sábado, 20 de dezembro de 2014

Gentilezas e orações

Foto: Hoje levantei para orar, mais cedo que de costume... Depois, comecei a conjeturar comigo mesmo: Não devo me oprimir com a violência em que o mundo vive; nem me deslumbrar com o seu lado festivo e colorido; pois tenho um bem maior e melhor do que qualquer coisa que o mundo possa me tirar ou me oferecer. Sei que andar no caminho do Senhor será sempre como subir um rochedo íngreme ou nadar contra a correnteza. Algumas vezes, parece que não conseguirei dar a braçada seguinte, ou dar o próximo passo, de tão difícil que é; mas isso não deve me desanimar ou assustar, pois tenho a mão de Deus sobre mim. Então, não devo me deixar vencer por cansaço ou desânimo, pois a graça que me mantém de pé e os valores que busco, compensam qualquer sacrifício ou sofrimento.

Pensei na tendência que temos, de falar qualquer palavra que vem à mente, algumas como um desabafo. Então, conclui que é bem melhor conter os pensamentos e sentimentos, do que liberar palavras impróprias; pois razão e emoção podem ser trabalhadas no íntimo; mas palavras lançadas ao vento não podem ser recolhidas. Entendo que, mesmo em família, algumas expressões deveriam ser evitadas; até porque, família é um tesouro que precisa ser polido e preservado. Cônjuges e filhos deveriam entender que é muito mais nobre e edificante trocar gentilezas e orações, do que viverem a trocar ofensas e acusações. E aos internautas, eu digo: Cuidado com o que você posta! Palavras impensadas e ofensivas, lançadas na grande rede, podem provocar ferimentos e reações inesperadas e perigosas.

Hoje levantei para orar, mais cedo que de costume... Depois, comecei a conjeturar comigo mesmo: Não devo me oprimir com a violência em que o mundo vive; nem me deslumbrar com o seu lado festivo e colorido; pois tenho um bem maior e melhor do que qualquer coisa que o mundo possa me tirar ou me oferecer. Sei que andar no caminho do Senhor será sempre como subir um rochedo íngreme ou nadar contra a correnteza. Algumas vezes, parece que não conseguirei dar a braçada seguinte, ou dar o próximo passo, de tão difícil que é; mas isso não deve me desanimar ou assustar, pois tenho a mão de Deus sobre mim, para me ajudar a prosseguir com os olhos postos no céu; em meio a um mundo tão atraente quanto perverso. Então, não devo me deixar vencer por cansaço ou desânimo, pois a graça que me mantém de pé e os valores que busco, compensam qualquer sacrifício ou sofrimento que eu tenha que fazer nesta vida. 
 
Pensei na tendência que todos nós temos, de falar qualquer palavra que nos vem à mente; algumas sob a forma de um desabafo. Então, conclui que é bem melhor conter os pensamentos e sentimentos, do que liberar palavras impróprias; posto que, razão e emoção podem ser trabalhadas e modificadas no íntimo; porém, palavras lançadas ao vento não podem ser recolhidas. Entendo que, mesmo estando em família, algumas expressões nunca deveriam ser utilizadas; até porque, família é um tesouro que precisa ser constantemente polido e preservado. Cônjuges e filhos precisam entender que é muito mais nobre e edificante trocarem gentilezas e orações, do que viverem a trocar ofensas e acusações. E aos internautas, eu preciso dizer algo: Muito cuidado com aquilo que você posta na rede! Não devemos ignorar que, palavras impensadas e ofensivas lançadas na internet, podem provocar reações inesperadas e perigosas.
 
Esta advertência de Jesus me traz temor: "Ou fazei a árvore boa, e o seu fruto bom, ou fazei a árvore má, e o seu fruto mau; porque pelo fruto se conhece a árvore. Raça de víboras, como podeis vós dizer boas coisas, sendo maus? Pois do que há em abundância no coração, disso fala a boca. O homem bom tira boas coisas do bom tesouro do seu coração, e o homem mau do mau tesouro tira coisas más. Mas eu vos digo que de toda a palavra ociosa que os homens disserem hão de dar conta no dia do juízo. Porque por tuas palavras serás justificado, e por tuas palavras serás condenado." (Mateus 12:33-37). Portanto, devo meditar nela. E também observar esta receita do salmista: "Eu disse: Guardarei os meus caminhos para não pecar com a minha língua; guardarei a boca com um freio, enquanto o ímpio estiver diante de mim." (Salmos 39:1). Ela pode me livrar de grandes encrencas e dolorosos prejuízos e dissabores.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário