segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Nação envolta em sombras


Amado Pai celeste; obrigado por poder estar aqui em Volta Redonda, na casa dos meus queridos cunhados e sobrinhos: Pastor Murilo Araújo & Hallison Salles, Heitor Salles e Júlia. Obrigado por Maria Célia Calegari & eu termos sido vasos ungidos, no sábado pela manhã, falando aos pastores e obreiros & suas respectivas esposas. Obrigado por termos sido acolhidos com tanto amor e carinho, no culto ao Senhor promovido pela abençoada juventude da IMW de Vila Elmira. Obrigado pelo ministério ungido do querido Pastor Eugênio, titular desta querida igreja. Obrigado pela vida do casal Dino e Sheila Silva que nos acolheram em sua casa, mesmo sem nos conhecer; e que nos deram tratamento tal, como se fôssemos anjos do Senhor visitando o seu lar. Obrigado, querido Pai, por podermos desfrutar deste amor que nos atrai e desta graça que nos inspira a continuar percorrendo o caminho do céu, amando e servindo vidas pelas quais Jesus deu Sua Vida.
 
Mas, nesta manhã, não posso deixar de interceder por minha querida família e por meus queridos irmãos espalhados por este Brasil afora... Não posso deixar de orar em favor de uma nação envolta em sombras de maldições que tentam sufocá-la... Maldições sob a forma de pragas antigas e novas; sob a forma de clima hostil sem a menor chance de controle; e eclosão de fenômenos conhecidos e desconhecidos, que assustam a humanidade enlouquecida e sem futuro... Maldições atraídas pelo desacato às leis eternas e aos valores morais e sagrados pelos quais o povo cristão vem se pautando ao longo dos séculos; e pelo descaso para com a vida e para com o meio ambiente... Maldições provocadas por prática de sexo desleal, hediondo e ultrajante... Maldições nascidas de uma religiosidade sem futuro, a serviço de ídolos e demônios, negociada por um punhado de moedas... Enfim, Pai; livra-nos do mal; pois Teu é o reino, o poder e a glória para sempre, amém!
 
Me situo entre os que acreditam que este texto é contextual com os dias que vivemos:
 
"Mas daquele dia e hora ninguém sabe, nem os anjos do céu, mas unicamente meu Pai. E, como foi nos dias de Noé, assim será também a vinda do Filho do homem. Porquanto, assim como, nos dias anteriores ao dilúvio, comiam, bebiam, casavam e davam-se em casamento, até ao dia em que Noé entrou na arca, E não o perceberam, até que veio o dilúvio, e os levou a todos, assim será também a vinda do Filho do homem. Então, estando dois no campo, será levado um, e deixado o outro; Estando duas moendo no moinho, será levada uma, e deixada outra. Vigiai, pois, porque não sabeis a que hora há de vir o vosso Senhor. Mas considerai isto: se o pai de família soubesse a que vigília da noite havia de vir o ladrão, vigiaria e não deixaria minar a sua casa. Por isso, estai vós apercebidos também; porque o Filho do homem há de vir à hora em que não penseis."
(Mateus 24.36-44)
 
Creio que os dias se abreviam com tanta rapidez, que já não temos muito mais tempo.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário