terça-feira, 30 de dezembro de 2014

Devo ser sempre agradecido

Foto: Estou pensando nas últimas horas que nos separam de um ano que se apresenta desafiador... Ano novo envolto em sombras preocupantes; tanto para governantes, como para governados. Enquanto penso, me dou conta de que minha vida podia ter sido mais útil e proveitosa. Então, sou lembrado de que sou devedor... Devedor aos que não evangelizei, tendo meios e tempo para fazê-lo; devedor àqueles por quem não orei, tendo tempo disponível para que o fizesse; enfim, devedor ao meu Deus e Senhor, por não Lhe ter dado mais espaço e tempo em minha vida. Sei que não devo me auto-massagear por me julgar bom; ou me auto-acusar por me julgar mal. No entanto, posso me auto-criticar e rever valores e conceitos que adotei; pois talvez eles não sejam tão bons como julguei que fossem. Ah... E sei que preciso buscar mais a Deus e servir mais ao meu próximo.

Sou também lembrado de que devo ser sempre agradecido... Agradecido por tudo aquilo que tenho recebido de Deus. Aliás, preciso olhar com gratidão a minha família, pois ela é parte da herança que recebi do Senhor; e preciso olhar com gratidão os meus amigos, pois eles são bens preciosos que Deus me deu. Devo, inclusive, agradecer a Deus por meu inimigos e adversários, pois eles podem ser os melhores aferidores do meu jeito de ser e de tratar as pessoas... Devo aprender com eles, que talvez eu não seja tão bom quanto penso ser; e que jamais poderei agradar a todos, por mais que queira. Enfim... Para o novo ano que se aproxima, preciso me condicionar e preparar melhor; pois não sei o que ele me reserva; mas, sei que posso melhorar meu modo de ser e de servir; pois, se assim eu fizer, serei alguém bem melhor de se conviver e uma melhor companhia.

Estou pensando nas últimas horas que nos separam de um ano que se apresenta desafiador... Ano novo envolto em sombras preocupantes; tanto para governantes, como para governados. Enquanto penso, me dou conta de que minha vida poderia ter sido mais útil e proveitosa. Então, sou lembrado de que sou devedor... Devedor aos que não evangelizei, tendo meios e tempo para fazê-lo; devedor àqueles por quem não orei, tendo tempo disponível para que o fizesse; enfim, devedor ao meu Deus e Senhor, por não Lhe ter dado mais espaço e tempo em minha vida. Sei que não devo me automassagear por me julgar bom; ou me autoacusar por me julgar mal. No entanto, posso me autocriticar e rever certos valores e conceitos que adotei; pois talvez eles não sejam tão bons como julguei que fossem. Ah... E sei que preciso buscar mais a Deus e servir melhor ao meu irmão e meu próximo.
 
Sou também lembrado de que devo ser sempre agradecido... Agradecido por tudo aquilo que tenho recebido de Deus. Aliás, preciso olhar com gratidão a minha família, pois ela é parte da herança que recebi do Senhor; e preciso olhar com gratidão os meus amigos, pois eles são bens preciosos que Deus me deu. Devo, inclusive, agradecer a Deus por meu inimigos e adversários, pois eles podem ser os melhores aferidores do meu jeito de ser e de tratar as pessoas... Devo aprender com eles, que talvez eu não seja tão bom quanto penso ser; e que jamais poderei agradar a todos, por mais que queira. Enfim... Para o novo ano que se aproxima, preciso me condicionar e preparar melhor; pois não sei o que ele me reserva; mas, sei que posso melhorar meu modo de ser e de servir; pois, se assim eu fizer, serei alguém bem melhor de se conviver e uma melhor companhia.
 
Tenho aprendido importantes lições nas cartas escritas, em Apocalipse, aos anjos das sete igrejas:
 
"Escreve ao anjo da igreja de Éfeso: Isto diz aquele que tem na sua destra as sete estrelas, que anda no meio dos sete castiçais de ouro: Conheço as tuas obras, e o teu trabalho, e a tua paciência, e que não podes sofrer os maus; e puseste à prova os que dizem ser apóstolos, e o não são, e tu os achaste mentirosos. E sofreste, e tens paciência; e trabalhaste pelo meu nome, e não te cansaste. Tenho, porém, contra ti que deixaste o teu primeiro amor. Lembra-te, pois, de onde caíste, e arrepende-te, e pratica as primeiras obras; quando não, brevemente a ti virei, e tirarei do seu lugar o teu castiçal, se não te arrependeres. Tens, porém, isto: que odeias as obras dos nicolaítas, as quais eu também odeio. Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas: Ao que vencer, dar-lhe-ei a comer da árvore da vida, que está no meio do paraíso de Deus."
(Apocalipse 2:1-7)
 
E esta, escrita ao pastor de Éfeso, tem sido um alerta para o meu modo de praticar meu ministério.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário