sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Precisamos continuar acreditando


Que o Brasil é conhecido internacionalmente com o "país do futebol e do carnaval", já estamos cansados de saber. E que até este momento, ele é um país com nível de influência e riquezas próprias de um país de primeiro mundo; mas com assistencialismo barato, sistema de saúde e educação, e uso e abuso do dinheiro público próprio de um país do final da fila do terceiro mundo, isto é lembrado até provocar revolta, sempre que precisamos do SUS e da escola pública, ou tropeçamos nas grandes obras inacabadas espalhadas por todo o território nacional. Entretanto, nos últimos anos, o Brasil - com o seu alinhamento internacional e com seu estilo de governo - vem se tornando cada dia mais parecido com a Venezuela "chavista" e com a Cuba "Castrista"... E isto fica cada dia mais claro aos olhos de quem tem um mínimo de senso de observação e senso crítico independente. Do jeito que as coisas vão, não sei como o Brasil ficará após o dia 26; todavia, precisamos continuar acreditando que o Brasil é viável.
 
Mas, Já não é de hoje (a dois mil anos, aconteceu em Jerusalém), o povo define suas preferências, influenciado por propaganda enganosa e tendência conformista (é assim que o Congresso Nacional se mantém, com os quadros de sempre, salvo raras exceções). É sabido em toda a nação que o Brasil acumula, ao longo destes últimos anos, descaso para com a coisa pública e graves escândalos de corrupção ativa e passiva, parecido com governos passados; porém... Jamais vistos em tamanha magnitude e voracidade. Na verdade, jamais se tentou interferir na família brasileira - com crescente tentativa de imposição de usos e costumes inconvenientes - como tem sido feito nos últimos anos. Medidas discriminatórias e retrógradas estão sendo impostas com insistência, no afã de corromper valores morais tradicionais. E me surpreende a conivência de cristãos - que não dependem do "pão e circo" oferecido por este governo - complacentes que são com seu modo de agir.
 
Este texto tem como título, a extrema corrupção nos últimos tempos:
 
"SABE, porém, isto: que nos últimos dias sobrevirão tempos trabalhosos. Porque haverá homens amantes de si mesmos, avarentos, presunçosos, soberbos, blasfemos, desobedientes a pais e mães, ingratos, profanos, Sem afeto natural, irreconciliáveis, caluniadores, incontinentes, cruéis, sem amor para com os bons, Traidores, obstinados, orgulhosos, mais amigos dos deleites do que amigos de Deus, Tendo aparência de piedade, mas negando a eficácia dela. Destes afasta-te. Porque deste número são os que se introduzem pelas casas, e levam cativas mulheres néscias carregadas de pecados, levadas de várias concupiscências; Que aprendem sempre, e nunca podem chegar ao conhecimento da verdade. E, como Janes e Jambres resistiram a Moisés, assim também estes resistem à verdade, sendo homens corruptos de entendimento e réprobos quanto à fé. Não irão, porém, avante; porque a todos será manifesto o seu desvario, como também o foi o daqueles."
(II Timóteo 3.1-9)
 
E este tempo que vivemos, pode ser enquadrado nas advertências deste texto.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário