quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

Fui ouvido e atendido


Hoje é o último dia de um ano de tentações, provações e realizações. Acordei cedo com um forte desejo de estender minha vida no lugar de oração. Guardei silêncio algum tempo - Não que não tivesse assuntos a expor - pois, senti necessidade de ouvir. Falei muito pouco; mas, fui ouvido em tudo que meus lábios e meus pensamentos disseram. Pedi duas coisas ao meu Deus: Pedi PERDÃO pelos erros cometidos e pelos pecados praticados, no ano que se finda. E pedi DIREÇÃO, para saber como entrar e proceder no novo ano que chega. Enquanto orava, pedi no íntimo que o Senhor me guarde de tentar explicar meus erros ou justificar meus pecados (afinal, erros não se explicam e pecados não se justificam; ambos devem ser tratados e corrigidos, diante do Senhor e diante do ofendido). Sinto paz, pois senti que fui ouvido e atendido. Enfim, isto sim, é o que importa!
 
Decidi continuar sendo vaso de bênção no novo ano. Sei que isto não depende só de minha intenção; pois ela precisa passar pelo crivo da aprovação de Deus e da aquiescência dos homens. Todavia, o simples fato de me dispor a ser vaso útil e edificante, já e suficiente para produzir satisfação interior. E, decidi não ser peso morto nem motivo de escândalo; pois isto fere a santidade de Deus e perturba o Seu propósito para com minha vida, além de causar grande prejuízo à vida dos que me rodeiam e que de certo modo, dependem de minha fidelidade e integridade. Sei que esta decisão é mais difícil que a primeira; pois exige perseverança e esforço de minha parte. Mas tenho ao meu favor o fato de que posso contar com o amor de Deus, a mediação de Jesus e o socorro do Seu Espírito. Logo, com o céu por testemunha e a graça por cobertura, que mais posso querer?
 
Ao longo de minha vida de crente, o livro de Provérbios sempre me edificou; e desde que li pela primeira vez este texto postado em seguida, tenho sido ajudado: "No caminho da sabedoria te ensinei, e por veredas de retidão te fiz andar. Por elas andando, não se embaraçarão os teus passos; e se correres não tropeçarás. Apega-te à instrução e não a largues; guarda-a, porque ela é a tua vida. Não entres pela vereda dos ímpios, nem andes no caminho dos maus. Evita-o; não passes por ele; desvia-te dele e passa de largo. Pois não dormem, se não fizerem mal, e foge deles o sono se não fizerem alguém tropeçar. Porque comem o pão da impiedade, e bebem o vinho da violência. Mas a vereda dos justos é como a luz da aurora, que vai brilhando mais e mais até ser dia perfeito." (Provérbios 4:11-18). Posso testemunhar que ainda guardo as marcas do que recebi através dele.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário