quinta-feira, 31 de julho de 2014

Ainda vivo por aqui

 

Venho me estender no lugar de oração, para estar em Tua presença, eterno Deus e amado Pai. Desde que me converti ao Senhor, tenho sabido que o mundo não é meu lar e não sinto uma gota de tristeza por isso. Sei que sou cidadão do céu e nisto está o meu maior prazer! Sempre que penso na vida futura, meu coração procura vislumbrar as eternas belezas que verei um dia; em um lugar diferente de tudo aquilo que os meus olhos tem visto... Mas, sei que não é possível a um mortal ver ou imaginar aquilo que o Senhor tem preparado para os Teus filhos - homens e mulheres - os quais, assim como eu, foram comprados da terra e eternamente libertos do cativeiro.
 
Entretanto... Ainda vivo por aqui, por todo o tempo que o Senhor determinar; sem que eu possa fazer nada para mudar isso, pois o meu futuro está em Tuas mãos. E, enquanto aqui vivo; convivo com inúmeras coisas que me desagradam; mas... Me conforta saber que tudo tem um tempo determinado; portanto, o mal não irá além dos limites que lhe foram impostos; então virá o fim. Fim para muitos; porém, recomeço para os Teus filhos. Ver Teu povo Israel ser continuamente atacado por seus inimigos; e questionado o seu direito de defesa por nações ímpias, me faz tão mal quanto ver a crescente onda de intolerância contra Tua Igreja. Venha o Teu Reino Senhor!
 
Creio que, se eu permanecer em Cristo, um dia vou ouvir este cântico:
 
"E cantavam um novo cântico, dizendo: Digno és de tomar o livro, e de abrir os seus selos; porque foste morto, e com o teu sangue compraste para Deus homens de toda a tribo, e língua, e povo, e nação; E para o nosso Deus os fizeste reis e sacerdotes; e eles reinarão sobre a terra. E olhei, e ouvi a voz de muitos anjos ao redor do trono, e dos animais, e dos anciãos; e era o número deles milhões de milhões, e milhares de milhares, Que com grande voz diziam: Digno é o Cordeiro, que foi morto, de receber o poder, e riquezas, e sabedoria, e força, e honra, e glória, e ações de graças. E ouvi toda a criatura que está no céu, e na terra, e debaixo da terra, e que está no mar, e a todas as coisas que neles há, dizer: Ao que está assentado sobre o trono, e ao Cordeiro, sejam dadas ações de graças, e honra, e glória, e poder para todo o sempre."
(Apocalipse 5.9-13)
 
Todavia, para que isto se torne possível, preciso ser fiel até o fim!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quarta-feira, 30 de julho de 2014

Agir sobrenatural de Deus


Madrugada fria, oração aceita, despedida inevitável... Foram inspiradores os dias passados no Distrito de Vitória! Infelizmente não deu para visitar a congregação de Resistência. Todavia, pude abraçar irmãos desta querida congregação, no Encontro Distrital de Adolescentes em Jardim Colorado. Sei que Deus nos trouxe aqui; senti isso em cada culto, em cada contato; mas... Não tenho dúvida alguma ao afirmar que Deus agiu em nosso meio, em todas as reuniões. Entretanto: O que aconteceu nas IMW - do bairro Grande Vitória, Central de Vitória e do bairro Consolação foi realmente SOBRENATURAL! Verdade purinha! Deus falou! Pois, fui apenas uma boca a Seu serviço.
 
Sei que minha querida esposa Maria Célia foi vaso de Deus em cada palavra que ministrou. Creio que, ontem a noite (na IMW de Jardim Colorado) - assim como em suas demais participações - ela foi canal de edificação paras as muitas "déboras" que lá estavam; sendo assessorada pela irmã Izaura Volpi, esposa do Pastor Valdívio Correia, SD do Distrito de Vitória (enquanto isso, ele me assessorava na IMW de Consolação). Tenho desafios pela frente, até o próximo concílio regional; ainda não sei muito bem como equacioná-los... Mas, estou certo de que - no momento próprio - vou contemplá-los pelo "retrovisor", ultrapassados, pela graça do Deus eterno que me sustenta em Sua mão!
 
Segundo este texto, devemos manter os nossos olhos fixos naquilo que está à frente: "Irmãos, quanto a mim, não julgo que o haja alcançado; mas uma coisa faço, e é que, esquecendo-me das coisas que atrás ficam, e avançando para as que estão diante de mim, Prossigo para o alvo, pelo prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus. Por isso todos quantos já somos perfeitos, sintamos isto mesmo; e, se sentis alguma coisa de outra maneira, também Deus vô-lo revelará. Mas, naquilo a que já chegamos, andemos segundo a mesma regra, e sintamos o mesmo." (Filipenses 3.13-16). Portanto, ao trilhar o Caminho da Vida; não posso me deixar prender por aquilo que ficou para trás!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

terça-feira, 29 de julho de 2014

Meu tempo de oração


Madrugada de sábado; enquanto eu ainda me curvava diante do Senhor (fiz da sala do Pastor Valdívio Correia & Izaura Volpi o meu lugar de oração); mais uma vez entendi o quão importante é manter minha vida de oração. É que enquanto eu orava, senti que o meu tempo de oração determina o resultado do meu trabalho e o nível das minhas conquistas. Fez-me bem saber que minha presença no lugar de oração, estabelece uma interessante relação proporcional entre o tempo que passo orando e o volume de frutos que consigo produzir em todos os setores de minhas atividades diversas.
 
Foi então que percebi: Não é o volume de "trabalho suado" que determina o crescimento daquilo que faço para Deus; mas, sim, o volume de oração que mantenho em meu viver diário. Então... Nada nesta vida; seja agenda, emergência, compromisso, cansaço - por mais importante que pareça ser - justifica minha ausência no lugar de oração ou minha pressa em sair dele. Embora Satã tente me convencer do contrário; preciso ter sempre em meu espírito, que a oração é que dá sentido e substância a tudo aquilo que faço nesta vida; seja para Deus, pelo próximo, ou em meu próprio benefício.
 
Importante ver neste texto, que Neemias - antes de apresentar seus pedidos ao rei - orou a Deus:
 
"SUCEDEU, pois, no mês de Nisã, no ano vigésimo do rei Artaxerxes, que estava posto vinho diante dele, e eu peguei o vinho e o dei ao rei; porém eu nunca estivera triste diante dele. E o rei me disse: Por que está triste o teu rosto, pois não estás doente? Não é isto senão tristeza de coração; então temi sobremaneira. E disse ao rei: Viva o rei para sempre! Como não estaria triste o meu rosto, estando a cidade, o lugar dos sepulcros de meus pais, assolada, e tendo sido consumidas as suas portas a fogo? E o rei me disse: Que me pedes agora? Então orei ao Deus dos céus, E disse ao rei: Se é do agrado do rei, e se o teu servo é aceito em tua presença, peço-te que me envies a Judá, à cidade dos sepulcros de meus pais, para que eu a reedifique."
(Neemias 2.1-5)
 
Assim deve ser comigo: Antes de pedir algo a alguém, devo buscar em Deus minha resposta.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

segunda-feira, 28 de julho de 2014

Sei que sou justificado


Ao me curvar, madrugada bem cedo, no lugar de oração; senti profunda paz interior, mas não me causou surpresa... Pois a Palavra garante que: "Tendo sido, pois, justificados pela fé, temos paz com Deus, por nosso Senhor Jesus Cristo" (Romanos 5.1). E, considerando esta verdade, sei que sou justificado - não por ser inocente - mas, por ter sido perdoado. Aleluia! Como é bom ter esta experiência! Porém, melhor ainda é manter a vida em consonância com ela.
 
Enquanto eu procurava me derramar diante de Deus (a sala do Pastor Gedson Alves Corrêa & Lorrany Braga, onde estamos hospedados, se transformou em meu lugar de oração); agradeci ao Senhor pela eficiência da IMW de S. André - aqui em Vitória - na coordenação do GCEU local. Foi uma bela mobilização, com valiosos frutos para o reino de Deus. Exaltei a Deus pela diversidade de ministérios, pois sei que eles promovem crescimento saudável.
 
Este texto é instrumento capaz de ampliar e amadurecer a visão de um líder:
 
"ACERCA dos dons espirituais, não quero, irmãos, que sejais ignorantes. Vós bem sabeis que éreis gentios, levados aos ídolos mudos, conforme éreis guiados. Portanto, vos quero fazer compreender que ninguém que fala pelo Espírito de Deus diz: Jesus é anátema, e ninguém pode dizer que Jesus é o SENHOR, senão pelo Espírito Santo. Ora, há diversidade de dons, mas o Espírito é o mesmo. E há diversidade de ministérios, mas o Senhor é o mesmo. E há diversidade de operações, mas é o mesmo Deus que opera tudo em todos. Mas a manifestação do Espírito é dada a cada um, para o que for útil."
(I Coríntios 12.1-7)
 
E quando a visão do líder amadurece, a igreja se torna fértil e motivada!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

domingo, 27 de julho de 2014

Inesgotável graça


Quinta-feira, Maria Célia Calegari e eu, tivemos a oportunidade de conhecer a IMW do bairro Grande Vitória, sob o Pastorado do Pastor Josué Alves. Nossa chegada foi antecedida por percalços (pneus incendiados por manifestantes, interrupção de estrada); mas, com a ajuda do SD Pastor Valdivio Correia conseguimos chegar, ainda que com atraso. O modo como Deus agiu compensou atrasos e contratempos!
 
Após o culto, acompanhamos um grupo da igreja até o terreno que adquiriram; no qual se sobressai uma construção do mais alto nível, para a glória de Deus. Ali, oramos por estes valentes de Deus, membros desta querida igreja, sob o comando deste dedicado Pastor e sua querida família. Sempre que vejo algo assim, consigo ver o embrião de uma grande obra com os olhos da fé; pois tudo é possível ao que crê!
 
Enquanto eu procurava agradecer a Deus por tudo que fez; fiquei a pensar no esforço de fé que - ao longo dos anos - sempre coroou minha dedicação na causa do bom Mestre. Então me revesti da certeza de que - a um servo de Deus empenhado em tomar medidas de fé e de renúncia em prol do bem do povo de Deus - Deus responderá com inesgotável graça e provisão necessária, concretizando o seu sonho pela fé!
 
Eu poderia aqui enumerar muitos exemplos de fé, do passado e do presente:
 
"E que mais direi? Faltar-me-ia o tempo contando de Gideão, e de Baraque, e de Sansão, e de Jefté, e de Davi, e de Samuel e dos profetas, Os quais pela fé venceram reinos, praticaram a justiça, alcançaram promessas, fecharam as bocas dos leões, Apagaram a força do fogo, escaparam do fio da espada, da fraqueza tiraram forças, na batalha se esforçaram, puseram em fuga os exércitos dos estranhos."
(Hebreus 11.32-34)
 
Mas este texto é suficiente para demonstrar o quanto a fé é importante para tornar o sonho possível!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sábado, 26 de julho de 2014

Limites de nossa segurança

 

Eu creio que o cuidado do Senhor para conosco se manifesta sob muitas formas. Portanto, na manhã deste novo dia, se procurarmos discernir os fatos que se desenrolarão ante os nossos olhos; poderemos encontrar marcadas deixadas pelo Senhor, como espécie de sinal de alerta; delimitando os limites de nossa segurança enquanto caminhamos ao longo do dia. Sei que esta minha convicção é verdadeira; e que a bênção reservada para este dia irá depender do modo como interpreto os sinais de Deus, deixados para o meu bem. E assim pensando, estou certo de que não devo - seja por que motivo for - abrir mão da certeza do amor e da direção do Senhor para a minha vida; pois esta atitude, além de prolongar os meus dias; é a garantia que eu tenho, de ter uma melhor qualidade de vida.
 
Assim, fortalecido em minha fé; me preparo para mais uma viagem de regresso à casa (estou dando um tempinho à Maria Célia Calegari para descansar mais um pouco, após um fim-de-semana intenso). Enquanto isso, não posso deixar de pensar naquilo que o Espírito de Deus nos proporcionou no último culto da visita. Foi realmente maravilhoso! Quem esteve no culto pela manhã na IMW de Vila Nova e no culto a noite na IMW Central de Mantena, sabe muito bem a que estou me referindo. Deus nos visitou, irradiando graça e unção em farta medida. Gloria a Deus! Enquanto eu pregava, mal conseguia manter os meus pés no chão. Algumas vezes, fico a pensar no quanto nós - servos de Deus - carecemos de buscar a face do Senhor; para que Sua revelação possa fluir por nosso intermédio.
 
Este texto apresenta alguns princípios para uma vida cheia do Espírito:
 
"Rogamo-vos, também, irmãos, que admoesteis os desordeiros, consoleis os de pouco ânimo, sustenteis os fracos, e sejais pacientes para com todos. Vede que ninguém dê a outrem mal por mal, mas segui sempre o bem, tanto uns para com os outros, como para com todos. Regozijai-vos sempre. Orai sem cessar. Em tudo dai graças, porque esta é a vontade de Deus em Cristo Jesus para convosco. Não extingais o Espírito. Não desprezeis as profecias. Examinai tudo. Retende o bem. Abstende-vos de toda a aparência do mal. E o mesmo Deus de paz vos santifique em tudo; e todo o vosso espírito, e alma, e corpo, sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso SENHOR Jesus Cristo. Fiel é o que vos chama, o qual também o fará. Irmãos, orai por nós."
(I Tessalonicenses 5.14-25)
 
Devemos fazer todo o possível para vive-los em nosso dia-a-dia.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sexta-feira, 25 de julho de 2014

Caixinha tinta de vermelho

 

Bom é estar em Tua presença, Pai; quebrantado e pleno de certeza quanto ao Teu amor para comigo, simples mortal. Ao lidar com minha natureza humana, sou sabedor de que a linha que separa o meu cérebro do de um primata é tênue; no entanto... É esta diferença que faz dele um primata e de mim coroa de Tua criação. Considero o maior privilégio Te conhecer como Senhor e Salvador... Por saber que me amas, mesmo sendo eu quem sou. Infeliz o homem que não possui este saber; tanto quanto é feliz quem Te conhece. Te glorifico, querido Pai, por minha vida!
 
Sinto prazer em te buscar tão cedo; bem antes que a terra complete o giro que traz o brilho e o calor do sol ao nosso continente. Ao olhar o firmamento e procurar identificar as estrelas que nele reluzem, eu me recordo de Davi, Teu servo; em pleno campo, suportando o frio da noite, ao cuidar de suas ovelhas - que na verdade não eram suas - posto que eram ovelhas de seu pai. Sei que o modo como ele cuidou daquelas ovelhas por procuração, fez com que se tornasse capaz de vir a tornar-se o pastor de Israel. É assim que eu me sinto... Pastor do Teu povo, amado Pai!
 
Enquanto aqui estou, buscando Tua presença gloriosa; sou levado a pensar em minha própria vida... E me sinto como se fosse uma pequena bolha de sabão em pleno movimento de uma vida temporária; que sobe ao Teu encontro... Enquanto descreve círculos e linhas em sua breve existência. Que bênção eu sinto em poder pensar assim! Jamais Te conhecerei plenamente, isso não me canso de saber... Mas sinto alegria em saber que Tu conheces muito bem a minha vida... Contemplando esta caixinha tinta de vermelho que trago no peito; pulsante por dentro, que chamam de coração.
 
Neste texto, somos exortados a viver uma vida prudente e sábia, cheia do Espírito: "Portanto, vede prudentemente como andais, não como néscios, mas como sábios, Remindo o tempo; porquanto os dias são maus. Por isso não sejais insensatos, mas entendei qual seja a vontade do Senhor. E não vos embriagueis com vinho, em que há contenda, mas enchei-vos do Espírito; Falando entre vós em salmos, e hinos, e cânticos espirituais; cantando e salmodiando ao Senhor no vosso coração" (Efésios 5.15-19). Mantendo o coração pleno de louvor e adoração.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quarta-feira, 23 de julho de 2014

Clausura auto imposta


Sábado pela manhã, enquanto eu me preparava para mais uma viagem (neste fim de semana estivemos visitando igrejas do Distrito de Mantena); fiquei a pensar naquelas pessoas - mesmo crentes - que resolveram se enclausurar dentro de si mesmas (e não são poucas). Em meu momento de oração, já havia levado ao Pai este problema; sentindo uma certa aflição por aqueles que assim procedem. Então, aprendi que o interior do ser humano é como um ambiente úmido, escuro; lugar impróprio para alguém se enfurnar; algo como se auto soterrar dentro de si mesmo. Na verdade, o propósito de Deus é nos libertar, inclusive desta prisão desconfortável e solitária; na qual os grilhões nela existentes são bem piores do que os feitos de ferro e aço.
 
Ao considerar este quadro; o fiz ciente de que Deus quer nos levar a ver a vida com outros olhos. E para tornar isto possível, o Seu Espírito quer nos conduzir - umas vezes pelo deserto, para amadurecer nossa paciência e perseverança; outras vezes por montanhas, para ampliar a nossa visão dos valores espirituais. Porém, na grande maioria das vezes, o Espírito Santo nos conduz em aparente rotina; para nos mostrar os detalhes do dia a dia; revelando a todos nós que precisamos desenvolver uma visão periférica. Ou seja, precisamos aprender a apreciar as coisas belas da vida, tais como: O canto mavioso dos pássaros, o perfumado desabrochar de uma flor; e... As pessoas que encontramos pela vida afora, a espera de nossa empatia e solidariedade.
 
Na verdade, quando passamos a viver uma vida com propósito - mais preocupados com o bem estar do nosso semelhante do que com nosso próprio bem estar - passamos a perceber alguns detalhes simples da vida; passando a dar especial atenção ao "MIX" de sorrisos e lágrimas de uma inocente criança; ao semblante visionário e desafiador de um jovem; aos traços de ansiedade e preocupação de um adulto; ao olhar cheio de mistério e nostalgia de um idoso. Enfim, aprendemos a discernir os conflitos existentes no coração das pessoas com quem convivemos; podendo ajudar em sua solução e libertação. E isso somente se torna possível, quando nos libertamos do nosso "ego", com tendências de intolerância e melancolia, e nos rendemos ao amor de Deus.
 
Se atentarmos para este testemunho de Deus a Abraão, veremos que existe nele uma exortação  implícita; nos desafiando a sair do enclausuramento a que nos auto impomos; pois Seu propósito é nos libertar de nós mesmos: "E eis que veio a palavra do SENHOR a ele dizendo: Este não será o teu herdeiro; mas aquele que de tuas entranhas sair, este será o teu herdeiro. Então o levou fora, e disse: Olha agora para os céus, e conta as estrelas, se as podes contar. E disse-lhe: Assim será a tua descendência. E creu ele no SENHOR, e imputou-lhe isto por justiça. Disse-lhe mais: Eu sou o SENHOR, que te tirei de Ur dos caldeus, para dar-te a ti esta terra, para herdá-la." (Gênesis 15.4-7). Não existe nada melhor do que ouvimos e obedecermos a voz de Deus!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

terça-feira, 22 de julho de 2014

Misterioso vinho novo


Na madrugada de domingo, enquanto eu orava ao Senhor no quarto do hotel em que Maria Célia & eu nos encontrávamos; fui levado a pensar nas duas reuniões simultâneas que tivemos sábado a noite - no templo e salão social da IMW de Divino das Palmeiras - pois era como se fossem dois mares: Um mar de mulheres no templo, com Maria Célia; e um mar de homens comigo, no novo salão social da igreja. Louvei a Deus pelo clima de unidade e espiritualidade existente, que pude sentir profundamente em meu espírito. Durante as ministrações, sentíamos a unção de Deus percorrer o ambiente das mulheres; e elas, certamente, sentiam esta mesma unção percorrer o ambiente dos homens. Senti alegria em estar ao lado dos Pastores do Distrito: SD Antônio Neto, José Sérgio (IMW Mantena), Manoel Vitório (IMW Vila Nova), Alcir (IMW Divino das Palmeiras), Alberto Coelho (IMW S. João de Mantena) e Marcelo (IMW Itabirinha de Minas). Prenúncio de avivamento!
 
Enquanto eu orava, louvei a Deus pelo crescimento do Distrito de Mantena, sob a supervisão do SD Pastor Neto. Também intercedi pelas duas reuniões que tivemos no domingo: De manhã, na IMW de Vila Nova; e de noite, na IMW Central de Mantena. Nesse instante, comecei a pensar em algumas pessoas; e fui levado pelo Espírito a suplicar por sua transformação, pedindo ao Senhor que fizesse em suas vidas, aquilo que foi feito nas talhas de água em Caná da Galileia; quando a água das purificações nelas existentes, foram transformadas no melhor dos vinhos - longe dos olhos humanos - o vinho misterioso, não fruto da videira ou pisado no lagar. Assim, do mesmo modo como aconteceu em Caná; pedi ao Pai que tocasse na vida daqueles cujos nomes consegui lembrar; para que - de água não potável em que se tornaram - possam vir a ser o vinho novo do Espírito; capazes de alegrar e confortar, sem embebedar, aqueles que são por eles servidos.
 
Tal e qual este milagre; qualquer pessoa que quiser servir a Deus, precisa se tornar "vinho novo":
 
"E, faltando vinho, a mãe de Jesus lhe disse: Não têm vinho. Disse-lhe Jesus: Mulher, que tenho eu contigo? Ainda não é chegada a minha hora. Sua mãe disse aos serventes: Fazei tudo quanto ele vos disser. E estavam ali postas seis talhas de pedra, para as purificações dos judeus, e em cada uma cabiam dois ou três almudes. Disse-lhes Jesus: Enchei de água essas talhas. E encheram-nas até em cima. E disse-lhes: Tirai agora, e levai ao mestre-sala. E levaram. E, logo que o mestre-sala provou a água feita vinho (não sabendo de onde viera, se bem que o sabiam os serventes que tinham tirado a água), chamou o mestre-sala ao esposo, E disse-lhe: Todo o homem põe primeiro o vinho bom e, quando já têm bebido bem, então o inferior; mas tu guardaste até agora o bom vinho."
(João 2.3.10)
 
Mas, para que isso, é preciso passar pelo mesmo processo que transformou aquelas águas antes impróprias.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

segunda-feira, 21 de julho de 2014

Teologia da prosperidade


Preciso viajar dentro de alguns instantes... Então, tive que acordar mais cedo para cumprir compromissos inadiáveis - estar no lugar de oração, o mais importante deles - e dentre eles, postar em minha página uma palavra de fé e esperança aos que me acompanham no dia a dia. Hoje, aprendi com o Senhor que a mais importante mensagem de fé e de esperança que alguém pode receber nesta vida - mesmo que envolta em rasgo profético desfavorável aos sonhos e pretensões de muitos - e aquela que chega legitimada pelo manto da verdade. E não estou me referindo à minha verdade pessoal; ou à verdade de cada um - dentre as muitas "verdades" de mentirinha que transitam por este mundo - pois este não deve ser o procedimento. Eu me refiro à verdade das Escrituras Sagradas, regada com a revelação do Alto que vem pelo Espírito Santo.
 
Portanto, entendo que nossa primeira prioridade deve ser a resposta que vem do céu, não a que vem da terra. É muito comum as pessoas pensarem que servir a Deus é garantia infalível de corpo sarado, diversão sem risco e vida abastada. O pior é que este sonho existente no coração humano, que vinha sendo contido pela priorização do céu como legado maior do Senhor Jesus; foi sendo inserido na mensagem que hoje se prega, até ao ponto de se afirmar em muitos púlpitos, que vida com Deus é a garantia de bem estar material, corpo saudável e projeção social. Infelizmente, esta herança dos pregadores da teologia da prosperidade foi "melhorada" por definições ainda mais ousadas; até ao ponto de garantir "sorte no amor". Não digo que muitos cristãos não possam chegar a tal estado; todavia... Fico a pensar em meio a tudo isso...
 
Hoje, como as dores de Lázaro seriam agravadas, ao lhe ser questionado o "direito ao céu" tão somente por ser pobre e enfermo, mendigo mesmo. E isso porque, na interpretação de muitos pregadores oportunistas de plantão (na história contada por Jesus) o abençoado cheio de fé seria o rico; e o descrente amaldiçoado seria Lázaro. No entanto, o próprio Jesus demonstrou justamente o contrário. Não estou com isto afirmando que os ricos estão perdidos e os pobres e enfermos estão salvos. Não mesmo! O que estou afirmando é que, no reino de Deus, as coisas não são como alguns aproveitadores da miséria humana andam a dizer. É possível, pela fé, um crente enriquecer; assim como é possível, pela mesma fé, um crente obter saúde; negar isto seria negar a própria Bíblia. Mas... Tais coisas são apenas detalhes passageiros.
 
Ao considerarmos este texto percebemos que ele contraria muitas pregações hoje em dia:
 
"Ora, havia um homem rico, e vestia-se de púrpura e de linho finíssimo, e vivia todos os dias regalada e esplendidamente. Havia também um certo mendigo, chamado Lázaro, que jazia cheio de chagas à porta daquele; E desejava alimentar-se com as migalhas que caíam da mesa do rico; e os próprios cães vinham lamber-lhe as chagas. E aconteceu que o mendigo morreu, e foi levado pelos anjos para o seio de Abraão; e morreu também o rico, e foi sepultado. E no inferno, ergueu os olhos, estando em tormentos, e viu ao longe Abraão, e Lázaro no seu seio. E, clamando, disse: Pai Abraão, tem misericórdia de mim, e manda a Lázaro, que molhe na água a ponta do seu dedo e me refresque a língua, porque estou atormentado nesta chama. Disse, porém, Abraão: Filho, lembra-te de que recebeste os teus bens em tua vida, e Lázaro somente males; e agora este é consolado e tu atormentado. E, além disso, está posto um grande abismo entre nós e vós, de sorte que os que quisessem passar daqui para vós não poderiam, nem tampouco os de lá passar para cá. E disse ele: Rogo-te, pois, ó pai, que o mandes à casa de meu pai, Pois tenho cinco irmãos; para que lhes dê testemunho, a fim de que não venham também para este lugar de tormento. Disse-lhe Abraão: Têm Moisés e os profetas; ouçam-nos. E disse ele: Não, pai Abraão; mas, se algum dentre os mortos fosse ter com eles, arrepender-se-iam. Porém, Abraão lhe disse: Se não ouvem a Moisés e aos profetas, tampouco acreditarão, ainda que algum dos mortos ressuscite."
(Lucas 16.19-31)
 
Penso ser de grande importância refletir sobre o risco do que é ensinado nos dias de hoje.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

domingo, 20 de julho de 2014

Graça revelada

 

Te louvo e Te exalto, Pai querido! O que seria de minha vida sem Tua graça! Sei que não haveria chance para mim, caso Jesus não tivesse dado Sua própria vida em meu favor; pois a luta contra o pecado é tão desigual. Teu servo Davi declarou que não poria coisa má diante dos olhos; mas, se ele tivesse vivido neste tempo, veria o quanto é difícil deixar de ver coisas más... Elas estão por toda parte! Não é tão difícil perceber que vida piedosa e religiosidade não conseguem nos colocar no nível mínimo de aceitação aos Teus olhos; posto que a natureza piedosa pode sofrer desvios de finalidade e a religiosidade sempre nos fez andar na contra-mão. logo, como escapar sem a graça revelada em Jesus?
 
Os dados estatísticos sobre religião no mundo, apontam para a existência de mais de um bilhão de cristãos; mais de um bilhão de muçulmanos; mais de um bilhão de budistas e seus derivados; enfim... Eles identificam milhões de católicos; milhões de metodistas; milhões de presbiterianos; milhões de batistas; milhões de pentecostais; milhões de adventistas, espiritistas, mórmons, e seus derivados. Todavia, o que eles não conseguem entender; é que não é assim que se enumera os Teus filhos! Tua Palavra declara que os Teus remidos possuem uma pedrinha branca com um novo nome escrito; e que não nasceram somente da carne e do sangue, pois nasceram de novo em Cristo Jesus!
 
Tua Palavra atesta que o plano redentor do ser humano nasceu do Teu amor e se consumou em um pequeno monte marcado por erosão, chamado Calvário. Na Bíblia aprendemos, que neste monte uma vida morreu para que vidas vivessem; e que o seu grito de dor pelo pecado, chocou aquele monte e ainda ecoa por toda a terra; inaugurando o tempo da graça, selado com sangue; e que naquela tarde, mortos ressuscitaram e andaram pelas ruas de Jerusalém, testemunhando o poder de Jesus. Então, por mais que alguém se esforce para se salvar por seus meios; sua salvação só virá mediante arrependimento, confissão de pecados e genuína entrega de coração ao Cristo da cruz, que morreu por todos nós.
 
Na Bíblia, aprendemos que aquele que nasce apenas uma vez, morre duas vezes; e aquele que nasce duas vezes, morre apenas uma vez:
 
"Jesus respondeu, e disse-lhe: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus. Disse-lhe Nicodemos: Como pode um homem nascer, sendo velho? Pode, porventura, tornar a entrar no ventre de sua mãe, e nascer? Jesus respondeu: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer da água e do Espírito, não pode entrar no reino de Deus. O que é nascido da carne é carne, e o que é nascido do Espírito é espírito. Não te maravilhes de te ter dito: Necessário vos é nascer de novo. O vento assopra onde quer, e ouves a sua voz, mas não sabes de onde vem, nem para onde vai; assim é todo aquele que é nascido do Espírito."
(João 3.3-8)
 
Nascer de novo em Cristo Jesus é nascer duas vezes; portanto, os que assim vivem, não sofrerão o dano da segunda morte.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sábado, 19 de julho de 2014

Sentimentos impróprios


Um dos mais valiosos ensinamentos que tenho obtido, quando no lugar de oração; é o de não me render à ansiedade, seja por que motivo for. Uma vez que a ansiedade é um dos sentimentos mais insinuantes e invasivos, até ao ponto de perturbar a mente e o coração daqueles que buscam se aproximar de Deus e andar com Ele; precisamos manter o nosso coração bem aberto para o Senhor, a nossa mente bem aberta para as coisas do céu e os nossos olhos bem abertos para a Palavra de Deus. Tenho percebido que quando há doença em casa, ou conflito no íntimo e assédio de qualquer natureza; tais circunstâncias são solo fértil para que a semente da ansiedade germine e se ramifique em nossa vida. Não posso permitir esta invasão de privacidade em meu interior!
 
Portanto, preciso tomar medidas eficazes contra qualquer tentativa de invasão, mesmo sutil, deste sentimento. Até porque, ele é uma porta de entrada para outros sentimentos tão ruins quanto ele; sendo capaz de destroçar nossa fé e de transformar nossa oração em lamentos enfadonhos. O que me vale é que aprendi que a adoração ininterrupta a Deus - mesclada com o louvor que lhe é devido - e uma vida de gratidão ao Senhor, por tudo e em qualquer situação, se constitui em remédio eficaz e imunizante contra este mal. E jamais devo esquecer que a ansiedade é pecado, pois pode nos roubar a paz com Deus e a confiança em Suas promessas. Além do que, sei que posso recusá-la; pois a Palavra de Deus diz que não devo estar ansioso por coisa alguma.
 
A Bíblia ensina que ansiedade, apreensão e inquietude são sentimentos impróprios:
 
"E disse aos seus discípulos: Portanto vos digo: Não estejais apreensivos pela vossa vida, sobre o que comereis, nem pelo corpo, sobre o que vestireis. Mais é a vida do que o sustento, e o corpo mais do que as vestes. Considerai os corvos, que nem semeiam, nem segam, nem têm despensa nem celeiro, e Deus os alimenta; quanto mais valeis vós do que as aves? E qual de vós, sendo solícito, pode acrescentar um côvado à sua estatura? Pois, se nem ainda podeis as coisas mínimas, por que estais ansiosos pelas outras? Considerai os lírios, como eles crescem; não trabalham, nem fiam; e digo-vos que nem ainda Salomão, em toda a sua glória, se vestiu como um deles. E, se Deus assim veste a erva que hoje está no campo e amanhã é lançada no forno, quanto mais a vós, homens de pouca fé? Não pergunteis, pois, que haveis de comer, ou que haveis de beber, e não andeis inquietos. Porque as nações do mundo buscam todas essas coisas; mas vosso Pai sabe que precisais delas. Buscai antes o reino de Deus, e todas estas coisas vos serão acrescentadas."
(Lucas 12.22-31)
 
Portanto, devo me apegar às promessas de Deus e não manter tais sentimentos no coração.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sexta-feira, 18 de julho de 2014

Compromisso de servir


Hoje de manhã, enquanto eu orava a Deus; pude afirmar que uma das coisas que me mantém em oração diária diante do Senhor é a profunda convicção que tenho; de que Ele é o Deus eterno, todo poderoso; e igual convicção de que enviou o Seu Filho Jesus para ser meu Salvador eterno. Infelizmente, não posso dizer que tenho andado com Deus durante toda a minha vida; no entanto, posso declarar cheio de fé que o Senhor tem estado comigo ao longo de todo esse tempo! Portanto, não tenho o menor receio em afirmar que não preciso de coisa alguma que não venha Dele; nem mesmo as de primeira necessidade ou de necessidade imediata. Nele, aprendi que - ainda que ajuda humana seja sempre bem-vinda - não preciso do apoio de ninguém para sobreviver ou continuar caminhando em Deus, nos dias que ainda tenho pela frente; até que chegue finalmente o dia do encontro com o Deus que me cinge de graça e cuidado.
 
E não tenho a menor dúvida, ao declarar que é esta convicção que tem me mantido imune à mágoa, ressentimento, decepção... Ou qualquer outro sentimento nascido de interpretação distorcida quanto ao modo como alguém me trata ou deixa de me tratar. Não sinto ter sido chamado por Deus para receber ajuda ou motivação de quem quer que seja. Mas é preciso que se diga: Recebo com profunda gratidão toda ajuda - seja por palavra, seja por obra - vinda de quem quer que seja; todavia, sinto-me na obrigação de entender quando ajuda deste tipo não chega, mesmo de pessoas muito próximas de mim. Afinal de contas, procuro carregar comigo outras convicções afins: A de que não fui chamado para ser servido, mas para servir; e não fui chamado para ser compreendido, mas para compreender; também não fui chamado para ser amado, mas para amar. Que prazer sinto em saber isso e viver a Vida que traz satisfação!
 
Este texto foca o compromisso de servir: "VÓS, filhos, sede obedientes a vossos pais no Senhor, porque isto é justo. Honra a teu pai e a tua mãe, que é o primeiro mandamento com promessa; Para que te vá bem, e vivas muito tempo sobre a terra. E vós, pais, não provoqueis à ira a vossos filhos, mas criai-os na doutrina e admoestação do Senhor. Vós, servos, obedecei a vossos senhores segundo a carne, com temor e tremor, na sinceridade de vosso coração, como a Cristo; Não servindo à vista, como para agradar aos homens, mas como servos de Cristo, fazendo de coração a vontade de Deus; Servindo de boa vontade como ao Senhor, e não como aos homens. Sabendo que cada um receberá do Senhor todo o bem que fizer, seja servo, seja livre. E vós, senhores, fazei o mesmo para com eles, deixando as ameaças, sabendo também que o SENHOR deles e vosso está no céu, e que para com ele não há acepção de pessoas." (Efésios 6.1-9). Servindo ao próximo é quando mais nos assemelhamos ao Senhor Jesus.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quinta-feira, 17 de julho de 2014

É importante que se diga


Ao me levantar nesta manhã - antes mesmo de me dirigir ao lugar de oração - o meu espírito foi despertado com a lembrança do seguinte testemunho de Paulo: "Combati o bom combate, acabei a carreira, guardei a fé." (2 Timóteo 4.7). Percebi que, no lugar de oração, ele condicionou minha prece... Algo surpreendente! É como se o velho apóstolo dissesse: "Minha fé me valeu durante o caminho percorrido e em todas as batalhas travadas, sem perder o objetivo do Combate nem o rumo da Vida; e chego ao final, tendo-a guardado intacta." Senti profundo temor ao me deparar com a realidade cristã dos dias de hoje - Dias de névoa e de confusão - sob ataque constante ao longo do caminho que trilhamos.
 
Então, fui levado a pensar nos riscos que corremos, em meios às diversas tradições e culturas hostis aos princípios da Palavra de Deus. O mundo do desporto desnudou o fanatismo em que grande parte da humanidade vive (uma espécie de coliseu romano melhorado e agigantado). E minha atenção se voltou para os perigos embutidos no mundo do DNA, do genoma, do clone; no mundo da realidade virtual, que permite pessoas de carne e osso interagir com figuras criadas em de computador. E no mundo da ficção imposta pela indústria do cinema, podemos ver: A magia do "Harry Potter"; o espiritismo do "Sexto Sentido"; o induísmo do "Avatar"; os mortos vivos da "zumbilândia"... E por aí vai a influência do mal.
 
E a lista não termina por aqui. Podemos acrescentar outros quadros e temas, influenciando a cultura e as práticas de muitos cristãos (especialmente os jovens) incapazes de manter uma visão profética realmente bíblica, despreparados para manter um nível de combate da fé em linha com a Palavra de Deus. E como se isso não bastasse, até mesmo no seio de igrejas cristãs, vemos crescer a "importação" de métodos e costumes de outras crenças, disfarçados com outros nomes e roupagens. No entanto - é importante que se diga - a mentira sempre será mentira, mesmo disfarçada de verdade. E a verdade será sempre verdade, mesmo quando sufocada pelo engano crescente. Portanto, urge que guardemos a fé, em meio a tudo isso.
 
É sempre bom meditar em textos de advertência encontrados na Bíblia, como este:
 
"Portanto, cingindo os lombos do vosso entendimento, sede sóbrios, e esperai inteiramente na graça que se vos ofereceu na revelação de Jesus Cristo; Como filhos obedientes, não vos conformando com as concupiscências que antes havia em vossa ignorância; Mas, como é santo aquele que vos chamou, sede vós também santos em toda a vossa maneira de viver; Porquanto está escrito: Sede santos, porque eu sou santo. E, se invocais por Pai aquele que, sem acepção de pessoas, julga segundo a obra de cada um, andai em temor, durante o tempo da vossa peregrinação, Sabendo que não foi com coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados da vossa vã maneira de viver que por tradição recebestes dos vossos pais, Mas com o precioso sangue de Cristo, como de um cordeiro imaculado e incontaminado, O qual, na verdade, em outro tempo foi conhecido, ainda antes da fundação do mundo, mas manifestado nestes últimos tempos por amor de vós; E por ele credes em Deus, que o ressuscitou dentre os mortos, e lhe deu glória, para que a vossa fé e esperança estivessem em Deus;"
(1 Pedro 1.13-21)
 
Eles apontam para a base da nossa redenção e para o Autor da nossa salvação.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quarta-feira, 16 de julho de 2014

Lugar de mistério


Madrugada distante do amanhecer... No entanto, fui convocado a orar. Não consigo traduzir em palavras as dificuldades que encontrei para me manter em atitude de oração perante o Senhor. Se alguém pensa que orar é fácil; ou está tendo um privilégio que eu jamais tive; ou está confundindo a real atmosfera da oração secreta. É difícil entender tanta barreira existente e tanta luta travada no lugar de oração... Todavia, por mais intenso que seja o combate para prevalecer neste lugar de mistério; a causa que nos leva a orar e o que pretendemos alcançar, compensa qualquer sacrifício para ali permanecer.
 
Enquanto eu tentava me aprofundar em oração, chorei pela derrota do Brasil; não a derrota do Brasil do futebol - para a Alemanha - nesta Copa do Mundo (nossa derrota menor); mas a derrota do Brasil de todos nós... Na Copa da Saúde; na Copa da Educação; na Copa da Habitação; na Copa dos Transportes públicos; na Copa da Segurança Pública; na Copa da Infraestrutura. Enfim, o Brasil não se tornou perdedor nesta triste terça-feira; mas, vem sendo perdedor a muito tempo... Para os grandes lobby infiltrados em todas as instâncias do Poder que rege o país - causa e efeito das nossas maiores derrotas.
 
Então... Não devemos nos indispor contra aqueles onze rapazes perdidos em campo - sem saberem o que fazer nem para onde correr - por não terem conseguido resistir à pressão do preço do esforço que os rapazes alemães pagaram para nos derrotar; pois, afinal, maior derrota sofremos, quando agentes públicos dos Poderes que regem uma nação como a nossa se rendem ante o preço pago pelos oportunistas de plantão que sinalizam com elevadas somas e, assim, conseguem pagar o preço pelo qual se vendem (talvez - parafraseando o Barão de Itararé - eles valham bem menos do que aquilo que recebem).
 
Sempre nos faz um bem tremendo refletir sobre as advertências de Jesus:
 
"E disse-lhes: Acautelai-vos e guardai-vos da avareza; porque a vida de qualquer não consiste na abundância do que possui. E propôs-lhe uma parábola, dizendo: A herdade de um homem rico tinha produzido com abundância; E ele arrazoava consigo mesmo, dizendo: Que farei? Não tenho onde recolher os meus frutos. E disse: Farei isto: Derrubarei os meus celeiros, e edificarei outros maiores, e ali recolherei todas as minhas novidades e os meus bens; E direi a minha alma: Alma, tens em depósito muitos bens para muitos anos; descansa, come, bebe e folga. Mas Deus lhe disse: Louco! Esta noite te pedirão a tua alma; e o que tens preparado, para quem será? Assim é aquele que para si ajunta tesouros, e não é rico para com Deus."
(Lucas 12.15-21)
 
Precisamos definir onde está o nosso tesouro, antes que seja tarde demais!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

terça-feira, 15 de julho de 2014

Dias que estão por vir


Dias atrás, após orar; estive refletindo sobre a reunião que tivemos com as os diversos obreiros das igrejas do Distrito de Vila Velha - na IMW Central de Vila Velha - sob a liderança do SD Pastor Geraldo Rodrigues. Sinto que as ministrações feitas; tanto por minha querida esposa Maria Célia (sobre o ministério "Desperta Débora"), como por mim (sobre crescimento da igreja local), poderão alavancar o crescimento que já ocorre nas igrejas do Distrito. Entretanto - falando a nível de 2ª Região - tenho notado que, por motivos as vezes indeterminados, alguns pastores e obreiros parecem estar desconectados com a natureza do ministério pastoral segundo o próprio Jesus. E não se trata de trabalhar bem ou mal; ou, de falta de dedicação e zelo; ou, mesmo, falta de oração; enfim... Em muitos casos, o fator de paralisação tem tudo a ver com critérios equivocados no modo de presidir e de reagir. Ainda bem que isso pode ser corrigido! Pois é mais fácil corrigir erros de avaliação e metodologia; do que compensar falta de espiritualidade e de caráter em um homem de Deus.
 
Mas (voltando ao meu momento de oração) enquanto eu ainda orava, problemas maiores e bem mais preocupantes me ocorreram. É que veio ao meu espírito o sensação do perigo que todos nós corremos nos dias de hoje. O Senhor me fez perceber que os conflitos e confrontos pelo mundo afora estão subindo de tom (fora do nosso alcance visual e auditivo) e não há como controlar o "ponto de fervura" do grande caldeirão das paixões carnais, que vem sendo efervescido pela maldade crescente entre os seres humanos, em todos os países deste depredado e sofrido planeta. Pude perceber o império da injustiça exercendo domínio e tornando legais atos de obscenidade e de blasfêmia contra o Deus do céu. Infelizmente, o povo de Deus vem sendo acuado entre os inimigos da fé e os vendilhões do Templo. Assim, a resposta ao sofrimento dos que vivem piamente em Jesus - como já ocorreu em outros tempos - virá de Cima. No entanto, em dias de extrema maldade, precisamos nos preparar para os dias que estão por vir... Dias de angústia que serão sucedidos pelo arrebatamento da Igreja.
 
Os crentes comprometidos com a Palavra de Deus, devem procurar refletir sobre este texto:
 
"Mas os céus e a terra que agora existem pela mesma palavra se reservam como tesouro, e se guardam para o fogo, até o dia do juízo, e da perdição dos homens ímpios. Mas, amados, não ignoreis uma coisa, que um dia para o Senhor é como mil anos, e mil anos como um dia. O Senhor não retarda a sua promessa, ainda que alguns a têm por tardia; mas é longânimo para conosco, não querendo que alguns se percam, senão que todos venham a arrepender-se. Mas o dia do Senhor virá como o ladrão de noite; no qual os céus passarão com grande estrondo, e os elementos, ardendo, se desfarão, e a terra, e as obras que nela há, se queimarão. Havendo, pois, de perecer todas estas coisas, que pessoas vos convém ser em santo trato, e piedade, Aguardando, e apressando-vos para a vinda do dia de Deus, em que os céus, em fogo se desfarão, e os elementos, ardendo, se fundirão? Mas nós, segundo a sua promessa, aguardamos novos céus e nova terra, em que habita a justiça. Por isso, amados, aguardando estas coisas, procurai que dele sejais achados imaculados e irrepreensíveis em paz."
(II Pedro 3.7-14)
 
Ao discernirmos a profundidade deste texto, vemos que é de uma clareza profética admirável!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

segunda-feira, 14 de julho de 2014

Solidão gritante

 

Meu amado Pai; nesta madrugada - bem antes que o novo dia apareça - senti um desejo enorme de Te buscar no lugar de oração. Não me senti movido por uma razão em especial... Foi apenas o desejo de Te buscar. E como aprendo conTigo, cada vez que me curvo perante o Senhor! Neste cantinho reservado, pude entender que a solidão gritante no coração humano não é causada por ausência de pessoas; mas, por vazio causado por Tua ausência. Como me sinto bem em poder compreender o mistério do sentimento de solidão; que não é mistério, mas falta de entendimento quanto ao que causa tal sentimento. Na verdade, quando estamos plenos de Ti, os amigos e irmãos estão sempre presentes, mesmo distantes. Não que sua presença física não seja desejada; mas... Já não é tão necessária quando o Senhor, se faz presente.
 
Então, querido Pai, posso dizer que Tua presença me traz alegria e me faz descansar. Tenho mil razões para te louvar por minha querida esposa, filhos, noras, genro, netas e netos; enfim... Pelos inúmeros amigos e irmãos que carrego comigo, mesmo sem vê-los com frequência. Que bênção! Não tenho como agradecer ao Senhor, por ter me ensinado que, mesmo quando não podemos tocar as pessoas que amamos, ou vê-las à nossa volta; podemos, todavia, senti-las em nosso coração pleno de Tua presença. Então, quando o vazio existente no coração é preenchido pelo Senhor Jesus, a solidão deixa de incomodar; e vai se retirando discretamente, até desaparecer por completo. E assim, com o coração pleno do Teu Espírito, não há mais por que ter no coração esta senhora indesejável, a quem chamam de solidão.
 
Este testemunho de Jesus é um excelente recurso para quem se sente vazio e só: "Saí do Pai, e vim ao mundo; outra vez deixo o mundo, e vou para o Pai. Disseram-lhe os seus discípulos: Eis que agora falas abertamente, e não dizes parábola alguma. Agora conhecemos que sabes tudo, e não precisas de que alguém te interrogue. Por isso cremos que saíste de Deus. Respondeu-lhes Jesus: Credes agora? Eis que chega a hora, e já se aproxima, em que vós sereis dispersos cada um para sua parte, e me deixareis só; mas não estou só, porque o Pai está comigo. Tenho-vos dito isto, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo." (João 16.28-33). E isso porque ele nos dá a dimensão exata da importância da presença de Deus em nós, pelo Seu Espírito que em nós habita.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

domingo, 13 de julho de 2014

A Nova Jerusalém

 Foto: Enquanto eu orava e agradecia a Deus por minha esposa; chorei por Israel. Não sou judeu, nem filho de judeu; a não ser pelo fato de ser filho espiritual de Abraão, pai dos crentes. No entanto, sei que sou filho da Promessa; assim como o famoso Patriarca. Tenho convicção de que não preciso adotar costumes ou ritos judaicos, para alcançar uma cota maior do amor de Deus; até porque, sei, das pedras Deus pode fazer filhos de Abraão. Respeito os que se esforçam para ser judeus - como se isto lhes conferisse graça maior - todavia, não vejo tal atitude como algo necessário. Sempre respeitei o judaísmo e os limites que me separam dele. Então, não preciso pular esta cerca divisória temporária; pois não me sinto menos servo nem menos filho de Deus por ser quem sou: Um gentio salvo pela graça.

No entanto, o que me fez chorar por Israel; é pelo fato de ser odiado por seus próprios parentes; e sem motivos justificáveis. E não estou pensando em ressentimento ligado a conflitos históricos; me refiro a ódio mesmo; algo como, desejar riscar Israel do mapa. E Jerusalém - tão cantada em verso e prosa - cidade da paz que não encontra descanso; sempre cobiçada, foi e continuará sendo uma pedra pesada, rolando, definindo o futuro do mundo; sem que a maioria se aperceba disso. Percebo que as filhas de Jerusalém chorarão muito ainda; até que o Salvador de Israel ponha fim ao seu sofrimento. E quando isso finalmente acontecer; ela não será mais a Jerusalém terrena, cansada de tanta guerra; mas... Será vista em toda a sua beleza e esplendor, vinda do céu de luz: A Nova Jerusalém!

Enquanto eu orava e agradecia a Deus por minha esposa; chorei por Israel. Não sou judeu, nem filho de judeu; a não ser pelo fato de ser filho espiritual de Abraão, pai dos crentes. No entanto, sei que sou filho da Promessa; assim como o famoso Patriarca. Tenho convicção de que não preciso adotar costumes ou ritos judaicos, para alcançar uma cota maior do amor de Deus; até porque, sei, das pedras Deus pode fazer filhos de Abraão. Respeito os que se esforçam para ser judeus (como se isto lhes conferisse graça maior); todavia, não vejo tal atitude como algo necessário. Sempre respeitei o judaísmo e os limites que me separam dele. Então, não preciso pular esta cerca divisória temporária; pois não me sinto menos servo nem menos filho de Deus por ser quem sou: Um gentio salvo pela graça. No entanto, o que me fez chorar por Israel; é pelo fato deste povo ser odiado por seus próprios parentes; e sem motivos justificáveis. E não estou pensando em ressentimento ligado aos conflitos históricos entre dois povos milenares, que vem atravessando os séculos; eu me refiro à intolerância e ódio extremado; algo como, desejo obstinado de riscar a nação de Israel do "Mapa Mundi".
 
Pelo que percebo, os adversários de Israel - ao perderem uma guerra - terão sempre a oportunidade de se recompor e buscar uma nova guerra, se assim desejarem. Israel, no entanto, sabe que se perder uma guerra, esta será provavelmente a última; pois, por aquilo que se vê, serão destruídos pelo poder de fogo de um inimigo implacável. Lamentavelmente, as Escrituras predizem um futuro doloroso e sombrio para esta sofrida nação bíblica; justamente por ter rejeitado o Príncipe da Paz que tanto desejam (Jesus). Portanto, como alcançarão a paz, da qual Jesus é o Autor, se não o reconhecem como Senhor? E Jerusalém - tão cantada em verso e prosa - a histórica cidade da paz que não encontra descanso... Posto que, sempre tão cobiçada, foi e continuará sendo uma pedra pesada, rolando, definindo o futuro do mundo; sem que a maioria se aperceba disso. Imagino que as filhas de Jerusalém chorarão muito ainda; até que o Salvador de Israel ponha fim ao seu sofrimento. E quando isso finalmente acontecer; ela não será mais a Jerusalém terrena, cansada de tanta guerra; mas... Será vista em toda a sua beleza e esplendor, vinda do céu de luz: A Nova Jerusalém!
 
Mas para nós, cristãos, Filadélfia é vera referência: "E ao anjo da igreja que está em Filadélfia escreve: Isto diz o que é santo, o que é verdadeiro, o que tem a chave de Davi; o que abre, e ninguém fecha; e fecha, e ninguém abre: Conheço as tuas obras; eis que diante de ti pus uma porta aberta, e ninguém a pode fechar; tendo pouca força, guardaste a minha palavra, e não negaste o meu nome. Eis que eu farei aos da sinagoga de Satanás, aos que se dizem judeus, e não são, mas mentem: eis que eu farei que venham, e adorem prostrados a teus pés, e saibam que eu te amo. Como guardaste a palavra da minha paciência, também eu te guardarei da hora da tentação que há de vir sobre todo o mundo, para tentar os que habitam na terra. Eis que venho sem demora; guarda o que tens, para que ninguém tome a tua coroa. A quem vencer, eu o farei coluna no templo do meu Deus, e dele nunca sairá; e escreverei sobre ele o nome do meu Deus, e o nome da cidade do meu Deus, a nova Jerusalém, que desce do céu, do meu Deus, e também o meu novo nome. Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas." (Apocalipse 3.7-13). Pois é o perfil da igreja desejada!
 
Cordialmente
Bispo Calegari

sábado, 12 de julho de 2014

Oração que antecipa solução


Hoje, enquanto eu orava ao Pai celeste; fui invadido por agradável contentamento... Senti que minhas lágrimas tinham gosto doce. É muito bom nos sentirmos assim. Foi muito bom, Maria Célia Calegari & eu estarmos em visita à IMW Central de Vila Velha e termos nos deixado usar pelo Espírito. Foi muito bom termos interagido com o Ministério de Louvor, cheio de graça; termos abraçado os pastores e demais irmãos, do quadro de obreiros desta querida igreja. E caiu muito bem a pizza que comemos, após o culto, com os pastores: O SD Geraldo Rodrigues & Marleide Rodrigues, Ronaldo & Sueli Tavares; Sérgio Loyola & Angélica Loyola; e um dos presbíteros, com sua querida família, cujo nome esqueci de apontar. Nossa vida é profundamente marcada em tais ocasiões. Louvei a Deus por estar ali!
 
Entretanto, ainda no lugar de oração, O Espírito me fez lembrar que eu precisava orar especialmente pelos Pastores da Bahia e do Espírito Santo; creio não ter esquecido nenhum (e quem conhece o quadro de pastores wesleyanos nestes dois Estados, sabe que são muitos). Então - como se fosse um assunto fora do assunto - o Espírito me levou a fazer oração preventiva. Isso mesmo: Aquela oração que antecipa solução e livramento, antes que o mal se concretize. E neste ponto, Deus me fez saber que - certos males - a oração não consegue evitá-los; mas pode atenuá-los. Enfim, o Espírito me fez lembrar das palavras de Jesus, em Mateus 24.20: "E orai para que a vossa fuga não aconteça no inverno nem no sábado" (inverno, tempo desfavorável; sábado judeu, tempo de recolhimento) ocasiões hostis à uma fuga desesperada.
 
Este texto das Escrituras é essencialmente escatológico:
 
"Quando, pois, virdes que a abominação da desolação, de que falou o profeta Daniel, está no lugar santo; quem lê, atenda; Então, os que estiverem na Judeia, fujam para os montes; E quem estiver sobre o telhado não desça a tirar alguma coisa de sua casa; E quem estiver no campo não volte atrás a buscar as suas vestes. Mas ai das grávidas e das que amamentarem naqueles dias! E orai para que a vossa fuga não aconteça no inverno nem no sábado; Porque haverá então grande aflição, como nunca houve desde o princípio do mundo até agora, nem tampouco há de haver. E, se aqueles dias não fossem abreviados, nenhuma carne se salvaria; mas por causa dos escolhidos serão abreviados aqueles dias. Então, se alguém vos disser: Eis que o Cristo está aqui, ou ali, não lhe deis crédito; Porque surgirão falsos cristos e falsos profetas, e farão tão grandes sinais e prodígios que, se possível fora, enganariam até os escolhidos. Eis que eu vô-lo tenho predito."
(Mateus 24.15-25)
 
Creio ser ele contextual com a realidade de nossos dias.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sexta-feira, 11 de julho de 2014

Estamos casados a 44 anos


A minha oração desta manhã está gravada em meu espírito desde ontem. É que hoje, Maria Célia Calegari & eu fazemos 44 anos de casados. Meu Deus... Como o tempo passou tão depressa! Parece que foi ontem que nos encontramos pela primeira vez; e, graças a Deus, foi um encontro para a vida inteira. Durante todo esse tempo, ela tem sido companheira sempre presente; amando o que amo, sentindo o que sinto, vivendo o que vivo... Somos dois, mas indivisíveis, como se fôssemos uma só pessoa. Sempre sonhei com ela, antes de conhecê-la. Eu a via como a garota dos meus sonhos; mas sem rosto visível. Jamais consigo vê-la fora dos meus planos; pois, sei que é dádiva de Deus para tornar minha vida completa; Assim, não devo abrir mão de tamanha dádiva, pois é de Deus e deve ser preservada!
 
Mas hoje, a nossa pequena casa já não é tão pequena... Os filhos - um a um - foram chegando e ocupando o seu lugar na casa que também é deles: Sebastião Calegari, Elizeu Calegari, Ezequiel Calegari & Daniela Calegari. E, com eles, vieram Simone Calegari, Synara Bastos Calegari e Alessandro Rosendo; uma bela família que gerou belos netos: Isabela Bastos Calegari, Rafaela Calegari, Ana Carolina Calegari, Alexandra, Arthur, Eduardo e Beatriz. Enfim, uma bela e querida família que sobrevive da graça de Deus. Raramente estamos todos juntos; pois as ocupações de cada parte torna difícil reunir todos em um mesmo lugar ao mesmo tempo. Mas... É assim mesmo a vida. O importante é termos o favor de Deus enquanto ainda estamos por aqui, desfrutando os momentos que nos concede desfrutar.
 
Este salmo tem abençoado a minha vida, desde longo tempo; todavia, percebo que ele não é apenas expressão de promessas do Pai: "1 BEM-AVENTURADO aquele que teme ao SENHOR e anda nos seus caminhos. 2 Pois comerás do trabalho das tuas mãos; feliz serás, e te irá bem. 3 A tua mulher será como a videira frutífera aos lados da tua casa; os teus filhos como plantas de oliveira à roda da tua mesa. 4 Eis que assim será abençoado o homem que teme ao SENHOR. 5 O SENHOR te abençoará desde Sião, e tu verás o bem de Jerusalém em todos os dias da tua vida. 6 E verás os filhos de teus filhos, e a paz sobre Israel." (Salmo 128). Se meditarmos profundamente em seus ensinamentos, poderemos ver que ele é também uma fórmula infalível para uma vida familiar abençoada pelo Senhor.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quinta-feira, 10 de julho de 2014

Perfeição cristã


Tenho pensado na perfeição... Uma das coisas que aprendemos, quando nos quedamos aos pés do Senhor em plena rendição; é que não somos tão perfeitos como - algumas vezes, - imaginamos ser. Sei que isso colide com a influência do humanismo, que cresce e prevalece nas relações humanas; sendo este um dos responsáveis pelo desmantelamento de valores tradicionais e pela ruptura de alianças importantes entre os homens. No entanto, por mais que nos esforcemos para obter a perfeição; o máximo a que conseguiremos chegar, se reduzirá a algumas realizações bem feitas, admiradas por outros homens tão imperfeitos quanto nós. Resumindo: As coisas perfeitas que as vezes fazemos, não servem de referência para pensarmos naquela perfeição pessoal que jamais atingiremos, enquanto humanos.
 
Isso não significa que não possamos alcançar certos níveis de perfeição relativa, em algumas áreas específicas; por exemplo: Podemos ser perfeitos em amor; em obediência; e, até mesmo, em certas realizações. Mas isto não quer dizer que sejamos plenamente perfeitos. Esta perfeição é exclusiva de Deus; pois, segundo a Bíblia, até em Seus anjos Ele vê loucura. As vezes, nosso modo "perfeito" de julgar tem trazido sérios problemas de relacionamento interpessoal. Conheço casais que sofrem as consequências do modo perfeccionista com que uma das partes julga o modo de ser da outra. E não são poucos os lares afogados pelo "mar" de cobranças e exigências feitas por um dos cônjuges. Muitos lares ainda conseguem sobreviver, justamente pela paciência do cônjuge "imperfeito".
 
Jamais conseguiremos nos salvar por auto proclamada perfeição ou por nosso jeito pretensioso de ser. E neste quesito, nem mesmo nossa fé é capaz de nos salvar por si mesma (algumas vezes, ela é a causa maior dos erros de avaliação e escolha que fazemos). Somente a graça que veio por Jesus Cristo pode nos salvar; só então, a partir daí, a nossa fé em sintonia com a Palavra de Deus, se constitui no elemento mediante o qual a graça nos salva. E esta graça - instrumento único capaz de compensar nossa inegável imperfeição - é capaz de nos manter seguros pela mão do Senhor; enquanto somos conduzidos pelo Seu Espírito Santo no Caminho da Vida; desviando-nos dos destroços da religiosidade humana que encontramos ao longo do caminho estreito que nos conduz à Vida Eterna.
 
Este é um dos textos que revela o alcance da graça e a fórmula exata da salvação:
 
"Mas Deus, que é riquíssimo em misericórdia, pelo seu muito amor com que nos amou, Estando nós ainda mortos em nossas ofensas, nos vivificou juntamente com Cristo (pela graça sois salvos), E nos ressuscitou juntamente com ele e nos fez assentar nos lugares celestiais, em Cristo Jesus; Para mostrar nos séculos vindouros as abundantes riquezas da sua graça pela sua benignidade para conosco em Cristo Jesus. Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus. Não vem das obras, para que ninguém se glorie; Porque somos feitura sua, criados em Cristo Jesus para as boas obras, as quais Deus preparou para que andássemos nelas."
(Efésios 2.4-10)
 
Sinto grata felicidade, por saber que Jesus deu Sua vida por mim; para que eu possa viver dEle, por Ele e para Ele!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quarta-feira, 9 de julho de 2014

Não preciso ser grande


Nesta manhã, ao me derramar diante do Pai; meu primeiro sentimento foi de adoração. Depois senti necessidade de agradecer... Especialmente pela coleção de milagres que guardo com muito carinho em minha pequena casa (não tenho um membro sequer, de minha família, que não tenha uma história de milagre em sua vida). E minha coleção de milagres não para de crescer! E, deste modo, assim como em cada pedra de carvão eu vejo o DNA do diamante; em cada provação ou luta incomum eu consigo ver o embrião de um milagre. Glória a Deus! Portanto, carrego comigo o sentimento de que - se eu tenho um DEUS tão grande - eu não preciso ser grande em coisa alguma... A não ser na confiança que cresce em mim e NELE eu deposito!
 
Prostrado em adoração perante o Pai; Me assegurei de ter minhas duas colunas - Salmo 23 & Oração do Pai Nosso - uma à minha direita, outra à minha esquerda. Então, rendido em oração, recitei as duas; e, como me senti bem! Como geralmente acontece, as lágrimas vieram me visitar, mas por curto tempo... Enquanto isso, minha oração mudou do estado de gratidão para o estado de intercessão; e se tornou volátil - tal e qual rolinhos de fumaça - subindo à presença do Pai, semelhante ao incenso quando queimado. Consegui citar o nome de todos os pastores do Pará, Tocantins, Goiás e Minas Gerais. Pelos da Bahia e Espírito Santo eu orei "por atacado" (pretendo citá-los amanhã). Obrigado, Senhor, por tudo que me dás ou que me negas!
 
Este texto me ensina que - em determinada situações, a oração deve ser incisiva:
 
"Está alguém entre vós aflito? Ore. Está alguém contente? Cante louvores. Está alguém entre vós doente? Chame os presbíteros da igreja, e orem sobre ele, ungindo-o com azeite em nome do Senhor; E a oração da fé salvará o doente, e o Senhor o levantará; e, se houver cometido pecados, ser-lhe-ão perdoados. Confessai as vossas culpas uns aos outros, e orai uns pelos outros, para que sareis. A oração feita por um justo pode muito em seus efeitos. Elias era homem sujeito às mesmas paixões que nós e, orando, pediu que não chovesse e, por três anos e seis meses, não choveu sobre a terra. E orou outra vez, e o céu deu chuva, e a terra produziu o seu fruto."
(Tiago 5.13-18)
 
E me ensina também que a oração deve estar sempre mesclada com fé, perdão e confissão.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

terça-feira, 8 de julho de 2014

Fim desta dispensação

 Foto: Após passar algum tempo em oração perante o Senhor; fiquei a pensar nos dias em que vivemos... Dias carregados de ansiedade, e inquietação. Desde que me entendo por crente, eu sempre soube que o "mundo jaz no maligno" e que haveria um "princípio de dores" a anteceder o fim desta dispensação; após o qual, ocorreriam males incomuns. No entanto, não imaginei que faria parte da geração-testemunha de tais ocorrências. Sei que não sou profeta ou filho de profeta; pois aprendi que um profeta de Deus não sobrevive de percentuais positivos de acertos em suas afirmações; ou seja: Um profeta que consegue acertar 90% dos seus prognósticos pode ser considerado um falso profeta; pois a mensagem de um profeta de Deus tem a seu favor 100% de aproveitamento naquilo que diz. 

Em meio a tudo isso, tenho pensado na necessidade de manter minha cabeça no céu e os meus pés bem firmados no chão. Deste modo, tenho buscado graça da parte de Deus para conservar viva a chama da fé, esperança e amor; evitando a todo custo tomar certas medidas, tais como: medidas desesperadas, medidas equivocadas, ou medidas influenciadas por pressão, opinião ou circunstâncias da vida. Sei que preciso manter o meu coração e os meus olhos firmados na Palavra de Deus (Bíblia) e no Filho de Deus (Jesus); pois, em se tratando de segurança eterna, qualquer descuido pode ser fatal, irreversível. Na vida, aprendi que não se pode conter o vento ou as ondas do mar; aprendi também que alguns males não podem ser contidos... Todavia, pela graça de Deus, podem ser atenuados.

Após passar algum tempo em oração perante o Senhor; fiquei a pensar nos dias em que vivemos... Dias carregados de ansiedade, e inquietação. Desde que me entendo por crente, eu sempre soube que o "mundo jaz no maligno" e que haveria um "princípio de dores" a anteceder o fim desta dispensação; após o qual, ocorreriam males incomuns. No entanto, não imaginei que faria parte da geração-testemunha de tais ocorrências. Sei que não sou profeta ou filho de profeta; pois aprendi que um profeta de Deus não sobrevive de percentuais positivos de acertos em suas afirmações; ou seja: Um profeta que consegue acertar 90% dos seus prognósticos pode ser considerado um falso profeta; pois a mensagem de um verdadeiro profeta de Deus carrega consigo 100% de acerto naquilo que diz.
 
Em meio a tudo isso, tenho pensado na necessidade de manter minha cabeça no céu e os meus pés bem firmados no chão. Deste modo, tenho buscado graça da parte de Deus para conservar viva a chama da fé, esperança e amor; evitando a todo custo tomar certas medidas, tais como: medidas desesperadas, medidas equivocadas, ou medidas influenciadas por pressão, opinião ou circunstâncias da vida. Sei que preciso manter o meu coração e os meus olhos firmados na Palavra de Deus (Bíblia) e no Filho de Deus (Jesus); pois, em se tratando de segurança eterna, qualquer descuido pode ser fatal. Ao longo da vida, aprendi que não se pode conter o vento ou as ondas do mar; aprendi também que alguns males não podem ser contidos... Todavia, pela graça de Deus, tais males podem ser atenuados.
 
Em alguns momentos devocionais, procuro meditar no sermão escatológico de Jesus:
 
"E Jesus, respondendo, disse-lhes: Acautelai-vos, que ninguém vos engane; Porque muitos virão em meu nome, dizendo: Eu sou o Cristo; e enganarão a muitos. E ouvireis de guerras e de rumores de guerras; olhai, não vos assusteis, porque é mister que isso tudo aconteça, mas ainda não é o fim. Porquanto se levantará nação contra nação, e reino contra reino, e haverá fomes, e pestes, e terremotos, em vários lugares. Mas todas estas coisas são o princípio de dores. Então vos hão de entregar para serdes atormentados, e matar-vos-ão; e sereis odiados de todas as nações por causa do meu nome. Nesse tempo muitos serão escandalizados, e trair-se-ão uns aos outros, e uns aos outros se odiarão. E surgirão muitos falsos profetas, e enganarão a muitos. E, por se multiplicar a iniqüidade, o amor de muitos esfriará. Mas aquele que perseverar até ao fim será salvo. E este evangelho do reino será pregado em todo o mundo, em testemunho a todas as nações, e então virá o fim."
(Mateus 24.4-14)
 
Ele nos livra de esperanças infundadas, ao nos alerta para realidades futuras inevitáveis.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

segunda-feira, 7 de julho de 2014

Precipitação


Querido Pai... Hoje, como em tantas outras vezes, eu me sinto como se não tivesse o que dizer; mas, certamente, tenho muito que dizer; todavia, muito mais o que ouvir... Ouvir Tua voz soar no íntimo, trazendo conforto e calma ao meu espírito sempre sequioso, anelante por ouvir Tua voz e Teu conselho. Preciso testemunhar que foi uma bela experiência, ter estado ontem no culto na 2ª IMW de Juiz de Fora - com o Pastor Carlos Roberto Martins, sua esposa Ester e seus filhos - em uma reunião marcada por alegria, cheia de frutos de avivamento. Minha querida esposa Maria Célia deixou-se usar por Ti, em uma palavra ungida às dezoito "Déboras" existentes naquela igreja; e ainda deixou tempo bastante para que o Senhor me usasse. E a dedicação da juventude nos impressionou!
 
Assim, amado Pai... Tenho entendido que o Teu reino é constituído de pessoas frágeis (tal como eu), carentes do Teu cuidado, que não sabem andar sozinhas; e, quando tentam, acabam por esbarrar nos marcos de segurança que fixaste para nos guiar e proteger. E não são poucos os que procuram fazer algo para Ti, sem procurar primeiro conhecer Tua opinião acerca do que pretendem fazer. Aliás, a indisposição de buscar conselho na Palavra do Senhor é uma tendência de todos nós, homens e mulheres de Deus; desejosos de te servir sem medir consequências. Então, movidos pela pressa em fazer Teu querer, alguns de nós nem se da ao trabalho de levar o "réu" perante o Senhor, como fizeram os fariseus: Primeiro, atiramos a pedra; e só depois perguntamos Tua opinião.
 
Estas palavras foram proferidas por Jesus, logo após o episódio da mulher surpreendida em adultério:
 
"Falou-lhes, pois, Jesus outra vez, dizendo: Eu sou a luz do mundo; quem me segue não andará em trevas, mas terá a luz da vida. Disseram-lhe, pois, os fariseus: Tu testificas de ti mesmo; o teu testemunho não é verdadeiro. Respondeu Jesus, e disse-lhes: Ainda que eu testifico de mim mesmo, o meu testemunho é verdadeiro, porque sei de onde vim, e para onde vou; mas vós não sabeis de onde venho, nem para onde vou. Vós julgais segundo a carne; eu a ninguém julgo. E, se na verdade julgo, o meu juízo é verdadeiro, porque não sou eu só, mas eu e o Pai que me enviou. E na vossa lei está também escrito que o testemunho de dois homens é verdadeiro. Eu sou o que testifico de mim mesmo, e de mim testifica também o Pai que me enviou."
(João 8.12-18)
 
Isto serve de exemplo para todos nós; que temos um forte senso de justiça, nem sempre calibrado na graça e no amor de Deus.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

domingo, 6 de julho de 2014

Mais um fiel é recolhido

 
 
Faleceu em primeiro de julho o Presbítero Pedro - estagiário na IMW Tocantins, na zona da mata mineira. Sua partida para o Senhor é uma lacuna difícil de ser preenchida; pois seu testemunho cristão sempre inspirou as pessoas que conviviam com ele. Ao partir para o Senhor, assume o trabalho wesleyano a irmã Lucimária Viana, que sempre esteve ao seu lado, dedicada esposa e missionária. Creio que se aplica à sua pessoa, o seguinte texto: "Combati o bom combate, acabei a carreira, guardei a fé. Desde agora, a coroa da justiça me está guardada, a qual o Senhor, justo juiz, me dará naquele dia; e não somente a mim, mas também a todos os que amarem a sua vinda." (II Timóteo 4.7-8).

Não cheguei a ter uma convivência tão próxima com o querido Pb Pedro, que estava a pouco tempo conosco. No entanto, as vezes em que tivemos a oportunidade de esta juntos me autorizam a dizer que pude ver neste homem de Deus a demonstração de um caráter cristão despojado e admirável. Embora dedicasse tempo parcial à igreja; sua vida se deixava usar pelo Senhor, como se fosse em tempo integral. Sua esposa Lucimária - mulher de visão missionária - formava com ele um par unido e consagrado ao Senhor e ao Seu povo. Sei que a pequena igreja em Tocantins de Minas irá sentir sua falta; assim como todos nós, do quadro de obreiros da IMW da 2ª Região.

Graças a Deus, o seu testemunho nos permite declarar que o céu o recebeu em festa. Em minha condição de Superintendente Regional da 2ª Região; posso Louvar a Deus por termos tido sua presença conosco, durante o tempo que o Senhor nos permitiu desfrutar de sua companhia. Tenho plena convicção que o Senhor confortará os seus queridos - enlutados com seu falecimento - enviando o Seu Espírito Santo para confortar os seus corações. E deixo este texto: "E ouvi uma voz do céu, que me dizia: Escreve: Bem-aventurados os mortos que desde agora morrem no Senhor. Sim, diz o Espírito, para que descansem dos seus trabalhos, e as suas obras os seguem." (Apocalipse 14.13).
 
Com pesar;
Maria Célia e Bispo Calegari

sábado, 5 de julho de 2014

Minha cota de humildade


Hoje senti necessidade de buscar reforço extra no lugar de oração. É que enquanto vivemos neste mundo, existem dias e dias... Dias venturosos, dias difíceis; dias de exultação, dias de provação; enfim... Os dias que se sucedem, nunca serão exatamente iguais. Portanto, existem dias em que a necessidade de buscar a face do Senhor não é apenas necessária; é imperiosa! Como é importante os crentes entenderem isso! Então, busquei no Senhor a graça que preciso ter para lidar com o dia... Busquei renovo em Sua presença; pois preciso de unção fresca para ser um vaso em condição de cumprir plenamente minha missão segundo Sua perfeita vontade.
 
Preciso ser paciente, para lidar com pessoas que não conseguem ver a vida como eu a vejo; e também ser manso o bastante, para assimilar ofensas e provocações que, lá na frente, irão ferir e magoar muito mais aqueles que tentam me afligir. É verdade! Preciso manter em dia minha cota de humildade, para entender que alguns talentos que recebi não me tornam superior a ninguém; e que, naquele dia em que comparecerei diante do Senhor, não será surpresa encontrar à minha frente, em honra, aquele irmão que parecia ser menor do que eu. Enfim, pedi a Deus que me ajude a não me deixar levar pela aparência; pois a aparência deste mundo passa.
 
Desde que comecei a ler a Bíblia, este foi um texto que me causou profunda impressão, desde a primeira vez que o li:
 
"Naquele tempo, respondendo Jesus, disse: Graças te dou, ó Pai, Senhor do céu e da terra, que ocultaste estas coisas aos sábios e entendidos, e as revelaste aos pequeninos. Sim, ó Pai, porque assim te aprouve. Todas as coisas me foram entregues por meu Pai, e ninguém conhece o Filho, senão o Pai; e ninguém conhece o Pai, senão o Filho, e aquele a quem o Filho o quiser revelar. Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e encontrareis descanso para as vossas almas. Porque o meu jugo é suave e o meu fardo é leve."
(Mateus 11.25-30)
 
Na primeira vez em que o li, senti que minha crença só seria útil e relevante se eu vivesse em consonância com seu ensino.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sexta-feira, 4 de julho de 2014

Insondável mistério


Na manhã de segunda-feira, enquanto eu ainda orava em Bom Sucesso - tranquila cidade do sul de Minas Gerais - na casa do Pastor Edson Borges e irmã Maria Angela Pimenta Borges; pensei em Moisés. Ele, que foi um dos maiores homens de Deus da História, desejou ver a face do Senhor; no entanto foi advertido pelo o próprio Deus quanto ao risco inerente à visão. Assim, da fenda de uma rocha, teve que se contentar em ver Sua sombra. É isso mesmo!!! Não há como contemplar a face do Deus eterno e sair ileso desta visão. Neste instante, fui tomado de grande e profundo temor; pois, entendi que jamais conseguirei ver a face do Deus eterno; posto que o único modo de contemplá-lo é olhando para Jesus - expressa imagem do Pai - cuja visão me mantém em sintonia com o Deus todo poderoso, sem correr risco ou perder o rumo. Enquanto me recompunha em meu interior, fui levado a refletir...
 
Fato é (isto afirmo com certeza) que homem algum jamais conseguirá encontrar Deus na matemática, na física ou na biologia; pois, ainda que consiga por este processo, descobrir verdades a Seu respeito; todavia, jamais O encontrará por meio de simples observação e pesquisa. Portanto, se pretendemos conhecer Sua divina Pessoa, mesmo envolta em insondável mistério; só conseguiremos resultado ao manter os olhos fixos em Sua Palavra e em Jesus, o Autor da Vida. A visão unicista de Deus; por não conseguir explicá-lo pela razão e investigação, procura definir de modo simplista este mistério: Uma das correntes do unicismo declara que Jesus é tudo; a outra declara que Jesus não é nada - ambas se auto afirmando como única depositária do mais indecifrável mistério do Universo. E assim - para o bem ou mal de ambas - nenhuma das duas tem a razão que pensam ter naquilo que proclamam.
 
Na verdade, o Pai existe e é reconhecido pelo próprio Filho; e, por sua vez, o Filho existe e é reconhecido pelo próprio Pai; e, de igual modo, o Espírito Santo existe e é reconhecido e por ambos - Pai e Filho - sendo Ele o agente invisível da divindade indivisível e coexistente em três Pessoas distintas. Todavia, este mistério não é para ser discutido em rodas de teólogos; ou investigado por curiosos; ou mesmo sistematizado em algum esboço teológico. Este é um fato que não busca ou exige comprovação. Deus se basta a si mesmo; não dependendo de conceitos ou preconceitos a Seu respeito para ter sua existência legitimada. Quanto a nós - simples mortais - somente nos cabe amar a Deus; proclamando o amor do Pai; unindo nossa vida ao Seu Filho Jesus; e, anunciando, cheios do Espírito Santo, salvação em Cristo Jesus a todos os homens e mulheres deste mundo tão carente de libertação e de paz.
 
Louvo sempre a Deus por ter ao meu alcance as Escrituras Sagradas, pois foi nela que pude entender o plano de Deus para minha vida; encontrando em suas páginas tesouros em forma doutrina e poesia, tais como esta: "Ó profundidade das riquezas, tanto da sabedoria, como da ciência de Deus! Quão insondáveis são os seus juízos, e quão inescrutáveis os seus caminhos! Porque, quem compreendeu a mente do Senhor? ou quem foi seu conselheiro? Ou quem lhe deu primeiro a ele, para que lhe seja recompensado? Porque dele e por ele, e para ele, são todas as coisas; glória, pois, a ele eternamente. Amém." (Romanos 11.33-36). É verdade! Posso afirmar que sou o que sou e devo a Deus tudo o que tenho; e que, mediante Sua Palavra, posso carregar comigo um tesouro sob a forma de  conhecimento; ciente que não poderia discernir seus ensinos sem o auxílio do Seu Espírito Santo.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari