sábado, 31 de maio de 2014

Novamente em casa


Ao voltar do Sul de Minas, estive aos pés do Senhor, agradecendo a Deus por tudo aquilo que vi nas igrejas daquela micro-região. Na verdade, sinto que um novo mover começa a se delinear (não sei se em todas as igrejas). Naquelas que visitei, pude sentir o agir sobrenatural de Deus; algo como se uma plataforma estivesse sendo montada, para o alavancar de uma grande obra (eu diria, nos moldes daquilo que está acontecendo na zona da mata mineira). Foram dias em que minha atuação na rede ficou comprometida; todavia, minha atuação no Reino foi maravilhosamente compensada! Pude também entrevistar dois pastores que sentiram desejo de se filiar ao nosso Ministério; servos como nós, dispostos a "suar a camisa" em prol dos perdidos e achados.
 
O Pastor Natanael (SD do Distrito de S. Lourenço) e sua esposa Meire Oliveira, me deram o suporte necessário à esta importante visita episcopal. É verdade: Minha ida - tanto à Metodista Wesleyana de Itamonte, pastoreada pelo Pastor Gilberto Leite; como à Metodista Wesleyana Alagoa-mg, pastoreada pelo Pastor Jairzinho Sena - foi regada com a unção do Espírito de Deus. Mesmo que eu me esforçasse, não conseguiria traduzir aquilo que senti em meio aos queridos irmãos de ambas as igrejas. A atenção que recebi por parte de cada irmão, me fez sentir como se fôssemos irmãos de sangue se reencontrando após uma longa ausência. Senti profunda comunhão e alegria transpirar em cada abraço e cada conversa que mantivemos. Glória a Deus!
 
Sempre sinto profunda gratidão a Deus por estar novamente em casa; e no itinerário traçado, depois de uma viagem em que precisei tomar dois ônibus. Na estrada montanhosa que separa as cidades de Alagoa e Itamonte, vi a mão de Deus nos poupar, quando o carro do irmão André Salomão derrapou na lama da estrada e foi contido pelo Senhor bem à beira do barranco. Agradeço muito a Deus pela vida deste querido irmão; pois fez uma viagem de ida e volta - em percurso de trinta km e tempo chuvoso - gastando duas horas de viagem, apenas para me deixar em Itamonte. Meu filho Elizeu Calegari foi me buscar na rodoviária de Petrópolis; então pudemos nos abraçar e colocar o "papo em dia". Enfim, pude abraçar e beijar minha querida esposa Maria Célia Calegari.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sexta-feira, 30 de maio de 2014

A tarefa mais urgente


Nesta madrugada senti necessidade de me levantar bem mais cedo. Sei que minha garganta não está ajudando muito; mas... Existem tarefas que não podemos simplesmente adiar, seja a que pretexto for; ou... Lançar no limbo do esquecimento, como se nosso esquecimento delas nos libertasse. E a oração é uma delas; talvez a tarefa mais urgente; pois, buscar a Deus antes de qualquer outra coisa é a missão mais importante de toda a história humana. Hoje, se Deus permitir, pretendo estar visitando o Distrito de São Lourenço no Sul de Minas. Louvo sempre a Deus por aquelas igrejas (S. Lourenço, Caxambu, Baependi, Itamonte, Alagoa e Cruzilha). Meu genro Alessandro se dispôs a me conduzir em seu carro até Juiz de Fora; e de lá, tomarei um ônibus para o sul de Minas; onde o Pastor Natanael - Superintendente do Distrito de São Lourenço - já está a minha espera.
 
Logo, não posso deixar de orar em favor das cidades e das igrejas que pretendo visitar. Sei que existem barreiras no mundo espiritual - longe dos olhos e sentidos carnais - que só conseguirei transpor se estiver quedado aos pés do Senhor. Tenho visto a mão de Deus agir enquanto ando e sei que isso não se deve a alguma virtude pessoal que eu possua (talentos e virtudes pessoais não são suficientes para garantir a presença de Deus entre nós). Portanto, orar é o mais importante trabalho na vida de um servo de Deus; e deve vir antes de qualquer outra coisa. Como lidar com adversários que não vemos; a não ser por meio de oração? Os homens estão priorizando fama e dinheiro a qualquer preço - até mesmo ao custo da espiritualidade e da honra - e não estou me referindo apenas aos homens ímpios, dominados por este sistema corrupto e corruptor que nos assedia.
 
Então, preciso orar mais do que nunca! Orar por minha vida, por minha família, por minha igreja, por meus irmãos e amigos, por minha nação. Já tenho dito, por diversas vezes, que não vejo futuro no sistema que rege este mundo injusto e decadente. Mundo que consegue ludibriar até mesmo bons servos de Deus; ao ponto de torná-los simples promotores deste sistema condenado. Sei que existem aqueles que discordam das coisas que digo; mas, isso não me causa o menor incômodo. Sei o que vejo e o que sinto; e, melhor ainda, conheço o Deus a Quem eu sirvo. Entretanto, não devo julga-los com dureza; pois vivemos um tempo de escolhas e definições; e todos precisarão optar por um dos lados. Que o Senhor nos ajude a fazer a escolha certa. Portanto, vou procurar me manter atento, guardando princípios e valores que herdei dos que vieram antes de mim.
 
Este texto bíblico é parte de uma relação de textos de advertência quanto a este tempo: "Filhinhos, escrevo-vos, porque pelo seu nome vos são perdoados os pecados. Pais, escrevo-vos, porque conhecestes aquele que é desde o princípio. Jovens, escrevo-vos, porque vencestes o maligno. Eu vos escrevi, filhos, porque conhecestes o Pai. Eu vos escrevi, pais, porque já conhecestes aquele que é desde o princípio. Eu vos escrevi, jovens, porque sois fortes, e a palavra de Deus está em vós, e já vencestes o maligno. Não ameis o mundo, nem o que no mundo há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele. Porque tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não é do Pai, mas do mundo. E o mundo passa, e a sua concupiscência; mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre." (1 João 2.12-17). Precisamos, hoje mais do que nunca, fortalecer nossa fé e nossa esperança em Jesus!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quinta-feira, 29 de maio de 2014

Votos matrimoniais


Na vida, existem coisas que são inegociáveis; família, crença, caráter e honra estão entre elas. Infelizmente, na mesma medida em que o ser humano vai se afastando do Deus vivo; também se afasta dos valores herdados dEle. Hoje é bem comum, vermos pessoas descartando seu cônjuge - ou contrariadas com o seu jeito de ser; ou trocando-o por uma "oferta de ocasião" que consiga roubar seu coração - como se uma simples troca de cônjuge resolvesse os problemas gerados em uma relação em crise. Vemos até mesmo bons cristãos e bons obreiros, caírem neste tipo de armadilha - convencidos de estarem fazendo algo normal - sem perceberem que os vínculos do sagrado matrimônio são indissolúveis; apenas rompidos quando um de seus integrantes trai o outro, ou até que a morte os separe. Portanto, o que maridos e esposas precisam saber é que - à luz da Palavra de Deus - a liberação dos votos matrimoniais só é possível mediante a morte ou traição de um dos cônjuges.
 
Em minha condição de Pastor e Bispo, tenho visto novos lares serem construídos sobre os escombros de antigos lares desfeitos. Percebo também que, em muitos dos casos que conheço, alguns problemas continuam presentes no novo relacionamento; como se fossem parasitas presos na história de vida de daqueles cônjuges aliançados por um novo casamento. Talvez seja esta a razão pela qual algumas pessoas já tenham passado por vários relacionamentos - como se estivessem aprisionadas em um ciclo vicioso - nos quais os mesmos erros e desavenças vão se repetindo. Então, ao refletir sobre este problema, fico a pensar que - em muitos dos casos que conheço - teria sido bem melhor a alguém mergulhado em um novo relacionamento sem futuro, se tivesse investido um pouco mais na tentativa de restauração do casamento anterior; buscando em Deus os meios de salvar o que poderia ter sido salvo, usando uma dose maior de fé e amor mesclada com bom senso e paciência.
 
Este é um dos texto bíblicos que um casal em crise deve manter sempre diante dos olhos: "Então chegaram ao pé dele os fariseus, tentando-o, e dizendo-lhe: É lícito ao homem repudiar sua mulher por qualquer motivo? Ele, porém, respondendo, disse-lhes: Não tendes lido que aquele que os fez no princípio macho e fêmea os fez, E disse: Portanto, deixará o homem pai e mãe, e se unirá a sua mulher, e serão dois numa só carne? Assim não são mais dois, mas uma só carne. Portanto, o que Deus ajuntou não o separe o homem. Disseram-lhe eles: Então, por que mandou Moisés dar-lhe carta de divórcio, e repudiá-la? Disse-lhes ele: Moisés, por causa da dureza dos vossos corações, vos permitiu repudiar vossas mulheres; mas ao princípio não foi assim. Eu vos digo, porém, que qualquer que repudiar sua mulher, não sendo por causa de fornicação, e casar com outra, comete adultério; e o que casar com a repudiada também comete adultério." (Mateus 19.3-9). Se isto fosse observado e praticado; certamente, veríamos diminuir em muito, casos de divórcio entre o povo de Deus!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quarta-feira, 28 de maio de 2014

"Niver" do meu primogênito


Hoje achei por bem postar o testemunho pessoal de meu querido filho primogênito - Pastor Sebastião Calegari - escrito por ocasião do seu aniversário ocorrido no dia 18 deste mês de maio. A palavra me edificou e, certamente, edificará a todos aqueles que percorrerem este texto com os seus olhos.
 
"Que darei eu ao Senhor, por todos os benefícios que me tem feito?" (Salmo 116:12)
"Hoje, alcanço 43 anos de idade; vou filosofar...
 
Existem pessoas que procuram viver uma vida de conquistas; seu humor dura até alcançar uma nova conquista. Quando eu era mais novo, exigia mais da vida; achava que ela tinha o dever de me dar tudo o que eu sonhava ou pedia.
 
Com o tempo, descobri que, não temos esse direito tanto quanto achamos que temos; percebi que devo muito muito mais do que estava disposto a alcançar: uma dívida amortizada apenas com a Graça (que me basta e é o bastante).
 
Hoje, não tenho pedidos; não tenho promessas; não tenho cobranças... Hoje, eu me sinto cobrado pela vida, e por tudo o que Deus me permitiu ser, fazer, alcançar e até errar.
Hoje, não tenho sonhos pessoais; minha mente se dedica a sonhar uma forma de que as pessoas ao me redor realizem seus sonhos. Pode parecer até auto-comiseração, e não estou muito interessado em ser julgado pelos estudiosos do comportamento e da mente humana.
Hoje, acredito que, minha maior alegria já foi alcançada; o que eu mais necessitava da vida, ela já me deu. Como disse meu amigo pastor Adhemar de Campos: "Tenho amigos, família e muitos irmãos".
 
Hoje, minha maior satisfação, a qual buscarei até o fim da minha vida (e que seja longa), é ajudar pessoas e ministérios; fazer o máximo para que as pessoas convertidas a Cristo tenham muito mais do que uma EXPERIÊNCIA CRISTÃ: que tenham uma VIDA CRISTÃ.
Sinto-me no dever de fazer parte de uma igreja melhor; de ajudar a construir (sob o alicerce, que é Cristo) uma igreja local que seja o mais perto possível do que Jesus sonhou, quando disse "a minha Igreja".
 
O que posso pedir mais a Deus?
 
Tenho uma família abençoada e feliz. Nossa felicidade baseia-se nas nossas conquistas e vitórias, mesmo quando tudo parecia perdido. Nossa felicidade não é apenas um conceito; é algo real e palpável - algo que se vê e se ama. Simone, Isabela e Rafaela, são a expressão da minha felicidade. Para mim, ser feliz, é te-las ao meu lado, para sempre.
 
Meus pais e irmão são minha referencia e origem. Não nascemos no céu; nascemos nessa terra: uma terra difícil e corrompida. Mas, conseguimos, como família, superar as investidas de satanás. Hoje, ele continua roubando, matando e destruindo: mas seus alvos são outros. "Por mais que as trevas militem, e nos tentem separar; com os nossos olhos em Cristo, unidos iremos andar".
 
Minha denominação é a melhor de todas... Que eu poderia fazer parte. Ela me proporcionou desenvolver meu ministério, me deu desafios e oportunidades; as missões que recebi, em Deus, foram concretizadas. Se bem ou mal, as obras ou os frutos falam por mim.
 
Hoje, sou um pastor extremamente feliz e desafiado. Parece fácil quando postamos fotos de eventos aqui em Guarapari; mas, quem vive aqui, sabe que tudo isso não é fácil, nem é vitória de uma só pessoa. Creio que um pastor diferente, faria o que tenho feito, mas de forma diferente; não me considero O tal, mas, procuro ser fiel aos propósitos de Deus, mesmo quando minha fraqueza se manifesta. Deus é fiel!
 
Tenho amigos... Muitos. E você, que lê essa mensagem, é um deles. Sejam aqueles amigos que conhecemos a muito tempo, gerados em aflição, ou amigos à primeira vista ou olhar. Não importa muito. Os últimos podem ser os primeiros, e os superficiais podem ser os mais fáceis de alcançar. Mas louvo a Deus por sua vida, meu amigo. E conto com suas orações.
Agora, chega... Rsrs
 
Sou grato a Deus pela vida; me considero total devedor, e peço que Ele me de tempo de recompensar tudo o que me proporcionou. Abraços a todos. Um abençoado domingo!"
 
Pastor Sebastião Calegari
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

terça-feira, 27 de maio de 2014

Dia do Pastor Wesleyano


Postei este momento de oração em meu perfil no sábado, em S. Lourenço (sul de Minas); mas não consegui postá-lo em minha fanpage (o que faço agora).
 
"Hoje acordei em S. Lourenço, bela cidade do sul de Minas; conhecida por seu clima agradável e suas águas termais. É que aqui fica a igreja sede e o SD do Distrito wesleyano de S. Lourenço. Só que o meu despertar se deu a cinco da manhã, envolto no frio característico desta região, para buscar a face do Senhor (que momento bom eu pude passar na presença do Deus eterno, meu Pai celestial!). Agradeci muito por ter me permitido ser vaso em Suas mãos no culto, ontem, na IMW de Itamonte (a maioria dos pastores do distrito estavam lá), onde pude abraçar o Pastor Gilberto Leite e sua querida família. Enquanto eu agradecia a Deus pelo privilégio de ser vaso em Suas mãos, cresceu em mim a convicção de que uma mensagem só tem sentido se for realmente chancelada pelo Senhor.
 
Outro assunto que veio ao meu espírito nesta manhã foi a comemoração do Dia do Pastor Wesleyano, sempre no dia 24 de maio. Esta é uma data oportuna para que todo pastor wesleyano faça uma profunda reflexão quanto ao rumo do seu ministério pastoral, procurando ver onde tem errado ou acertado; para ampliar a dimensão de seus acertos, de modo a tornar mais eficiente o sua missão de cuidar de vidas pelas quais Jesus morreu; e, para não repetir erros costumeiros que comprometem a saúde e eficácia do seu ministério pastoral. Tenho procurado orar pelos pastores, pois, sei muito bem - por experiência própria - o quanto um pastor é pressionado (por dentro e por fora). Todavia, sei que a melhor oração em favor de um pastor é aquela que ele mesmo se dedica a fazer aos pés do Senhor."
 
Creio que é dever de cada pastor, ler, reler e meditar sempre neste texto sagrado:
 
"AI dos pastores que destroem e dispersam as ovelhas do meu pasto, diz o SENHOR. Portanto assim diz o SENHOR Deus de Israel, contra os pastores que apascentam o meu povo: Vós dispersastes as minhas ovelhas, e as afugentastes, e não as visitastes; eis que visitarei sobre vós a maldade das vossas ações, diz o SENHOR. E eu mesmo recolherei o restante das minhas ovelhas, de todas as terras para onde as tiver afugentado, e as farei voltar aos seus apriscos; e frutificarão, e se multiplicarão. E levantarei sobre elas pastores que as apascentem, e nunca mais temerão, nem se assombrarão, e nem uma delas faltará, diz o SENHOR. Eis que vêm dias, diz o SENHOR, em que levantarei a Davi um Renovo justo; e, sendo rei, reinará e agirá sabiamente, e praticará o juízo e a justiça na terra. Nos seus dias Judá será salvo, e Israel habitará seguro; e este será o seu nome, com o qual Deus o chamará: O SENHOR JUSTIÇA NOSSA."
(Jeremias 23.1-6)
 
Pois nele percebemos que um verdadeiro pastor deve priorizar sempre a exaltação do nome de Jesus e a edificação daqueles que Deus entregou aos seus cuidados pastorais.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

segunda-feira, 26 de maio de 2014

Colcha de retalhos


Na manhã deste dia, após dedicar o tempo necessário no lugar de oração; estive a pensar em minha vida de servo de Deus... Meus pensamentos percorreram longas distâncias. Enquanto eu refletia, comecei a me lembrar de incontáveis amigos e irmãos que agreguei à minha vida. Lembrei-me de minha passagem - como pastor - por Campos, Macaé, Petrópolis, Governador Valadares, Ipatinga, Mantena, Uberaba, Vila Nivi, Cabo Frio, Porto Velho, Ouro Preto d'Oeste, Aveiro, Gafanha da Nazaré, Estarreja, Salreu, Águeda, Lisboa (estas seis ultimas cidades, em Portugal). Em todos esses lugares onde servi como pastor, deixei ovelhas; muitas das quais ainda recordo o nome. Procurei ser pastor amoroso e atento às suas necessidades; pois não saberia exercer o ministério pastoral de outro modo (aprendi isto com Jesus, o Supremo Pastor de nossas almas).
 
Enquanto eu pensava sobre este assunto, fiquei a imaginar que nossa vida é como uma colcha de retalhos; que vai sendo composta com o passar do tempo. Retalhos coloridos que podem torná-la uma bela obra de arte, para a glória do Senhor. No entanto, existe o risco de transformarmos nossa vida em um emaranhado de retalhos, sem forma e sem cor; caso não busquemos cumprir o propósito de Deus para o qual fomos criados. Penso que, por mais desbotada e sem sentido que seja a vida de alguém; ela pode adquirir forma, cor e beleza, caso esteja pronta a buscar e praticar a vontade de Deus. Deve ser muito triste, alguém se reportar ao passado e perceber que sua vida navegou como um barco sem rumo no oceano da vida. No entanto, existe esperança de um novo tempo; pois a Palavra sinaliza com um novo começo para aqueles que abraçam Jesus.
 
Este é um testemunho a ser imitado pelos que pretendem servir a Deus:
 
"Porque, se anuncio o evangelho, não tenho de que me gloriar, pois me é imposta essa obrigação; e ai de mim, se não anunciar o evangelho! E por isso, se o faço de boa mente, terei prêmio; mas, se de má vontade, apenas uma dispensação me é confiada. Logo, que prêmio tenho? Que, evangelizando, proponha de graça o evangelho de Cristo para não abusar do meu poder no evangelho. Porque, sendo livre para com todos, fiz-me servo de todos para ganhar ainda mais. E fiz-me como judeu para os judeus, para ganhar os judeus; para os que estão debaixo da lei, como se estivesse debaixo da lei, para ganhar os que estão debaixo da lei. Para os que estão sem lei, como se estivesse sem lei (não estando sem lei para com Deus, mas debaixo da lei de Cristo), para ganhar os que estão sem lei. Fiz-me como fraco para os fracos, para ganhar os fracos. Fiz-me tudo para todos, para por todos os meios chegar a salvar alguns. E eu faço isto por causa do evangelho, para ser também participante dele."
(1 Coríntios 9.16-23)
 
Bem-aventurados são aqueles que seguem os bons exemplos!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quinta-feira, 22 de maio de 2014

Estranha onda


Venho em Tua presença na madrugada deste novo dia, querido Pai de amor e de misericórdia; em primeiro lugar, para Te adorar na beleza da santidade. Não é fácil descrever os momentos passados em prostração diante do Senhor. Minha alma Te adora e te exalta, Pai! Outro motivo é o aniversário de minha esposa Maria Célia e dos meus filhos - Pastor Sebastião Calegari e Elizeu Clegari - que aniversariam nesta semana. Te louvo por suas vidas, família e pelas atividades que exercem. No entanto, existe um motivo que tem me incomodado: a Necessidade de orar por minha nação e por Tua Igreja nela estabelecida. Vivemos dias inquietantes na pátria brasileira; pois, aqueles que se apropriaram desta nação, procuram a todo custo nos impor leis e costumes que contrariam Tua eterna Palavra. Novas formas de conceituar "verdade" e " "liberdade" estão trazendo à tona costumes e atitudes hostis aos Teus ensinos. É... Não existe esperança no reino dos homens; a não ser a que vem por Tuas promessas!
 
Enquanto a desconstrução dos valores tradicionais se desenrola, cresce o caos moral, a miséria e anarquia social. Mesmo no âmbito religioso, o cristianismo - assim como outros segmentos - está sendo distorcido por iminentes figuras representativas do mesmo; tudo em nome da pós modernidade e sob o fogo estranho da chamada Nova Era. E mesmo os verdadeiros cristãos estão sendo pressionados por figuras iminentes que se dizem seus representantes; as quais vivem chamando bênção ao que não é bênção e amor ao que não é amor. E nesta estranha onda, cumplicidade com o pecado está sendo confundida com tolerância para com o pecador. Ainda bem, temos Tua Palavra que - depurada de conceitos e interpretações espúrias - tem o poder de nos manter no rumo certo, a despeito de tudo aquilo que dizem contra ela ou a respeito dela. Nela, contemplamos Jesus - Autor da Vida e Consumador da Fé - de braços abertos; pronto a acolher em Seus braços aqueles que por Ti Lhe são enviados. Obrigado, Pai!

Este é um daqueles texto bíblicos que um casal em crise deve manter sempre diante dos olhos:
 
"Então chegaram ao pé dele os fariseus, tentando-o, e dizendo-lhe: É lícito ao homem repudiar sua mulher por qualquer motivo? Ele, porém, respondendo, disse-lhes: Não tendes lido que aquele que os fez no princípio macho e fêmea os fez, E disse: Portanto, deixará o homem pai e mãe, e se unirá a sua mulher, e serão dois numa só carne? Assim não são mais dois, mas uma só carne. Portanto, o que Deus ajuntou não o separe o homem. Disseram-lhe eles: Então, por que mandou Moisés dar-lhe carta de divórcio, e repudiá-la? Disse-lhes ele: Moisés, por causa da dureza dos vossos corações, vos permitiu repudiar vossas mulheres; mas ao princípio não foi assim. Eu vos digo, porém, que qualquer que repudiar sua mulher, não sendo por causa de fornicação, e casar com outra, comete adultério; e o que casar com a repudiada também comete adultério."
(Mateus 19.3-9)
 
Se isto fosse observado e aplicado; veríamos diminuir os casos de divórcio entre o povo de Deus!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quarta-feira, 21 de maio de 2014

"Niver" de Maria Célia e Elizeu

Foto: Hoje minha querida esposa Maria Célia Calegari - bela e bondosa como sempre - completa 60 anos bem vividos na presença de Deus (divulgo sua idade porque ela não esconde isso de ninguém). E ela não está sozinha nesta homenagem que faço; pois, está definitivamente ligada ao nosso querido filho Elizeu Calegari - que hoje completa 42 anos bem vividos na presença de Deus - desde o instante em que o seu corpo deu à luz nosso segundo filho no mesmo dia do seu aniversário. Este espaço seria por demais pequeno para registrar, ao menos, parte da história de nossas vidas; mas, não pequeno bastante a ponto de me impedir de dizer o quanto os amo e o quanto agradeço a Deus por suas vidas! Obrigado Senhor, por minha querida família; que não seria o que é, sem Teu cuidado sobre nós!!!

Hoje minha querida esposa Maria Célia Calegari - bela e bondosa como sempre - completa 60 anos bem vividos na presença de Deus (divulgo sua idade porque ela não esconde isso de ninguém). E ela não está sozinha nesta homenagem que faço; pois, está definitivamente ligada ao nosso querido filho Elizeu Calegari - que hoje completa 42 anos bem vividos na presença de Deus - desde o instante em que o seu corpo deu à luz nosso segundo filho no mesmo dia do seu aniversário. Este espaço seria por demais pequeno para registrar, ao menos, parte da história de nossas vidas; mas, não pequeno bastante, a ponto de me impedir de dizer o quanto os amo e o quanto agradeço a Deus por suas vidas! Obrigado Senhor, por minha querida família; que não seria o que é, sem Teu cuidado sobre nós!!!
 
Este precioso salmo traz grande conforto ao meu coração: "BEM-AVENTURADO aquele que teme ao SENHOR e anda nos seus caminhos. Pois comerás do trabalho das tuas mãos; feliz serás, e te irá bem. A tua mulher será como a videira frutífera aos lados da tua casa; os teus filhos como plantas de oliveira à roda da tua mesa. Eis que assim será abençoado o homem que teme ao SENHOR. O SENHOR te abençoará desde Sião, e tu verás o bem de Jerusalém em todos os dias da tua vida. E verás os filhos de teus filhos, e a paz sobre Israel." (Salmo 128). Ele demonstra de modo concreto, a fidelidade de Deus para com Seus filhos; e me faz perceber que aquilo que - mesmo em nossa pequenez - fazemos com temor e tremor em prol de Sua sagrada Causa, jamais será ignorado pelo Senhor!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

terça-feira, 20 de maio de 2014

Vida sem futuro


Desde que me converti ao Senhor Jesus, passei a acreditar com inteireza de coração, que, bons costumes e boas ideias nascem, crescem e florescem no lugar de oração. Sei que boas coisas podem também nascer em outros lugares - até mesmo sob o manto do materialismo e do ateísmo - todavia... Não vejo futuro em algo que não seja regado por oração na presença do Pai. Na verdade, até onde posso perceber, uma vida que não ora é uma vida sem futuro. E se, porventura, algumas pessoas conseguem apresentar bons resultados sem orar; tenho a mais absoluta certeza de que alguém está orando em seu favor para tornar seus resultados favoráveis.
 
Sei também que bons valores e conceitos podem se desenvolver na vida de alguém de boa fé, movido pelas melhores intenções. Todavia, caso não haja compromisso com Deus em seu desenvolvimento; o seu triste destino é o desvio de finalidade, ao serem desencaminhados e corrompidos com o passar do tempo. Mesmo as mais nobres instituições criadas para a edificação e aperfeiçoamento dos seres humanos - família e igreja por exemplo - podem vir a se corromper com o passar do tempo; caso não haja vida com Deus por parte daqueles que são seus integrantes. É por isto que, boas igrejas e bons casamentos acabaram perdendo sua razão de ser.
 
Em Seus ensinos, Jesus focou a oração como prioridade: "Porque em verdade vos digo que qualquer que disser a este monte: Ergue-te e lança-te no mar, e não duvidar em seu coração, mas crer que se fará aquilo que diz, tudo o que disser lhe será feito. Por isso vos digo que todas as coisas que pedirdes, orando, crede receber, e tê-las-eis. E, quando estiverdes orando, perdoai, se tendes alguma coisa contra alguém, para que vosso Pai, que está nos céus, vos perdoe as vossas ofensas. Mas, se vós não perdoardes, também vosso Pai, que está nos céus, vos não perdoará as vossas ofensas." (Marcos 11.23-26). Se a oração a Deus for feita com coração perdoador, milagres acontecem!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

segunda-feira, 19 de maio de 2014

Privações temporárias


Hoje, manhã bem cedo, fui chegando devagarinho ao lugar de oração. É bom dormir em casa, após vários dias sem poder me recostar ao lado de minha querida esposa, em nossa abençoada cama. Estive em Teixeira de Freitas, Eunápolis e Petrópolis (nesta última, participando de três reuniões administrativas muito abençoadas, sem deixar de serem exaustivas). Não podemos evitar que nossa vida, enquanto humanos, seja marcada por privações transitórias... No entanto, procuro tirar delas algo de bom; aproveitando a distância temporária, para fortalecer os laços de amor, comunhão e afeto que me unem às pessoas com quem convivo. Existem também as perdas que nos são infringidas - por nossa negligência ou desatenção. Existem pessoas que sofrem muito com perdas dolorosas. Eu afirmo que algumas delas podem ser restituídas; contudo, sua restituição vai depender do modo como procederem diante de Deus.
 
Enquanto eu ainda orava; veio a minha lembrança, nossos missionários que estão em diversos países (alguns hostis) testemunhando do amor de Deus revelado em Cristo Jesus. Muitas vezes sofrem retaliações - na saúde, família e ministério - sendo as vezes atacados por demônios disfarçados de seres humanos. Enquanto eu orava por eles, senti em meu íntimo que - em alguns casos - nossas orações serão as únicas defesas que terão contra as forças do mal. No entanto, nenhuma intercessão pontual suprirá a falta de intercessão por determinados objetivos. Por exemplo: Por mais que oremos pelos outros; não podemos jamais nos esquecer de orar por nossos familiares; pois, o simples fato de estarem próximos a nós não os torna mais protegidos. Não tenho a menor dúvida de que oração é indispensável arma nesta guerra contra o mal. Na verdade, a oração tanto nos aproxima de Deus; como também nos afasta do mal.
 
A Bíblia esta repleta de textos alusivos aos males deste tempo; que nos advertem quanto aos perigos:
 
"De onde vêm as guerras e pelejas entre vós? Porventura não vêm disto, a saber, dos vossos deleites, que nos vossos membros guerreiam? Cobiçais, e nada tendes; matais, e sois invejosos, e nada podeis alcançar; combateis e guerreais, e nada tendes, porque não pedis. Pedis, e não recebeis, porque pedis mal, para o gastardes em vossos deleites. Adúlteros e adúlteras, não sabeis vós que a amizade do mundo é inimizade contra Deus? Portanto, qualquer que quiser ser amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus. Ou cuidais vós que em vão diz a Escritura: O Espírito que em nós habita tem ciúmes? Antes, ele dá maior graça. Portanto diz: Deus resiste aos soberbos, mas dá graça aos humildes. Sujeitai-vos, pois, a Deus, resisti ao diabo, e ele fugirá de vós. Chegai-vos a Deus, e ele se chegará a vós. Alimpai as mãos, pecadores; e, vós de duplo ânimo, purificai os corações."
(Tiago 4.1-8)
 
Vale a pena meditar neste texto e tirar lições práticas para o nosso viver diário.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

domingo, 18 de maio de 2014

Homenagem ao meu filho


Ao fim deste dia, enquanto estou dando assistência à minha querida esposa Maria Célia, que convalesce de sua cirurgia; quero demonstrar minha gratidão a Deus pela vida do meu filho mais velho - Pastor Calegari Filho - por seu aniversário neste dia. Hoje de manhã já orei por ele; pois sei das responsabilidades que estão sobre sua vida; tanto em sua vida pessoal, como no exercício de seu ministério pastoral. Enquanto escrevo estas linhas, minha memória se reporta aos seus primeiros passos, infância, adolescência e juventude. Afora as artes comuns, próprias da transição entre a infância e a juventude, não me recordo de nada que demonstrasse algum desinteresse por um padrão de vida com propósito; ou que colocasse dúvidas quanto ao seu futuro. E as marcas de submissão e absorção dos valores que iriam moldar seu caráter e espiritualidade, são visíveis e influentes nos dias de hoje. Obrigado, Senhor, por esta vida que Maria Célia & eu geramos para Ti!
 
Muito apropriado este texto da Palavra de Deus, citado por meu filho em sua foto:
 
"Que darei eu ao SENHOR, por todos os benefícios que me tem feito? Tomarei o cálice da salvação, e invocarei o nome do SENHOR. Pagarei os meus votos ao SENHOR, agora, na presença de todo o seu povo."
(Salmo 116.12-14)
 
Portanto os motivos que justificam a declaração de louvor do meu querido filho, são os mesmos motivos que justificam a minha declaração de louvor ao nosso querido Pai. Graças dou por esta vida!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sábado, 17 de maio de 2014

Desabafos desgostosos


Na quinta-feira, precisei me dirigir à Sede Geral da IMW para reunião com o Conselho Geral. Mas senti necessidade de estar um pouco mais de tempo na presença do Pai; afinal, um tempo maior de oração sempre traz uma dose maior de graça e unção para lidar com os desafios de um novo dia. Sou daqueles que acreditam, que, um bom tempo de oração diante do Deus eterno nos prepara melhor para as surpresas que a vida nos reserva - boas ou ruins - e nos poupa de esforço demasiado no trabalho que fazemos, garantindo melhores resultados. Sei que, algumas vezes, ir ao lugar de oração pode se tornar uma ocupação custosa e cansativa; todavia, tenho aprendido que quanto maior for a luta e cansaço enquanto oramos; melhores serão os resultados alcançados. Portanto, quem se ajoelha cansado; se levanta descansado para continuar caminhando.
 
Algo bem comum de se ver, que o maior problema na vida de muitos crentes que sofrem provações e aflições; é que, as orações que deveriam fazer são substituídas por desabafos desgostosos, tais como: "Não sei por que estou passando por isto"; "não sei por que Deus ainda não me atendeu"; "minha vida é tão sofrida e ninguém me ajuda". Enfim... Estes e outros desabafos semelhantes são comuns - geralmente dirigidos em viés; ou feitos a alguém com quem conversamos; ou, até mesmo, ao próprio Deus com quem pensamos conversar, embora em linha enviesada e não em verdadeira atitude de oração. É muito importante que nós saibamos: Geralmente, Deus responde as orações feitas por Seus filhos; e não às indiretas que alguns filhos costumam lançar ao ar! Portanto, se orarmos, Deus nos responderá de algum modo. Basta acreditarmos!
 
Se pretendemos buscar favor e resposta de Deus pela oração, este texto diz tudo o que precisamos saber: "E eu vos digo a vós: Pedi, e dar-se-vos-á; buscai, e achareis; batei, e abrir-se-vos-á; Porque qualquer que pede recebe; e quem busca acha; e a quem bate abrir-se-lhe-á. E qual o pai de entre vós que, se o filho lhe pedir pão, lhe dará uma pedra? Ou, também, se lhe pedir peixe, lhe dará por peixe uma serpente? Ou, também, se lhe pedir um ovo, lhe dará um escorpião? Pois se vós, sendo maus, sabeis dar boas dádivas aos vossos filhos, quanto mais dará o Pai celestial o Espírito Santo àqueles que lho pedirem?" (Lucas 9.9-13). Entretanto, muitos alegam que já cansaram de pedir, sem receber resposta. Todavia, não basta apenas pedirmos; mas, pedirmos e crermos que Deus agirá em nosso favor; ainda que Sua ajuda, as vezes, pareça demorada.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sexta-feira, 16 de maio de 2014

Turbulências da vida

 

Antes de me curvar na madrugada de quarta-feira diante do Deus vivo; consegui me despedir do meu genro Alessandro Rosendo (ele está indo a Rondônia buscar alguns pertences; pois foi transferido, pelo INCRA, para o Rio de Janeiro). Aproveitei o ensejo, para orar por minha família (sou daqueles que acreditam que a família deve ser, como um jardim, sempre regada com oração). Fui ainda movido a orar pela Comissão de Legislação (ela é responsável por elaborar o anteprojeto do novo Estatuto da IMW). Ainda em oração, me lembrei do Pb. Décio, sua esposa Maria Eulália e seus filhos (tive um encontro com este casal e seu filho Décio Vargas, na segunda-feira passada, de manhã, em Eunápolis). Que sentimento agradável o encontro com amigos produz em nosso espírito! Creio que um verdadeiro pastor jamais esquece a maioria das ovelhas que tenha pastoreado ao longo de seu ministério. E orei por minha querida esposa Maria Célia, que está convalescendo de uma delicada cirurgia feita nas pernas.
 
Enquanto eu orava, fiquei a pensar nos riscos que todos nós corremos, enquanto transitamos por este mundo mau e turbulento. Pedi ao Senhor que guarde o Seu povo em meio às turbulências da vida... Turbulências que se manifestam sob as mais diversas formas (família em conflito, casamento em crise, saúde debilitada, problemas financeiros, conflitos existenciais). Tenho notado que - ante o peso das turbulências - muitos cristãos acabam por desfazer seu casamento, optando por iniciar um novo relacionamento; sem considerar as consequências resultantes da quebra de sua aliança conjugal. Existem aqueles que se desviam do Senhor; retornando à vida que viviam antes de conhecer Jesus. Existe também - algo que considero ainda pior - aqueles que se desviam do Senhor sem se darem conta. São os que mudam de rumo, quebram votos; enfim, agridem a vontade de Deus e retornam ao lodo pensando estar tudo bem; assim como Sansão, que - caído - continuou a pensar que tudo ficaria na mesma.
 
Ao longo de minha vida cristã, tenho observado, que, perseverança no caminho do Senhor e na aliança conjugal nos coloca - aos olhos de Deus - na categoria dos bem-aventurados: "BEM-AVENTURADO o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores. Antes tem o seu prazer na lei do SENHOR, e na sua lei medita de dia e de noite. Pois será como a árvore plantada junto a ribeiros de águas, a qual dá o seu fruto no seu tempo; as suas folhas não cairão, e tudo quanto fizer prosperará. Não são assim os ímpios; mas são como a moinha que o vento espalha. Por isso os ímpios não subsistirão no juízo, nem os pecadores na congregação dos justos. Porque o SENHOR conhece o caminho dos justos; porém o caminho dos ímpios perecerá." (Salmo 1). Portanto, todo aquele que persevera nos valores da fé e da moral cristã - honrando sua aliança com Deus e com a família - viverá em eterno descanso à sombra do Onipotente!
 
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quinta-feira, 15 de maio de 2014

Dom de trazer alento


Segunda-feira, apenas passei por Belo Horizonte. Lamento não ter podido, sequer, ver minha querida esposa Maria Célia (cheguei a ir ao hospital, mas ela já estava no centro cirúrgico e eu precisava tomar o ônibus para Petrópolis). Após grande parte da noite no ônibus, fui deixado na Rodoviária de Petrópolis pouco antes das cinco da manhã; o termômetro marcava 9 graus, quando meu genro Alessandro chegou para me pegar. Já estive em oração perante o Pai, antes de chegar ao escritório. Isto porque - aprendi - através da oração mantemos nossa vida e vizinhança em equilíbrio. Daqui a pouco estarei me dirigindo à Sede Geral da IMW, para a primeira de muitas reuniões da Comissão de Legislação (isto me faz lembrar que o Concílio Geral está às portas). Não tenho como agradecer a Deus por tanta bênção!
 
Enquanto digito, vem ao meu espírito a lembrança dos acontecimentos deste final de semana. Sinto ter sido marcante minha viagem à Teixeira de Freitas, no sul da Bahia. Realmente... Foram impactantes os cultos, com indiscutível presença do Espírito Santo, trazendo alegria e conforto ao povo do Senhor que se reuniu por quatro vezes no amplo e belo templo da IMW - sede do Distrito de Teixeira de Freitas; Após um culto pleno de alegria do Senhor no sábado, tivemos três reuniões no domingo (pela manhã, culto seguido de almoço de confraternização para toda a igreja; a tarde, reunião com a liderança da igreja sede e congregações; a noite, culto de encerramento das festividades comemorativas dos 23 anos de existência desta abençoada igreja. Obrigado Senhor, por Teu paternal cuidado para conosco!
 
Examinando a Palavra de Deus, vejo que este é um bom texto para reflexão no início deste dia:
 
"Piedoso é o SENHOR e justo; o nosso Deus tem misericórdia. O SENHOR guarda aos símplices; fui abatido, mas ele me livrou. Volta, minha alma, para o teu repouso, pois o SENHOR te fez bem. Porque tu livraste a minha alma da morte, os meus olhos das lágrimas, e os meus pés da queda. Andarei perante a face do SENHOR na terra dos viventes. Cri, por isso falei. Estive muito aflito. Dizia na minha pressa: Todos os homens são mentirosos. Que darei eu ao SENHOR, por todos os benefícios que me tem feito? Tomarei o cálice da salvação, e invocarei o nome do SENHOR. Pagarei os meus votos ao SENHOR, agora, na presença de todo o seu povo. Preciosa é à vista do SENHOR a morte dos seus santos. Ó SENHOR, deveras sou teu servo; sou teu servo, filho da tua serva; soltaste as minhas ataduras. Oferecer-te-ei sacrifícios de louvor, e invocarei o nome do SENHOR. Pagarei os meus votos ao SENHOR, na presença de todo o seu povo, Nos átrios da casa do SENHOR, no meio de ti, ó Jerusalém. Louvai ao SENHOR."
(Salmo 116.5-19)
 
Como é bom saber que a Palavra de Deus tem o dom de trazer alento ao coração mais abatido.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quarta-feira, 14 de maio de 2014

Na sombra da cruz

 

Na manhã de segunda - já em Eunápolis, de onde viajei para Porto Seguro - me estendi no lugar de oração e orei ao Pai. Coração aberto e espírito contrito, buscando crescer um pouco mais em minha vida espiritual. Se por um lado, expressei profunda gratidão a Deus - gratidão por perceber o quanto Ele me ama e me guarda; por outro lado, emiti o meu lamento de sempre - lamento por não me sentir a altura de corresponder a tudo o que Ele tem feito em meu favor e através de minha pequena vida. Sei que o Seu amor e o dom da graça responde por esta aceitação; pois eu e tantos outros crentes que vivem neste mundo afora, não teríamos a menor chance, caso Deus nos contemplasse apenas sob o foco de Sua justiça. Esta fórmula é simples de equacionar; embora, profunda demais para mim; ou seja: O amor de Deus gerou a graça que me salvou e o dom da justiça que me tornou aceito aos Seus olhos, como filho.
 
E assim, ainda que insatisfeito comigo; tenho consciência de que sou filho da Luz e herdeiro de Deus, e esta convicção ninguém conseguirá tirar de mim. Enquanto eu orava, fui surpreendido com uma cena que me marcou para sempre: Nesta cena, o meu espírito percebeu algo que eu sempre vi, mas, por um outro ângulo. Na visão, vi Jesus carregando a cruz de dor sobre Seus ombros - percorrendo a via crucis e subindo a encosta do Calvário - até chegar ao seu ponto culminante; onde nela foi pregado e pendurado como um malfeitor. Só então eu pude perceber a sombra da cruz que carregou projetada sobre os meus ombros. É isso! O meu espírito se deu conta de que a cruz que carrego é apenas a sombra da cruz que Cristo carregou em meu lugar, nas horas que antecederam Sua morte. Ele tomou sobre Si a cruz que me condenava, projetando sobre mim apenas a sombra do madeiro, que será dissipada na ressurreição.
 
Este texto impressiona a qualquer crente interessado em crescer espiritualmente:
 
"E EU, irmãos, quando fui ter convosco, anunciando-vos o testemunho de Deus, não fui com sublimidade de palavras ou de sabedoria. Porque nada me propus saber entre vós, senão a Jesus Cristo, e este crucificado. E eu estive convosco em fraqueza, e em temor, e em grande tremor. A minha palavra, e a minha pregação, não consistiram em palavras persuasivas de sabedoria humana, mas em demonstração de Espírito e de poder; Para que a vossa fé não se apoiasse em sabedoria dos homens, mas no poder de Deus. Todavia falamos sabedoria entre os perfeitos; não, porém, a sabedoria deste mundo, nem dos príncipes deste mundo, que se aniquilam; Mas falamos a sabedoria de Deus, oculta em mistério, a qual Deus ordenou antes dos séculos para nossa glória; A qual nenhum dos príncipes deste mundo conheceu; porque, se a conhecessem, nunca crucificariam ao Senhor da glória."
(1 Coríntios 2.1-8)
 
No entanto, o bom mesmo é ler todos os 16 versículos do texto.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

terça-feira, 13 de maio de 2014

Paz e vitória

 

Senhor, sou grato a Ti por sentir necessidade de estar em Tua presença. Não tenho como contar as inúmeras vezes em que o Teu Espírito teve que usar o argumento da minha necessidade de orar; para compensar o argumento da minha vontade de usar o tempo de que disponho para alguma outra necessidade que se me apresentou. Ainda bem que tenho aprendido a conviver com os apelos do meu espírito e os apelos da minha emoção; não me deixando levar por este último, quando se trata de cumprir o Teu propósito como prioridade. Há tantas coisas pelas quais devo orar... E obstáculos que preciso transpor para poder estar prostrado no lugar de oração. É bom poder contar com Tua ajuda!
 
Ontem fui tomado por grande alegria em poder abraçar o Presbítero Marcelo, sua esposa Eliete Ferraz e sua sogra que também é mãe da Dange da Silva. E a noite, na radio, pude rever o Diácono Marcelo e conhecer o Pastor Luiz, que o Senhor enviou para nossas fileiras em Eunápolis. Senti unção para pregar aos milhares de rádio-ouvintes do programa da IMW Central de Eunápolis. Obrigado, Pai, por ter me direcionado a falar sobre as palavras "Paz e Vitória"; pois senti que muitos corações foram abençoados com aquela mensagem vinda do Senhor. Dentro de duas horas, o Pastor Nadson Araújo e eu viajaremos em direção a Teixeira de Freitas, onde poderei ser vaso em Tua mãos, para abençoar vidas.
 
Creio se esta a missão mais importante da terra:
 
"E, logo que chegaram junto dele, disse-lhes: Vós bem sabeis, desde o primeiro dia em que entrei na Ásia, como em todo esse tempo me portei no meio de vós, Servindo ao Senhor com toda a humildade, e com muitas lágrimas e tentações, que pelas ciladas dos judeus me sobrevieram; Como nada, que útil seja, deixei de vos anunciar, e ensinar publicamente e pelas casas, Testificando, tanto aos judeus como aos gregos, a conversão a Deus, e a fé em nosso Senhor Jesus Cristo. E agora, eis que, ligado eu pelo espírito, vou para Jerusalém, não sabendo o que lá me há de acontecer, Senão o que o Espírito Santo de cidade em cidade me revela, dizendo que me esperam prisões e tribulações. Mas em nada tenho a minha vida por preciosa, contanto que cumpra com alegria a minha carreira, e o ministério que recebi do Senhor Jesus, para dar testemunho do evangelho da graça de Deus."
(Atos 20.18-24)
 
Portanto, alguém que diz servir a Deus, não pode simplesmente ignorá-la!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

domingo, 11 de maio de 2014

Homenagem às mães


Tenho tido um dia de intensa atividade neste domingo. Pela manhã, culto matutino com ministração, seguido de almoço de confraternização; reunião na parte da tarde, com toda a liderança da igreja; e, daqui a pouco, o culto de encerramento das festividades dos 23 de existência da IMW de Teixeira de Freitas, aqui no extremo sul da Bahia. Não será exagero afirmar que mal tive tempo para respirar; no entanto, foi gratificante constatar aquilo que o Senhor está fazendo no Distrito de Teixeira de Freitas, através da gestão do Pastor João Batista de Aguiar. Ontem tivemos um maravilhoso culto, com a presença da grande maioria dos pastores e representantes de igrejas deste Distrito.
 
Mesmo sem tempo, senti necessidade de postar uma saudação especial neste dia reservado à justa homenagem às mães. Sinto gratidão a Deus por poder entender, que, enquanto houver mães neste mundo, o ciclo da existência humana será mantido sem interrupção. E de um modo especial, sou grato a Deus pelas queridas mães que tenho em minha pequena casa (minha esposa Maria Célia Calegari; minha filha Daniela Calegari; e, minhas noras Simone Calegari e Synara Bastos Calegari). Portanto, mesmo estando com o meu tempo contado, achei por bem postar uma palavra de gratidão a Deus, por esta figura tão importante que é a mulher - este ser com o dom da maternidade.
 
E em data tão especial, não tenho como não me lembrar de minha mãe (de saudosa memória). Louvo a Deus por ela, por ter sido instrumento de Deus para me trazer a este mundo. Ela partiu para o Senhor; porém, o seu ato de amor demonstrado ao me dar à luz, fez de mim um cidadão brasileiro e - o que é ainda mais importante - a chance de ter me tornado um cidadão do reino dos céus. Realmente, não posso dissociar a minha inesquecível mãe da minha existência presente e futura; uma vez que ela teve parte direta em ambas as vidas que possuo em Cristo Jesus. Portanto, sou grato a Deus pela vida de Luzia de Araújo Figueiredo - já falecida - por ter sido a mãe que Ele me deu!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sábado, 10 de maio de 2014

Catando lixo espalhado


Nesta manhã estive buscando a Deus em favor de minha viagem à Bahia. O avião me deixará em Porto Seguro; de lá, seguirei com o Asp Nadson Araujo e sua esposa Dange da Silva até Eunápolis, onde devo pernoitar por hoje. No sábado, viajaremos juntos para a cidade de Teixeira de Freitas, onde a IMW tem sua sede distrital no extremo sul baiano. Sinto ter que deixar minha querida esposa Maria Célia Calegari em Belo Horizonte; pois ela terá que submeter-se a uma cirurgia na próxima segunda-feira. Tenho esperança de voltar a tempo de vê-la, antes que ingresse no centro cirúrgico do hospital Madre Teresa. Sempre que deixo pessoas queridas para trás, sinto necessidade de pensar que é apenas separação temporária; e, que, virá o dia em que a palavra separação já não fará parte do nosso vocabulário.
 
Entretanto, não pude deixar de refletir sobre nossa jornada neste mundo. Pensei no fato de que, nesta jornada, vamos catando coisas aqui e ali; agregando-as à bagagem que carregamos, aumentando o seu peso a cada passo que damos. E assim, acumulamos valores de importância relativa; mas que, no futuro, já não terão a importância que julgamos ter. E existe também o perigo de irmos catando lixo espalhado ao longo do caminho; o qual, mesmo sob forma agradável e sem exalar mau cheiro, pode comprometer a pureza de nossa viagem e da nossa qualidade de vida segundo o propósito de Deus. Isso não é bom! Todavia, existem valores morais e espirituais que podemos acumular e carregar por toda a vida. Estes, sim, podem nos fazer ricos de verdade, agregando valores que o tempo não desfará.
 
Sinto segurança em manter a Palavra de Deus sempre diante dos olhos e no fundo do coração! Como é bom poder sentir no íntimo o efeito deste texto: "E os teus ouvidos ouvirão a palavra do que está por detrás de ti, dizendo: Este é o caminho, andai nele, sem vos desviardes nem para a direita nem para a esquerda. E terás por contaminadas as coberturas de tuas esculturas de prata, e o revestimento das tuas esculturas fundidas de ouro; e as lançarás fora como um pano imundo, e dirás a cada uma delas: Fora daqui. Então te dará chuva sobre a tua semente, com que semeares a terra, como também pão da novidade da terra; e esta será fértil e cheia; naquele dia o teu gado pastará em largos pastos." (Isaías 30.21-23). A Palavra de Deus tem o dom de garantir a permanência no caminho e a pureza no coração.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sexta-feira, 9 de maio de 2014

Jamais estarei só


No dia anterior, fui lembrado que se existe algo que não posso dispensar - enquanto aqui viver - é o meu lugar de oração. E tive que madrugar para o ocupar; pois, dentro de uma ou duas horas, Maria Célia e eu viajaríamos para Belo Horizonte - cidade onde residimos - de onde administramos a obra que nos foi entregue pelo Senhor, como missão a ser cumprida por um tempo determinado por Ele. Na verdade, ao me curvar, senti tanta paz enquanto orava; que não dá para entender plenamente ou explicar em detalhe. Sei o quanto é bom estar na presença do Deus eterno em oração; mas, compreender até onde vão os limites e a dimensão deste bem é praticamente impossível. Todavia, esta compreensão é dispensável; pois, enquanto aqui vivermos, o que importa mesmo é saber que a vida está em nós e a nossa volta; e que nosso Deus sempre se faz presente na vida daqueles que O buscam.
 
Enquanto eu orava, o Senhor me levou a pensar nos maiores perigos que enfrentamos. Muitas vezes, somos levados a pensar que nossos inimigos estão em algum lugar lá fora, a espreita. É como na história de Dom Quixote de la Mancha: Muitos devem conhecer sua saga, em busca de dragões imaginários (penso que nunca os tenha encontrado; a não ser sob a forma de moinhos de vento, que combatia com bravura, pensando tratar-se dos famigerados dragões). No entanto, aprendi que os nossos maiores inimigos estão alojados em algum compartimento secreto, dentro de cada um de nós. Assim, o medo que nos assombra; a solidão que nos angustia; a ansiedade que nos inquieta; a mágoa que nos fere; o rancor que nos consome... Enfim, estes e outros inimigos afins são os nossos maiores adversários; pois, podem nos destruir por dentro, sem que nós percebamos. Só em Jesus temos paz!
 
Como me edifica e me encoraja esta promessa de Jesus: "Naquele dia pedireis em meu nome, e não vos digo que eu rogarei por vós ao Pai; Pois o mesmo Pai vos ama, visto como vós me amastes, e crestes que saí de Deus. Saí do Pai, e vim ao mundo; outra vez deixo o mundo, e vou para o Pai. Disseram-lhe os seus discípulos: Eis que agora falas abertamente, e não dizes parábola alguma. Agora conhecemos que sabes tudo, e não precisas de que alguém te interrogue. Por isso cremos que saíste de Deus. Respondeu-lhes Jesus: Credes agora? Eis que chega a hora, e já se aproxima, em que vós sereis dispersos cada um para sua parte, e me deixareis só; mas não estou só, porque o Pai está comigo. Tenho-vos dito isto, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo." (João 16.26-33). Sei que jamais estarei só, pois, o Pai sempre estará comigo!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quinta-feira, 8 de maio de 2014

O povo de Deus tem futuro

Foto: Alguns podem até não acreditar; mas eu declaro com todas as letras, que, viajar não está entre os meus maiores prazeres. No entanto, esta tem sido uma das coisas que mais tenho feito nos últimos anos. Entretanto, consigo ter duas satisfações, sempre que viajo: A primeira delas - quando chego ao destino - é abraçar irmãos e amigos que estão sempre a nossa espera. É verdade... Esta parte da viagem, faz a viagem valer a pena. A segunda satisfação tem tudo a ver com o regresso; pois, o prazer de chegar em casa compensa qualquer distância que eu tenha que percorrer. Sei que, num dia que não sei precisar quando, terei a oportunidade de fazer a última viagem - apenas com direito a ida - e, ao final dela, finalmente chegarei ao Lar que tenho almejado ao longo de minha vida de filho do Deus vivo, servo de Cristo, embaixador do Céu e herdeiro da eterna herança.

Mas enquanto não este dia não chega; lá vou eu, entre uma viagem e outra; procurando me recompor os intervalos, aproveitando para refletir sobre a curta existência humana, sobre o leque de escolhas disponíveis aos humanos, sobre o rumo em que este mundo vai. Não sei se outros sentem o que eu sinto: Uma sensação de perigo no ar. Ouço falar de leis hostis à Igreja de Jesus e do sofrimento imposto aos filhos de Deus, em diversos países da terra. Em alguns lugares, o modo como os crentes em Jesus são massacrados, causa repulsa até mesmo em pessoas não cristãs. E em meu país - outrora conhecido pela índole pacífica de seus cidadãos, de raças e origens diversas - vi crescer, nos últimos anos, intolerância e animosidade provocada em grande parte por aqueles que detém o poder de acalmar os ânimos e promover a paz entre os cidadãos deste país.

Mas este ainda não é o mal maior... Pois, aquilo que sinto se aproximar, causará dor e sofrimento ainda maior. Ainda bem que a fé foi plantada por Deus no coração humano; e ela, reordenada pela Palavra eterna, pode conduzir os homens a Jesus que nos salva do presente século mau. Sempre que meu espírito se angustia e se assusta com aquilo que está por vir; sou lembrado pelo Espírito Santo que o povo de Deus tem futuro. Então, sinto conforto em saber que sofrimento humano é fator temporário; e que a bem-aventurança eterna nos fará esquecer completamente as tormentas desta vida. Eu sempre soube que Deus não poupou Seu próprio Filho de sofrimento atroz; e não ignoro que cristãos como eu, ao longo da história, sofreram martírio por causa da fé. Porém, aquilo que o futuro nos reserva compensa qualquer dor que venhamos a sofrer neste mundo.

Alguns podem até não acreditar; mas eu declaro com todas as letras, que, viajar não está entre os meus maiores prazeres. No entanto, esta tem sido uma das coisas que mais tenho feito nos últimos anos. Entretanto, consigo ter duas satisfações, sempre que viajo: A primeira delas - quando chego ao destino - é abraçar irmãos e amigos que estão sempre a nossa espera. É verdade... Esta parte da viagem, faz a viagem valer a pena. A segunda satisfação tem tudo a ver com o regresso; pois, o prazer de chegar em casa compensa qualquer distância que eu tenha que percorrer. Sei que, num dia que não sei precisar quando, terei a oportunidade de fazer a última viagem - apenas com direito a ida - e, ao final dela, finalmente chegarei ao Lar que tenho almejado ao longo de minha vida de filho do Deus vivo, servo de Cristo, embaixador do Céu e herdeiro da eterna herança.
 
Mas enquanto não este dia não chega; lá vou eu, entre uma viagem e outra; procurando me recompor os intervalos, aproveitando para refletir sobre a curta existência humana, sobre o leque de escolhas disponíveis aos humanos, sobre o rumo em que este mundo vai. Não sei se outros sentem o que eu sinto: Uma sensação de perigo no ar. Ouço falar de leis hostis à Igreja de Jesus e do sofrimento imposto aos filhos de Deus, em diversos países da terra. Em alguns lugares, o modo como os crentes em Jesus são massacrados, causa repulsa até mesmo em pessoas não cristãs. E em meu país - outrora conhecido pela índole pacífica de seus cidadãos, de raças e origens diversas - vi crescer, nos últimos anos, intolerância e animosidade provocada em grande parte por aqueles que detém o poder de acalmar os ânimos e promover a paz entre os cidadãos deste país.
 
Mas este ainda não é o mal maior... Pois, aquilo que sinto se aproximar, causará dor e sofrimento ainda maior. Ainda bem que a fé foi plantada por Deus no coração humano; e ela, reordenada pela Palavra eterna, pode conduzir os homens a Jesus que nos salva do presente século mau. Sempre que meu espírito se angustia e se assusta com aquilo que está por vir; sou lembrado pelo Espírito Santo que o povo de Deus tem futuro. Então, sinto conforto em saber que sofrimento humano é fator temporário; e que a bem-aventurança eterna nos fará esquecer completamente as tormentas desta vida. Eu sempre soube que Deus não poupou Seu próprio Filho de sofrimento atroz; e não ignoro que cristãos como eu, ao longo da história, sofreram martírio por causa da fé. Porém, aquilo que o futuro nos reserva compensa qualquer dor que venhamos a sofrer neste mundo.
 
Este texto é uma clara advertência aos que querem servir a Deus segundo o modelo ideal: "De sorte que haja em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus, Que, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus, Mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens; E, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte, e morte de cruz. Por isso, também Deus o exaltou soberanamente, e lhe deu um nome que é sobre todo o nome; Para que ao nome de Jesus se dobre todo o joelho dos que estão nos céus, e na terra, e debaixo da terra, E toda a língua confesse que Jesus Cristo é o SENHOR, para glória de Deus Pai." (Filipenses 2.5-11). E nele fica claro que o modo seguro de sermos aprovados em nosso trabalho é servindo a Deus com o sentimento de Cristo.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quarta-feira, 7 de maio de 2014

Condicionamento sensitivo


Madrugada bem cedo, ainda escuro, aqui na casa dos irmãos: Octavio Henrique Santos Cordeiro & Alessandra Vieira e suas filhas: Manu, Sofia e Ana clara. Maria Célia Calegari & eu pernoitamos nesta casa de amigos bem chegados. Desci para a sala, onde me derramei perante o meu Senhor! Enquanto eu clamava a Deus (melhor atitude a ser tomada por alguém que sabe não existir outra esperança para o mundo), ouvia uma suave música de fundo, dedilhada por Octávio em seu violão. Ao orar, fui levado a considerar que tudo neste mundo é muito parecido (vida e morte, sorriso e pranto, dor e alívio, fome e saciedade); enfim... As diferenças existentes são apenas projeção do nosso condicionamento sensitivo. Será que os anjos sentem frio ou calor, fome, sede? Claro que não. Repito: As sensações físicas são temporárias e se enfraquecem - até quase desaparecer - com o entardecer da vida.
 
Diante do Deus eterno fica claro perceber que - dentre todas as coisas às quais temos acesso - a única realmente importante e prioritária é buscar Sua presença. Daí, minha constante busca por um lugar entre os que se curvam perante Sua face. Na Bíblia, aprendi que buscar a Deus sobre todas as coisas é o dever de todo homem. Em minha vida, aprendi que buscar a Deus não é apenas crer nEle ou balbuciar palavras. Isso mesmo! Demorei; mas... Finalmente descobri que buscar a Deus é manter vida de oração; e não estou me referindo à oração formal (aquela em que oramos mais para sermos ouvidos pelos homens, do que pelo Deus a Quem supostamente nos dirigimos). Quando falo em orar, estou me referindo à oração que é feita com intensidade crescente; até que o Deus eterno seja por nós convencido de que, de fato, estamos querendo manter santo e verdadeiro contado com Ele.
 
Veja neste texto, o mais perfeito modelo de oração que temos: "E, saindo, foi, como costumava, para o Monte das Oliveiras; e também os seus discípulos o seguiram. E quando chegou àquele lugar, disse-lhes: Orai, para que não entreis em tentação. E apartou-se deles cerca de um tiro de pedra; e, pondo-se de joelhos, orava, Dizendo: Pai, se queres, passa de mim este cálice; todavia não se faça a minha vontade, mas a tua. E apareceu-lhe um anjo do céu, que o fortalecia. E, posto em agonia, orava mais intensamente. E o seu suor tornou-se em grandes gotas de sangue, que corriam até ao chão. E, levantando-se da oração, veio para os seus discípulos, e achou-os dormindo de tristeza. E disse-lhes: Por que estais dormindo? Levantai-vos, e orai, para que não entreis em tentação." (Lucas 22.40-46). Ele não deixa dúvida quanto ao fato de que Jesus é o modelo ideal de vida de oração!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

terça-feira, 6 de maio de 2014

Clamei por socorro urgente


Nesta madrugada senti grande necessidade de me curvar perante o Pai. Na verdade, já me prostrei aos pés do Senhor e clamei por socorro urgente.. No entanto, ainda é tão cedo que o dia está longe de amanhecer. Todavia... Sentia a urgência de estar rendido diante do Pai. Tivemos um Congresso de Intercessores que excedeu a expectativa de muitos (talvez a minha própria). Contudo... Senti sombras sobre o evento; mesmo tendo Deus falado tão poderosamente como falou. Então... Entendi que precisamos nos manter em guarda, pois, os conflitos contra os quais lutamos são tão reais quanto as promessas e bênçãos que temos da parte de Deus. Sei que não devemos nos preocupar em demasia com a rotina da luta; porém... Precisamos nos preocupar um pouco mais em permanecer prostrados aos pés do Senhor, pois, somente nEle, temos condição real de prevalecer em meios às provas.
 
Estou envolvido em algumas ocupações que tenho para este dia. Cheguei a pensar em estar na SEPAL, juntamente com alguns companheiros de liderança; mas... Esbarrei em alguns compromissos inadiáveis; sendo a minha participação, hoje a noite, no culto de ação de graças pelos 25 anos do CEFORTE - polo de Cabo frio/RJ - onde estarei pregando, o maior deles. Lembrei ainda que preciso estar em Teixeira de Freitas - extremo sul da Bahia - no próximo fim de semana. Enfim... São tantos compromissos que um homem de Deus precisa cumprir; que, as vezes, parece que não conseguiremos dar conta. Então... Vem ao meu espírito a convicção de que, ainda que tão pequeno e frágil; sou mantido sobre um fundamento inabalável que me mantém de pé - ou de joelhos - porém... Jamais subjugado pelo mal. Ah... E tenho também uma cobertura que garante proteção em todo tempo.
 
Todo aquele cristão que almeja ir para o céu, deve atentar para esta advertência feita pelo Senhor Jesus: "Mas daquele dia e hora ninguém sabe, nem os anjos que estão no céu, nem o Filho, senão o Pai. Olhai, vigiai e orai; porque não sabeis quando chegará o tempo. É como se um homem, partindo para fora da terra, deixasse a sua casa, e desse autoridade aos seus servos, e a cada um a sua obra, e mandasse ao porteiro que vigiasse. Vigiai, pois, porque não sabeis quando virá o senhor da casa; se à tarde, se à meia-noite, se ao cantar do galo, se pela manhã, Para que, vindo de improviso, não vos ache dormindo. E as coisas que vos digo, digo-as a todos: Vigiai." (Marcos 13.32-37). Realmente, não sabemos o dia nem a hora; todavia, sabemos que os dias se abreviam rapidamente, como se estivéssemos em contagem regressiva. Permaneçamos em oração e vigilância!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

domingo, 4 de maio de 2014

Vigilância e combate

Foto: O Deus santo e eterno contempla minha prostração e sinto segurança e paz em Sua gloriosa presença, no lugar de oração. Enquanto eu oro, estou ciente de que não conseguirei dar conta de todos os motivos de oração que trago comigo; e este é um dos motivos pelos quais eu me sinto sempre devedor - tanto ao Deus a Quem sirvo, como aos homens aos quais sou enviado a servir - sem que haja em mim a menor condição de saldar tamanha dívida. Sei que minha origem é o pó, de onde fui formado; e que minha própria natureza trabalha contra o meu bem. Assim como Paulo, sei que em mim não habita bem algum; e que a graça e amor que desfruto, se deve apenas ao que Jesus fez por mim. Enfim, tenho conhecimento de que o escrito das dívidas que me desfavorecem, foi cravado na cruz pelo Senhor que me resgatou. E é com este sentimento que exalto e bendigo ao Deus verdadeiro, que me resgatou em Jesus Cristo; tornando um escravo como eu em um filho a quem tanto amou.

Ainda rendido aos Seus pés, trago comigo centenas de intercessores que se apresentaram ao "I Congresso Geral da Intercessores", em nosso Centro de Convenções John Wesley. Sinto gratidão por poder dizer que Deus falou conosco usando vasos de honra, dentre os quais fui generosamente incluído. Sinto grande necessidade de orar por eles ao Pai; pois, sei por experiência própria o quanto o exército de intercessores precisa de oração em seu favor; para que o Deus bondoso os mantenha firmes em seus postos de vigilância e combate. Deus me fez ver três intercessores do passado - admirável referência para mim - travando lutas em favor de Seu povo: Moisés, intercedendo ante o desvio de Israel; Neemias, intercedendo ante a devastação de Jerusalém; e Daniel, intercedendo ante o exílio a que o povo de Deus fora submetido em seu tempo. Então, mais uma vez, percebo que o pecado é a causa do desvio, devastação e cativeiro daqueles que não perseveram em Deus.

O Deus santo e eterno contempla minha prostração e sinto segurança e paz em Sua gloriosa presença, no lugar de oração. Enquanto eu oro, estou ciente de que não conseguirei dar conta de todos os motivos de oração que trago comigo; e este é um dos motivos pelos quais eu me sinto sempre devedor - tanto ao Deus a Quem sirvo, como aos homens aos quais sou enviado a servir - sem que haja em mim a menor condição de saldar tamanha dívida. Sei que minha origem é o pó, de onde fui formado; e que minha própria natureza trabalha contra o meu bem. Assim como Paulo, sei que em mim não habita bem algum; e que a graça e amor que desfruto, se deve apenas ao que Jesus fez por mim. Enfim, tenho conhecimento de que o escrito das dívidas que me desfavorecem, foi cravado na cruz pelo Senhor que me resgatou. E é com este sentimento que exalto e bendigo ao Deus verdadeiro, que me resgatou em Jesus Cristo; tornando um escravo como eu em um filho a quem tanto amou.
 
Ainda rendido aos Seus pés, trago comigo centenas de intercessores que se apresentaram ao "I Congresso Geral da Intercessores", em nosso Centro de Convenções John Wesley. Sinto gratidão por poder dizer que Deus falou conosco usando vasos de honra, dentre os quais fui generosamente incluído. Sinto grande necessidade de orar por eles ao Pai; pois, sei por experiência própria o quanto o exército de intercessores precisa de oração em seu favor; para que o Deus bondoso os mantenha firmes em seus postos de vigilância e combate. Deus me fez ver três intercessores do passado - admirável referência para mim - travando lutas em favor de Seu povo: Moisés, intercedendo ante o desvio de Israel; Neemias, intercedendo ante a devastação de Jerusalém; e Daniel, intercedendo ante o exílio a que o povo de Deus fora submetido em seu tempo. Então, mais uma vez, percebo que o pecado é a causa do desvio, devastação e cativeiro daqueles que não perseveram em Deus.
 
Este texto da Bíblia é um exemplo clássico da importância da intercessão feita pela igreja:
 
"E POR aquele mesmo tempo o rei Herodes estendeu as mãos sobre alguns da igreja, para os maltratar; E matou à espada Tiago, irmão de João. E, vendo que isso agradara aos judeus, continuou, mandando prender também a Pedro. E eram os dias dos ázimos. E, havendo-o prendido, o encerrou na prisão, entregando-o a quatro quaternos de soldados, para que o guardassem, querendo apresentá-lo ao povo depois da páscoa. Pedro, pois, era guardado na prisão; mas a igreja fazia contínua oração por ele a Deus."
(Atos 12.1-5)
 
De fato, não existem males e prisões que consigam resistir a uma intercessão persistente e determinada.

Cordialmente;
Bispo Calegari

sexta-feira, 2 de maio de 2014

Nosso perfil espiritual


Não há um dia em que um verdadeiro cristão busque a presença de Deus, em que não pense e revise seu relacionamento com o Senhor. Comigo não é diferente. Hoje mesmo, enquanto ainda estava em oração, o meu espírito repassava o meu interior a procura de zonas mortas ou pontos obscuros; para expô-los à luz irradiada pela presença do Espírito de Deus. No entanto; é importante que a nossa reflexão seja em consonância com a nossa preocupação em estar bem com o Senhor; pois, se assim não for, não conseguiremos melhorar o nosso perfil espiritual e obter um melhor rendimento naquilo que fazemos para Deus e para o próximo. Portanto, são duas necessidades fundamentais que se apresentam: A de buscar a Deus sobre todas as coisas; e, a de refletir sobre a necessidade de fazer a vontade do Pai.
 
E hoje, em minha reflexão sobre esta questão; me deparei com dois desafios. O primeiro tem tudo a ver com firmeza e perseverança: Preciso manter distância segura, dos embaraços e do pecado que procura me cativar. Realmente... Não posso me descuidar um só instante; pois, devido à proximidade do mal - sem que muitas vezes percebamos - qualquer descuido pode ser fatal ou, então, trazer um verdadeiro inferno à existência. O segundo tem tudo a ver com relação entre causa e efeito: Neste ponto, me dei conta de que jamais conseguirei, com minha gratidão, corresponder à graça que me é dada pelo Senhor; nem retribuir no mesmo nível, ao amor com que por Ele sou amado; e, nem retribuir em obediência, às ordenanças que nos deixou. É... Sou bem menor do que Deus espera; mas não tão pequeno que Ele não me veja!
 
A Palavra de Deus tem o dom de corrigir o nosso modo de pensar, falar e agir. Este texto, por exemplo, pode repor nos trilhos da confiança em Deus, uma vida demasiadamente preocupada com suas próprias necessidades e anseios: "Não andeis, pois, inquietos, dizendo: Que comeremos, ou que beberemos, ou com que nos vestiremos? (Porque todas estas coisas os gentios procuram). De certo vosso Pai celestial bem sabe que necessitais de todas estas coisas; Mas, buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas. Não vos inquieteis, pois, pelo dia de amanhã, porque o dia de amanhã cuidará de si mesmo. Basta a cada dia o seu mal." (Mateus 6.31-34). Sou um daqueles que o leem com frequência. E sempre que o leio, me acalmo e me rendo aos cuidados de Deus.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quinta-feira, 1 de maio de 2014

Alvos de nossa intercessão


Hoje de manhã senti uma necessidade imensa de me derramar aos pés do Senhor. Embora eu procure fazer isto todos os dias; existem dias em que esta posição é uma questão de urgência. Sei o quanto é difícil avaliarmos precisamente o conteúdo e a eficácia de nossas orações; pois, sempre corremos o risco de orar superficialmente, deixando questões muitos mais importantes em segundo plano quando oramos ao Senhor. E Deus me fez ver isto com clareza enquanto eu orava nesta manhã. Então, pude entender melhor a importância de termos Seu Espírito em nós, pautando os alvos de nossa intercessão. Chorei tanto... Agradeci tanto ao Pai... Entendi perfeitamente como bons motivos de oração podem ser prejudicados, devido à nossa natureza tendenciosa e preconceituosa. Não resisti ao impacto causado por esta revelação!
 
Então, me dei conta de que estamos no limiar de um congresso de intercessão - espaço de ação e discussão de assuntos ligados a este tema - onde poderemos avaliar e refletir quanto à nossa postura e motivação naquilo que tange à oração em favor dos amigos e dos inimigos. Resolvi pedir a Deus que me ajude a ter os alvos de intercessão distantes das minhas preferências e destemperos críticos. Ficou tão claro para mim, que - falho em meu modo de avaliar e julgar - corro o risco de aproximar os inimigos e afastar os amigos. Enfim, pude entender o risco que todos nós - intercessores - corremos nas escolhas que fazemos, quanto aos nossos alvos de oração. Deus me fez ver que que preciso estar atento à voz do Espírito, pois, somente Ele conhece em profundidade as pessoas e objetivos pelos quais me proponho a interceder.
 
Fui ajudado ao me voltar para este texto da Bíblia: "Porque sabemos que toda a criação geme e está juntamente com dores de parto até agora. E não só ela, mas nós mesmos, que temos as primícias do Espírito, também gememos em nós mesmos, esperando a adoção, a saber, a redenção do nosso corpo. Porque em esperança fomos salvos. Ora a esperança que se vê não é esperança; porque o que alguém vê como o esperará? Mas, se esperamos o que não vemos, com paciência o esperamos. E da mesma maneira também o Espírito ajuda as nossas fraquezas; porque não sabemos o que havemos de pedir como convém, mas o mesmo Espírito intercede por nós com gemidos inexprimíveis. E aquele que examina os corações sabe qual é a intenção do Espírito; e é ele que segundo Deus intercede pelos santos." (Romanos 8.22-27). Nele, vemos o papel do Espírito Santo na intercessão!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari