domingo, 30 de março de 2014

Orando em favor da nação

 

Dias atrás, estive orando em favor de nossa Nação. Sempre que me prostro em oração pelo Brasil, percebo que a intercessão é dificultada; como se houvesse uma enorme barreira bloqueando o caminho do intercessor mais esforçado. Na verdade, nosso País segue à deriva, envolto nas brumas dos antigos e novos escândalos. O inevitável e contínuo desvio de recursos tornou-se algo tão banal - sem medidas punitivas proporcionais à grandeza dos valores desviados - que já não incomoda à grande maioria. Assim, na esteira da impunidade garantida por alianças espúrias, os maus governantes e legisladores se tornam imensuravelmente ricos à custa do tesouro nacional.
 
Enquanto eu intercedia pelo próximo pleito eleitoral; me preocupou a ideia da notória promiscuidade existente entre segmentos evangélicos e políticos, em desfavor da Igreja. Assim, em consequência de escolhas ruins e alianças promíscuas, o mal cresce a olhos vistos. Sabemos que o sistema é vicioso, movido por campanhas sem verdade e conteúdo; e, que muitos líderes evangélicos se aliançam com candidatos de conduta enganosa e reprovada. Todavia, precisamos avaliar o histórico e conduta dos candidatos ao poder de gerir e legislar para o Brasil. Pois, o Brasil - ferido por improbidade e por graves acusações contra os mandatários atuais - precisa de melhores governantes!
 
Os dirigentes da Igreja Primitiva alertaram ao povo quanto à necessidade de escolher homens íntegros e  de reconhecida idoneidade para trabalhar na administração da Igreja:
 
"ORA, naqueles dias, crescendo o número dos discípulos, houve uma murmuração dos gregos contra os hebreus, porque as suas viúvas eram desprezadas no ministério cotidiano. E os doze, convocando a multidão dos discípulos, disseram: Não é razoável que nós deixemos a palavra de Deus e sirvamos às mesas. Escolhei, pois, irmãos, dentre vós, sete homens de boa reputação, cheios do Espírito Santo e de sabedoria, aos quais constituamos sobre este importante negócio. Mas nós perseveraremos na oração e no ministério da palavra. E este parecer contentou a toda a multidão, e elegeram Estêvão, homem cheio de fé e do Espírito Santo, e Filipe, e Prócoro, e Nicanor, e Timão, e Parmenas e Nicolau, prosélito de Antioquia;"
(Atos 6.1-5)
 
E se na Igreja deve ser assim; na administração pública de uma nação deve ser diferente? Infelizmente, as armadilhas e tentações do poder são sedutoras e tremendamente destrutivas.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari
 

sábado, 29 de março de 2014

Tocado pela injustiça


Alguns dias atrás, foi postada em minha página - por Denise Pereira Miranda - oportuna mensagem focando a injustiça. Em sua reflexão, ela pergunta se alguém, ao longo da vida, não se deparou com a injustiça? E apresenta como "Pilatos da vida", os que poderiam nos defender e não o fizeram - ante injurias e ataques por nós sofridas - até mesmo quando nossas intenções eram das melhores. Tal e qual Pôncio Pilatos; quando - convicto da inocência de Jesus e tendo os meios para absolve-lo e inocentá-lo - preferiu entregá-lo à sanha de seus perseguidores. Ela indaga sobre quem "não foi tocado pela INJUSTIÇA", ante um Pilatos que "preferiu lavar as mãos" ao invés de ajudar? Entretanto, em sua reflexão, a mesma admite que - no caso de Jesus - Deus permitiu sofrimento para um fim proveitoso.
 
Enquanto eu procurava refletir sobre seu importante questionamento; pensei nos dias atuais, de tanta contradição, traição e conflito. Então, considerei que, em casos assim, é comum tanto o ofensor como o ofendido, ficarem ligados um ao outro pela mágoa e falta de perdão. E concluí que - para evitarmos ficar presos na armadilha do sentimento e da decepção - o melhor mesmo é fazer como Davi: "Elevo os meus olhos para os montes; de onde me virá o socorro? O meu socorro vem do SENHOR que fez o céu e a terra." (Salmo 121.1-2). Portanto, bem melhor do que ficar "ruminando" injustiças sofridas; é procurar aprender lições em meio às injustiças sofridas. Até porque, em muitos casos - a semelhança de Jesus - Deus permite tal tratamento para nos ensinar lições e verdades que, nesta vida, precisamos aprender.
 
Louvo a Deus por este testemunho pessoal de Davi, concernente à sua confiança no cuidado de Deus: "Invoquei o SENHOR na angústia; o SENHOR me ouviu, e me tirou para um lugar largo. O SENHOR está comigo; não temerei o que me pode fazer o homem. O SENHOR está comigo entre aqueles que me ajudam; por isso verei cumprido o meu desejo sobre os que me odeiam. É melhor confiar no SENHOR do que confiar no homem. É melhor confiar no SENHOR do que confiar nos príncipes." (Salmo 118.5-9). Neste texto, vemos que é bem melhor depositar toda a nossa confiança em Deus, sem esperar reconhecimento e aceitação dos homens! Em meu viver, tenho procurado agir deste modo - sabendo que todo homem é falho - e, assim, tenho sido poupado de carregar mágoa em meu coração. Glória a Deus!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sexta-feira, 28 de março de 2014

Graça salvadora


Nesta manhã ainda bem cedo, após orar; fiquei a pensar no fato de que o maior problema das pessoas (meu inclusive) é desconhecer a graça de Deus; a qual se espalha pelo mundo inteiro - tal e qual as águas dos oceanos - banhando o mundo com suas ondas. Graça que aponta para o grande amor de Deus em prol dos homens (eu inclusive), chamando-os ao arrependimento e à fé, mediante vários indicadores de Sua compaixão por todos nós, pecadores. Que pena, os homens demonstrarem tão pouco conhecimento a seu respeito, embora façam um grande esforço para defini-la a seu próprio modo.
 
Tenho pedido a Deus, inúmeras vezes, que me guarde de ser traído por minha própria fé; uma vez que ela é tendenciosa, sempre a procura de alguma novidade mística; propensa ao engano que se oferece nas diversas gôndolas dos super mercados da crença. Sei o quanto minha fé é imperfeita, ainda que eficiente para me levar à graça salvadora. Ainda bem que sei que a fé - quando entregue aos seus devaneios - é incapaz de me conduzir em segurança no oceano da graça. Então, recorro ao Espírito Santo para que me guarde na Palavra, sob o manto da graça eterna que - mediante a fé - alcancei.
 
E assim, mais uma vez fui convencido de que a graça pode ser, sim, resistida por uma fé deturpada e sem rumo; fé que, muitas vezes, se comporta como uma bola lançada ao léu - saltando e ricocheteando nos diversos pontos que encontra pela frente - até estacionar em um canto qualquer. Portanto, prefiro crer no amor de Deus que PROCURA me salvar; e, creio na graça de Deus que PODE me salvar, através de Jesus que VEIO me salvar; mas... Não creio que minha fé seja capaz, por si mesma, de me salvar sem a graça. Então, agradeço a Deus, por me ter salvo pela graça, mediante a fé que direcionei à Jesus!
 
Este texto resume muito bem o processo da salvação pela graça:
 
"Mas Deus, que é riquíssimo em misericórdia, pelo seu muito amor com que nos amou, Estando nós ainda mortos em nossas ofensas, nos vivificou juntamente com Cristo (pela graça sois salvos), E nos ressuscitou juntamente com ele e nos fez assentar nos lugares celestiais, em Cristo Jesus; Para mostrar nos séculos vindouros as abundantes riquezas da sua graça pela sua benignidade para conosco em Cristo Jesus. Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus. Não vem das obras, para que ninguém se glorie; Porque somos feitura sua, criados em Cristo Jesus para as boas obras, as quais Deus preparou para que andássemos nelas."
(Efésios 2.4-10)
 
Obrigado, amado Pai, por Tua graça salvadora!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quinta-feira, 27 de março de 2014

Tempo para repensar


Sábado e domingo passado, Maria Célia & eu estivemos participando da comemoração dos 33 anos de existência da Segunda IMW de Cachoeiro do Itapemirim. Sábado tivemos a presença dos Pastores e vários membros das demais igrejas do Distrito de Cachoeiro, incluindo a presença do SD Pastor Jorge Camargo. No domingo, presença da "prata da casa". Enquanto observava o transcurso do trabalho e o estado de manutenção e conservação do templo e seus anexos, louvei a Deus em meu íntimo; por me ter permitido enviar àquela igreja, o Pastor Jose Everaldo Murucci e sua querida família. Pois vi seriedade e atitude serviçal em seu trabalho naquela igreja.
 
Sempre lamento o modo como alguns obreiros presidem a Obra do Senhor; agindo como se a igreja de Cristo fosse o "quintal de sua casa". Estou me referindo àqueles que - por estarem investidos de uma posição de liderança - se julgam no direito de tomar decisões solitárias; sem compreender a importância da sabedoria e consenso do conselho de anciãos (Presbitério e Junta Diaconal) de uma igreja local. E, lamentavelmente, aqueles que assim presidem acabam por se tornar potenciais vítimas de seu modo de presidir e pastorear o rebanho do Senhor entregue aos seus cuidados pastorais. Ainda bem que o Senhor sempre dá a estes obreiros, tempo para repensar.
 
Este texto é o mais importante padrão para um ministério pastoral segundo Deus:
 
"Aos presbíteros, que estão entre vós, admoesto eu, que sou também presbítero com eles, e testemunha das aflições de Cristo, e participante da glória que se há de revelar: Apascentai o rebanho de Deus, que está entre vós, tendo cuidado dele, não por força, mas voluntariamente; nem por torpe ganância, mas de ânimo pronto; Nem como tendo domínio sobre a herança de Deus, mas servindo de exemplo ao rebanho. E, quando aparecer o Sumo Pastor, alcançareis a incorruptível coroa da glória."
(1 Pedro 5.1-4)
 
Pena que a falta desta norma na vida de obreiros, tem afligido boas igrejas e desqualificado promissores ministérios pastorais.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quarta-feira, 26 de março de 2014

Necessidade de interceder

 
Hoje, ao buscar a face do Senhor, senti necessidade de interceder profundamente. Não é de hoje, sei que não existe melhor medida preventiva para lidar com um novo dia; do que buscar em Deus a paz e segurança para lidar com as provas e surpresas que um novo dia sempre oferece. Este princípio é tão patente aos meus olhos; que, muitas vezes, me pergunto: Por que tantos filhos de Deus - conhecedores da Palavra - se contentam apenas com a oração remedial? Ou seja, só se derramam em oração para "chorar o leite derramado". Quantos males poderiam ser evitados e problemas mais facilmente resolvidos, se tão somente orassem com certa antecedência.
 
Enquanto me derramei perante o Pai, senti ser necessário interceder por minha querida família. Já me habituei ao fato de que Satã - em sua tentativa de me atingir por extensão - tenta fazer de minha pequena casa o seu alvo preferencial. Ainda bem que conheço a Fonte do meu sustento e a Rocha do meu socorro. Quando estamos sob ataque, fico a pensar: Quem intentou acusar e maltratar aqueles que Deus tomou para Si e teve paz? É comum em minha vida, buscar a face do Senhor envolto em paz mesclada com dor; sem que eu saiba a causa ou razão da dor, embora saiba a origem da paz. Então, Sua paz me tranquiliza e alenta. Sou feliz por conhecer meu Pai!
 
É sempre bom buscar na Palavra de Deus, os fundamentos para uma vida de oração:
 
"Está alguém entre vós aflito? Ore. Está alguém contente? Cante louvores. Está alguém entre vós doente? Chame os presbíteros da igreja, e orem sobre ele, ungindo-o com azeite em nome do Senhor; E a oração da fé salvará o doente, e o Senhor o levantará; e, se houver cometido pecados, ser-lhe-ão perdoados. Confessai as vossas culpas uns aos outros, e orai uns pelos outros, para que sareis. A oração feita por um justo pode muito em seus efeitos. Elias era homem sujeito às mesmas paixões que nós e, orando, pediu que não chovesse e, por três anos e seis meses, não choveu sobre a terra. E orou outra vez, e o céu deu chuva, e a terra produziu o seu fruto."
(Tiago 5.13-18)
 
E nessa busca, temos o cuidado do Pai, sempre atento ao clamor dos Seus filhos.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

terça-feira, 25 de março de 2014

Banalização


Enquanto refletia sobre minha vida em consonância com as coisas de Deus; ficou claro aos meus olhos, que, o grande perigo que ameaça os cristãos neste dias confusos, tem banalização por nome. Sabemos que o mundo de hoje - açodado pela onda da pós-modernidade - navega sob a bandeira da desconstrução. Em função disso; conceitos tão antigos como as civilizações, tais como: Família, crença, conduta moral, gênero humano... Enfim, tradições reguladoras da convivência social; tudo isso está sob os golpes da marreta da desconstrução, em nome da modernidade. E este mal cresce e se espalha pelo mundo afora, mais rápido que rastilho de pólvora; transformando nosso mundo em um caldeirão de paixões loucas e obscenas; ameaçando fazer submergir no mar da desonra, pessoas de bem que ainda vivem por aqui.
 
No entanto, o mal maior que nos ameaça é a banalização, efeito colateral do processo de desconstrução que avança impiedosamente sobre indivíduos, famílias e comunidades. O mal da banalização é que ela relativiza tudo aquilo que se manifesta ante nossos olhos, colocando tudo sob o manto da normalidade. Como se fosse aceitável roubar enquanto preside e governa; ou, como se fosse normal casamento entre parceiros do mesmo sexo; ou, mesmo, algo normal mesclar conceitos e valores da fé cristã com costumes pagãos e profanos, algo tão comum de se ver nos dias de hoje; a ponto de existirem aqueles que chamam isso de "evangelização" ou "testemunho cristão" no terreno do inimigo (talvez fosse, se víssemos a mudança para melhor daqueles com quem nos misturamos; infelizmente, o que vemos é o contrário).
 
Tenho este texto como um dos marcos reguladores da vida com Deus:
 
"Mas, naquilo a que já chegamos, andemos segundo a mesma regra, e sintamos o mesmo. Sede também meus imitadores, irmãos, e tende cuidado, segundo o exemplo que tendes em nós, pelos que assim andam. Porque muitos há, dos quais muitas vezes vos disse, e agora também digo, chorando, que são inimigos da cruz de Cristo, Cujo fim é a perdição; cujo Deus é o ventre, e cuja glória é para confusão deles, que só pensam nas coisas terrenas. Mas a nossa cidade está nos céus, de onde também esperamos o Salvador, o Senhor Jesus Cristo, Que transformará o nosso corpo abatido, para ser conforme o seu corpo glorioso, segundo o seu eficaz poder de sujeitar também a si todas as coisas."
(Filipenses 3.16-21)
 
Se queremos ter vida com Deus, precisamos manter os olhos e o coração fixados em sua Palavra!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

segunda-feira, 24 de março de 2014

Missão de amar e servir

 

Que bênção é poder estar no lugar de oração; lugar onde posso Te buscar e, ao mesmo tempo, descansar enquanto eu oro Àquele por Quem minha alma suspira e anela. Eu me sinto tão bem no lugar de oração, que deveria estar nele com mais frequência. Sou grato a Ti, pela razão e modo pelo qual me alcançaste. Pois mediante a graça que desfruto; sinto paz por Te conhecer como Deus, Senhor e Salvador. Sou grato por minha fiel e leal companheira Maria Célia; pelo convite que recebi do Pastor Antonio Faleiro Sobrinho para pregar na Primeira IMW de Nilópolis, em dezembro de 1969, quando a conheci; pois naquela bendita semana, não encontrei apenas a garota dos meus sonhos; mas, também, a companheira que me deste para seguir pelo caminho da vida, imbuída da mesma visão e missão de amar e servir.
 
Sinto graça e perdão fluir como óleo enquanto eu oro e descanso em Tua santa presença, querido Pai. E aproveito para dizer o quanto sou grato pela família que me deste; por meus filhos - Pastor Sebastião Calegari, Elizeu, Ezequiel e Daniela; por minhas noras - Simone e Synara; por meu genro Alessandro Rosendo; e por meus netos - Isabela, Rafaela, Ana Carolina, Alexandra, Arthur, Eduardo e Beatriz! Estando em Tua santa presença, sei que minha pequena casa permanecerá de pé; enquanto houver nela graça aos Teus olhos. E sou consciente de que não preciso de mais nada que complete a minha satisfação; pois, tenho plena convicção de que - havendo graça em minha vida - prosseguirei de estação em estação; parando o tempo necessário ao exercício da missão que recebi do Senhor, até a derradeira viagem.
 
E, hoje, quando estiver pregando na 2ª IMW de Cachoeiro de Itapemirim; sei que o Senhor me revestirá de graça para falar sobre a importância e a missão da Igreja neste mundo. E ali, achando graça aos Teus olhos; poderei falar mais uma vez do Teu infinito amor pela humanidade, até ao ponto de enviar Teu Filho Jesus; para buscar e salvar aqueles que estão infelizes e perdidos; mas, que, ainda assim, vivem se escondendo de Ti; recusando a manifestação do amor em forma de cruz que pode salvar suas almas. E enquanto Maria Célia & eu estivermos abraçando o Pastor José Everaldo Murucci, sua esposa Vera e sua filha Karlana; procuraremos manter os olhos fixos na luz que brilha em Teu rosto e na Fonte que jorra sob Teus pés; pois, somente assim, conseguiremos dar conta de mais esta sagrada missão.
 
Deste o início do meu ministério, tenho constantemente sido atraído para este texto:
 
"E de Mileto mandou a Éfeso, a chamar os anciãos da igreja. E, logo que chegaram junto dele, disse-lhes: Vós bem sabeis, desde o primeiro dia em que entrei na Ásia, como em todo esse tempo me portei no meio de vós, Servindo ao Senhor com toda a humildade, e com muitas lágrimas e tentações, que pelas ciladas dos judeus me sobrevieram; Como nada, que útil seja, deixei de vos anunciar, e ensinar publicamente e pelas casas, Testificando, tanto aos judeus como aos gregos, a conversão a Deus, e a fé em nosso Senhor Jesus Cristo. E agora, eis que, ligado eu pelo espírito, vou para Jerusalém, não sabendo o que lá me há de acontecer, Senão o que o Espírito Santo de cidade em cidade me revela, dizendo que me esperam prisões e tribulações. Mas em nada tenho a minha vida por preciosa, contanto que cumpra com alegria a minha carreira, e o ministério que recebi do Senhor Jesus, para dar testemunho do evangelho da graça de Deus."
(Atos 20.17-24)
 
Será que nós - ministros de Deus neste tempo do fim - temos compreendido a essência do chamado?
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

domingo, 23 de março de 2014

IMW Conselheiro Lafaiete


No domingo passado, Maria Célia e eu estivemos na IMW de Conselheiro Lafaiete. Se eu tivesse que utilizar apenas duas palavras, para definir a condição daquela igreja, elas seriam: Motivação e comprometimento. Mas, afinal, o que vi de tão especial naquela igreja? Vi um povo vivendo na liberdade do Espírito; em um ambiente de descontração e cordialidade; esbanjando prazer e alegria em fazer parte da família. Quanto ao culto, Deus me fez ver uma comunidade de cristãos integrada com o louvor e adoração que subiram ao céu; sob o eficiente trabalho de seu Ministério de Louvor. A Ceia do Senhor foi marcada por genuína comunhão e quebrantamento. Pude abraçar, entre outros irmãos, o Presbítero Onicio, um dos membros mais antigos daquela igreja.
 
Após o culto, fomos para a casa pastoral, onde ficamos hospedados naquela noite. Enquanto aguardávamos o jantar preparado com dedicação pela Glauciane, conversamos sobre os desafios que a família pastoral tem pela frente naquela importante cidade mineira, margeada pela BR 040. O Jonathan, filho mais velho do casal, me mostrou o seu quarto, que ele - demonstrando satisfação - nos emprestou para que pudéssemos dormir aquela noite. A filhinha "caçula" do Pastor José Márcio - esbanjando simpatia - nos mostrou o seu quarto, explicando cada detalhe do mesmo. Pela manhã, enquanto tomávamos café antes de sair para BH; louvei a Deus por esta querida família e pelo ministério que aqui vem realizando, marcado por amor e dedicação.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sábado, 22 de março de 2014

Eu precisava interceder


Hoje, ainda não tinha amanhecido completamente, me recolhi no lugar de oração. Algumas vezes, encontro dificuldade para chegar ao lugar de oração; hoje foi um desses dias. Todavia, consegui chegar com a ajuda do Espírito Santo. Logo percebi a razão maior da dificuldade: É que eu precisava interceder por alguns assuntos inadiáveis! Não é de hoje, tenho observado que a intercessão - dentre todos os itens da oração - é sempre o maior desafio; tanto pelo fato de que desagrada as forças de oposição que perdem liberdade de ação quando intercedemos; como também pela nossa natureza carnal que se indispõe pelo fato de orarmos por aqueles que nos afligem e maltratam.
 
No entanto, consegui me derramar diante do Pai. Aleluia! Sinto prazer em saber que a oração é uma espécie de conector que nos mantém em sintonia com o Deus eterno. E que, em uma das pontas, está o Espírito Santo nos ensinando a orar como convém; e, na outra ponta, está o Senhor Jesus a interceder por nós diante do Pai. Tenho percebido que, para alguns crentes insensíveis quanto à importância vital da oração, a mesma é considerada um problema que precisam resolver; mas que estão sempre adiando para um outro dia. No entanto, o que eles não percebem; é que a oração - longe de ser um problema - é a solução para muitos dos males que tentam nos derrubar.
 
Desde que me entreguei a Jesus; tenho procurado, na medida do possível, por em prática os seus ensinamentos: "Mas a vós, que isto ouvis, digo: Amai a vossos inimigos, fazei bem aos que vos odeiam; Bendizei os que vos maldizem, e orai pelos que vos caluniam. Ao que te ferir numa face, oferece-lhe também a outra; e ao que te houver tirado a capa, nem a túnica recuses; E dá a qualquer que te pedir; e ao que tomar o que é teu, não lho tornes a pedir. E como vós quereis que os homens vos façam, da mesma maneira lhes fazei vós, também." (Lucas 6.27-31). Todavia, tenho percebido que alguns destes estão entre os mais difíceis de ser praticados!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sexta-feira, 21 de março de 2014

Vida real com Jesus


Hoje, enquanto eu me dirigia ao lugar de oração, razão principal de ter levantado tão cedo; o meu espírito começou a refletir sobre a necessidade que tenho de me refugiar na graça. Para qualquer servo de Deus - assim como eu - a graça que nos acolhe e refugia é tal e qual a uma fenda da Rocha; ou, um lugar de Socorro bem presente. Senti segurança enquanto refletia sobre este assunto; pois, naquele instante, me senti como um pequeno ser que se aninha nos braços de sua mãe; ou como alguém muito cansado que procura abrigo para repousar. Enquanto tecia estas considerações, fui levado a pensar...
 
Então, entendi um pouco mais a importância de se buscar em primeiro lugar o reino de Deus; posto que, buscar o reino de Deus é buscar o próprio Deus. Sei que meu espírito tem recebido boa dose de conhecimento mesclado com revelação; todavia, o conhecimento em si mesmo não me oferece a segurança que busco e que preciso ter. Pois, se assim fosse, bons homens que conheci não teriam se rendido aos encantos da serpente; uma vez que, alguns deles tinham conhecimento e revelação acima da média. Logo, ainda que o conhecimento seja bem de valor; a prioridade é buscar a Deus continuamente.
 
Então, enquanto eu pensava, mal me apercebi que já havia sido inserido e acomodado na fenda da Rocha; e, nela, pude sentir o quanto estou seguro. E, pensei comigo: Se a segurança em Deus é bem ainda maior do que todos os bens advindos de Sua provisão; porque, então, homens e mulheres que recebem bênçãos de Deus, colocam Suas dádivas acima de Sua presença e companhia? Enfim, percebi que podemos ser facilmente enganados e corrompidos, mesmo por coisas pertinentes e proveitosas; quando pomos nelas o nosso coração e passamos a fazer delas o nosso objetivo maior nesta vida.
 
A Bíblia sagrada está pontilhada de palavras de encorajamento, como estas: "Porque eu bem sei os pensamentos que tenho a vosso respeito, diz o SENHOR; pensamentos de paz, e não de mal, para vos dar o fim que esperais. Então me invocareis, e ireis, e orareis a mim, e eu vos ouvirei. E buscar-me-eis, e me achareis, quando me buscardes com todo o vosso coração." (Jeremias 29.11-13). Chegará o grande Dia, em que finalmente saberemos como foi importante buscarmos a presença de Deus e nos refugiarmos nEle, mediante uma vida real com Jesus!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quinta-feira, 20 de março de 2014

Valores ao alcance da mão


Dias atrás, antes da luz da aurora se manifestar plenamente; estive prostrado, com minha querida filha Daniela, aos pés do Senhor. Enquanto adorávamos a Deus, o Espírito me levou a um prolongado pranto; e não me foi difícil perceber as três razões me levaram a prantear tanto. Chorei pela dor do casal (Pastor Gerley e Cátia) que perdeu o seu filho Natan, de dois anos, cujo funeral foi ontem, em BH. Chorei também por minha pequena casa (são 16 almas ligadas à minha união com Maria Célia, entre filhos, noras, genro e netos); por ver como o Senhor a tem sustentado ante forças que tentam a todo custo derrubá-la. E chorei por aqueles que não percebem o quanto perdem; por não buscarem a presença do Deus de amor, que se revelou em Jesus e se faz presente pelo Seu Espírito que habita em nós e entre nós.
 
Sinto que, periodicamente, faz bem considerarmos os valores que temos ao alcance da mão; e, nos sentirmos brindados com tanto cuidado da parte do Deus que nos salvou em Jesus. Sempre me entristeço ao perceber que é tão comum, lamentarmos perdas insignificantes - por motivos egoístas - sem levarmos em conta aquilo que Deus compartilha conosco; bens que são de inestimável valor para uma vida realmente feliz e abençoada. Ao longo de minha vida tenho visto pessoas que só se dão conta dos valores que possuíam, após tê-los perdido para sempre. E é tão difícil encontrar remédio que cure a dor causada por perdas que poderiam ter sido evitadas. Ainda bem que temos um Deus que vela por cada um de nós; e que está sempre procurando abrir nossos olhos; nos advertindo quanto aos riscos que corremos na vida!
 
E nesta manhã em especial, o Espírito de Deus me levou a este texto bíblico; mediante o qual renovei o meu propósito de não revidar agressões sofridas: "Vede que ninguém dê a outrem mal por mal, mas segui sempre o bem, tanto uns para com os outros, como para com todos. Regozijai-vos sempre. Orai sem cessar. Em tudo dai graças, porque esta é a vontade de Deus em Cristo Jesus para convosco. Não extingais o Espírito. Não desprezeis as profecias. Examinai tudo. Retende o bem. Abstende-vos de toda a aparência do mal. E o mesmo Deus de paz vos santifique em tudo; e todo o vosso espírito, e alma, e corpo, sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso SENHOR Jesus Cristo." (1 Tessalonicenses 5.15-23). Na verdade, preciso ter a Palavra diante dos olhos, para me iluminar!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quarta-feira, 19 de março de 2014

Importa mesmo é obedecer


Na segunda de manhã, em Conselheiro Lafaiete; recebi de Deus uma palavra que não tenho como compartilhar em sua inteireza. Algumas vezes, não sabemos entender ou explicar o propósito de Deus; mas, o que importa mesmo é obedecer. Enquanto pensava na importância das decisões que tomamos e nas que deixamos de tomar; senti desejo de agradecer a Deus, por ter chegado a um nível de percepção e de sensibilidade; que me permite ser o que sou e fazer o que faço neste estágio da minha existência. É sempre bom saber que nossas decisões têm peso determinante na vida de terceiros; sendo, portanto, injusto da nossa parte tomar decisões que afetem suas vidas; sem procurar ouvir a voz de Deus e seguir à risca os Seus conselhos. Graças a Deus, esta lição aprendi a muito tempo; e isso tem me ajudado a chorar menos pelos outros; embora, as vezes, sinta necessidade de chorar por mim mesmo.
 
Então, agradeci a Deus pelo fato de ser sensível ao meu próprio contexto e responsabilidades; e, por entender que existem decisões que não podem ser adiadas; assim como, existem decisões que jamais devem ser tomadas, sob pena de provocarem consequências ruins; trazendo dor e sofrimento a todos os que são por elas afetados. Então, agradeci a Deus por ter - em minha condição de bispo - algumas vezes, retrocedido em tempo hábil, sempre que uma decisão trazia maior risco ou dor sendo mantida do que sendo revista. Talvez seja esta uma das maiores razões dos meus supostos acertos: Ter ouvido mais a voz d'Aquele que me chamou e menos a voz do meu próprio eu; levando mais em conta as razões de Deus e menos em conta as minhas próprias razões ou motivos. Graças a Deus, aprendi que o erro de uma decisão insensata será mais doloroso lá na frente, quando iremos finalmente entender os "porquês" da vida.
 
Este texto sempre produz um efeito tranquilizante em minha vida:
 
"E, finalmente, sede todos de um mesmo sentimento, compassivos, amando os irmãos, entranhavelmente misericordiosos e afáveis. Não tornando mal por mal, ou injúria por injúria; antes, pelo contrário, bendizendo; sabendo que para isto fostes chamados, para que por herança alcanceis a bênção. Porque Quem quer amar a vida, E ver os dias bons, Refreie a sua língua do mal, E os seus lábios não falem engano. Aparte-se do mal, e faça o bem; Busque a paz, e siga-a. Porque os olhos do Senhor estão sobre os justos, E os seus ouvidos atentos às suas orações; Mas o rosto do Senhor é contra os que fazem o mal. E qual é aquele que vos fará mal, se fordes zelosos do bem? Mas também, se padecerdes por amor da justiça, sois bem-aventurados. E não temais com medo deles, nem vos turbeis; Antes, santificai ao SENHOR Deus em vossos corações; e estai sempre preparados para responder com mansidão e temor a qualquer que vos pedir a razão da esperança que há em vós."
(1 Pedro 3:8-15)
 
Ele acalma meus sentimentos e me ajuda a esperar pacientemente em Deus!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

terça-feira, 18 de março de 2014

Dever de orar sempre


Enquanto eu me encaminhava para o lugar de oração; me dava conta da dificuldade que encontramos, em determinadas ocasiões; em nosso propósito de buscar a Deus em oração. Tenho percebido que não se trata, simplesmente, de "querer" ou "não querer". Pode até se dar ocaso de que, algumas vezes, nossa vontade rebelde conspire contra os nossos interesses espirituais; todavia, existem ocasiões em que orar exige força de vontade capaz de superar barreiras que estão além da nossa própria vontade. Eu sempre soube que orar nunca foi tarefa fácil para o crente, mesmo sendo ele comprometido com Deus. No entanto, existem dias em a dificuldade para orar se torna bem maior.
 
Dentre as pessoas que tem por hábito acompanhar minhas postagens; acredito que uma grande parte delas, deve lidar frequentemente com o seguinte tipo de desafio: Orar sem ter vontade ou sem encontrar facilidades. Tenho aprendido, que, quando nos rendemos aos empecilhos da oração e deixamos de orar - sejam eles da nossa natureza contraditória ou das circunstâncias da vida - podemos estar sofrendo importantes perdas, sem nos darmos conta disso. Digo isso, porque aprendi que cada momento de oração tem o seu próprio contexto de prova, luta e conquista. Deste modo, independentemente dos motivos que tentam nos impedir; jamais devemos abrir mão da bendita oração.
 
Nas Escrituras, percebemos que Jesus sempre se preocupou com nossa vida de oração:
 
"E CONTOU-LHES também uma parábola sobre o dever de orar sempre, e nunca desfalecer, Dizendo: Havia numa cidade um certo juiz, que nem a Deus temia, nem respeitava o homem. Havia também, naquela mesma cidade, uma certa viúva, que ia ter com ele, dizendo: Faze-me justiça contra o meu adversário. E por algum tempo não quis atendê-la; mas depois disse consigo: Ainda que não temo a Deus, nem respeito os homens, Todavia, como esta viúva me molesta, hei de fazer-lhe justiça, para que enfim não volte, e me importune muito. E disse o Senhor: Ouvi o que diz o injusto juiz. E Deus não fará justiça aos seus escolhidos, que clamam a ele de dia e de noite, ainda que tardio para com eles? Digo-vos que depressa lhes fará justiça. Quando porém vier o Filho do homem, porventura achará fé na terra?"
(Lucas 18.1-8)
 
Esta ocasião foi uma delas; em que Ele nos alerta quanto ao dever de orar sempre.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

segunda-feira, 17 de março de 2014

O nome de Jesus


Estou pensando na importância do nome de Jesus - antes e depois de sua manifestação - ao longo de toda a história humana. Sei que existem aqueles que gostam de radicalizar e polemizar; tentando definir qual o "verdadeiro" nome do Salvador; ou, então, qual o modo correto de se escrever ou pronunciar o mesmo. Sem me deter nesta polêmica estéril, prefiro pensar no detentor do nome, cuja pronúncia ou grafia deixa de ser relevante, face ao seu propósito e significado. Enfim; Jesus, Cristo, Messias, ou outro... Todavia, não me deixarei atrair para um tipo de discussão que não acrescenta nada ao sentido real e objetivo do foco. Aproveito para dizer, que, quando uso com frequência o nome "Jesus", é justamente por ser mais usual; portanto, melhor entendido por quem ouve a mensagem.
 
E assim pensando, fiquei a meditar no impacto causado por este bendito nome. Como é bom saber que o nome de Jesus carrega poder e autoridade no universo inteiro! Melhor ainda é saber que este nome carrega poder e autoridade na terra; e que a autoridade que vem por este nome nos é concedida por direito de redenção. O nome de Jesus provoca uma revolução na vida de quem o teme e crê nele. Este nome é sobre todo o nome que se nomeia - entre homens e anjos - capaz de agregar valores eternos a quem o aclama e anuncia. Nome que se sobrepõe à doença e à morte, capaz de sujeitar demônios e romper barreiras; mas, cuja confissão de lábios só será válida, se baseada em verdadeira e inequívoca confissão de fé. Pois, somente em fé, Seu poder se manifesta.
 
Sinto graça ao ler este texto, pois ele me faz ver o poder que emana do nome de Jesus:
 
"E, pondo-os no meio, perguntaram: Com que poder ou em nome de quem fizestes isto? Então Pedro, cheio do Espírito Santo, lhes disse: Principais do povo, e vós, anciãos de Israel, Visto que hoje somos interrogados acerca do benefício feito a um homem enfermo, e do modo como foi curado, Seja conhecido de vós todos, e de todo o povo de Israel, que em nome de Jesus Cristo, o Nazareno, aquele a quem vós crucificastes e a quem Deus ressuscitou dentre os mortos, em nome desse é que este está são diante de vós. Ele é a pedra que foi rejeitada por vós, os edificadores, a qual foi posta por cabeça de esquina. E em nenhum outro há salvação, porque também debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos. Então eles, vendo a ousadia de Pedro e João, e informados de que eram homens sem letras e indoutos, maravilharam-se e reconheceram que eles haviam estado com Jesus. E, vendo estar com eles o homem que fora curado, nada tinham que dizer em contrário."
(Atos 4.7-14).
 
Realmente, este Nome tem poder!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sábado, 15 de março de 2014

Adoração e louvor


Hoje, ao me prostrar no lugar de oração; meu segundo assunto ante o Pai, foi acerca da gratidão que sinto por tudo o que tem feito por mim. E não é algo fácil, lembrar os diversos motivos para expressar gratidão ao Senhor; são tantos, que até perco a conta! Mas, agradeci por Seu cuidado para com minha pequena casa (família); pelo modo como O vejo agir em sua defesa: Fortalecendo-a, quando está enfraquecida; protegendo-a, quando sob feroz ataque; motivando-a, quando abatida; e, por levantá-la, quando tropeça e cai... Enfim, motivos de gratidão não faltam - ainda que não consiga lembrá-los todos - quando o assunto é expressar gratidão ao Senhor, por todo bem que tem feito em nosso favor.
 
Meu terceiro assunto, foi a intercessão que devo em favor dos amigos e daqueles que nos perseguem e afligem sem causa; sem esquecer de interceder pelos obreiros, igrejas e congregações da 2ª Região (minha missão imediata e temporária) pedindo a Deus que nos dê um ano de paz, de multiplicação e de maturidade para sabermos lidar com os fracassos e, especialmente, com as vitórias; para que as mesmas não nos subam "à cabeça", nos levando a pensar de nós mesmos além daquilo que realmente somos: Eternos necessitados da graça e da direção do Pai. Ah... Faltou falar sobre o primeiro assunto! E simples: mesmo que não mencione, o primeiro assunto é sempre adoração e louvor.
 
Quando nos dispomos a buscar a Deus - seja qual for a nossa necessidade imediata - este deve ser o curso das nossas orações: "Não estejais inquietos por coisa alguma; antes as vossas petições sejam em tudo conhecidas diante de Deus pela oração e súplica, com ação de graças. E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os vossos corações e os vossos sentimentos em Cristo Jesus." (Filipenses 4.6-7). Na verdade, nossa oração deve envolver um conjunto de medidas, em sintonia com este texto da Palavra de Deus. Se assim orarmos e procedermos, veremos a graça de Deus se manifestar em nós e a glória de Deus se manifestar através daquilo que fazemos!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sexta-feira, 14 de março de 2014

Distância entre nós e Deus


Creio que não haja quem não se veja induzido - de quando em vez - a fazer uma retrospectiva de sua vida, trabalho e atitudes. Comigo é assim. E hoje, enquanto eu buscava a face do Senhor; fui levado a pensar no passado. Na verdade, não sou daqueles que vivem buscando no passado a inspiração para os compromissos, ou em busca de possíveis razões para sofrimentos atuais. Todavia, hoje foi uma daquelas manhãs em que olhar para o passado se tornou inevitável.
 
Então, sob a luz do Alto, me dei conta do cuidado de Deus para comigo; e percebi com clareza, que, os males que pratiquei só não foram maiores porque Deus me guardou do Mal; e, que os acertos que cometi não foram menores, justamente, porque o Senhor me usou para fazer o Bem. Assim - aprendi mais uma vez - o mal e o bem será maior ou menor em nossa vida e obra, na justa medida em que nos distanciamos ou nos aproximamos deste Deus maravilhoso.
 
Enfim, em nossa curta existência; passado, presente ou futuro se tornam bênção ou maldição, problema ou solução, sucesso ou fracasso, dependendo de nossa posição em Deus. A Palavra assim nos adverte: "Chegai-vos a Deus, e ele se chegará a vós. Alimpai as mãos, pecadores; e, vós de duplo ânimo, purificai os corações." (Tiago 4.8). Assim, não podemos simplesmente ignorar esta advertência; pois, a distância entre nós e Deus vai definir o que seremos.
 
Todos os crentes - mais ou menos dedicados - devem atentar para esta advertência profética: "ENTÃO veio o Espírito de Deus sobre Azarias, filho de Odede. E saiu ao encontro de Asa, e disse-lhe: Ouvi-me, Asa, e todo o Judá e Benjamim: O SENHOR está convosco, enquanto vós estais com ele, e, se o buscardes, o achareis; porém, se o deixardes, vos deixará." (II Crônicas 15.1-2). Pois, tanto esta como outras advertências bíblicas vigoram em todo tempo.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quinta-feira, 13 de março de 2014

Conduzido com mão forte


Enquanto eu orava nesta manhã; o meu espírito foi envolto em um sentimento que me trouxe paz e conforto. Senti o quanto é importante ser aceito aos olhos do Pai - não por ser perfeito ou capaz - mas, sim, por ser amado por Aquele por Quem minha alma suspira; por Quem meu coração vibra como corda de um instrumento musical. Será que existe um meio de explicar tal sentimento? Se este meio existe, Teu servo Davi o descobriu e compartilhou sua grandeza, enquanto - absorto em adoração - compunha os salmos que fizeram dele um oráculo da profecia em forma de poesia.
 
Como é bom sentir, amado Deus; que sou absolvido por Jesus, conduzido pelo Santo Espírito e aceito aos Teus olhos; mesmo não correspondendo ao que esperas de mim. Já faz tempo, tenho consciência de minha pequenez e imperfeição, até ao ponto de me angustiar por causa ela. No entanto, sinto paz enquanto oro; por saber com inteira certeza de fé, que sou conduzido com mão forte enquanto caminho ao Teu lado; tendo minha vida e família sob guarda, meu rumo traçado na linha do tempo e meu trabalho expandido por potencial que não é meu; mas, herdado de Ti, amado Senhor!
 
Davi: Exemplo de reconhecimento da grandeza de Deus cobrindo sua insignificância!
 
"E ESTAS são as últimas palavras de Davi: Diz Davi, filho de Jessé, e diz o homem que foi levantado em altura, o ungido do Deus de Jacó, e o suave em salmos de Israel. O Espírito do SENHOR falou por mim, e a sua palavra está na minha boca. Disse o Deus de Israel, a Rocha de Israel a mim me falou: Haverá um justo que domine sobre os homens, que domine no temor de Deus. E será como a luz da manhã, quando sai o sol, da manhã sem nuvens, quando pelo seu resplendor e pela chuva a erva brota da terra. Ainda que a minha casa não seja tal para com Deus, contudo estabeleceu comigo uma aliança eterna, que em tudo será bem ordenado e guardado, pois toda a minha salvação e todo o meu prazer está nele, apesar de que ainda não o faz brotar."
(II Samuel 23.1-5)
 
Davi: Vida consciente de sua pequenez absorvida pela Glória de Israel, cujo testemunho repercute no tempo!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quarta-feira, 12 de março de 2014

Olhos postos em Jesus


Ontem, Maria Célia e eu estivemos ocupados durante todo o dia. Pela manhã, ainda bem cedo, após tomar café em Visconde do Rio Branco, com o casal - Pastor Iankee Berget & Izabel; saímos em direção à BH (viagem com quatro horas e meia de duração). De BH, fomos direto para a casa do irmão Saulo e Ruth-leia; onde passamos momentos agradáveis com a família - desde um abençoado almoço, do qual participou o Pastor Gilberto Silva, sua esposa Juliana e seus filhos, Giovana e Davi; e Guilherme & Deise Do Guilherme - até um necessário descanso naquela casa abençoada; pois precisávamos estar prontos para pregar no culto a noite, na IMW Primeira do Industrial.
 
Fiquei deveras contente com o estado atual da IMW Primeira do Industrial! Ela vive um momento excelente, com participação dinâmica em seus diversos ministérios; e um nível de comunhão admirável entre os seus obreiros e membros. Enquanto adorava com o Ministério de Louvor, louvei a Deus em meu íntimo pelo brilhante ministério que vem fazendo o Pastor Gilberto na titularidade desta igreja. A alegria entre seus membros e congregados é contagiante! Tão propício ambiente facilitou em muito a ministração da Palavra, que versou sobre a necessidade de mantermos os nossos olhos fixados em Jesus; para termos uma visão de Deus, do céu e de nós mesmos.
 
Jesus deve ser, seja em que circunstância for, o alvo preferencial do nosso olhar: "PORTANTO nós também, pois que estamos rodeados de uma tão grande nuvem de testemunhas, deixemos todo o embaraço, e o pecado que tão de perto nos rodeia, e corramos com paciência a carreira que nos está proposta, Olhando para Jesus, autor e consumador da fé, o qual, pelo gozo que lhe estava proposto, suportou a cruz, desprezando a afronta, e assentou-se à destra do trono de Deus." (Hebreus 12.1-2). Portanto, neste mundo de aparência em que nem tudo é o que parece ser; se mantivermos os nossos olhos postos em Jesus, jamais perderemos o rumo da vida.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

terça-feira, 11 de março de 2014

É bom saber

 

Nesta madrugada, Pai - enquanto me estendo no lugar de oração, aqui em casa do Pastor Iankee Berget & sua esposa Izabel - sinto Tua unção me conduzir pelo caminho da intercessão; então, vem ao meu espírito a convicção de que É BOM SABER o quanto sou amado por Ti, querido e amado Senhor. Sinto paz enquanto oro e ouço Tua voz me dizendo o que fazer!
 
Como É BOM SABER que minha vida é sustentada - não pela comida que como e pela água que bebo; nem mesmo por minha autoestima em alta ou pelo apoio dos que me são favoráveis - pois, encontro em Ti a fonte que me sustenta e satisfaz; e que me supre de vigor enquanto eu vou andando, olhando para Jesus e procurando sobretudo guardar minha fé no Senhor.
 
Como É BOM SABER que um rastilho de fogo percorre o campo à mim entregue - seguindo pelo sul de Minas, serpenteando o litoral capixaba e indo ao encontro da Bahia, seguindo pelo norte baiano até chegar ao Tocantins, indo ao encontro do Pará, mantendo seu curso em direção aos limites de Goiás, até encontrar e fechar o círculo na fronteira de Minas ao sul.
 
Como É BOM SABER que Tu me guardas enquanto exerço guarda sobre o campo que me foi entregue, com os olhos fixos no Guarda de Israel, que jamais me abandonará! E que minha pequena casa - família de dezesseis pessoas - é guardada enquanto sigo a rota traçada e entregue como missão; sabendo que Tu vais comigo enquanto sigo o caminho no rumo da Missão!
 
Com o passar do tempo; aprendi que existe algo ainda melhor do que andar no caminho de Deus: "E os teus ouvidos ouvirão a palavra do que está por detrás de ti, dizendo: Este é o caminho, andai nele, sem vos desviardes nem para a direita nem para a esquerda." (Isaías 30.21). Verdade! Percebi que, melhor do que andar no caminho de Deus; é andar com Deus no Caminho!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

segunda-feira, 10 de março de 2014

Amizade verdadeira


Madrugada bem cedo. Meu coração se sentiu atraído para o lugar de oração, sem que houvesse a menor resistência do meu corpo cansado e de minha alma irrequieta. Sei que dentro de uma hora, já estaremos no aeroporto de Uberlândia; para aguardar os instantes finais da viagem que nos levará de volta ao lar. Todavia, não pude deixar de buscar a face do Senhor; e de pedir que guarde as portas de entrada e de saída do meu ser interior. É verdade! Como preciso que meus lábios possam saber dosar aquilo que entra e aquilo que sai do meu íntimo; preciso encontrar em Deus, modo de saber filtrar aquilo que ouço; ah... E sem esquecer que os meus olhos requerem um cuidado todo especial; para que eu não seja enganado pelas imagens refletidas no espelho da vaidade ou da impureza. Ainda bem que tenho o cuidado de Deus sobre mim; e Seu sangue que me lava por inteiro e plenamente!
 
Então, só me resta olhar por cima do ombro; e, ver os queridos que deixo ficar enquanto Maria Célia & eu tomarmos aquele avião que nos transportará daqui. Enfim... Levaremos saudades - companheiras sempre presentes - de onde quer que partamos, em direção à uma nova alegria: Reencontrar amigos e irmãos que estão a nossa espera em algum outro lugar onde tenhamos que chegar. No entanto, não levamos remorsos conosco. Eles se tornaram descartáveis, a partir do instante em que nos propusemos a tratar com amor e respeito aqueles que nos acolheram - ou por quem passamos - sem deixar de sorrir ou abraçar. Creio ser uma das coisas boas da vida: Fazer bons amigos enquanto seguimos... No entanto, melhor ainda é saber como construir relacionamentos duradouros, que resistirão ao tempo e à distância. E isso, com certeza, Deus nos permitiu fazer, em Uberaba e Uberlândia.
 
Assim, pensando na importância de uma boa amizade, busco na Palavra um texto condizente; que diz tudo o que um amigo de Jesus precisa ouvir: "O meu mandamento é este: Que vos ameis uns aos outros, assim como eu vos amei. Ninguém tem maior amor do que este, de dar alguém a sua vida pelos seus amigos. Vós sereis meus amigos, se fizerdes o que eu vos mando. Já vos não chamarei servos, porque o servo não sabe o que faz o seu senhor; mas tenho-vos chamado amigos, porque tudo quanto ouvi de meu Pai vos tenho feito conhecer. Não me escolhestes vós a mim, mas eu vos escolhi a vós, e vos nomeei, para que vades e deis fruto, e o vosso fruto permaneça; a fim de que tudo quanto em meu nome pedirdes ao Pai ele vô-lo conceda. Isto vos mando: Que vos ameis uns aos outros." (João 15.12-17). Enfim, é fácil perceber que, além de dizer tudo; Ele traz luz aos nossos olhos!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

domingo, 9 de março de 2014

Pecadores amados por Deus


Quão grande és Tu, querido Pai de amor e de misericórdia! Mesmo limitado em minha compreensão quanto à eternidade; não posso deixar de proclamar valores que não conheço inteiramente. Tua presença e majestade no universo é um deles! Tenho consciência disso, pois as marcas de Tua presença estão espalhadas por toda parte! E assim, no universo, cada estrela cintilante exibe pelo mundo afora a luz que Tu lhe deste; e, na terra, cada folha ou flor exibe cor e perfume que traz Tua impressão; assim como o grão de areia quando rola - ou o pó esvoaçante - traz impressa Tua marca. Enfim, os seres e formas criadas proclamam Tua glória, mesmo estando em silêncio!
 
Gosto de contemplar Tua presença nas coisas criadas; e de exaltar o Teu santo Nome quando em contato com qualquer uma delas, por mais insignificante que pareça ser. Aprendi que a Verdade é bem maior do que o meu conhecimento a seu respeito; e que o conhecimento sobre as coisas criadas está bem mais próximo do relativo que do absoluto. Então, eu me pergunto: Se não consigo conhecer com perfeição as obras que fizeste; como poderei conhecer plenamente o mistério em que estás envolto? Se não consigo me aproximar sem medo, do fogo que a tudo devora; como poderei eu me aproximar de Ti, sem o risco de desaparecer ao Te buscar? Bendito Deus!
 
Então, penso em Jesus! E vejo a cruz presente em toda parte, me fazendo lembrar que Teu amor Lhe delegou minha cruz e que Sua morte me delegou Sua vida. E assim, percebo que posso ver Jesus cada vez que vejo alguém por mim passar - pobre ou rico, preto ou branco, velho ou jovem, homem ou mulher, sorrindo ou chorando - mesmo em silêncio; todavia, dizendo: Aquilo que fazes a mim, fazes ao próprio Jesus. Então, me dou conta de tudo aquilo que ofereço ao meu próximo - desde um tapa em seu rosto ou uma mentira a seu respeito, até um copo d'água fria - está sendo oferecido ao próprio Jesus, que levou sobre Si o meu pecado. Quão grande és Tu, meu Pai de amor!
 
As marcas de Cristo estão acima das marcas da religiosidade que pontilham o mundo:
 
"E não nos cansemos de fazer bem, porque a seu tempo ceifaremos, se não houvermos desfalecido. Então, enquanto temos tempo, façamos bem a todos, mas principalmente aos domésticos da fé. Vede com que grandes letras vos escrevi por minha mão. Todos os que querem mostrar boa aparência na carne, esses vos obrigam a circuncidar-vos, somente para não serem perseguidos por causa da cruz de Cristo. Porque nem ainda esses mesmos que se circuncidam guardam a lei, mas querem que vos circuncideis, para se gloriarem na vossa carne. Mas longe esteja de mim gloriar-me, a não ser na cruz de nosso Senhor Jesus Cristo, pela qual o mundo está crucificado para mim e eu para o mundo. Porque em Cristo Jesus nem a circuncisão, nem a incircuncisão tem virtude alguma, mas sim o ser uma nova criatura. E a todos quantos andarem conforme esta regra, paz e misericórdia sobre eles e sobre o Israel de Deus. Desde agora ninguém me inquiete; porque trago no meu corpo as marcas do Senhor Jesus."
(Gálatas 6.9-17)
 
Afinal, somente Jesus deu Sua vida por todos nós, pecadores amados por Deus!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sábado, 8 de março de 2014

Dia Internacional da Mulher

 

Neste dia em que se comemora o "Dia Internacional da Mulher"; quero aqui expressar minha sincera homenagem à mulher brasileira - mulher de perfil sofrido e lutador - que em sua rotina de vida enfrenta provações e desafios, em sua luta para vencer e sobreviver. Ainda bem que ela pode contar com a graça e o amor de Deus sobre sua vida! Pois, não têm podido contar com sucessivos governos, cujas políticas pública a elas dirigidas - em sua maioria - não passam de encenação barata, com objetivos propagandistas e fins eleitoreiros; que não lhes garantem segurança e bem-estar.
 
E ainda pior: A grande maioria não tem sido brindada com a sorte de ter a seu favor o amor de seus cônjuges e filhos, transformados em genuínos gestos de carinho e respeito. Ainda bem que, ao menos, podem contar com a ajuda de Deus; vivendo em um país com elevados índices de violência contra a mulher. Portanto, com grande respeito e reconhecimento; dedico a mulher brasileira - evangélica ou não - esta justa e merecida homenagem; orando em seu favor - por melhores dias e futuro alvissareiro e promissor - para o bem de todos nós, que delas dependemos.
 
Este mandamento se refere ao tratamento devido pelo marido: "Vós, maridos, amai vossas mulheres, como também Cristo amou a igreja, e a si mesmo se entregou por ela, Para a santificar, purificando-a com a lavagem da água, pela palavra, Para a apresentar a si mesmo igreja gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante, mas santa e irrepreensível. Assim devem os maridos amar as suas próprias mulheres, como a seus próprios corpos. Quem ama a sua mulher, ama-se a si mesmo." (Efésios 5.25-28). Mas, também, existem os deveres dos filhos!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari