sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

Heresia e apostasia


Alguns dias atrás, ao final de uma postagem sobre heresias, encerrei com um exemplo; usando como figura comparativa, a lei e a graça. E agora, encerrando este assunto; preciso dizer que embora lei e graça tenham seus pontos em comum; entretanto, a mistura entre ambas pode se constituir em heresia; posto que o próprio Deus colocou um limite entre elas: "A lei e os profetas duraram até João; desde então é anunciado o reino de Deus, e todo o homem emprega força para entrar nele." (Lucas 16.16). Conheço bons crentes que optaram ser discípulos de Moisés; mesmo crendo em Jesus como seu Salvador. Todavia, quando se tenta impor a Lei de Moisés como doutrina cristã, corre-se o risco de enfraquecer a graça de Cristo; com o risco inerente de, em nome da Lei de Moisés, anular a Graça de Deus revelada por Jesus.
 
Podemos definir heresia, como uma mistura de verdades e enganos. Diversas doutrinas heréticas vêm contaminando crentes ao longo do tempo, seduzindo líderes cristãos em diversas igrejas. Seus conceitos doutrinários distorcidos tem desviado muitos crentes; fazendo-os crer que, agora sim, encontraram a verdade. Via de regra, uma seita herética se julga a única porta-voz da verdade de Deus; procurando impor aos demais segmentos cristãos o seu ritmo de vida e de crença. Todavia, existe um mal ainda maior do que a heresia: Ele se chama apostasia; que é a rejeição e negação da verdade de Deus. Enquanto a heresia segue caminho paralelo exclusivista; a apostasia caminha em direção oposta, procurando atrair crentes libertos de volta aos ídolos, aos demônios e às crendices mais estranhas e absurdas. Misericórdia Senhor!
 
A Palavra de Deus nos faz esta recomendação: "Mas não entres em questões loucas, genealogias e contendas, e nos debates acerca da lei; porque são coisas inúteis e vãs. Ao homem herege, depois de uma e outra admoestação, evita-o, Sabendo que esse tal está pervertido, e peca, estando já em si mesmo condenado." (Tito 3.9-11). Ela também nos adverte sobre a apostasia dos últimos tempos: "MAS o Espírito expressamente diz que nos últimos tempos apostatarão alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores, e a doutrinas de demônios;" (I Timóteo 4.1). E nos exorta a não nos deixarmos enganar: "Ninguém de maneira alguma vos engane; porque não será assim sem que antes venha a apostasia, e se manifeste o homem do pecado, o filho da perdição," (II Tessalonicenses 2.3). Portanto, devemos perseverar na Palavra e na oração!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

Meu desejo

Foto: Meu Pai; nesta manhã venho me prostrar no lugar de oração, trazendo comigo algumas convicções que me acompanham a muito tempo. Uma delas, a certeza que tenho de que é melhor falar conTigo do que falar sobre Ti. Outra, que é melhor esperar em Ti do que trabalhar para Ti. Também, que é melhor ouvir Tua voz do que a voz dos inúmeros conceitos - alguns certos, muitos enganosos - a teu respeito. Meu desejo é ser como Maria: Priorizar estar conTigo; mesmo contrariando aqueles que me querem envolver em suas agitações, ainda que boas e justas. E nunca devo me esquecer que me alimento e me mantenho de pé, estando em Tua presença; pois, afinal de contas, minha vida inteira vive na dependência disso!

Meu Deus; uma das coisas que Tua presença me faz perceber; é que sou bem pequeno, muito mais do que alguns pensam. Eu me regozijo em poder ver que Tua grandeza expõe minha pequenez aos meus próprios olhos. Mas, isso não tem a menor importância; pois, o meu real interesse não é conhecer a minha altura; e, sim, saber que o meu Senhor não pode ser medido. Mediante esta revelação, tenho aprendido que ser um homem honrado e expandido por dentro, ainda que vestido de "ninguém"; é bem melhor do que ser um homem apagado e sem conteúdo por dentro, mesmo que esteja vestido de "luminosidade". É verdade: Se me fosse dado a escolher; preferiria ser anão por fora do que ser anão por dentro.

Meu Pai; nesta manhã venho me prostrar no lugar de oração, trazendo comigo algumas convicções que me acompanham a muito tempo. Uma delas, a certeza que tenho de que é melhor falar conTigo do que falar sobre Ti. Outra, que é melhor esperar em Ti do que trabalhar para Ti. Também, que é melhor ouvir Tua voz do que a voz dos inúmeros conceitos - alguns certos, muitos enganosos - a teu respeito. Meu desejo é ser como Maria: Priorizar estar conTigo; mesmo contrariando aqueles que me querem envolver em suas agitações, ainda que boas e justas. E nunca devo me esquecer que me alimento e me mantenho de pé, estando em Tua presença; pois, afinal de contas, minha vida inteira vive na dependência disso!
 
Meu Deus; uma das coisas que Tua presença me faz perceber; é que sou bem pequeno, muito mais do que alguns pensam. Eu me regozijo em poder ver que Tua grandeza expõe minha pequenez aos meus próprios olhos. Mas, isso não tem a menor importância; pois, o meu interesse não é conhecer a minha altura; mas, saber que o meu Senhor não pode ser medido. Mediante esta revelação, tenho aprendido que ser um homem honrado e expandido por dentro, ainda que vestido de "ninguém"; é bem melhor do que ser um homem apagado e sem conteúdo por dentro, mesmo que esteja vestido de "luminosidade". É verdade: Se me fosse dado a escolher; preferiria ser anão por fora do que ser anão por dentro.
 
Salmos bíblicos: Instrumentos de edificação e inspiração para tantos e tantos, ao longo da história!
 
"BEM-AVENTURADO o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores. Antes tem o seu prazer na lei do SENHOR, e na sua lei medita de dia e de noite. Pois será como a árvore plantada junto a ribeiros de águas, a qual dá o seu fruto no seu tempo; as suas folhas não cairão, e tudo quanto fizer prosperará. Não são assim os ímpios; mas são como a moinha que o vento espalha. Por isso os ímpios não subsistirão no juízo, nem os pecadores na congregação dos justos."
(Salmo 1.1-5)
 
Como sinto alegria em saber que minhas raízes estão próximas do rio da água da vida!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

terça-feira, 28 de janeiro de 2014

Lições de vida

Foto: Após orar ao Pai, fiquei a meditar na importância de ter permanecido em Sua presença - ao longo do tempo - mesmo quando em meio às duras provações sofridas em alguns momentos, durante os anos em que sirvo ao meu Senhor e Rei Jesus. Posso declarar com todas as letras: HOUVE MOMENTOS EM QUE PENSEI NÃO SUPORTAR! E não estou exagerando naquilo que digo! Tenho minha esposa como testemunha sempre próxima, das grande provações que sofremos juntos; um confortando e motivando o outro em momentos assim.

E hoje, ao pensar em tudo isso, abri meu coração em louvor a Deus; pois tenho chegado a conclusão de que as provações foram minhas melhores amigas, para que eu pudesse crescer espiritualmente. O interessante é que eu nunca olhei as lutas sofridas, como ataque de alguém contra mim; pois, sempre achei melhor encará-las como castigo ou provação - um processo mediante o qual o meu Deus estava tratando com minha vida e ministério (este tipo de atitude me livrou algumas vezes, de acalentar, mágoa e rancor em meu frágil coração).

Ontem mesmo aconselhei um pastor a não ver suas provações como articulações de alguém contra ele; e, sim, como ferramentas usadas por Deus para tratar com seu caráter e visão. Existem ocasiões em que Deus, para nos ensinar lições de vida, utiliza como chicote a língua de uma pessoa que fala demais; ou, mesmo, a marcação ferrenha de alguém que só vive vigiando a vida dos outros. Portanto, não devo me embrutecer; e, sim, procurar as razões que levam Deus a me tratar do modo com sou afligido. Isso gera crescimento.

Após orar ao Pai, fiquei a meditar na importância de ter permanecido em Sua presença ao longo do tempo; mesmo quando em meio às duras provações que sofri muitas vezes, durante os anos em que sirvo ao meu Senhor e Rei Jesus. Posso declarar com todas as letras: HOUVE MOMENTOS EM QUE PENSEI NÃO SUPORTAR! E não estou exagerando naquilo que digo! Tenho minha querida esposa Maria Célia como testemunha sempre próxima, das grande provações que sofremos juntos; um confortando e motivando o outro em momentos assim.
 
E hoje, ao pensar em tudo isso, abri meu coração em louvor a Deus; pois tenho chegado a conclusão de que as provações foram minhas melhores amigas, para que eu pudesse crescer espiritualmente. O interessante é que eu nunca olhei as lutas sofridas, como ataque de alguém contra mim; pois, sempre achei melhor encará-las como castigo ou provação - um processo mediante o qual o meu Deus estava tratando com minha vida e ministério (este tipo de atitude me livrou algumas vezes, de acalentar, mágoa e rancor em meu frágil coração).
 
Ontem mesmo aconselhei um pastor a não ver suas provações como articulações de alguém contra ele; e, sim, como ferramentas usadas por Deus para tratar com seu caráter e visão. Existem ocasiões em que Deus, para nos ensinar lições de vida, utiliza como chicote a língua de uma pessoa que fala demais; ou, mesmo, a marcação ferrenha de alguém que só vive vigiando a vida dos outros. Portanto, não devo me embrutecer; e, sim, procurar as razões que levam Deus a me tratar do modo com sou afligido. Isso gera crescimento espiritual.
 
Vejo grande importância em meditarmos neste texto: "E não murmureis, como também alguns deles murmuraram, e pereceram pelo destruidor. Ora, tudo isto lhes sobreveio como figuras, e estão escritas para aviso nosso, para quem já são chegados os fins dos séculos. Aquele, pois, que cuida estar em pé, olhe não caia. Não veio sobre vós tentação, senão humana; mas fiel é Deus, que não vos deixará tentar acima do que podeis, antes com a tentação dará também o escape, para que a possais suportar." (1 Coríntios 10.10-13).
 
Entretanto, jamais devemos trocar desaforos, ofensas ou acusações com aqueles que nos afligem. Antes, devemos por em pratica, a qualquer custo, também este texto: "Abençoai aos que vos perseguem, abençoai, e não amaldiçoeis." (Romanos 12.14). Se conseguirmos por este princípio bíblico em prática, seremos abençoados pelo Senhor, em todos os sentidos. E todos hão de ver a nossa vida crescer e prosperar à olhos vistos; pois a Palavra de Deus está cheia de promessas para os que conseguem perdoar. Glória a Deus!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

Toques transformadores


Meu Senhor e meu Rei! Nesta manhã, antes de iniciar uma nova viagem; venho me prostrar aos teus pés, buscando graça e prazer que só encontro em Tua presença. Aprendi que estar em Tua presença é bem diferente do que simplesmente estar em um templo, onde Teu nome é invocado e adorado; ou, em alta montanha no topo do mundo; ou em uma ilha paradisíaca, cercada por interminável oceano. Não duvido que estar em certos lugares, confere prazer e refrigério a quem tem a sorte de neles poder estar. No entanto, nenhum lugar se compara à sorte de estar em Tua presença; pois, quando temos a felicidade de estar diante de Ti, o lugar passa a não ter mais importância ou significado. Obrigado, meu Senhor!
 
Meu Deus e meu Pai! Venho nesta manhã, Te agradecer por minha humilde vida e pequena casa; ainda que minha gratidão não corresponda ao modo como o Senhor estabeleceu minha vida e minha família. Sei que ainda carecemos de toques transformadores do Teu Espírito; para, então, chegarmos à estatura de varão perfeito (e como isso, as vezes, parece estar distante!). Todavia, vejo o Teu cuidado sobre nós e nossos filhos; e isso, por si só, já me traz grande conforto! Hoje, não tenho pedidos especiais a fazer; pois, sinto ter o suficiente para me candidatar ao posto de homem mais feliz da terra! Assim, neste momento, meu olhar não se volta para meus interesses; mas, sim, para minhas responsabilidades!
 
A melhor posição nesta vida é estar na presença de Deus. Veja o que diz o salmista Davi:
 
"O SENHOR é a porção da minha herança e do meu cálice; tu sustentas a minha sorte. As linhas caem-me em lugares deliciosos: sim, coube-me uma formosa herança. Louvarei ao SENHOR que me aconselhou; até os meus rins me ensinam de noite. Tenho posto o SENHOR continuamente diante de mim; por isso que ele está à minha mão direita, nunca vacilarei. Portanto está alegre o meu coração e se regozija a minha glória; também a minha carne repousará segura. Pois não deixarás a minha alma no inferno, nem permitirás que o teu Santo veja corrupção. Far-me-ás ver a vereda da vida; na tua presença há fartura de alegrias; à tua mão direita há delícias perpetuamente."
(Salmo 16.5-11)
 
A presença de Deus concede real deleite à quem o buscar em espírito e em verdade!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

domingo, 26 de janeiro de 2014

Heresias, ontem e hoje

Foto: Alguns dias atrás, um Pastor postou em minha página uma pergunta sobre a existência ou não de heresias e hereges nos dias de hoje. Na verdade, a heresia sempre fez parte da história da humanidade - cristã ou não - açodada pela religiosidade existente na natureza humana. Entre os cristãos, sua presença deriva da tendência de alguns; em dogmatizar suas opiniões pessoais sobre questões religiosas e sociais, transformando em doutrina o seu modo de ver e de crer. Daí a tentar impô-la sobre outros - como regra de fé e de conduta - é só ter ferrenha disposição e um grupo cativo de ouvintes.

Tenho percebido que a heresia - como é do seu feitio - se disfarça muito bem; mesclando erros e verdades, com um toque de zelo aparente. Isso, geralmente, torna difícil a distinção entre um promotor da heresia e sua vítima; até porque, as vítimas de hoje acabam se tornando os promotores de amanhã. Acredito que nem toda a heresia chega  a condenar o seu adepto; dependendo de sua mistura. Dou como exemplo, uma tendência que não é nova; mas, que hoje prolifera: Que é mesclar as duas Alianças (Sinai e Calvário); na insana tentativa de tentar unir algo que o próprio Deus decidiu separar.

Alguns dias atrás, um Pastor postou em minha página uma pergunta sobre a existência ou não de heresias e hereges nos dias de hoje. Na verdade, a heresia sempre fez parte da história da humanidade - cristã ou não - açodada pela religiosidade existente na natureza humana. Entre os cristãos, sua presença deriva da tendência de alguns; em dogmatizar suas opiniões pessoais sobre questões religiosas e sociais, transformando em doutrina o seu modo de ver e de crer. Daí a tentar impô-la sobre outros - como regra de fé e de conduta - é só ter ferrenha disposição e um grupo cativo de ouvintes.
 
Tenho percebido que a heresia - como é do seu feitio - se disfarça muito bem; mesclando erros e verdades, com um toque de zelo aparente. Isso, geralmente, torna difícil a distinção entre um promotor da heresia e sua vítima; até porque, as vítimas de hoje acabam se tornando os promotores de amanhã. Acredito que nem toda a heresia chega a condenar o seu adepto; dependendo de sua mistura. Dou como exemplo, uma tendência que não é nova; mas, que hoje prolifera: Que é mesclar as duas Alianças (Sinai e Calvário); na insana tentativa de tentar unir algo que o próprio Deus decidiu separar.
 
Dentre diversos textos neo-testamentários; este texto bíblico pode ser visto como um divisor de águas entre a Lei e a Graça: "A lei e os profetas duraram até João; desde então é anunciado o reino de Deus, e todo o homem emprega força para entrar nele." (Lucas 16.16). O que se impõe é que nos desvencilhemos do preconceito contra o evangelho da graça - protagonizado pelas doutrinas judaizantes - para entender que "pela lei ninguém será justificado diante de Deus, porque o justo viverá da fé." (Gálatas 3.11); pois somente, a graça revelada por Jesus Cristo é capaz de salvar o pecador.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sábado, 25 de janeiro de 2014

O dia de hoje


Hoje consegui uma vez mais me antecipar à alva; e entoei esta canção de louvor enquanto orava ao Pai: "Sim, eu sei Senhor que Tu és soberano; tens os teus caminhos, tens teus próprios planos. Venho pois, a cada dia; venho cheio de alegria e me coloco em tuas mãos; pois és fiel. Sim, eu sei Senhor, que tu és poderoso; és um Deus tremendo, Pai de amor bondoso! Venho, pois, a cada dia; venho cheio de alegria e me coloco em tuas mãos, pois és fiel!" E, enquanto louvava, entendia em meu íntimo que não há como vencer sem considerar que o dia de ontem sepultou as oportunidades que não aproveitamos; e, que o dia de amanhã é mais incerto do que muitas incertezas da vida; mas, que o dia de hoje é a nossa grande chance de concretizar sonhos, fazer o bem, executar tarefas justas e perseverar no Senhor.
 
Enquanto eu refletia sobre a importância do dia de hoje; Senti necessidade de pedir três coisas ao Deus eterno: 1. Que ele me ensine a contar os meus dias, para que eu seja sábio; e sempre saiba que um dia perdido pode definir minha sorte amanhã. 2. Que me ajude a guardar a minha fé nos valores que fazem dela fé salvadora, antes de se tornar fé eficaz; e sempre saiba que existe o risco de vela se diluir com as crenças sem proveito e sem sentido, tão em voga nos dias de hoje. 3. Que me ajude a andar no Seu caminho; pois, sendo ele invisível aos olhos, sempre existe o risco de perder o rumo sem me dar conta, distraído com algum novo conceito ou influência; podendo enveredar por algum atalho; dentre os que são abertos pelas crenças dos homens, em coisas vás e descabidas. Me coloco em Tuas mãos, Senhor!
 
Tenho aprendido na Bíblia, que, existem valores que precisam ser preservados a qualquer custo:
 
"Como guardaste a palavra da minha paciência, também eu te guardarei da hora da tentação que há de vir sobre todo o mundo, para tentar os que habitam na terra. Eis que venho sem demora; guarda o que tens, para que ninguém tome a tua coroa. A quem vencer, eu o farei coluna no templo do meu Deus, e dele nunca sairá; e escreverei sobre ele o nome do meu Deus, e o nome da cidade do meu Deus, a nova Jerusalém, que desce do céu, do meu Deus, e também o meu novo nome. Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas."
(Apocalipse 3.10-13)
 
Guardados como tesouro em vaso de barro, para a glória de Deus!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

Sem disfarces ou retoques

 

Nesta manhã, enquanto adorava e exaltava ao Deus eterno; meditei em minha carência d'Ele. E, atenção! Não estou me referindo ao conceito básico bastante difundido entre os crentes: De que todos nós precisamos de Deus. O que me levou a refletir, foi aquilo que a Palavra de Deus diz, sobre Deus e sobre o homem. Ela diz que Deus é Verdadeiro e que nós somos mentirosos. Diz também que Deus não se deixa enganar e que nós somos propensos ao engano. Afinal, ela desvenda a verdade sobre Deus e a verdade sobre nós: Que nossa realidade - primeira e última - começa com pó e termina com pó; diferente daquilo que pensamos sobre Deus e sobre nós. Então, percebi que somente estando bem com Deus, não corremos o risco de ser enganados por nós mesmos; uma vez que somos propensos a pensar o melhor de nós e o pior dos outros... Todavia, o espelho da Palavra de Deus revela a nossa face autêntica, sem disfarces ou retoques.
 
Enquanto eu meditava sobre isso; procurei ver o que o mundo reserva aos que se deixam enganar por seus encantos. Como das outras vezes em que nisso pensei; não gostei do que vi. Euforia mesclada com angústia foi o que vi, tangendo os homens a um beco sem saída. Vi também sorrisos de emoção misturados com sinais de opressão. E isso não faz bem a ninguém. Outra coisa que vi, foi o enorme paredão a perder de vista, que espera as pessoas ao final de tudo; pondo fim aos sonhos de curta duração, verdadeiros ou fantasiosos. Então, bem no meu íntimo, o Senhor me fez saber que os crentes verdadeiros (redimidos por Jesus) não precisam temer o paredão intransponível; pois tem sob seus pés, um caminho que não pode ser contido; que atravessa a rocha mais dura. E que também receberam um par de asas - como as das grandes águias - que lhes permitem voar muito além da altura da grande muralha, até às mansões celestes.
 
Não é difícil, a um crente que vive na presença de Deus; perceber que este mundo em que vivemos é cheio de armadilhas e obstáculos. No entanto, se estamos em Cristo, somos mais do que vencedores! Como é bom saber que temos um caminho eterno e um bom par de asas: "Tendo, pois, irmãos, ousadia para entrar no santuário, pelo sangue de Jesus, Pelo novo e vivo caminho que ele nos consagrou, pelo véu, isto é, pela sua carne, E tendo um grande sacerdote sobre a casa de Deus, Cheguemo-nos com verdadeiro coração, em inteira certeza de fé, tendo os corações purificados da má consciência, e o corpo lavado com água limpa, Retenhamos firmes a confissão da nossa esperança; porque fiel é o que prometeu." (Hebreus 10.19-23). Para lidarmos com este mundo dominado por Satã; precisamos nos revestir dos recursos sobrenaturais de Deus. Todavia, estes recursos sobrenaturais só existem para aqueles que têm fé em Jesus!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

Cálice da vitória


Ao me aproximar do Pai, percebo que as coisas mudam por dentro; algo como se o tempo parasse para ver aquilo que em nosso interior se passa. Na presença do Pai, me dou conta de que muitos crentes - obreiros especialmente - diminuem seu ritmo de oração com o passar dos anos; algo como se o passar do tempo conferisse atestado de idoneidade e estabilidade a um crente antigo. Que perigoso equívoco meu Pai! O risco que corremos é muito grande; especialmente, quando pensamos que uma longa experiência no evangelho seja suficiente para manter a nossa estabilidade espiritual e idoneidade moral. E, talvez, devido a este modo de pensar; são muitos os que sucumbem aos encantos da antiga serpente. E o número de suas vítimas não para de crescer.
 
Então, prostrado e rendido no lugar de oração; me dou conta de que - na vida com Deus - o que conta mesmo a a experiência diária; e que a queda pode ocorrer quando estamos no ponto mais elevado de nossas conquistas espirituais. Talvez seja por isso que alguns crentes - líderes inclusive - chegam ao cume da santidade em um domingo de grande mover de Deus; acordam na manhã de uma segunda-feira promissora, aspirando o ar da espiritualidade; mas, ao fim da mesma, mal conseguem dormir, envenenados pela peçonha da serpente maldita. Então, me rendo à convicção de que o que nos mantém de pé é uma vida de oração e de vigilância constante; e, que, a experiência que define a vitória, se renova em cada dia que vivemos, em oração diante do Pai.
 
Este texto deve ser levado em alta conta por aquele que deseja permanecer fiel:
 
"Então chegou Jesus com eles a um lugar chamado Getsêmani, e disse a seus discípulos: Assentai-vos aqui, enquanto vou além orar. E, levando consigo Pedro e os dois filhos de Zebedeu, começou a entristecer-se e a angustiar-se muito. Então lhes disse: A minha alma está cheia de tristeza até a morte; ficai aqui, e velai comigo. E, indo um pouco mais para diante, prostrou-se sobre o seu rosto, orando e dizendo: Meu Pai, se é possível, passe de mim este cálice; todavia, não seja como eu quero, mas como tu queres. E, voltando para os seus discípulos, achou-os adormecidos; e disse a Pedro: Então nem uma hora pudeste velar comigo? Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; na verdade, o espírito está pronto, mas a carne é fraca."
(Mateus 26.36-41)
 
Pois, ele deixa claro que o cálice da vitória final e plena, somente será sorvido por aqueles que se mantiverem até o fim em oração e vigilância.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

terça-feira, 21 de janeiro de 2014

Pensando no recomeço


No dia de hoje, ainda escuro; após orar, fiquei a pensar no recomeço. Não me refiro ao recomeço de algum projeto interrompido ou mal acabado; nem a uma nova atividade profissional, após o esgotamento de uma profissão anterior. Pensei, sim, no início de cada dia. No modo como o dia nasce e se expande; na luz do sol percorrendo a terra, inundando e aquecendo as partes expostas do nosso mundo; formando um halo de luz brilhante que traça um círculo no horizonte, ao findar do dia. Pois é... Após uma noite escura, na qual o mundo se aquieta e apenas as criaturas da noite se apresentam; o novo dia surge em sua força! E, com ele, o recomeço de atividades que, por mais importantes que sejam, são de curta duração.
 
Ao pensar no recomeço, meditei no ciclo da vida; nesse vai&vem sem fim. Não pude deixar de refletir sobre minha própria vida e família; nos valores mediante os quais nos movemos e existimos. Ao contemplar a chegada do amanhecer, meditei nos deveres e responsabilidades que saúdam o meu recomeço. Pensei em minha respiração, transpiração e inspiração; atividades voluntárias, inevitáveis, enquanto em mim fôlego de vida houver. Aí, chorei um pouco, cantei duas canções de louvor e glorifiquei a Deus; por me permitir participar do ciclo da vida, cercado de valores superiores ao ouro e à prata. Sim! Exaltei ao Deus do céu - poderoso e santo - que me cinge de alegria e de força.
 
Como é lindo o modo como Deus fala e age!
 
"Fala aos filhos de Israel, e toma deles uma vara para cada casa paterna de todos os seus príncipes, segundo as casas de seus pais, doze varas; e escreverás o nome de cada um sobre a sua vara. Porém o nome de Arão escreverás sobre a vara de Levi; porque cada cabeça da casa de seus pais terá uma vara. E as porás na tenda da congregação, perante o testemunho, onde eu virei a vós. E será que a vara do homem que eu tiver escolhido florescerá; assim farei cessar as murmurações dos filhos de Israel contra mim, com que murmuram contra vós. Falou, pois, Moisés aos filhos de Israel; e todos os seus príncipes deram-lhe cada um uma vara, para cada príncipe uma vara, segundo as casas de seus pais, doze varas; e a vara de Arão estava entre as deles. E Moisés pôs estas varas perante o SENHOR na tenda do testemunho. Sucedeu, pois, que no dia seguinte Moisés entrou na tenda do testemunho, e eis que a vara de Arão, pela casa de Levi, florescia; porque produzira flores e brotara renovos e dera amêndoas. Então Moisés tirou todas as varas de diante do SENHOR a todos os filhos de Israel; e eles o viram, e tomaram cada um a sua vara."
(Números 17.6-9)
 
Que minha vida seja uma vara a florescer e frutificar, no alvorecer de cada dia!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

Olha com misericórdia Senhor


Meu Deus; é sempre difícil estar em um ambiente onde não somos bem-vindos; daí o motivo de qualquer cristão que tenha um mínimo de prazer na Palavra e na presença do Senhor, se sentir deslocado neste mundo. Como nos sentirmos confortáveis em um mundo que nos olha ora com indiferença, ora com intolerância? Penso que um dos fatores que nos dão sentido quanto a necessidade de nossa permanência temporária neste mundo é o sentimento de missão a ser cumprida; outro fator é o fato de Jesus estar sempre a interceder por nós; e também pela presença do Espírito Santo em nós, que está sempre a nos ensinar e direcionar. E, mesmo assim, é comum vermos crentes enlouquecerem ao ponto de Te deixar; preferindo o mundo e seus prazeres venenosos. Penso ter sido por isto que Jesus, ao nos ensinar a orar, incluiu na oração do "Pai nosso" o "livrai-nos do mal".
 
Pai de amor; sinto grande conforto ao Te buscar, por sentir que sou amado com uma intensidade que não pode ser medida. Te adoro e exalto; pois sei que reges o universo com poder e graça; podendo conhecer tudo aquilo que se pensa e que se diz, em qualquer lugar onde uma mente inteligente seja capaz de formular opiniões, teorias e conceitos: pois não existem limites para os Teus atributos. E quero trazer nesta busca três importantes pedidos: Primeiro, eu oro em favor da segurança de minha família; pois sei que em Tuas mãos e sob o Teu olhar, eles estão seguros. Quero também orar em favor da viagem que farei hoje; e por minha presença em Brasília neste fim de semana, para a reabertura do trabalho wesleyano na cidade goiana de Padre Bernardo. E, orar em especial por um pastor, cuja família e ministério se encontram em grande risco de fracassar. Olha com Misericórdia, Senhor!
 
Este é um bom texto para lermos e meditarmos, após esta oração:
 
"Que diremos, pois, a estas coisas? Se Deus é por nós, quem será contra nós? Aquele que nem mesmo a seu próprio Filho poupou, antes o entregou por todos nós, como nos não dará também com ele todas as coisas? Quem intentará acusação contra os escolhidos de Deus? É Deus quem os justifica. Quem é que condena? Pois é Cristo quem morreu, ou antes quem ressuscitou dentre os mortos, o qual está à direita de Deus, e também intercede por nós. Quem nos separará do amor de Cristo? A tribulação, ou a angústia, ou a perseguição, ou a fome, ou a nudez, ou o perigo, ou a espada? Como está escrito: Por amor de ti somos entregues à morte todo o dia; Somos reputados como ovelhas para o matadouro. Mas em todas estas coisas somos mais do que vencedores, por aquele que nos amou. Porque estou certo de que, nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as potestades, nem o presente, nem o porvir, Nem a altura, nem a profundidade, nem alguma outra criatura nos poderá separar do amor de Deus, que está em Cristo Jesus nosso Senhor."
(Romanos 8.31-39)
 
Procuremos tirar o máximo proveito dele.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

domingo, 19 de janeiro de 2014

A vida continua


Você já se sentiu abatido e triste; por não conseguir fazer algo muito importante, previamente marcado? Pois é... Quem de nós ainda não teve a triste experiência, de ser impedido de cumprir uma obrigação devido a fatos inesperados? Isso aconteceu comigo hoje; para meu lamento e - penso eu - para frustração dos inúmeros irmãos e amigos que estarão em Padre Bernardo hoje a noite, para a grande festa de reabertura do trabalho wesleyano naquela cidade de Goiás. E esta perda se deve ao fato de não ter conseguido pegar o avião; algo que acontece todos os dias, impedindo tanta gente de chegar a algum lugar. Mas que, para mim, trouxe uma desagradável sensação de perda e vazio. Ainda bem, que tenho valores que amenizam perdas assim; a Palavra de Deus, com suas mensagens de conforto é um deles.
 
No entanto, a vida continua... Vida cuja marcha não pode ser interrompida; salvo mediante um ato sobrenatural do Deus eterno. E assim, novas oportunidades e compromissos hão de vir; para os quais devemos nos preparar e procurar cumpri-los à risca, na medida do possível. Portanto, se você tem deixado passar oportunidades raras ou se tem perdido alguns compromissos enquanto marcha; lamente, sim, a perda; mas, não pare à beira do caminho. Prossiga marchando; sem deixar de buscar a presença do Senhor e de procurar andar sob Sua direção. Procure ter sempre em mente que a vida é constituída de perdas e ganhos; e que, em meio a tudo isso, Deus jamais deixará de exercer cuidado e vigilância sobre os que a Ele se entregam e nEle confiam. Então, faça parte da geração daqueles que confiam no Senhor!
 
Existem ocasiões em que definimos um objetivo, mas somos impedidos de concretizá-lo. Em ocasiões assim, geralmente, culpamos alguém pelo impecílio: "E, passando pela Frígia e pela província da Galácia, foram impedidos pelo Espírito Santo de anunciar a palavra na Ásia. E, quando chegaram a Mísia, intentavam ir para Bitínia, mas o Espírito não lho permitiu. E, tendo passado por Mísia, desceram a Trôade. E Paulo teve de noite uma visão, em que se apresentou um homem da Macedônia, e lhe rogou, dizendo: Passa à Macedônia, e ajuda-nos. E, logo depois desta visão, procuramos partir para a Macedônia, concluindo que o Senhor nos chamava para lhes anunciarmos o evangelho." (Atos 16.6-10). No entanto, quando isso acontece, devemos procurar conhecer o propósito de Deus no impedimento.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sábado, 18 de janeiro de 2014

Mal ainda maior


Hoje pela manhã, ao buscar a presença do Pai; senti o desejo de buscar direção específica para a minha vida e jornada. Pedi ao Senhor que me ajude a discernir para saber distinguir o próprio rumo da vida, dos demais rumos que as contingências da vida tentam me impor. É que, muitas vezes, nos julgamos capazes de entender com clareza e rapidez aquilo que sucede em certos momentos. Então, baseados nesse pressuposto, respondemos de modo inadvertido e prematuro às questões; correndo o risco de ficarmos mal com familiares, amigos e com nossa consciência; a qual anda sempre um passo atrás da nossa precipitação. Busquei a Deus sobre este assunto; porque, as vezes, achamos poder resolver certas coisas por nós mesmos; correndo o risco de desagradarmos ao próprio Deus que julgamos servir.
 
As vezes, fico a pensar naquilo que é dito sobre os idosos: Uns dizem que com os idosos está a sabedoria (geralmente, dito pelos próprios idosos); outros dizem que o idoso precisa dar lugar aos mais jovens (geralmente, dito pelos mais jovens). Quanto a mim - idoso na idade e nem tanto na reflexão - penso que a verdade está no meio; ou seja: Com os idosos está a razão... Enquanto ainda não afetada por esclerose, alzaimer e outros limbos, que costumam Ficar à espreita dos que vão chegando à terceira idade. Os idosos precisam se recolher, sim; no entanto... Os jovens precisam amadurecer o suficiente para suprir a lacuna deixada pelos mesmos. Digo isso porque descobri que existe um mal ainda maior do que um idoso confuso e lento; que é um jovem confuso e apressado, achando que sabe tudo.
 
Enquanto orava, fui levado a pensar que o jovem que mais precisa do idoso é aquele que viver a dizer que sabe andar sozinho; e que o que está menos preparado para substituir o idoso é geralmente aquele que se julga preparado para ocupar sua vaga. Digo isso, porque passei por três fases: Fui um jovenzinho que se sentia inseguro para comandar a própria vida; depois, tornei-me um jovem seguro até demais - me sentindo preparado para o que desse e viesse - todavia destemperado o bastante para ser mantido à distância, mesmo pelos bons amigos. Enfim, tornei-me um idoso convicto de que cada dia menos sei; e, que, tudo o que faço corre o risco de não dar certo, caso Deus não interfira. Existe ainda uma quarta fase; mas, espero no Senhor não chegar à ela. Daí, minha necessidade de estar sempre orando.
 
Serei eternamente grato ao Senhor, pelos conselhos de Paulo ao jovem Timóteo:
 
"Foge também das paixões da mocidade; e segue a justiça, a fé, o amor, e a paz com os que, com um coração puro, invocam o Senhor. E rejeita as questões loucas, e sem instrução, sabendo que produzem contendas. E ao servo do Senhor não convém contender, mas sim, ser manso para com todos, apto para ensinar, sofredor; Instruindo com mansidão os que resistem, a ver se porventura Deus lhes dará arrependimento para conhecerem a verdade, E tornarem a despertar, desprendendo-se dos laços do diabo, em que à vontade dele estão presos."
(2 Timóteo 2.22-26).
 
Fui grandemente ajudado por eles, quando ainda jovem obreiro em formação.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

Mesmo quando em férias


Maria Célia Calegari & eu, temos tirado alguns dias para descansar (não sei se posso chamar de descanso, se me sinto tão exausto ao fim de um dia inteiro de ocupações diversas). As vezes me parece, que, férias nada mais é do que um tempo para a gente se cansar enquanto descansa. Enquanto escrevo, penso naqueles textos que falam sobre cansaço e enfado. Então, chego a conclusão que a mudança de foco proporcionada pelas férias, acaba sendo importante para descansarmos daquela rotina que a jornada de trabalho nos impõe ao longo de um ano inteiro. Todavia, existem pessoas e preocupações, das quais não conseguimos nos afastar - mesmo estando distante delas - e que acabam encontrando um lugarzinho em nossa mente, mesmo durante as tão sonhadas e planejadas férias. Mas... Fazer o que? Na verdade, as vezes costumo pensar que a vida é assim para todos... E, que, aquilo que sinto é a mesma coisas que todas as pessoas também sentem.
 
No entanto, existem atividades e responsabilidades que não podemos deixar de considerar; mesmo em dias de férias: Alimentação saudável, água em abundância, alguns exercícios físicos e cuidados com a higiene pessoal - inclusive com a saúde - são algumas delas. Devemos também procurar rever algumas práticas rotineiras sem proveito algum, que podem nos fazer mais mal do que bem; pois as férias nos deixam numa boa condição para avaliar - sem pressão ou preconceito - modos de agir e de pensar que, aos poucos, foram se tornando parte integrante do nosso modo de ser. Então, a partir desta avaliação, cabe a nós buscar meios de mudar para melhor o nosso modo de proceder e de se relacionar, sempre que percebermos que os mesmos nos mantém presos a uma vida imersa em conflitos e desgastes. Contudo, devemos procurar manter em dia a nossa vida com Deus; para não retornarmos das férias, menos espirituais do que éramos antes de iniciá-las.
 
Seja qual for o lugar em que estejamos, ou ocupação nossa; este deve ser o nosso pensamento:
 
"Não andeis, pois, inquietos, dizendo: Que comeremos, ou que beberemos, ou com que nos vestiremos? (Porque todas estas coisas os gentios procuram). De certo vosso Pai celestial bem sabe que necessitais de todas estas coisas; Mas, buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas. Não vos inquieteis, pois, pelo dia de amanhã, porque o dia de amanhã cuidará de si mesmo. Basta a cada dia o seu mal."
(Mateus 6.31-34).
 
Tendo a Palavra de Deus como fundamento, podemos realmente descansar no Senhor!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

terça-feira, 14 de janeiro de 2014

Fé cristã autêntica


Já tenho dito, algumas vezes, que não existe caminho fácil para alguém que queira orar. No entanto, existem dias em que buscar a face do Senhor exige perseverança e força de vontade. Creio que este foi um desses dias para mim. Graças a Deus, consegui dobrar os meus joelhos. É bom que se diga que dobrar os joelhos, não é a única posição para se orar; porém, a mais utilizada. Penso que a verdadeira prostração não depende de uma postura física; é mais uma postura espiritual. Entretanto, eu me sinto bem me postando de joelhos diante do meu Deus. Sei que posso orar de outros modos; mas é assim que me sinto mais a vontade. Mas uma coisa é certa: De um jeito ou de outro, não podemos sobreviver sem oração.
 
Enquanto eu orava, fui levado a pensar nas lutas que os filhos de Deus enfrentam ao longo da história da Igreja. Lutas causadas por acusações mentirosas, levianas; lutas causadas por intolerância e perseguição atroz; lutas em meio à restrição da liberdade; ou, causada por liberdade excessiva; lutas do lar e fora dele; enfim... Lutas e provações fazem parte da história de qualquer crente que tenha um mínimo de noção de sua condição de filho de Deus vivendo em um mundo decadente, antagônico aos valores da genuína fé cristã e bíblica. Inclusive, é bom que se diga que a fé - para ser cristã autêntica - precisa se bíblica; pois, em caso contrário, ela pode se transformar em uma das muitas crendices que vemos pelo mundo afora.
 
Portanto, se estamos ou não de férias; ou demasiado cansados para permanecer de pé; enfim, seja qual for o lugar, ocupação ou estado em que estejamos; este deve ser o nosso pensamento: "Não andeis, pois, inquietos, dizendo: Que comeremos, ou que beberemos, ou com que nos vestiremos? (Porque todas estas coisas os gentios procuram). De certo vosso Pai celestial bem sabe que necessitais de todas estas coisas; Mas, buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas. Não vos inquieteis, pois, pelo dia de amanhã, porque o dia de amanhã cuidará de si mesmo. Basta a cada dia o seu mal." (Mateus 6.31-34). Então, priorizando o reino de Deus, conseguiremos vencer.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

Marcas e lembranças

 
Ontem, Maria Célia Calegari e eu estivemos no culto ao Senhor, na IMW Central de Cabo Frio. Enquanto entoávamos os cânticos de adoração e louvor, não pude deixar de pensar nos anos que passamos pastoreando esta querida igreja. Foi um tempo de entrega e dedicação ao rebanho, procurando ajudar em suas cargas e conflitos, isso eu posso afirmar. Exatamente como tem ocorrido em outros lugares onde temos passado - antes e depois - procuramos focar toda a nossa atenção no estado das vidas e famílias entregues aos nossos cuidados pastorais; sem procurar inventar nada que estivesse além das obrigações definidas por Deus para um pastor de almas. Enquanto cumpríamos esta sagrada missão; orando, pregando e visitando; vimos o rebanho se multiplicar e lares serem alcançados pela graça do Pai - para a nossa alegria e para a glória de Deus - disso eu tenho perfeita consciência.
 
Ainda sob o manto do culto à Deus, não pude deixar no Pastor Neemias Rodrigues Pereira, cujo falecimento se dera algumas horas antes. Seu pastorado em Cabo Frio deixou marcas e lembranças que não serão esquecidas tão depressa; nem nesta vida nem na outra. Também pensei nos estigmas produzidos ao longo da vida de um pastor (todos nós, pastores, os carregamos conosco) enquanto cumpre sua singular missão. Então estremeci por dentro! Não pelo simples fato do desafio da missão; ou, por errar ou acertar, lidando com pessoas tão diferentes entre si. Os meus tremores tinham uma causa que não estava entre os que me cercam. Na verdade, o meu espírito se voltou para aquele dia - breve ou distante - em que irei comparecer perante o Sumo Pastor e Autor da criação. Então, percebi que tenho que me policiar; pois, ali, terei que dar contas de cada vida que esteve sob minha guarda.
 
Este é um texto que ajuda pastores e ovelhas:
 
"Porque não temos aqui cidade permanente, mas buscamos a futura. Portanto, ofereçamos sempre por ele a Deus sacrifício de louvor, isto é, o fruto dos lábios que confessam o seu nome. E não vos esqueçais da beneficência e comunicação, porque com tais sacrifícios Deus se agrada. Obedecei a vossos pastores, e sujeitai-vos a eles; porque velam por vossas almas, como aqueles que hão de dar conta delas; para que o façam com alegria e não gemendo, porque isso não vos seria útil. Orai por nós, porque confiamos que temos boa consciência, como aqueles que em tudo querem portar-se honestamente. E rogo-vos com instância que assim o façais, para que eu mais depressa vos seja restituído. Ora, o Deus de paz, que pelo sangue da aliança eterna tornou a trazer dos mortos a nosso Senhor Jesus Cristo, grande pastor das ovelhas, Vos aperfeiçoe em toda a boa obra, para fazerdes a sua vontade, operando em vós o que perante ele é agradável por Cristo Jesus, ao qual seja glória para todo o sempre. Amém."
(Hebreus 13.14-21)
 
Através dele, podemos entender os imperativos e limites do relacionamento pastor/ovelha.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

domingo, 12 de janeiro de 2014

Socorro do Espírito


Nesta madrugada, enquanto eu procurava chegar ao lugar de oração; fiquei a pensar nos riscos que um homem ou mulher de Deus corre, quando deixa de orar ou mesmo quando negligencia a oração. Não pude deixar de pensar no fracasso de alguns homens de Deus - do passado e do presente - sem suspeitar que tais desastres podem ter tido o seu caminho facilitado pela falta de oração. Então, comecei a agradecer a Deus pelo socorro do Espírito Santo, que está sempre nos advertindo quanto à necessidade de orarmos. Ali mesmo, me dei conta de que não há chance de mantermos uma vida de oração sem o socorro do Santo Espírito de Deus.
 
Naquele momento eu pude, mais uma vez, ouvir em meu íntimo que a finalidade principal da oração é estar na presença do Pai; e, que, isto só é plenamente possível se conseguirmos entrar na dimensão do Espírito. O próprio Caminho da Vida não pode ser percorrido com segurança; sem que o Espírito Santo esteja à nossa frente, guiando os nossos passos enquanto andamos. Isso significa que podemos ser facilmente desviados do curso da Vida; caso dispensemos o Guia que pode nos conduzir pelo verdadeiro caminho. É que o caminho do céu pode ser confundido com o caminho da religiosidade; a não ser pelo fato de ser mais estreito.
 
Então, entendi o por que de muitos se desviarem enquanto pensam estar ainda nele: É que simples o fato de valorizarem sua religiosidade e conhecimento como nortes seguros; os levou a ignorar ou mesmo dispensar o socorro do Espírito. É algo assim: Enquanto procuravam expandir o seu conhecimento e fortalecer sua religiosidade, acabaram perdendo a sua espiritualidade. Fato é que a espiritualidade não vem de um espírito confinado e sufocado pelos caprichos de uma alma ávida por conhecer e convencer pela razão; mas, sim, pelo Espírito Santo agindo em nosso homem interior; conferindo unção ao próprio espírito humano.
 
Pela graça de Deus, tenho aprendido que sem o Espírito Santo a caminhada é inviável
 
"Mas nós não recebemos o espírito do mundo, mas o Espírito que provém de Deus, para que pudéssemos conhecer o que nos é dado gratuitamente por Deus. As quais também falamos, não com palavras de sabedoria humana, mas com as que o Espírito Santo ensina, comparando as coisas espirituais com as espirituais. Ora, o homem natural não compreende as coisas do Espírito de Deus, porque lhe parecem loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente. Mas o que é espiritual discerne bem tudo, e ele de ninguém é discernido."
(1 Coríntios 2.12-15).
 
Segundo as Escrituras, somente o Espírito Santo pode nos guiar em toda a verdade.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sábado, 11 de janeiro de 2014

Natureza morta


Algo que sempre me causou impressão - tanto em minha limitação cristã - quanto humana; é a seguinte advertência feita por Jesus: "Mas Jesus lhe observou: Deixa aos mortos o enterrar os seus mortos; porém tu vai e anuncia o reino de Deus." (Lucas 9.60). Ela foi feita também por Paulo; embora em outros outros termos: "E, quando vós estáveis mortos nos pecados, e na incircuncisão da vossa carne, vos vivificou juntamente com ele, perdoando-vos todas as ofensas" (Colossenses 2.13). Não é que eu não tenha uma visão teológica quanto a isso; mas... Isso sempre incomodou o meu espírito. Assim, a semelhança de Nicodemos; resolvi buscar de Deus uma palavra que me desse melhor entendimento sobre este estado. Creio que fui atendido; pois, pude entender melhor este assunto tão complexo.
 
Percebi que natureza caída e espírito humano renascido não podem conviver em um mesmo corpo; ou seja: Um deles precisa morrer, para que o outro possa existir. O interessante é que, qualquer um dos dois pode se mover e relacionar sem a presença do outro. A genuína conversão é o único elemento que pode definir a recriação do espírito humano; e, ao mesmo tempo, aplicar um golpe de morte na velha natureza, mediante o processo que todos os cristãos esclarecidos conhecem como crucificação do ego ou velho homem. Então, a partir deste processo que se consuma na cruz, sob o olhar de Deus e o sangue de Jesus; o novo ser ali gerado pode iniciar seus movimentos, relacionamentos e procurar desenvolver suas experiências; procurando a qualquer custo viver no centro da vontade de Deus.
 
No entanto, devido à fraqueza do corpo - causada por suas necessidades e instintos - o espírito humano recriado precisa estar sempre atento, para não se deixar persuadir pelo processo de sedução orquestrado pela natureza carnal, ávida por satisfazer seus apetites e prazeres. Se considerarmos que os interesses da carne e do espírito são antagônicos; podemos deduzir - sem medo de errar - que quando um é atendido, o outro é contrariado. Todavia, como as coisas de Deus são as que dão prazer ao espírito; elas devem ser priorizadas, acima da relações humanas e das diversões mundanas. Mas esta atitude impõe sacrifício; sem o qual o espírito humano recriado pode definhar, correndo o risco de regredir ao seu estado anterior. Devido a este risco, Jesus determinou que orássemos e vigiássemos!
 
Este texto pode nos ajudar a entender o conflito de interesses entra o espírito e a carne:
 
"Digo, porém: Andai em Espírito, e não cumprireis a concupiscência da carne. Porque a carne cobiça contra o Espírito, e o Espírito contra a carne; e estes opõem-se um ao outro, para que não façais o que quereis. Mas, se sois guiados pelo Espírito, não estais debaixo da lei. Porque as obras da carne são manifestas, as quais são: adultério, prostituição, impureza, lascívia, Idolatria, feitiçaria, inimizades, porfias, emulações, iras, pelejas, dissensões, heresias, Invejas, homicídios, bebedices, glutonarias, e coisas semelhantes a estas, acerca das quais vos declaro, como já antes vos disse, que os que cometem tais coisas não herdarão o reino de Deus. Mas o fruto do Espírito é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança. Contra estas coisas não há lei. E os que são de Cristo crucificaram a carne com as suas paixões e concupiscências."
(Gálatas 5.16-24).
 
Assim, nas lutas que travamos no íntimo, meditar nele pode nos fortalecer.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

sexta-feira, 10 de janeiro de 2014

Nos dias de Noé

Foto: Meu Deus! tenho observado o enorme leque de opiniões existentes, sobre o que é de fato Te servir e andar conTigo. Sempre me causa angustia os extremos existentes entre opiniões conflitantes, sobre o que é de fato ser testemunha de Cristo. Ainda bem que nossa crença é tolerante - diferente do islamismo - pois aquilo que alguns fazem, enquanto crentes, poderia gerar uma verdadeira guerra religiosa entre os que se dizem irmãos. Mas... É bom que seja assim; pois o juízo do qual ninguém pode fugir - no qual as opiniões não absolvem - está prestes a se revelar. E ali, nem o que procura orar e viver corretamente estará imune, caso não esteja firmado na Verdade.

Meu Pai! As divergências são tão grandes - alguns contra e outros a favor de um relacionamento mais cordial com o mundo - que os limites outrora demarcados começam a se apagar; dando lugar a uma espécie de "terra de ninguém", onde muitos que se dizem crentes, se sentem no direito de fazer qualquer coisa sem consequência, por mais loucas que sejam suas atitudes. Então, meu amado Senhor; eu suplico que me guarde de ser levado na esteira desta confusão; e de ser enganado por novos conceitos que vão sendo impostos por uma consciência cristã sem filtro, ávida por liberdade e diversão em meio à fé. Livra-me do fim infeliz dos "sinceros" incautos nos dias de Noé.

Meu Senhor! Quero buscar primeiro o Teu reino e sua justiça e fechar olhos e ouvidos aos apelos insistentes de um mundo que hoje tenta me atrair; para depois me esmagar. Não é de hoje, tenho percebido que este mundo deseja se iluminar com nossa Luz; mas, repudia o Caminho que seguimos. Portanto, Pai! tenho aprendido que o mundo se torna menos perigoso quando nos despreza e persegue; do que quando nos aplaude e abraça. Infelizmente, este mundo nunca deixou de ser Sodoma; todavia, Tua igreja não precisa personificar Laodicéia; pois, ela tem o direito de fazer uma melhor escolha. E Filadélfia será - hoje e sempre - o melhor perfil a ser por ela adotado.

Meu Deus! Tenho observado o enorme leque de opiniões existentes, sobre o que é de fato Te servir e andar conTigo. Sempre me causa angustia os extremos existentes entre opiniões conflitantes, sobre o que é de fato ser testemunha de Cristo. Ainda bem que nossa crença é tolerante - diferente do islamismo - pois aquilo que alguns fazem, enquanto crentes, poderia gerar uma verdadeira guerra religiosa entre os que se dizem irmãos. Mas... É bom que seja assim; pois o juízo do qual ninguém pode fugir - no qual as opiniões não absolvem - está prestes a se revelar. E ali, nem o que procura orar e viver corretamente estará imune, caso não esteja firmado na Verdade.
 
Meu Pai! As divergências são tão grandes - alguns contra e outros a favor de um relacionamento mais cordial com o mundo - que os limites outrora demarcados começam a se apagar; dando lugar a uma espécie de "terra de ninguém", onde muitos que se dizem crentes, se sentem no direito de fazer qualquer coisa sem consequência, por mais loucas que sejam suas atitudes. Então, meu amado Senhor; eu suplico que me guarde de ser levado na esteira desta confusão; e de ser enganado por novos conceitos que vão sendo impostos por uma consciência cristã sem filtro, ávida por liberdade e diversão em meio à fé. Livra-me do fim infeliz dos "sinceros" incautos nos dias de Noé.
 
Meu Senhor! Quero buscar primeiro o Teu reino e sua justiça e fechar olhos e ouvidos aos apelos insistentes de um mundo que hoje tenta me atrair; para depois me esmagar. Não é de hoje, tenho percebido que este mundo deseja se iluminar com nossa Luz; mas, repudia o Caminho que seguimos. Portanto, Pai! Tenho aprendido que o mundo se torna menos perigoso quando nos despreza e persegue; do que quando nos aplaude e abraça. Infelizmente, este mundo nunca deixou de ser Sodoma; todavia, Tua igreja não precisa personificar Laodicéia; pois, ela tem o direito de fazer uma melhor escolha. E Filadélfia será - hoje e sempre - o melhor perfil a ser por ela adotado.
 
Precisamos procurar entender entender melhor esta advertência de Jesus
 
"Vós sereis meus amigos, se fizerdes o que eu vos mando. Já vos não chamarei servos, porque o servo não sabe o que faz o seu senhor; mas tenho-vos chamado amigos, porque tudo quanto ouvi de meu Pai vos tenho feito conhecer. Não me escolhestes vós a mim, mas eu vos escolhi a vós, e vos nomeei, para que vades e deis fruto, e o vosso fruto permaneça; a fim de que tudo quanto em meu nome pedirdes ao Pai ele vo-lo conceda. Isto vos mando: Que vos ameis uns aos outros. Se o mundo vos odeia, sabei que, primeiro do que a vós, me odiou a mim. Se vós fôsseis do mundo, o mundo amaria o que era seu, mas porque não sois do mundo, antes eu vos escolhi do mundo, por isso é que o mundo vos odeia. Lembrai-vos da palavra que vos disse: Não é o servo maior do que o seu SENHOR. Se a mim me perseguiram, também vos perseguirão a vós; se guardaram a minha palavra, também guardarão a vossa. Mas tudo isto vos farão por causa do meu nome, porque não conhecem aquele que me enviou."
(João 15.14-21)
 
Creio nunca ter havido tanta necessidade de vigilância e discernimento como em nossos dias!
 
Cordialmente;
Bispo Calegari