu querer; e não aos caprichos do meu bel prazer. quanto ao fato de que eu sou teu filho, disso tenho a mais absoluta certeza! E quanto ao desejo te obedecer, disso tenho plena consciência! Todavia, se consigo te agradar... Isto, sinceramente, eu não sei. No entanto, me conforta saber que me aceitas em tua presença! Isto, para o meu coração, é a maior das recompensas (se é que eu tenho direito a algum tipo de recompensa).
 
Graças te dou, querido Pai, por poder expressar minha gratidão por ser quem sou: Um filho de Deus que transita no mundo, aguardando conexão para o último voo. Enquanto este dia não chega, preciso definir alvos coerentes com minha esperança e compatíveis com minha fé. Preciso alimentar muito bem o "homem interior", para ter condições de orar nos dias maus e cantar nos dias bons (ou vice-versa). Sei que não posso me deixar surpreender pelos ardis de Satã; então, preciso manter cerrada vigilância, até mesmo enquanto durmo; para poder auscultar sua aproximação silenciosa e suas sórdidas e cruéis intenções a meu respeito. Obrigado, Senhor!
 
Desde que me entendo por crente, passei a me identificar com este texto:
 
"Porque Deus não nos deu o espírito de temor, mas de fortaleza, e de amor, e de moderação. Portanto, não te envergonhes do testemunho de nosso SENHOR, nem de mim, que sou prisioneiro seu; antes participa das aflições do evangelho segundo o poder de Deus, Que nos salvou, e chamou com uma santa vocação; não segundo as nossas obras, mas segundo o seu próprio propósito e graça que nos foi dada em Cristo Jesus antes dos tempos dos séculos; E que é manifesta agora pela aparição de nosso Salvador Jesus Cristo, o qual aboliu a morte, e trouxe à luz a vida e a incorrupção pelo evangelho; Para o que fui constituído pregador, e apóstolo, e doutor dos gentios. Por cuja causa padeço também isto, mas não me envergonho; porque eu sei em quem tenho crido, e estou certo de que é poderoso para guardar o meu depósito até àquele dia."
(II Timóteo 1.7-12)
 
Tenho entendido que todo homem de Deus precisa ser um homem da Palavra.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

terça-feira, 4 de novembro de 2014

Multidões seduzidas


Qualquer cristão que possui "olhos de ver e ouvidos de ouvir", já deve ter percebido que vivemos dias marcados por confusão incontida e esperança infundada. Então, eu acredito que todo homem e mulher de Deus, precisa buscar familiaridade com o lugar de oração; pois aquilo que a Palavra de Deus diz a respeito dos dias de hoje é mais que suficiente para nos manter em estado de alerta. Que o "homem do pecado" será erguido em um tempo como este, os pensadores cristãos já estão cansados de saber e ensinar; todavia... Que ele está prestes a ocupar o seu lugar na história; é provável que bem poucos já tenham percebido; pois a euforia deste mundo louco, mascara sua decadência. Vivemos um tempo em que chamam de justiça ao que não é justiça; chamam de liberdade ao que não é liberdade; chamam de amor ao que não é amor; e... Chamam de deus ao que não é Deus.
 
Enquanto isso... O Nome de Jesus é blasfemado; o Amor do Pai é recusado; a Palavra de Deus é contestada; a Presença do Espírito Santo é resistida; e... Falta muito pouco para que o anti-Cristo seja levado ao seu trono temporário, nos braços das multidões seduzidas pelo espírito de engano. Infelizmente, até mesmo homens e mulheres de Deus - que nasceram e cresceram à sombra da cruz - estão fazendo a escolha errada; rejeitando a palavra eterna e seu cunho profético, em nome de uma religiosidade opaca e de um ecumenismo conivente com a mentira. E assim, açodados pelos gritos de "justiça social" e por "canções de paz" de mentirinha, seguem um caminho que não é o Caminho, em uma direção que jamais poderá leva-los a Deus. Enfim... Satã faz a sua festa; enquanto Jesus, o Dono da Casa, está ausente; mas Ele está prestes a vir!
 
Esta promessa de Deus está prestes a se cumprir: "João, às sete igrejas que estão na Ásia: Graça e paz seja convosco da parte daquele que é, e que era, e que há de vir, e da dos sete espíritos que estão diante do seu trono; E da parte de Jesus Cristo, que é a fiel testemunha, o primogênito dentre os mortos e o príncipe dos reis da terra. Àquele que nos amou, e em seu sangue nos lavou dos nossos pecados, E nos fez reis e sacerdotes para Deus e seu Pai; a ele glória e poder para todo o sempre. Amém. Eis que vem com as nuvens, e todo o olho o verá, até os mesmos que o traspassaram; e todas as tribos da terra se lamentarão sobre ele. Sim. Amém. Eu sou o Alfa e o Ômega, o princípio e o fim, diz o Senhor, que é, e que era, e que há de vir, o Todo-Poderoso." (Apocalipse 1.4-8). Nós, os crentes, precisamos estar atentos ao sinais que prenunciam a segunda vinda de Jesus!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

segunda-feira, 3 de novembro de 2014

Chorei um pouco mais


Enquanto eu me achego ao lugar de oração, fico a pensar... Por que o mal progride tanto no coração humano, se Deus está sempre pronto a socorrê-lo ante o avanço da maldade? Então, antes mesmo de me curvar no lugar de oração, sou lembrado pelo Senhor que o ser humano nasce contaminado; e de tal modo, que precisa nascer de novo para ter chance real de conviver com a maldade sem ser por ela vitimado. E assim pensando, enquanto ainda orava, não resisti... Chorei por mim mesmo e por aqueles que são constantemente afligidos pelo mal que está sempre tão perto. E me lembrei de Davi; que, ao aproximar-se em demasia da zona de perigo, esqueceu de fortalecer suas defesas e olhou na direção errada. As vezes, aquele crente que pensamos ser um fracassado, nada mais é do que um crente imprevidente; pensando estar seguro em suas crenças e valores. Então, quando ele cai, parece ser o fim. Todavia, pela graça de Deus, existe remédio para um crente assim; como houve também para Davi.
 
Então, chorei um pouco mais enquanto orava; pois este é um mal que sempre vemos, para onde quer que olhemos; e um risco que corremos todos os dias. Em momentos assim - mesmo sem ter perfil egoísta - não posso deixar de pensar na necessidade que tenho de me fortalecer. Então orei por mim mesmo; e senti a magnitude do risco que corremos, enquanto transitamos por um mundo tão corrompido, cheio de armadilhas camufladas (algumas até se parecendo com boas oportunidades que a vida reserva, ou que Deus nos dá). E, como se estivesse no alto de uma montanha, pedi a Deus que me desse discernimento; para me negar a olhar na direção apontada por Satã, onde se vêem as glorias do mundo no horizonte; e me desse sabedoria para ter sempre os olhos na direção indicada por Jesus: Os campos brancos para a ceifa. Finalmente, enquanto eu intercedia por minha querida família e pelos inúmeros amigos que tenho; busquei me banhar no rio de sangue que corre da cruz e me dessedentar no rio de luz que corre do trono.
 
Jesus é a Fonte de Vida, único Salvador: "Sabendo que o homem não é justificado pelas obras da lei, mas pela fé em Jesus Cristo, temos também crido em Jesus Cristo, para sermos justificados pela fé em Cristo, e não pelas obras da lei; porquanto pelas obras da lei nenhuma carne será justificada. Pois, se nós, que procuramos ser justificados em Cristo, nós mesmos também somos achados pecadores, é porventura Cristo ministro do pecado? De maneira nenhuma. Porque, se torno a edificar aquilo que destruí, constituo-me a mim mesmo transgressor. Porque eu, pela lei, estou morto para a lei, para viver para Deus. Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vivo-a na fé do Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim. Não aniquilo a graça de Deus; porque, se a justiça provém da lei, segue-se que Cristo morreu debalde." (Gálatas 2.16-21). Portanto, não adianta procurar salvação em outro nome ou em outra fonte.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

domingo, 2 de novembro de 2014

Sinfonia da natureza

Foto: Não tenho as melhores palavras, para exprimir toda a gratidão que sinto; gratidão ao Deus que me cerca com graça e favor imerecido. Tenho alegria em saber que Sua provisão garante o pão em meu prato e a água em meu copo. Mas... Também estou a pensar na explosão de luz e cor que me deixa sem palavras! Cada vez que vejo as nuvens se moverem sobre o azul do céu e as linhas coloridas do arco-iris; o voo das aves entre uma árvore e outra; o brilho das estrelas no firmamento; e as pessoas indo e vindo em um vai-e-vem constante, vejo quão grande e amoroso é o meu Deus! E os sons que posso ouvir? Diversos, as vezes destonantes, porém... Harmoniosos mesmo em sua dissonância! O gorjeio das aves; o trinado dos pássaros; o mugido do gado; o rugido das feras. Que todos os povos, em toda a terra, possam parar e ouvir a sinfonia da natureza que Deus criou!

E em meio a toda esta grandiosidade, meu coração parece explodir em gozo e emoção! Então, já não causa importância maior, se as areias do deserto em que eu caminho são ardentes; ou, se o topo da montanha que escalo parece inatingível; ou se o vale da sombra procura me assustar; ou se, até mesmo, a louca ambição dos homens maus me afligem, ou se sua obstinada perseguição me causa dor... Enfim, por mais que dores e aflições me causem algum sofrimento; tenho a meu favor a graça inefável do meu Senhor Jesus, que compensa qualquer dor e pesar que eu porventura tenha que sofrer por Seu amor. À mim parece que a mescla de dor e prazer, provocada por priorizar a vontade de Deus, produz um fruto pacífico de paz e justiça que amadurece e enrijece a nossa vida, tornando-a apta para encarar os desafios que precisamos enfrentar e vencer.

Não tenho as melhores palavras, para exprimir toda a gratidão que sinto; gratidão ao Deus que me cerca com graça e favor imerecido. Tenho alegria em saber que Sua provisão garante o pão em meu prato e a água em meu copo. Mas... Também estou a pensar na explosão de luz e cor que me deixa sem palavras! Cada vez que vejo as nuvens se moverem sobre o azul do céu e as linhas coloridas do arco-iris; o voo das aves entre uma e outra árvore; o brilho das estrelas no firmamento e as pessoas indo e vindo em um vai-e-vem constante... Vejo quão grande e amoroso é o meu Deus! E os sons que posso ouvir? Diversos - as vezes destonantes - porém harmoniosos, mesmo em sua dissonância! O gorjeio das aves; o trinado dos pássaros; o mugido do gado; o rugido das feras. Que todos os povos, em toda a terra, possam parar e ouvir a sinfonia da natureza que Deus criou!
 
E em meio a toda esta grandiosidade, meu coração parece explodir em gozo e emoção! Então, já não causa importância maior, se as areias do deserto em que eu caminho são ardentes; ou, se o topo da montanha que escalo parece inatingível; ou se o vale da sombra procura me assustar; ou se, até mesmo, a louca ambição dos homens maus me afligem, ou se sua obstinada perseguição me causa dor... Enfim, por mais que dores e aflições me causem algum sofrimento; tenho a meu favor a graça inefável do meu Senhor Jesus, que compensa qualquer dor e pesar que eu porventura tenha que sofrer por Seu amor. À mim parece que a mescla de dor e prazer, provocada por priorizar a vontade de Deus, produz um fruto pacífico de paz e justiça que amadurece e enrijece a nossa vida; tornando-a apta para encarar os desafios que precisamos enfrentar e vencer.
 
Sempre que penso neste canto de louvor - marcado por exclamação - entoado pelo grande apóstolo Paulo, vejo nele a expressão do sentimento que predomina em todo aquele que aprecia a grandeza de Deus e a beleza de Suas obras: "Ó profundidade das riquezas, tanto da sabedoria, como da ciência de Deus! Quão insondáveis são os seus juízos, e quão inescrutáveis os seus caminhos! Porque, quem compreendeu a mente do Senhor? ou quem foi seu conselheiro? Ou quem lhe deu primeiro a ele, para que lhe seja recompensado? Porque dele e por ele, e para ele, são todas as coisas; glória, pois, a ele eternamente. Amém." (Romanos 11.33-36). Então, não posso deixar de questionar o descaso dos homens para com as obras de Deus: Como pode alguém, em sã consciência, contemplar as maravilhas que Deus criou e permanecer indiferente a tanta beleza?!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sábado, 1 de novembro de 2014

Natureza propensa à rebeldia


Preciso estar diariamente ante a face do Deus eterno para expor perante Ele, não apenas os meus alvos de intercessão, mas a minha fragilidade. Portanto, estendo perante o Pai minha natureza propensa à rebeldia; pois sei que preciso ao menos manter o nível da unção do Seu Espírito em minha vida. Não posso me dar ao luxo de postergar esta necessidade... Pois, preciso ter como silenciar aquela voz sutil, intermitente, que vive a me desafiar a buscar alimento e satisfação em outros meios, ou exibir minha fé em atos portentosos, ou dar uma olhadinha nas glórias do mundo... Então, por ter a Palavra e a oração como suporte, sou lembrado que esta voz não é original; pois, ousou usar os mesmos argumentos com o próprio Senhor Jesus. Por estas e outras tentações, preciso ter no coração a Palavra iluminada pelo Espírito; como eu poderia discernir tais insinuações maldosas, sem a Luz que tudo vê e sem estar ao pé da cruz?
 
Realmente, preciso conhecer a verdade sobre mim mesmo; para poder lidar com a tendência natural de qualquer crente, mesmo os melhores, de buscar na Bíblia base de enquadramento para o erro dos outros... (e os nossos?). Então, preciso por perante Deus minhas razões, tendências, conceitos, preconceitos... E qualquer outra coisa que ameace minha integridade; pois, quando expostos à Luz que tudo ilumina, meus pecados não têm futuro, aleluia! Tenho visto exemplos de homens de Deus - do passado e do presente - que não resistiram às suas conquistas; antes, inebriados pelo sucesso obtido em seu trabalho, descuidaram-se até ao ponto de perder o rumo; em um desses atalhos que aparecem com frequência ao longo do caminho. Assim, preciso ir com frequência ao lugar de oração me submeter ao propósito de Deus; pois sei que não tenho a menor chance de vencer a mim mesmo e por meus próprios meios.
 
Ao longo de minha vida de crente, tenho aprendido que a oração do "Pai nosso" resume tudo aquilo que preciso expor diante do Senhor: "Portanto, vós orareis assim: Pai nosso, que estás nos céus, santificado seja o teu nome; Venha o teu reino, seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu; O pão nosso de cada dia nos dá hoje; E perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós perdoamos aos nossos devedores; E não nos induzas à tentação; mas livra-nos do mal; porque teu é o reino, e o poder, e a glória, para sempre. Amém. Porque, se perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai celestial vos perdoará a vós; Se, porém, não perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai vos não perdoará as vossas ofensas." (Mateus 6.9-15). Portanto, sempre que me debruço sobre a oração do "Pai nosso" - e nela medito - vejo nela o modelo a ser utilizado, para uma oração completa e bem sucedida.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari