domingo, 9 de novembro de 2014

Orar é sempre uma luta

Foto: Hoje não foi fácil manter minha vida no lugar de oração (já tenho dito que, algumas vezes, isto é bem difícil). Mas consegui perseverar, contrariando sentimento e raciocínio, me deixando tanger pelo bordão do Espírito. Aliás, orar é sempre uma luta travada contra a natureza arredia; até que se torne descanso aos pés do Senhor. Meu Deus! Fico a pensar em Daniel... Que figura admirável! Ele cultivava a vida de oração, como se fosse uma planta frágil, regando-a três vezes ao dia. Esta prática - além de manter Daniel em constante sintonia com o Pai - o capacitava a conviver diariamente com o ambiente hostil em meio ao qual servia; lidando com seus inimigos e opositores (nem sempre um opositor é um inimigo) com amor, respeito e nobreza. Ele enfrentou inúmeros perigos, mas sempre guardado pelo Senhor. Este é o homem Daniel, que Deus transformou em Profeta!

Mas... Voltando ao meu lugar de oração... Consegui expor os sentimentos certos, e encontrar as palavras certas; até ao ponto de ser aceito e respondido diante do Pai. Orei por minha família (não posso sequer admitir que um filho de Deus não se derrame em oração em favor de seu lar); e orei por quase todos os pastores e obreiros da 2ª Região (talvez uns 90%); infelizmente, não consegui lembrar o nome de alguns). Entretanto, preciso repetir que um cristão de verdade precisa orar por sua família; pois, o mundo escureceu rapidamente e não há como conter a onda de maldade que acua e golpeia sem piedade as pessoas de bem (os que são do mal já estão subjugados). É... Muitas vezes atravessamos pelo vale da sombra da morte, sem darmos conta de que ele é real, ainda que nem sempre visível; o qual se desloca e se interpõe com frequência em nosso caminho.

Hoje não foi fácil manter minha vida no lugar de oração (já tenho dito que, algumas vezes, isto é bem difícil). Mas consegui perseverar, contrariando sentimento e raciocínio, me deixando tanger pelo bordão do Espírito. Aliás, orar é sempre uma luta travada contra a natureza arredia; até que se torne descanso aos pés do Senhor. Meu Deus! Fico a pensar em Daniel... Que figura admirável! Ele cultivava a vida de oração, como se fosse uma planta frágil, regando-a três vezes ao dia. Esta prática - além de manter Daniel em constante sintonia com o Pai - o capacitava a conviver diariamente com o ambiente hostil em meio ao qual servia; lidando com seus inimigos e opositores (nem sempre um opositor é um inimigo) com amor, respeito e nobreza. Ele enfrentou inúmeros perigos, mas sempre guardado pelo Senhor. Este é o homem Daniel, que Deus transformou em Profeta!
 
Mas... Voltando ao meu lugar de oração... Consegui expor os sentimentos certos, e encontrar as palavras certas; até ao ponto de ser aceito e respondido diante do Pai. Orei por minha família (não posso sequer admitir que um filho de Deus não se derrame em oração em favor de seu lar); e orei por quase todos os pastores e obreiros da 2ª Região (talvez uns 90%); infelizmente, não consegui lembrar o nome de alguns. Entretanto, preciso repetir que um cristão de verdade precisa orar por sua família; pois, o mundo escureceu rapidamente e não há como conter a onda de maldade que acua e golpeia sem piedade as pessoas de bem (os que são do mal já estão subjugados). É... Muitas vezes atravessamos pelo vale da sombra da morte, sem darmos conta de que ele é real, ainda que nem sempre visível; o qual se desloca e se interpõe com frequência em nosso caminho.
 
Este texto embasa uma boa reflexão: "A resposta branda desvia o furor, mas a palavra dura suscita a ira. A língua dos sábios adorna a sabedoria, mas a boca dos tolos derrama a estultícia. Os olhos do Senhor estão em todo lugar, contemplando os maus e os bons. A língua benigna é árvore de vida, mas a perversidade nela deprime o espírito. O tolo despreza a instrução de seu pai, mas o que observa a repreensão se haverá prudentemente. Na casa do justo há um grande tesouro, mas nos ganhos do ímpio há perturbação. Os lábios dos sábios derramam o conhecimento, mas o coração dos tolos não faz assim. O sacrifício dos ímpios é abominável ao Senhor, mas a oração dos retos é o seu contentamento. O caminho do ímpio é abominável ao Senhor, mas ao que segue a justiça ele ama." (Provérbios 15:1-9). Dentre outra coisas, ele revela alegria de Deus com a oração dos santos.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário