sábado, 8 de novembro de 2014

Precisamos amar e ser justos

Foto: Existem dias, na vida de qualquer pessoa, em que o desejo maior é que o tempo não passe; mas, infelizmente, a maior parte das pessoas anseia pelo andar mais rápido do tempo; especialmente, quando afligidas por dores e angústias tais, para as quais os tratamentos e lenimentos já não resultam; em meio às quais, a própria esperança parece ter mudado de endereço. No entanto, não posso deixar de ser grato a Deus, mesmo vivendo entre momentos de dor e de prazer. Na verdade, tenho aprendido e até cantado, que "não há dor que seja sem divino fim". Na verdade, aprendemos bem mais com as aflições do mundo do que com os regalos desta vida.

Tenho percebido que, em meio às contradições; bem mais difícil do que enfrentar a dor é saber lidar de modo justo com a maldade causada por alguém que amamos; ou com a bondade vinda de alguém por quem não simpatizamos. Na verdade, não é missão fácil agir com atitude imparcial; tanto com um amigo, quando ele comete erros; como com um inimigo, quando este acerta em seus atos. Daí, a urgente razão que temos, de procurar conhecer e praticar a vontade de Deus; buscando sabedoria do Alto para entender as contradições da vida e manter coerência com o sentimento de Cristo. Enfim, preciso amar e ser justo para com todos.

Existem dias, na vida de qualquer um de nós, em que o desejo predominante no coração é que o tempo não passe... No entanto, pelo fato da maior parte das pessoas viverem em estado de angústia e aflição; cresce a cada dia o número daqueles que anseiam pelo andar mais rápido do tempo; especialmente, quando se sentem afligidas por dores e angústias tais, para as quais os tratamentos e lenimentos já não causam o menor efeito. De modo geral, são muitos os casos em que a própria esperança parece ter mudado de endereço. Entretanto, sempre existirão motivos para cultivarmos sentimento de gratidão ao Senhor. Portanto, não posso deixar de ser grato a Deus, mesmo intercalando momentos de dor e de prazer enquanto vou vivendo a vida. Na verdade, tenho aprendido e até cantado, que "não há dor que seja sem divino fim"; assim, eu me sinto em condição de afirmar que aprendemos bem mais com as aflições do mundo do que com os regalos desta vida.
 
Tenho percebido que, em meio às contradições existentes no mundo; bem mais difícil do que enfrentar a dor é saber lidar de modo justo com a maldade causada por alguém que amamos; ou com a bondade vinda de alguém por quem não nutrimos simpatia. Na verdade, não é missão fácil agir com atitude imparcial; tanto com um amigo, quando ele nos surpreende com os seus erros e pecados; como com um inimigo, quando este toma decisões corretas e acerta nos atos que pratica. Geralmente, somos tendentes a minimizar os pecados de um amigo chegado e a maximizar os pecados de alguém que não faz parte do nosso círculo de amizade. Como esta atitude pode condenar, por conjugar conivência com discriminação; temos urgente necessidade de procurar conhecer e praticar a vontade de Deus; buscando sabedoria do Alto para entender as contradições da vida e manter coerência com o sentimento de Cristo. Enfim, precisamos amar e ser justos para com todos.
 
Neste texto bíblico, aprendemos muito sobre o amor: "Amados, amemo-nos uns aos outros; porque o amor é de Deus; e qualquer que ama é nascido de Deus e conhece a Deus. Aquele que não ama não conhece a Deus; porque Deus é amor. Nisto se manifestou o amor de Deus para conosco: que Deus enviou seu Filho unigênito ao mundo, para que por ele vivamos. Nisto está o amor, não em que nós tenhamos amado a Deus, mas em que ele nos amou a nós, e enviou seu Filho para propiciação pelos nossos pecados. Amados, se Deus assim nos amou, também nós devemos amar uns aos outros. Ninguém jamais viu a Deus; se nos amamos uns aos outros, Deus está em nós, e em nós é perfeito o seu amor. Nisto conhecemos que estamos nele, e ele em nós, pois que nos deu do seu Espírito. E vimos, e testificamos que o Pai enviou seu Filho para Salvador do mundo." (1 João 4:7-14). O amor é o único dom que nos capacita a exercer justiça na justa medida.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário