segunda-feira, 6 de outubro de 2014

Do céu veio a resposta

Foto: Hoje de manhã orei por minha família; preciso dizer que faço isto todos os dias, mas... Existem dias em que o apelo do Espírito à intercessão pelo lar difere daquela rotina de oração pela família que sempre fazemos. Então, precisamos estar sempre atentos à Voz que nos conclama à intercessão em favor dos nossos. Creio no poder da oração quebrantada e fervorosa; portanto, devemos por em uso este poder em todo tempo; mesmo quando achamos que está tudo bem (se tudo estiver bem de fato, depois de orarmos ficará ainda melhor). Devemos ter o cuidado de gastar tempo em oração por vidas carentes de intercessores; e também por nossos familiares. No entanto, existem dias em que a oração por alguém se torna urgente, inadiável.

Nesta manhã, enquanto eu orava, o Espírito me conduziu em uma intercessão imersa em paz; algo como se tudo estivesse sendo acatado e atendido. Gosto de sentir alívio após orar... E foi este sentimento que predominou em meu espírito nesta manhã. Eu aprendi que a paz gerada pela oração tem efeito semelhante ao da paz nascida da justificação: Ambas trazem sensação de alívio quase imediato. Creio que foi a busca por este sentimento, que levou Jesus a se prostrar três vezes seguidas no Getsêmani; até que do céu veio a resposta. As vezes vemos crentes saírem do lugar de oração, indiferentes, como se isto fosse algo corriqueiro. Quanto a mim, entendo que perseverar em oração é tão importante quanto perseverar na fé.

Hoje de manhã orei por minha família; preciso dizer que faço isto todos os dias, mas... Existem dias em que o apelo do Espírito à intercessão pelo lar difere daquela rotina de oração pela família que sempre fazemos. Então, precisamos estar sempre atentos à Voz que nos conclama à intercessão em favor dos nossos. Creio no poder da oração quebrantada e fervorosa; logo, devemos por em uso este poder em todo tempo; mesmo quando achamos que está tudo bem (se tudo estiver bem de fato, depois de orarmos ficará melhor). Devemos ter o cuidado de gastar tempo em oração por vidas carentes de intercessores; e também por nossos familiares. Porém, existem dias em que a oração por alguém se torna urgente.
 
Nesta manhã, enquanto eu orava, o Espírito me conduziu em uma intercessão imersa em paz; algo como se tudo estivesse sendo acatado e atendido. Gosto de sentir alívio após orar... E foi este sentimento que predominou em meu espírito nesta manhã. Eu aprendi que a paz gerada pela oração tem efeito semelhante ao da paz nascida da justificação: Ambas trazem alívio quase imediato. Creio que foi a busca por este sentimento, que levou Jesus a se prostrar três vezes seguidas no Getsêmani; até que do céu veio a resposta. As vezes vemos crentes saírem do lugar de oração indiferentes, como se isto fosse algo corriqueiro. Quanto a mim, entendo que perseverar em oração é tão importante quanto perseverar na fé.
 
Momento angustiante este, que que Jesus adverte o seu discípulo mais fervoroso sobre a hora da tentação que viria sobre ele: "Disse também o Senhor: Simão, Simão, eis que Satanás vos pediu para vos cirandar como trigo; Mas eu roguei por ti, para que a tua fé não desfaleça; e tu, quando te converteres, confirma teus irmãos. E ele lhe disse: Senhor, estou pronto a ir contigo até à prisão e à morte. Mas ele disse: Digo-te, Pedro, que não cantará hoje o galo antes que três vezes negues que me conheces." (Lucas 22.31-34). Assim como sua intercessão ajudou o discípulo enfraquecido pelos últimos acontecimentos; as nossas orações podem ajudar, em muito, aqueles que dependem de intercessão para viver e sobreviver.
 
Cordialmente;
Bispo Calegari

Nenhum comentário:

Postar um comentário