quarta-feira, 30 de abril de 2014

Justiça de Deus


Após ter estado algum tempo orando ao Pai; comecei a pensar em Seu cuidado para com os filhos dos homens, mesmo que não mereçam tanta demonstração de amor da parte do Deus vivo. Fiquei pensando no modo como Deus nos conduz em um mundo devastado por pecado... Pecado traduzido em palavras e atos contra o Rei eterno. Mesmo que não buscasse isso, não posso deixar de contemplar o estado geral das vítimas de um mundo que se corrompe a cada dia, subjugado por homens amantes de si mesmo; que, na verdade, sem que percebam, também são vítimas de Satã - aquele que comanda esta rebelião sem futuro contra o Deus santo e todo poderoso.
 
Enfim, não pude evitar pensar no Brasil - pátria verde e amarela manchada de sangue e de lágrimas - vítima indefesa daqueles que têm a chave do cofre, a caneta das leis e o martelo da justiça; sim, daqueles que - estando nas altas instâncias de comando da nação - poderiam fazer algo mais, além de cuidar de seus próprios interesses. Então, vi as vítimas da violência urbana, da violência no campo, da violência nas escolas e da violência nas estradas. E pude notar que estas violências são filhas da blasfêmia contra Deus, da ambição desmedida e da sede de poder. Enfim, um clico vicioso de mando e desmando que corrompe o corpo e a alma dos homens. Até quando Senhor?
 
Então, pude ouvir o clamor das vítimas deste caos prevalecente neste mundo mau. De um lado, pessoas marcadas por perdas anunciadas - que poderiam ter sido evitadas - e com a voz cansada, clamando pela justiça dos homens. Do outro lado, crentes fiéis - sentindo as mesmas dores, pelos mesmos males - clamando pela justiça de Deus. Infelizmente, aqueles que clamam pela justiça dos homens, terão mais motivos para chorar e lamentar; frustrados com a insensibilidade daqueles que deviam protege-los e não o fazem. No entanto, aqueles que clamam e esperam na justiça de Deus irão ver - em vida ou após a morte - o juízo de Deus trazendo paz e repondo a ordem no mundo.
 
Este texto é bem contextual com a realidade vivida em nossos dias:
 
"Porque do céu se manifesta a ira de Deus sobre toda a impiedade e injustiça dos homens, que detêm a verdade em injustiça. Porquanto o que de Deus se pode conhecer neles se manifesta, porque Deus lho manifestou. Porque as suas coisas invisíveis, desde a criação do mundo, tanto o seu eterno poder, como a sua divindade, se entendem, e claramente se vêem pelas coisas que estão criadas, para que eles fiquem inescusáveis; Porquanto, tendo conhecido a Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças, antes em seus discursos se desvaneceram, e o seu coração insensato se obscureceu. Dizendo-se sábios, tornaram-se loucos. E mudaram a glória do Deus incorruptível em semelhança da imagem de homem corruptível, e de aves, e de quadrúpedes, e de répteis. Por isso também Deus os entregou às concupiscências de seus corações, à imundícia, para desonrarem seus corpos entre si; Pois mudaram a verdade de Deus em mentira, e honraram e serviram mais a criatura do que o Criador, que é bendito eternamente. Amém."
(Romanos 1.18-25)
 
E a continuação dele denuncia a crescente maldade entre os homens.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

terça-feira, 29 de abril de 2014

Questões relativas


Seja bendito o Teu Nome eternamente, querido Pai celestial! Como é bom poder estar em Tua presença nesta manhã; especialmente para dizer que Tu és a minha paz, meu refúgio e minha segurança, meu Bem maior, pois, todos os bens que possuo foram gerados em Ti. Te adoro meu Pai! Sinto enorme conforto em saber que minha vida e família estão guardadas em Tuas mãos, meu Senhor. Portanto, não devo alimentar preocupação quanto à nossa segurança; aprendi que "Se o SENHOR não edificar a casa, em vão trabalham os que a edificam; se o SENHOR não guardar a cidade, em vão vigia a sentinela." (Salmo 127.1). Então, pergunto à mim mesmo: Por que me assustar com aquilo que só me atingirá se Deus permitir? Assim, sigo confiante e seguro. Aleluia!
 
Enquanto eu oro, sou levado a pensar que devo me preocupar preferencialmente em conhecer e fazer a vontade do Senhor. Se devo parar ou prosseguir é o Senhor quem deve decidir. Moisés sabia quando parar ou prosseguir, mediante a posição da nuvem. Portanto, a direção para parar ou prosseguir está em cima, não em baixo. Talvez seja por isso que muitos cristãos se embaraçam quando avançam e se embaraçam quando estacionam. É que a questão não está em parar ou prosseguir; pois estas são questões relativas. Na verdade, aquilo que deve definir nossas ações neste mundo (casamento, ministério, amizades, começo e fim, etc.) é a vontade de Deus. E assim, amado Pai, estou seguro de que não a o menor risco em obedecer Tua voz. Eu Te adoro!
 
Não é de hoje, tenho adotado este texto como um dos reguladores do meu ministério: "E agora, eis que, ligado eu pelo espírito, vou para Jerusalém, não sabendo o que lá me há de acontecer, Senão o que o Espírito Santo de cidade em cidade me revela, dizendo que me esperam prisões e tribulações. Mas em nada tenho a minha vida por preciosa, contanto que cumpra com alegria a minha carreira, e o ministério que recebi do Senhor Jesus, para dar testemunho do evangelho da graça de Deus." (Atos 20.22-24). Desde que entendi a relevância e a responsabilidade do ministério, achei por bem pensar e agir deste modo, pois - em meio a tudo aquilo que pensamos, falamos ou fazemos - o que conta mesmo é o cumprimento de todo o conselho de Deus.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

segunda-feira, 28 de abril de 2014

Resposta de Deus

 

Ontem, tivemos um encontro de casais de alto nível, aqui na IMW de Monte Carmelo. Foi muito bom ouvir Deus falar através das sábias palavras de minha querida esposa Maria Célia Calegari! As palavras foram precisas e oportunas, revestidas de graça e unção divina. As músicas foram muito bem escolhidas e interpretadas por aqueles que nos conduziram no louvor e adoração que antecedeu o momento da ministração da Palavra. Ao final, o Pastor Luiz Aguiar e sua esposa Jerusa ministraram unção e com óleo e oraram por todos os casais participantes. Em seguida, fomos conduzidos ao belo salão social da igreja; onde foi servido um jantar requintado. Realmente! O "1º Encontro de Casais 2014" promovido por esta querida igreja (ela promove dois a cada ano) foi de grande edificação para todos os participantes. Como é importante que as igrejas invistam na família!
 
Hoje, manhã ainda escura, me estendi no lugar de oração e apresentei a Deus o drama em que muitas famílias vivem. Enquanto eu orava e me preparava para o culto batismal pela manhã; repassei em minha lembrança os inúmeros casos de casais em crise, que conheci ao longo do meu ministério. Então, intercedi por aqueles que ainda resistem e insistem em permanecer juntos, mesmo sob forte pressão contrária e marcas de sofrimento, acumuladas ao longo do tempo em que vivem juntos. Louvei a Deus por aqueles casamentos que se mantém de pé; muitas vezes, devido a perseverança de um dos cônjuges, responsável por manter a chama da aliança ainda acesa. Também aproveitei para clamar pelo socorro divino; face às novas leis que vão sendo forjadas nos bastidores escuros de diversas casas de leis, em toda a terra, com a finalidade de violar o elemento sagrado do matrimônio.
 
Então, pedi a Deus que não consinta que o número de vítimas das loucuras de certos governantes, legisladores, magistrados e "conselheiros" de casais chegue ao seu ponto crítico - ao ponto de colocar em risco a sobrevivência da família segundo o modelo divino - legando às gerações futuras, crianças e jovens sem referência do que é um verdadeiro lar nos moldes do Senhor, perdidos em meio aos absurdos que tentam impor sobre uma sociedade tangida ao longo dos séculos, por princípios e tradições que têm origem nas Escrituras sagradas. Senti paz ao ouvir no íntimo que a resposta de Deus, ainda que pareça tardia, será breve e contundente. Então, fui convencido mais uma vez que o Senhor ainda não deu Sua última palavra; e que ela se abrevia. Que bênção é saber que o Rei do Universo trará justiça e paz ao mundo, para o bem dos que nEle confiam e esperam para a salvação. Glória a Deus!
 
Na Palavra de Deus, aprendemos que o Senhor Jesus retornará a este mundo, para buscar aqueles que O esperam: "Então disse Jesus aos seus discípulos: Se alguém quiser vir após mim, renuncie-se a si mesmo, tome sobre si a sua cruz, e siga-me; Porque aquele que quiser salvar a sua vida, perdê-la-á, e quem perder a sua vida por amor de mim, achá-la-á. Pois que aproveita ao homem ganhar o mundo inteiro, se perder a sua alma? Ou que dará o homem em recompensa da sua alma? Porque o Filho do homem virá na glória de seu Pai, com os seus anjos; e então dará a cada um segundo as suas obras. Em verdade vos digo que alguns há, dos que aqui estão, que não provarão a morte até que vejam vir o Filho do homem no seu reino." (Mateus 16.24-28). Então, recompensará aqueles que perseveram nEle, à despeito de tudo aquilo que corrompe e degrada neste mundo decadente.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

domingo, 27 de abril de 2014

Razão para ser feliz


Enquanto o Pastor Jorge Perim se encaminhou para o templo da IMW Central de Uberlândia, para sua oração diária da madrugada; eu me estendi em sua sala, diante do Pai, para manter minha chama acesa e crepitante. Já tenho dito, muitas vezes, que a oração deve ser uma atitude preventiva antes de ser uma atitude remedial. E, geralmente, a oração preventiva deve ser feita antes que o dia comece. Um dos sentimentos que me invade no lugar de oração; é o de saber que Deus me pôs entre os homens mais felizes deste mundo; e isto nada tem a ver com alguma conquista bombástica ou por algum bem adquirido. Na verdade, me sinto entre os felizardos, por saber que o caminho em que sigo me leva a uma ponte para a eternidade. E não tenho a menor sombra de dúvida quanto a isso.
 
Sou feliz por saber a Quem sigo! E esta alegria, ninguém pode tirar de mim. Também sei, que, enquanto eu mantiver os meus olhos postos no Autor da Vida - Jesus de Nazaré - não corro o menor risco de me perder, enquanto ando por lugares nem sempre favoráveis. E sinto um enorme prazer em poder orar ao Pai, na certeza de que minhas orações são ouvidas; não porque elas sejam melhores ou excelentes; mas, sim, porque a um quebrantado coração - consciente de sua pequenez e insignificância - Deus jamais deixará de ouvir. Portanto, sinto segurança por saber que, além de estar entre os mais felizes, estou também entre os menores. Enquanto em Sua presença intercedendo, procuro trazer comigo minha querida família; pois sei que na presença do Senhor, até o pranto tem sabor de "quero mais".
 
No entanto, preciso dizer aos que insistem em me julgar à seu critério: Seu julgamento não me incomoda nem um pouco. E digo isso porque sei, que, se sou fraco ou forte, pequeno ou grande, santo ou pecador; isso não será definido pelo modo como sou julgado pelos homens... E isso, ao mesmo tempo em que me traz alívio; também me assusta; pois, sei que Deus é o Justo Juiz que não terá o culpado por inocente. Portanto, preciso buscar andar em Sua presença e perseverar em Seu propósito; fazendo Sua vontade na medida do possível (dadas as minhas limitações) mas, convencido de que o Seu amor procura o meu bem e Sua graça trabalha em meu favor. Que bênção é andar sob o olhar do Pai, com os olhos postos em Jesus, sendo conduzido pelo Espírito Santo. Tenho ou não tenho razão para ser feliz?!

Creio que, quanto à questão do juízo temerário, este texto é bem esclarecedor:
 
"Que os homens nos considerem como ministros de Cristo, e despenseiros dos mistérios de Deus. Além disso, requer-se dos despenseiros que cada um se ache fiel. Todavia, a mim mui pouco se me dá de ser julgado por vós, ou por algum juízo humano; nem eu tampouco a mim mesmo me julgo. Porque em nada me sinto culpado; mas nem por isso me considero justificado, pois quem me julga é o SENHOR. Portanto, nada julgueis antes de tempo, até que o Senhor venha, o qual também trará à luz as coisas ocultas das trevas, e manifestará os desígnios dos corações; e então cada um receberá de Deus o louvor."
(1 Coríntios 4.1-5)
 
Assim, todos seremos julgados pelo Senhor; não somente quanto aos atos que praticamos; mas também quanto aos desígnios de um coração nem sempre puro.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sábado, 26 de abril de 2014

Promessa da Sua vinda

 

Nesta sexta-feira, Maria Célia & eu estamos comodamente assentados no saguão do Aeroporto de Pampulha (BH), esperando o voo que nos levará à Uberlândia; de lá, seguiremos com o Pastor Jorge Perim para a cidade de Monte Carmelo, onde um fim-de-semana de atividades estão a nossa espera. Passa um pouquinho das seis da manhã... Enquanto aguardamos, estou a pensar nos cultos realizados na IMW de Santana (Distrito de Muriaé) e na IMW Central de Cataguases (Distrito De Cataguases). Algumas vezes, fico a pensar no extraordinário crescimento da obra wesleyana na zona da mata mineira; e não é somente crescimento numérico, mas também em nível de espiritualidade. Penso que dois fatores têm contribuído para alavancar a obra nesta micro região: Um deles é o crescente estado de unidade e desprendimento dos obreiros e membros. O outro, sem dúvida, é o modo como eles têm posto em prática as propostas episcopais apresentadas (GCEU, Desperta Débora, Retiro do Coração Abrasado e outras).
 
Entretanto... Fico a pensar na diminuição do tempo que temos, para chegar o mais longe possível no cumprimento do "IDE" - gatilho da "Grande Comissão". É que vivemos um tempo em que tudo conspira contra a "razão de ser" de nossa missão no mundo. Entidades, governos e até igrejas estão caminhando na contramão da santidade e do propósito de Deus. Podemos afirmar, sem medo de cometer injustiça, que o pecado evoluiu e se instalou. Assim Deus advertiu Caim: "Se bem fizeres, não é certo que serás aceito? E se não fizeres bem, o pecado jaz à porta, e sobre ti será o seu desejo, mas sobre ele deves dominar." (Gênesis 4.7). No entanto, desde aquele tempo, o pecado não se contentou em ficar à porta; mas tem adentrado lares e vidas; e, vai se estabelecendo através de leis injustas e blasfemas que agridem aquilo que temos de melhor e mais nobre nas tradições e nas relações humanas. Não exagero, ao dizer que o juízo de Deus se aproxima e será correspondente à gravidade do pecado e da maldade dos homens.
 
Convém meditarmos nesta advertência apostólica:
 
"AMADOS, escrevo-vos agora esta segunda carta, em ambas as quais desperto com exortação o vosso ânimo sincero; Para que vos lembreis das palavras que primeiramente foram ditas pelos santos profetas, e do nosso mandamento, como apóstolos do Senhor e Salvador. Sabendo primeiro isto, que nos últimos dias virão escarnecedores, andando segundo as suas próprias concupiscências, E dizendo: Onde está a promessa da sua vinda? porque desde que os pais dormiram, todas as coisas permanecem como desde o princípio da criação. Eles voluntariamente ignoram isto, que pela palavra de Deus já desde a antiguidade existiram os céus, e a terra, que foi tirada da água e no meio da água subsiste. Pelas quais coisas pereceu o mundo de então, coberto com as águas do dilúvio, Mas os céus e a terra que agora existem pela mesma palavra se reservam como tesouro, e se guardam para o fogo, até o dia do juízo, e da perdição dos homens ímpios. Mas, amados, não ignoreis uma coisa, que um dia para o Senhor é como mil anos, e mil anos como um dia. O Senhor não retarda a sua promessa, ainda que alguns a têm por tardia; mas é longânimo para conosco, não querendo que alguns se percam, senão que todos venham a arrepender-se. Mas o dia do Senhor virá como o ladrão de noite; no qual os céus passarão com grande estrondo, e os elementos, ardendo, se desfarão, e a terra, e as obras que nela há, se queimarão."
(2 Pedro 3.1-10)
 
Por tudo aquilo que tenho visto e ouvido, acredito que ela está prestes a se cumprir!
 
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sexta-feira, 25 de abril de 2014

Amo meu filho Ezequiel

 

Obrigado, amado Pai; pela vida do meu querido filho Ezequiel de Cristo. Não tenho palavras para Te agradecer por esta tão querida vida! Ainda me lembro dos primeiros passos que deu e das primeiras palavras que balbuciou. Lembro-me de como ele gostava de segurar minha mão, enquanto caminhávamos... O tempo passou, ele tornou-se homem; todavia, nunca esqueceu os sagrados ensinamentos sobre o que é a verdadeira vida em Cristo Jesus. Sou grato por ele, amado Pai!
 
Sou grato pelas lições que Tu me ensinaste através dele; e pelo amor que ele demonstra por mim. Sei com certeza que tens reservado o melhor para ele; pois é um perseverante no Caminho do Senhor. Alimento a esperança de viver para ver cumpridas em sua preciosa vida, todas as promessas do Senhor para ele. Sei o quanto ele luta para alcançar tua graça e cumprir Teu propósito neste mundo. E creio ser isto suficiente para que ele seja sempre mais que vencedor em Jesus.
 
Gosto muito de pensar em meus queridos filhos, em consonância com este texto da Palavra de Deus: "Eis que os filhos são herança do SENHOR, e o fruto do ventre o seu galardão. Como flechas na mão de um homem poderoso, assim são os filhos da mocidade. Bem-aventurado o homem que enche deles a sua aljava; não serão confundidos, mas falarão com os seus inimigos à porta." (Salmo 127.3-5). Eles estão entre as mais importantes heranças que tenho: Vida eterna, esposa e filhos!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quinta-feira, 24 de abril de 2014

Aqui a vida é assim


Hoje, após me curvar perante o Deus eterno; fui levado a pensar na herança eterna. De imediato, comecei a refletir em nossa vida neste mundo, tão marcada e influenciada por coisas que vemos e que possuímos. Então, fui levado comparar os valores que temos ao alcance da mão, com os valores que temos por promessa de Deus. E constatei que, na verdade, os bens que temos diante dos olhos podem enfraquecer a nossa visão dos bens que temos na vida futura. Mas... Como assim? Perguntaria alguém. Então, respondo: É que aquilo que está ao alcance dos sentidos (visão, tato, gosto, cheiro) geralmente, se torna objeto de desejo, por dar a sensação de segurança e de posse. Talvez seja esta a razão pela qual a grande maioria das pessoas se apega tanto à vida material; deixando as coisas espirituais em segundo plano. E o pior é que vemos bons cristãos buscando em primeiro lugar os bens materiais; quando a Palavra nos orienta a buscar o reino de Deus e sua justiça em primeiro lugar.
 
Enquanto eu refletia sobre isso, não pude deixar de pensar na temporariedade dos bens terrenos. Eles envelhecem e se desgastam tão rapidamente quanto a nossa própria condição física. Assim, uma casa nova - que tanto prazer provocou no passado - acaba por se tornar uma peça de museu (isso, quando não é demolida para dar lugar a um novo prédio). E o carro novo? Seu destino é virar sucata ou peça de colecionador. E quanto a nós, seres mortais? As vezes envelhecemos muito mais rápido do que alguns bens que possuímos. Tenho notado, também, que alguns bens que hoje nos inebriam; algum tempo depois nos angustiam. É... Aqui a vida é assim. Mas, falando da herança futura: Ela não se desgastará com o tempo. Até porque, no lugar em que ela se encontra, o tempo não conta. Portanto, procurarei desfrutar com equilíbrio, os bens lícitos e permitidos; mas não me deixarei prender por eles. São tão passageiros como a minha vida física. Prefiro mil vezes o que vem depois!
 
Este texto indica que as riquezas futuras são bem melhores do que aquilo que temos neste mundo: "A minha palavra, e a minha pregação, não consistiram em palavras persuasivas de sabedoria humana, mas em demonstração de Espírito e de poder; Para que a vossa fé não se apoiasse em sabedoria dos homens, mas no poder de Deus. Todavia falamos sabedoria entre os perfeitos; não, porém, a sabedoria deste mundo, nem dos príncipes deste mundo, que se aniquilam; Mas falamos a sabedoria de Deus, oculta em mistério, a qual Deus ordenou antes dos séculos para nossa glória; A qual nenhum dos príncipes deste mundo conheceu; porque, se a conhecessem, nunca crucificariam ao Senhor da glória. Mas, como está escrito: As coisas que o olho não viu, e o ouvido não ouviu, E não subiram ao coração do homem, São as que Deus preparou para os que o amam." (1 Coríntios 2.4-9). Portanto, é sábio e prudente aquele que põe o seu coração nos bens celestes e não nos bens terrestres.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quarta-feira, 23 de abril de 2014

Real sentido do chamado

 
Na noite de domingo passado, enquanto eu me preparava para o repouso após um dia de atividade intensa; fiquei a pensar no resultado do trabalho do Pastor Renato Jabor Campos, na IMW de Barra; e no trabalho do Pastor João Carlos, na IMW do Dornelas - ambas as igrejas na cidade de Muriaé. São igrejas novas, ambas emancipadas nos últimos cinco anos, após uma curta trajetória como congregação. Percebi em meu espírito um sentimento de satisfação; por ver homens simples - mas de admirável dedicação - colherem frutos multiplicados por um chamado valorizado por sua visão e compromisso com o Senhor; e santificados pela aprovação do Deus que os chamou para Sua obra. Digo isso, porque - no domingo - preguei pela manhã no culto matutino da igreja de Barra; e no encerramento da festa de aniversário de quatro anos de emancipação da igreja do Dornelas. Não dá para descrever a essência do agir de Deus que nos cobriu enquanto pregávamos.
 
Então, na manhã de segunda-feira, ao orar ao Senhor - em preparação para o Encontro de Mulheres Wesleyanas da zona da mata mineira - pedi a Deus que me ajudasse a entender e praticar o Seu propósito para o meu ministério. Então, fui confrontado com o fato de que - em muitas ocasiões - no afã de servirmos a Deus, começamos um processo de nos servir a nós mesmos, sem nos apercebermos disso. E assim, passamos a ver homens e mulheres, cristãos confessos, exigindo direitos e proveitos em troca daquilo que dizem fazer para o Senhor... Lamentável! E, algo ainda pior: Não percebem que seu trabalho vai perdendo qualidade, até tornar-se instável e infrutífero; pelo simples fato de que o seu coração não está posto sobre o rebanho do Senhor; e sim, naquilo que o rebanho do Senhor pode lhe oferecer em troca dos "serviços" prestados. Então, fico a me perguntar: Como será o acerto de contas no final de tudo; uma vez que Deus será rigoroso na cobrança?
 
Por experiência própria, digo: Obreiros que servem a Deus em tempo integral, devem procurar ler e reler muitas vezes este texto; procurando encontrar o real sentido do chamado para o ministério e o preço a ser pago por quem cuida de vidas pelas quais Jesus morreu: "Aos presbíteros, que estão entre vós, admoesto eu, que sou também presbítero com eles, e testemunha das aflições de Cristo, e participante da glória que se há de revelar: Apascentai o rebanho de Deus, que está entre vós, tendo cuidado dele, não por força, mas voluntariamente; nem por torpe ganância, mas de ânimo pronto; Nem como tendo domínio sobre a herança de Deus, mas servindo de exemplo ao rebanho. E, quando aparecer o Sumo Pastor, alcançareis a incorruptível coroa da glória." (1 Pedro 5.1-4). Digo isso, porque, com o passar do tempo; corremos o risco de servir à igreja muito mais pelo ganho material, do que pelo objetivo da missão de amar e cuidar de vidas, em nome do Senhor.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

terça-feira, 22 de abril de 2014

1º Encontro de Mulheres


Realmente... Foi sobrenatural o 1º Encontro de Mulheres da Zona da Mata Mineira realizado ontem! Não é exagero dizer que vimos a glória de Deus se manifestar neste grande evento realizado em Muriaé, no templo da IMW do Dornelas; onde cerca de setecentas mulheres dos quatro distritos da zona da mata (Muriaé, Cataguases, Visconde do Rio Branco e Juiz de Fora) se fizeram presentes. A programação se estendeu, desde as oito da manhã, com delicioso café, até as cinco da tarde; havendo um intervalo para o almoço. Este encontro foi enriquecido por brilhante atuação do "Desperta Débora" regional, mesclado com o "ESPAM" regional. Nele, louvor e adoração se conjugaram com ministrações ungidas e poderoso movimento de intercessão. Posso dizer que Deus agiu na vida das mulheres.
 
Sob a coordenação geral da Missionária Maria Célia Calegari, coadjuvada pelas coordenadoras distritais - Luz Aurora (Muriaé), Ducilea Jabor (Cataguases), Izabel Santos (Visc Rio Branco) e Ingrid Flores (Juiz de Fora); o 1º Encontro de Mulheres da Zona da Mata contou com a presença dos SD: Robson Melo (Muriaé), Renato Jabor Campos (Cataguases), Iankee Berget  (Visc Rio Branco) e Edilton Leão (Juiz de Fora); bem como a presença de diversos pastores das igrejas participantes. Não posso deixar de fazer referência especial à coordenadora local Andréia Fontenele que trouxe dois ônibus de mulheres da IMW de Astolfo Dutra - pastoreada por seu esposo Pastor Júlio Celso Nascimento - sendo esta a maior caravana de uma igreja local. Admirável o nível de motivação e unidade das wesleyanas da zona da mata.
 
Creio não exagerar, ao afirmar que investir em visão está apresentando bons resultados e crescimento em diversos distritos e igrejas da Segunda Região. A Palavra de Deus, ao referir-se à Igreja Primitiva, testemunha que "era um o coração e a alma da multidão dos que criam, e ninguém dizia que coisa alguma do que possuía era sua própria, mas todas as coisas lhes eram comuns. E os apóstolos davam, com grande poder, testemunho da ressurreição do Senhor Jesus, e em todos eles havia abundante graça." (Atos 4.32-33). E quando lemos o livro de Atos, vemos que a Igreja Primitiva era como um canteiro fértil: Cheia de flores e frutos para Deus. Também estamos sob o mover sobrenatural de Deus - gerando unidade no espírito e vínculo da paz - e vemos a obra crescer em diversos lugares da jurisdição regional.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

domingo, 20 de abril de 2014

Coisas pequenas

 

Querido e amado Pai; nesta manhã, enquanto eu me prostro aos Teus pés, sou levado a cantar esta antiga canção do Carlos Oliveira: "Quando as dores me vierem fazer chorar e meu coração se encontrar abatido; por me cercarem as forças do mal. Se meu corpo fraqueza sentir e estiver quase a perecer; então, sei que o meu refúgio serás, Senhor; e prontamente me darás abrigo. Com Tua luz me iluminarás; minha vida encherás de paz, dando fim a todo meu sofrer." Como senti conforto ao cantar esta canção que aprendi no passado, em dias intensos do ministério que o Senhor me deu! As vezes, buscamos coisas grandiosas que não conseguimos suportar; descartando algumas coisas pequenas que podem nos fazer melhores.
 
Deus de amor e de graça; ajuda-me a entender que o mais importante na vida; não é o volume ou grandeza aparente das coisas. Pois, na maioria das vezes, as coisas que definem nosso futuro na eternidade são de aparência simples, pequena. Existem servos teus que estão a procura de valores, olhando para um ponto elevado e recorrendo ao auxílio de um telescópio; quando o que eles precisavam mesmo, era de olhar um pouco mais baixo e se munir de um microscópio; para então enxergar os verdadeiros tesouros, os quais não passam de pontos minúsculos no tempo e no espaço, pois, apenas a grandeza do Senhor deve ser considerada; sendo as demais coisas pequenas - quase insignificantes - em comparação com a grandeza e majestade de Tua gloriosa e majestosa Pessoa.
 
Enquanto eu oro ao Senhor, vem à minha lembrança o abençoado culto de sexta-feira na IMW de Aracruz. Louvo ao Senhor pela capacidade de mobilização distrital; que conseguiu trazer todos os pastores do Distrito de Serra, acompanhados de representação de suas igrejas; em um Encontro Distrital que foi pleno de graça e unção; pois, o Senhor se fez presente entre nós, falando e ministrando ao nosso coração sequioso da unção que torna os cultos diferentes entre si. Te louvo pelo casal - Pastor Antônio Neto e sua esposa Nete - responsável pela supervisão deste Distrito; em cuja casa Maria Célia & eu ficamos hospedados. Obrigado, Senhor; pela viagem longa e cansativa que fizemos; embora cheia de perigo, mas, guardada pela presença do anjo do Senhor que esteve conosco durante todo o trajeto!
 
Nós, que servimos a Deus, precisamos definir onde está de fato o nosso tesouro:
 
"O amor seja não fingido. Aborrecei o mal e apegai-vos ao bem. Amai-vos cordialmente uns aos outros com amor fraternal, preferindo-vos em honra uns aos outros. Não sejais vagarosos no cuidado; sede fervorosos no espírito, servindo ao Senhor; Alegrai-vos na esperança, sede pacientes na tribulação, perseverai na oração; Comunicai com os santos nas suas necessidades, segui a hospitalidade; Abençoai aos que vos perseguem, abençoai, e não amaldiçoeis. Alegrai-vos com os que se alegram; e chorai com os que choram; Sede unânimes entre vós; não ambicioneis coisas altas, mas acomodai-vos às humildes; não sejais sábios em vós mesmos;"
(Romanos 12.9-16)
 
Pois, a Palavra adverte que onde estiver o nosso tesouro, ali estará o nosso coração.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sábado, 19 de abril de 2014

Natureza carnal

Foto: Hoje, como sempre faço, passei pelo lugar de oração e me detive ali por algum tempo. Após o meu encontro diário com o Senhor; Fiquei a pensar na insistência da natureza carnal; em tentar frustrar os planos de Deus para a nossa vida. É verdade! Ela não dá trégua; tentando por todos os meios nos "arrancar" da cruz. Então, penso também naqueles crentes que não tem o discernimento necessário para dizer "não" à voz de uma tendência ruim ou de um mau conselheiro. Por outro lado, penso que todos nós somos vulneráveis neste conflito; pois, infelizmente, foi o despreparo nesta luta que levou crentes santos de ontem a se transformarem nos crentes amargos de hoje. Com efeito, precisamos manter os nossos sentidos sob o manto de uma vida temente; para não nos tornamos vidas dormentes, excludentes.

Na verdade, a natureza carnal que ainda resiste em nós, tenta a todo custo nos conduzir pelo caminho da infidelidade, da murmuração, da mágoa, da revolta... Sempre tentando nos convencer de que somos vítimas dos outros; de que somos traídos pelos mais próximos; de que ninguém nos entende; enfim... Tentando nos manter na contramão da vida (e nem percebemos que quanto andamos na contramão, podemos sofrer sérios desastres provocados por colisão frontal com aqueles que trafegam em sua mão certa). Um dos prejuízos que nossa natureza carnal nos causa; é nos levar a ver amigos (aqueles que nos dizem o que precisamos ouvir) como inimigos; e a ver adversários (aqueles que nos dizem o que queremos ouvir) como amigos. Enfim, precisamos manter na cruz a natureza carnal!

Hoje, como sempre faço, passei pelo lugar de oração e me detive ali por algum tempo. Após o meu encontro diário com o Senhor; fiquei a pensar na insistência da natureza carnal; em tentar frustrar os planos de Deus para a nossa vida. É verdade! Ela não dá trégua; tentando por todos os meios nos "arrancar" da cruz. Então, penso também naqueles crentes que não tem o discernimento necessário para dizer "não" à voz de uma tendência ruim ou de um mau conselheiro. Por outro lado, penso que todos nós somos vulneráveis neste conflito; pois, infelizmente, foi o despreparo nesta luta que levou crentes santos de ontem a se transformarem nos crentes amargos de hoje. Com efeito, precisamos manter os nossos sentidos sob o manto de uma vida temente; para não nos tornamos vidas dormentes, excludentes.
 
Na verdade, a natureza carnal que ainda reside em nós, tenta a todo custo nos conduzir pelo caminho da infidelidade, da murmuração, da mágoa, da revolta... Sempre tentando nos convencer de que somos vítimas dos outros; de que somos traídos pelos mais próximos; de que ninguém nos entende; enfim... Tentando nos manter na contramão da vida (e nem percebemos que quanto andamos na contramão, podemos sofrer sérios desastres provocados por colisão frontal com aqueles que trafegam em sua mão certa). Um dos prejuízos que nossa natureza carnal nos causa; é nos levar a ver amigos (aqueles que nos dizem o que precisamos ouvir) como inimigos; e a ver adversários (aqueles que nos dizem o que queremos ouvir) como amigos. Enfim, precisamos manter na cruz a nossa natureza carnal!
 
Todo cristão precisa saber que vale à pena buscar na Palavra de Deus, vacina contra a natureza carnal:
 
"Regozijai-vos sempre no Senhor; outra vez digo, regozijai-vos. Seja a vossa eqüidade notória a todos os homens. Perto está o SENHOR. Não estejais inquietos por coisa alguma; antes as vossas petições sejam em tudo conhecidas diante de Deus pela oração e súplica, com ação de graças. E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os vossos corações e os vossos sentimentos em Cristo Jesus. Quanto ao mais, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai. O que também aprendestes, e recebestes, e ouvistes, e vistes em mim, isso fazei; e o Deus de paz será convosco."
(Filipenses 4.4-9)
 
Precisamos manter atitudes e linguagem sã; para que Deus seja glorificado, o próximo seja edificado e o adversário seja envergonhado.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sexta-feira, 18 de abril de 2014

Nosso modo de pensar

Foto: Hoje levantei para estar conTigo, ó Pai. Não senti oposição em minha razão ou sentimento; portanto... Creio que estes dois importantes componentes da minha existência, estão se submetendo à inclinação do meu espírito à oração; e à sua determinação em fazê-lo. Glória ao Senhor! Percebi que a viagem que fiz ontem, chegando pouco antes da meia-noite; foi viagem preocupante e perigosa... Mas, ainda bem que Maria Célia Calegari e eu tínhamos o Senhor conosco; e não pode haver melhor companhia para uma jornada que precisa gozar de segurança e paz. Não tenho a menor dúvida de que qualquer palavra ou expressão de gratidão jamais corresponderá à graça alcançada.

Pai! Existem dias em que não conseguimos ter a menor ideia quanto ao que virá depois; mesmo tendo apontamentos a nortear nossas ações nas horas seguintes. É algo, assim, como se uma densa névoa ocultasse dos nossos olhos, aquilo que temos pela frente. Ainda bem que eu caminho por fé - não por vista - e assim, posso dar os meus passos em sintonia com o meu compromisso de Te seguir e o Teu cuidado em me proteger. Não é de hoje, descobri que o melhor modo de transitar por este mundo é procurar ver com os Teus olhos e ouvir com os Teus ouvidos. Ah... E pensar com a mente de Cristo; pois não podemos confiar cegamente em nosso modo de pensar.

Hoje levantei para estar conTigo, ó Pai. Não senti oposição em minha razão ou sentimento; portanto... Creio que estes dois importantes componentes da minha existência, estão se submetendo à inclinação do meu espírito à oração; e à sua determinação em fazê-lo. Glória ao Senhor! Percebi que a viagem que fiz ontem, chegando pouco antes da meia-noite; foi viagem preocupante e perigosa... Mas, ainda bem que Maria Célia e eu tínhamos o Senhor conosco; e não pode haver melhor companhia para uma jornada que precisa gozar de segurança e paz. Não tenho a menor dúvida de que qualquer palavra ou expressão de gratidão jamais corresponderá à graça por nós alcançada.
 
Pai! Existem dias em que não conseguimos ter a menor ideia quanto ao que virá depois; mesmo tendo apontamentos a nortear nossas ações nas horas seguintes. É algo, assim, como se uma densa névoa ocultasse dos nossos olhos, aquilo que temos pela frente. Ainda bem que eu caminho por fé - não por vista - e assim, posso dar os meus passos em sintonia com o meu compromisso de Te seguir e o Teu cuidado em me proteger. Não é de hoje, descobri que o melhor modo de transitar por este mundo é procurar ver com os Teus olhos e ouvir com os Teus ouvidos. Ah... E pensar com a mente de Cristo; pois não podemos confiar cegamente em nosso modo de pensar.
 
É de vital importância darmos ouvidos à voz de Deus:
 
"E os teus ouvidos ouvirão a palavra do que está por detrás de ti, dizendo: Este é o caminho, andai nele, sem vos desviardes nem para a direita nem para a esquerda. E terás por contaminadas as coberturas de tuas esculturas de prata, e o revestimento das tuas esculturas fundidas de ouro; e as lançarás fora como um pano imundo, e dirás a cada uma delas: Fora daqui. Então te dará chuva sobre a tua semente, com que semeares a terra, como também pão da novidade da terra; e esta será fértil e cheia; naquele dia o teu gado pastará em largos pastos."
(Isaías 30.21-23).
 
A voz do Senhor tem o dom de nos acalmar, dando paz ao coração e direção para o caminho.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quinta-feira, 17 de abril de 2014

Arco da aliança


Hoje, logo após orar; cantarolei baixinho uma antiga canção, esquecida por muitos crentes nas brumas do tempo: "Vindo sombras escuras no caminho teu; ó, não te desanimes; cante um hino a Deus. Cada nuvem escura um arco-íris traz, quando em teu coração reinar perfeita paz... Se teu coração estiver em paz, bem contente, alegre sempre te acharás; se teu coração estiver em paz, tu verás que um arco-íris cada nuvem traz!". Naquele instante, fui levado a pensar nas inúmeras vezes que, ao longo de minha vida, o arco-íris se impôs logo após nuvens escuras no horizonte. Então, me lembrei de que em ocasiões assim, em minha vida; as nuvens sombrias foram, por mim, olhadas sem medo, devido confiança no cuidado do Senhor; e o arco-íris sempre saudado com alegria e gratidão ao Deus eterno.
 
Portanto, em meio às tempestades da vida, não podemos perder o ânimo; nem enfraquecer na fé! A perseverança do crente é de grande importância; especialmente, nas horas amargas que de quando em vez nos assaltam. Precisamos entender que a vida é constituída de trabalho e descanso, guerra e paz; intercalando lágrimas e sorrisos... Enquanto prosseguimos em nossa jornada rumo à eternidade. Então, cada crente precisa ter esperança de que - após uma noite escura e ameaçadora - o dia seguinte trará consigo um arco-íris que nem sempre notamos devido ao medo. No entanto, ele está lá no alto - ligando terra e céu - com suas belas cores, a nos dizer que a vida continua; e, que, por mais que as sombras escuras queiram nos intimidar; o Sol da justiça brilhará sobre nós!
 
O Deus de amor e de justiça; é também de alianças e de promessas: "E disse Deus: Este é o sinal da aliança que ponho entre mim e vós, e entre toda a alma vivente, que está convosco, por gerações eternas. O meu arco tenho posto nas nuvens; este será por sinal da aliança entre mim e a terra. E acontecerá que, quando eu trouxer nuvens sobre a terra, aparecerá o arco nas nuvens. Então me lembrarei da minha aliança, que está entre mim e vós, e entre toda a alma vivente de toda a carne; e as águas não se tornarão mais em dilúvio para destruir toda a carne. E estará o arco nas nuvens, e eu o verei, para me lembrar da aliança eterna entre Deus e toda a alma vivente de toda a carne, que está sobre a terra." (Gênesis 9.12-16)). Como é bom servir ao Deus que se revelou em Jesus Cristo!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quarta-feira, 16 de abril de 2014

Aprendi na Bíblia


Hoje de manha, antes de chegar à mesa de trabalho; marquei presença no lugar de oração. Estou convencido de que todo crente deve ter seu lugar de oração para estar, antes de iniciar qualquer atividade - seja de trabalho, seja de lazer - buscando conhecer o propósito de Deus para o novo dia que terá pela frente; deixando nesse lugar, seus medos e inquietações. Ainda impactado pelo que o Senhor fez, tanto em Ipatinga como em Itabira; louvei a Deus por poder ser vaso em Suas mãos. E, louvei a Deus pela vida de minha esposa Maria Célia; pelo casal - Pastor Isaque e sua esposa Lucimar - à frente da IMW de Itabira; e, pelo casal - Pastor Adriano Silva e Tania - à frente do Distrito de Ipatinga. Ah... Senti alegria ao ver o novo ministério que Deus tem dado ao Pastor Eurico. Como faz bem ver o agir de Deus na vida de Seus servos; e Sua igreja ser edificada enquanto nós pregamos Sua Palavra.
 
Enquanto eu orava, pedi a Deus que me guarde de olhar para qualquer coisa ou pessoa que não tenha nada a ver com Ele e comigo; também pedi a Deus que me livre de ambicionar ou desejar qualquer coisa que nada tenha a ver com Ele e comigo; e que eu nunca esvazie minha crença, usando a fé para buscar algo impróprio. Aprendi na Bíblia, que, os olhos e ouvidos são janelas que nos permitem ver e ouvir qualquer coisa que esteja a nossa frente. Então, preciso ter Jesus a minha frente - como foco dos meus olhos - para que qualquer coisa que eu veja, esteja em sintonia com o Seu maravilhoso olhar. E não me esqueci de agradecer ao Senhor, pelos relacionamentos que cultivo: Minha querida família ocupa lugar proeminente; assim como os amigos e irmãos que Deus me deu. Todavia, existem relacionamentos que devo evitar, para que meu relacionamento com Deus não sofra o menor prejuízo.

Infelizmente, vemos bons crentes perderem bênçãos, por não observarem a Palavra de Deus. As vezes, parece difícil entender que - para vivermos uma vida abençoada neste mundo traiçoeiro e perigoso - uma das decisões mais importantes a ser tomada; é mantermos a Palavra de Deus sempre diante dos olhos. E este texto bíblico é um importante alerta para todo verdadeiro cristão: "PORTANTO nós também, pois que estamos rodeados de uma tão grande nuvem de testemunhas, deixemos todo o embaraço, e o pecado que tão de perto nos rodeia, e corramos com paciência a carreira que nos está proposta, Olhando para Jesus, autor e consumador da fé, o qual, pelo gozo que lhe estava proposto, suportou a cruz, desprezando a afronta, e assentou-se à destra do trono de Deus." (Hebreus 12.1-2). Nele aprendemos que devemos manter os nossos olhos em Jesus, Autor e Consumador da fé.

Cordialmente;
Bispo Calegari

terça-feira, 15 de abril de 2014

Só em Jesus temos futuro

 

Neste domingo, dia seguinte ao culto distrital promovido pelo Distrito de Ipatinga na IMW de Vila Celeste; estou a refletir sobre o modo como Deus falou conosco. Quem estava lá pode dizer com propriedade que foi sobrenatural! Enquanto penso no foco da ministração; penso também no quanto somos pequenos e dependentes da graça do Deus eterno que se revelou na pessoa bendita de Jesus, Seu amado filho. É verdade! Enquanto humanos, somos um amontoado de pó com reações imprevisíveis... Algumas vezes, estamos em solo; com aparência de estabilidade, como se ali fôssemos permanecer para sempre; outras vezes, somos semelhantes a poeira em suspensão, levada pelo vento - sem rumo certo - a lugares que nem sempre desejamos estar. Daí, a urgência que temos, de saber que vento nos dirige.
 
Então, senti profunda gratidão a Deus em meu espírito; por entender que não existe consistência na vida humana, capaz de dar sentido e estabilidade à vida de quem quer que seja - eu e você inclusive. Daí, a necessidade que temos de estar sempre em bom relacionamento com Deus; pois dEle vem a provisão para uma vida satisfeita e o fundamento para uma vida estável. Ao longo do tempo, tenho percebido que o herói de hoje pode se tornar no vilão de amanhã; assim como, o vilão de hoje pode vir a se transformar em um homem de bem no futuro. Portanto, isto somente confirma aquilo que penso quanto ao nosso viver neste mundo: De que, nele - de estável e permanente - só temos o amor de Deus, que nos deseja; e a graça de Deus, que nos redime. Deste modo, me dou conta de que só em Jesus temos futuro.
 
Na Bíblia, existem inúmeras advertências, quanto ao nosso modo de viver e agir neste mundo. Portanto, devemos atentar para elas, dentre as quais, achei por bem apontar esta:
 
"Por isso diz: Desperta, tu que dormes, e levanta-te dentre os mortos, e Cristo te esclarecerá. Portanto, vede prudentemente como andais, não como néscios, mas como sábios, Remindo o tempo; porquanto os dias são maus. Por isso não sejais insensatos, mas entendei qual seja a vontade do Senhor."
(Efésios 5.14-17)
 
Esta palavra pode mudar completamente o nosso modo de pensar, falar e de agir na obra de Deus.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

segunda-feira, 14 de abril de 2014

Fundamento da Palavra


No lugar de oração; não tenho palavras para descrever a segurança que sinto, em buscar tua face, amado Pai! Sempre lamento não Te buscar mais vezes e me manter prostrado por mais tempo. No entanto, sinto conforto e direção sempre que Te busco. E uma das coisas que sempre ouço e aprendo em Tua presença; é que devo construir os meus projetos de vida - seja espiritual, familiar ou de trabalho - sobre as bases da Tua Palavra. E isso tenho procurado fazer, as vezes à custa de sacrifício. E sempre que mantenho Tua Palavra como base daquilo que digo ou que faço; me dou conta de não ter a menor decepção, pelo fato de manter os meus olhos sobre Tua Palavra e tê-la como fundamento de meus sonhos e realizações.
 
Sou convicto de que Tua Palavra é a base de sustentação da terra sobre o nada; enquanto descreve um círculo em torno do Sol - girando qual bailarina - voltando cada ano ao seu ponto de partida. Não é de hoje que sei, que, somos passageiros permanentes de uma viagem espacial por anos a fio - em ciclos de doze meses - sem sentirmos o menor efeito colateral enquanto navegamos pela vastidão do espaço. Sei que a visão do cego Bartimeu teve como base a Tua Palavra; assim como a ressurreição do filho da viúva de Naim. E sei que o Mar Vermelho se manteve em seus limites, para que Teu povo por ele passasse, tendo por base a Tua Palavra eterna. É... Tenho razões de sobra para crer no fundamento da Palavra.
 
Triste, Pai eterno; é ver alguns dos melhores pregadores e intérpretes das artes sacras, passarem a agir, como se este mundo fosse seu verdadeiro lugar; assediados que são por Satã - o mal em pessoa - vestido de bondade e piedade aparente; hábil na arte de enganar e seduzir, que, algumas vezes, nos confunde até ao ponto de vermos o mal como bem e a mentira como verdade. Que bom que, neste mundo tenebroso, podemos contar com a direção do teu Espírito; nos revelando os perigos do caminho e a real face de um mundo asqueroso, fantasiado de paraíso; mas, que, por mais que tente camuflar não consegue ocultar por muito tempo suas verdadeiras intenções; pois, não passa de um poço de perversão e de perdição.
 
Bom é para o crente verdadeiro, render louvores a Deus:
 
"EXALTAR-TE-EI, ó SENHOR, porque tu me exaltaste; e não fizeste com que meus inimigos se alegrassem sobre mim. SENHOR meu Deus, clamei a ti, e tu me saraste. SENHOR, fizeste subir a minha alma da sepultura; conservaste-me a vida para que não descesse ao abismo. Cantai ao SENHOR, vós que sois seus santos, e celebrai a memória da sua santidade. Porque a sua ira dura só um momento; no seu favor está a vida. O choro pode durar uma noite, mas a alegria vem pela manhã. Eu dizia na minha prosperidade: Não vacilarei jamais. Tu, SENHOR, pelo teu favor fizeste forte a minha montanha; tu encobriste o teu rosto, e fiquei perturbado. A ti, SENHOR, clamei, e ao SENHOR supliquei. Que proveito há no meu sangue, quando desço à cova? Porventura te louvará o pó? Anunciará ele a tua verdade? Ouve, SENHOR, e tem piedade de mim, SENHOR; sê o meu auxílio. Tornaste o meu pranto em folguedo; desataste o meu pano de saco, e me cingiste de alegria, Para que a minha glória a ti cante louvores, e não se cale. SENHOR, meu Deus, eu te louvarei para sempre."
(Salmo 30.1-12)
 
E somos contemplados com a certeza de que a alegria do Senhor é a nossa força!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sábado, 12 de abril de 2014

Necessidades fundamentais


A algum tempo não me levanto tão cedo como hoje... O meu espírito sentiu necessidade de madrugar diante do Senhor; e não posso negar-lhe este direito. Direito que também é dever de todos nós, que amamos e servimos ao Senhor. Tenho aprendido que não há como andar com Deus sem buscar Sua face continuamente. E nesta madrugada com o Senhor, Ele me fez ver duas necessidades fundamentais em minha vida: A primeira, que eu devo me sujeitar continuamente a Ele, sem me deixar dominar por outros interesses que não sejam os dEle. A segunda - tão difícil quanto a primeira - é, que, se desejo realmente que Seu propósito seja cultivado em minha vida; preciso viver nEle e negar-me a mim mesmo.
 
Ao ser confrontado com estas duas necessidades, meu primeiro pensamento foi para o relacionamento que deve existir na família; e, no quanto estas duas atitudes podem auxiliar no relacionamento entre as partes integrantes de um lar. Pensei, inclusive, em minha família. Então, me dei conta de que sujeição a Deus e negação de mim mesmo, tem sido dois fatores fundamentais para o bom nível de relacionamento que desfruto com meus queridos. Quantas vezes, o abrir mão de minha própria vontade e calar a voz do meu "eu", trouxe paz ao meu lar e mudou o rumo de conflitos, assim como uma barragem muda o curso de um rio. Sim! Sujeitar-me a Deus e negar-me a mim mesmo constrói caminho para a paz.
 
Infelizmente, ao longo dos anos, tenho visto lares se desmancharem e vidas se arruinarem; exatamente por não abrirem mão de suas vontades, de seus caprichos. Como é triste ver casais que se amam; virarem as costas um ao outro, tão somente por colocarem o "eu" acima do cônjuge. E assim, não se apercebem que a paz e a estabilidade de uma família reside na capacidade de doação que cada um de seus membros precisa fazer. Enfim, o interesse do "outro" deve ser colocado acima do interesse pessoal. Sei que pensar assim parece ser um contrassenso; especialmente nestes dias, em que as pessoas vão se tornando amantes de si mesmas; dias em que prevalece a busca pelos interesses próprios e pela realização pessoal.
 
Estas são instruções bíblicas que podem dar um novo ritmo ao casamento e à toda a família: "Revesti-vos, pois, como eleitos de Deus, santos e amados, de entranhas de misericórdia, de benignidade, humildade, mansidão, longanimidade; Suportando-vos uns aos outros, e perdoando-vos uns aos outros, se alguém tiver queixa contra outro; assim como Cristo vos perdoou, assim fazei vós também. E, sobre tudo isto, revesti-vos de amor, que é o vínculo da perfeição. E a paz de Deus, para a qual também fostes chamados em um corpo, domine em vossos corações; e sede agradecidos." (Colossenses 3.12-15). É sempre bom saber que a Palavra de Deus tem ensinamentos para todas as áreas da vida humana.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sexta-feira, 11 de abril de 2014

Via crucis


Hoje de manhã, senti forte necessidade de me humilhar e prostrar aos pés do Senhor. Enquanto eu começava a orar, defini em meu espírito que dois motivos deveriam se sobrepor aos demais: Adoração e intercessão! Realmente, senti irresistível desejo de adorar e exaltar o Deus eterno, pensando em Seu grande e eterno poder e em Suas grandes e maravilhosas obras. Logo em seguida, me derramei em oração, em favor de minha pequena casa; pois, cresce em mim a convicção de que casa alguma pode permanecer de pé, caso não tenha sobre si a proteção do Deus bendito e eterno.
 
Enquanto eu intercedia, fiquei a pensar em Seu grande amor por todos nós. Nesse momento eu me dei conta de que é impossível cultivarmos relacionamentos afetivos e duradouros, sem que sejamos repassados pelo grande amor de Deus. Por maior que seja uma vera amizade, ela estará sempre ao sabor dos ventos contrários; sem ter meios próprios de defesa contra juízo crítico equivocado ou rede de intriga que se instale contra ela. Aliás, o próprio relacionamento familiar não consegue resistir por muito tempo ao vai&vem das tempestades da vida; pois, neste mundo, só o amor de Deus constrói!
 
Então, fui tomado por sentimento de gratidão a Deus. Pensei no amor de Deus por nós, ao enviar Seu Santo Filho Jesus para nos salvar à custa de sacrifício inexplicável. Pensei em Jesus reduzido à condição humana; humilhando-se em todo o sentido; e sujeitando-se aos homens, em genuína atitude serviçal. E como se não bastasse tamanha prova de amor; Jesus percorreu o caminho da tortura que antecedeu o selvagem julgamento de que foi vítima; para, em seguida, percorrer a "via crucis"; até o Calvário de dor, sangue e morte; onde, para nos redimir, deu Sua vida em sacrifício por todos nós.
 
Esta passagem bíblica descreve com exatidão a natureza e o sentimento de Cristo:
 
"De sorte que haja em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus, Que, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus, Mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens; E, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte, e morte de cruz. Por isso, também Deus o exaltou soberanamente, e lhe deu um nome que é sobre todo o nome; Para que ao nome de Jesus se dobre todo o joelho dos que estão nos céus, e na terra, e debaixo da terra, E toda a língua confesse que Jesus Cristo é o SENHOR, para glória de Deus Pai."
(Filipenses 2.5-11).
 
Nela, vemos que Ele - sendo Senhor - se fez servo de todos, para o bem de todos nós.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quinta-feira, 10 de abril de 2014

Remanescente fiel


Hoje pela manhã, meus pensamentos se voltaram para a parábola das dez virgens (Mateus 25). Foi como se eu contemplasse a cena: Aquelas virgens, conhecedoras de seus direitos e deveres no reino de Deus; todas à espera do Noivo; porém, divergentes quanto ao modo de ser e agir enquanto esperavam. As cinco que estavam convencidas e preparadas, foram para as "bodas do Cordeiro"; as cinco que estavam convencidas mas despreparadas, amargaram o gosto da rejeição. Então, me pus a pensar: Nós, os crentes em Jesus, precisamos entender que o que determina o nosso estado de aprovação aos olhos do Pai, não é o nosso modo de pensar e de ver a vida; mas, sim, o modo como Deus vê e define o tipo de testemunho em linha com Seus ensinamentos. É a vontade dEle - não a nossa - que deve ser considerada.
 
Hoje, vemos muitos cristãos (de todos os tipos, alguns bizarros) convencidos do seu próprio modo de ver a vida com Deus; descartando princípios da doutrina dos evangelhos; e, da conduta moral responsável, em sintonia com estes mesmos princípios. Só a título de exemplo: É comum vermos cristãos saindo em defesa de bandeiras profanas e até blasfemas; erguidas por entidades e grupos que defendem aborto, relações homoafetivas e até modelos alternativos de família. E cresce o número daqueles que acham certo, como cristãos, aproveitar o fim de semana para se divertir em baladas; ou um casal dormir junto após um breve encontro... E, coisas do gênero. Assim, o cenário da parábola pouco muda: As dez eram "virgens"; mas, apenas cinco herdaram o reino. Ainda bem que temos um remanescente fiel!
 
Este texto é uma clara indicação, de que - no arrebatamento - o processo será seletivo:
 
"ENTÃO o reino dos céus será semelhante a dez virgens que, tomando as suas lâmpadas, saíram ao encontro do esposo. E cinco delas eram prudentes, e cinco loucas. As loucas, tomando as suas lâmpadas, não levaram azeite consigo. Mas as prudentes levaram azeite em suas vasilhas, com as suas lâmpadas. E, tardando o esposo, tosquenejaram todas, e adormeceram. Mas à meia-noite ouviu-se um clamor: Aí vem o esposo, saí-lhe ao encontro. Então todas aquelas virgens se levantaram, e prepararam as suas lâmpadas. E as loucas disseram às prudentes: Dai-nos do vosso azeite, porque as nossas lâmpadas se apagam. Mas as prudentes responderam, dizendo: Não seja caso que nos falte a nós e a vós, ide antes aos que o vendem, e comprai-o para vós. E, tendo elas ido comprá-lo, chegou o esposo, e as que estavam preparadas entraram com ele para as bodas, e fechou-se a porta. E depois chegaram também as outras virgens, dizendo: SENHOR, Senhor, abre-nos. E ele, respondendo, disse: Em verdade vos digo que vos não conheço. Vigiai, pois, porque não sabeis o dia nem a hora em que o Filho do homem há de vir."
(Mateus 25.1-13).
 
Portanto, devemos estar sempre vigilantes e nos mantermos em constante estado de alerta, irmãos!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quarta-feira, 9 de abril de 2014

Vigilância constante


Pai; nesta manhã quero te louvar pelo que pude ver em Pequeri. Sei que Tu me conduziste na palavra ministrada - tanto na Escola Dominical como no culto vespertino - cujo foco principal foi a pessoa do Espírito Santo; e também pude ver o Teu agir através da palavra de Maria Célia Calegari, na reunião da tarde com as mulheres. Realmente, Pai; não temos melhor recurso do que a presença do Teu Espírito em nossa vida e ministério. Senti grande prazer ao constatar o estado geral desta igreja (sua liderança firme, sua membresia saudável, seus jovens dinâmicos, suas crianças felizes). Notei que o ambiente espiritual e social da igreja transborda de amor e comunhão. Sinto paz por ter sido sensível à voz do Teu Espírito; ao enviar o Estº. Pastor Joaquim Arlindo Silva e irmã Dinorá, para pastorear esta querida e esforçada igreja. Assim como no desporto; as vezes é necessário trocar o obreiro de lugar ou de posição.
 
Ontem, enquanto orava, prostrado diante de Ti, no lugar de oração improvisado na casa pastoral; fiquei a pensar no quanto é difícil vivermos em um mundo tão hostil aos valores que adotamos e ensinamos. Um mundo que ao mal chama de bem e ao bem chama de mal; mundo sem chance de restauração, a menos que a graça do Senhor ainda encontre razão para dar oportunidade a um mundo em crescente depravação. O que vejo e sinto é que, além dos gemidos da criação - ouvidos em som cada vez mais elevado e angustiante - ouve-se também os soluços e gemidos de inúmeros filhos Teus; ante as ameaças e agressões sofridas. E em meio a tudo isso, até mesmo servos Teus, de raro talento - tanto nas artes, como na pregação - são assediados por promessas de poder e fama; e seduzidos por altas somas de dinheiro... Como se tais valores justificassem perda da honra e da moral cristã ou mudança de rumo.
 
A Palavra de Deus traz diversas advertências quanto aos desvios dos últimos dias. Este texto é um importante sinal de alerta a todos nós: "Não ameis o mundo, nem o que no mundo há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele. Porque tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não é do Pai, mas do mundo. E o mundo passa, e a sua concupiscência; mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre. Filhinhos, é já a última hora; e, como ouvistes que vem o anticristo, também agora muitos se têm feito anticristos, por onde conhecemos que é já a última hora. Saíram de nós, mas não eram de nós; porque, se fossem de nós, ficariam conosco; mas isto é para que se manifestasse que não são todos de nós." (1 João 2.15-19). Pois é; nunca foi tão necessário ao crente estar em vigilância constante, como nos dias atuais.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

terça-feira, 8 de abril de 2014

Guardados por Deus


Existem dias, em que sentimos de um modo especial o quanto somos guardados por Deus. É que, por mais que os dias pareçam iguais entre si; o nosso espírito é avisado quanto aos perigos que certos dias trazem ao nosso encontro. Por isso e também por outras ameaças que nos espreitam, precisamos manter nossa vida em sintonia com o Senhor Jesus Cristo. Portanto, mesmo que tenhamos que fazer grande esforço, precisamos manter os nossos olhos nas promessas do Senhor e nossa fé em estado de alerta; procurando refúgio e proteção na presença do Pai. Pois, além de Satã que vive sempre a querer nos roubar e derrubar; existem aqueles que procuram nosso mal, embora dissimulados.
 
Ainda bem que descobri em boa hora, o quanto Deus nos ama e protege. Se eu tiver que escolher mil vezes; vou preferir sempre a proteção de Deus. Em primeiro lugar, porque sou admoestado nas Escrituras Sagradas a não confiar no homem nem nas suas estruturas; e também, porque ainda que o homem fosse confiável ou que promessa de cobertura viesse do meu melhor amigo, sei que ele nunca poderia me oferecer o nível de refúgio e proteção que encontro em meu Senhor Jesus. Enfim, nenhuma fortaleza humana ou montanha elevada pode me oferecer a segurança que encontro no Deus que - em Seu Filho Jesus Cristo - me salvou da perdição eterna e me acolheu como um de Seus filhos.
 
Este texto é uma verdadeira estratégia espiritual para a guerra contra o mal: "No demais, irmãos meus, fortalecei-vos no Senhor e na força do seu poder. Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para que possais estar firmes contra as astutas ciladas do diabo. Porque não temos que lutar contra a carne e o sangue, mas, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais. Portanto, tomai toda a armadura de Deus, para que possais resistir no dia mau e, havendo feito tudo, ficar firmes." (Efésios 6.10-13). Somente equipados com a armadura de Deus, podemos combater e vencer as hostes do mal.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari